25.01.2022
* Para assistir: Emily em Paris – 2ª Temporada! ♥

Ei, Gente! :) Finalmente o momento “resenha da 2ª temporada de Emily em Paris” chegou. Meio atrasada, mas antes tarde do que nunca. Se você ainda não assistiu a 1ª, sugiro deixar esse post para depois. Afinal, às vezes, pode rolar um pequeno spoiler. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Crédito de onde peguei a imagem:
Tracklist

Para começar, nessa continuação temos algumas respostas para algumas perguntas que ficaram no ar na primeira parte. Aliás, acho que a nossa protagonista evoluiu e está ainda mais disposta a viver a sua vida na charmosa cidade luz.

Falando nisso, as aulas de francês são bem engraçadas e um novo personagem nos conquista. Ao menos, me conquistou. Irritante no começo, mas a cada episódio o charme de Alfie faz a gente fica in love hahaha. Quanto ao Gabriel, sempre fiquei com um pé atrás, mas nessa temporada cheguei a conclusão que ele é o significado de boy lixo.

Crédito de onde peguei a Imagem: Adoro Cinema (NETFLIX/ STEPHANIE BRANCHU)

Camille eu achava legal e tal. E dá para entender algumas atitudes, com certeza. Em contrapartida, acho que ela se perdeu e não sei se curto mais não a amizade dela com a Emily. E a Mindy é sem comentários, GENTE! Essa sim é amiga de verdade. E adorei que ela ganhou mais destaque e a história dela em paralelo prende a atenção. Principalmente, o casal de cantores.

Mais uma vez é uma série que dá para a gente tirar sacadas profissionais. Nem sempre a ética vai estar lá, mas a nossa atitude não pode depender disso. Têm chefes que achamos um amorzinho e bum: a decepção chega. E outros que parecem seguidoras da Miranda Prestley (O Diabo veste Prada), porém, aos trancos e barrancos, a surpresa positiva vem!

Crédito de onde peguei a Imagem: Adoro Cinema (NETFLIX/ STEPHANIE BRANCHU)

Destaque para o Luc, que ganhou mais espaço. A trilha sonora e os lookinhos da Emily! Por algum motivo, lembrou um pouco a Becky Bloom, que acho que elas seriam amigas também hahaha. Ah! E eu achei que dessa vez, a vibe meio “Sex and the City” ficou para trás. Tá bem mais romântica e fofinha.

Confesso que gostei mais da primeira temporada. Mas essa foi boa também! Leve e divertida, só não devorei os 10 episódios de uma vez só porque eu não queria acabasse e a falta de tempo não deixava. E ainda acho que deveria dura mais. 20 ou 30 minutos eu acho bem pouco, mas talvez ajude a manter o ritmo e a não ter enrolação.

Crédito de onde peguei a Imagem: Adoro Cinema (NETFLIX/ STEPHANIE BRANCHU)
Crédito de onde peguei a Imagem: Adoro Cinema (Netflix/ Carole Bethuel)

Ansiosa para a season 3 (e 4). Sim, pelo que eu vi a Netflix já confirmou mais duas temporadas! E se a gente teve respostas nessa, precisamos de outras na próxima. Enfim, já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo. No mais, pode opinar à vontade.

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Para assistir – Emily em Paris 1
Fan Page ♥ Instagram  


0
24.01.2022
* Hábito da Leitura: como dar os primeiros passos? ♥

Ei, Gente! :) Quando eu falo em criar o hábito da leitura, sei que não é a coisa mais fácil do mundo. Mas posso te garantir que não é um bicho de sete cabeças. Separei algumas dicas, que acredito que possam funcionar com quem deseja ter uma rotina literária. Vamos lá? Bom post. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. Uma coisa que o pai da minha irmã fez comigo e mega funcionou: ele não dizia “leia isso, leia aquilo”, ele simplesmente me incentivava a ler o que eu quisesse. E acho que é a primeira coisa que um futuro leitor tem de ter em mente! Leia o que desperta interesse em você. ;-)

2. Com o livro escolhido, teste os horários que mais funcionam para você. Na hora de acordar? Na hora de dormir? No intervalo de uma reunião? No caminho para a faculdade? Sua leitura, suas regras! Veja o que não te dá sono, preguiça e afins. E seja flexível, se algo mudar!

3. Hábito tem tudo a ver com constância. Não digo para ler todos os dias já de cara, mas se o intervalo for muito grande, talvez o desinteresse surja. Coloque pequenas metas, como: 1 página por dia na primeira semana. Depois pule para duas e por aí vai. ;-)

4. Eu sei, têm dias que é impossível ler. A gente só pensa em dormir, né? O olho não aguenta. Mas sabe aquele tempinho (de lei) que a gente fica no celular? Talvez, deixá-lo de lado e dar continuidade ao livro seja uma boa troca.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

5. Uma coisa que sempre me falaram: anote o que sente ao fazer algo que acha difícil, mas naquela hora conseguiu. Por exemplo, sempre que penso em desistir de um livro, sem ao menos tentar, ´penso nas histórias que quase deixei para lá e deixaram um quentinho no coração! Mas para você saber qual é essa sensação, só tentando mesmo. ♥

**

Essas são algumas dicas, gente. Mas prometo trazer mais! E se você já tem esse hábito, coloque nos comentários. Dicas sempre são bem-vindas! De resto, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: 3 coisas que aprendi com Insta Consistente
Fan Page ♥ Instagram    


1
19.01.2022
* PJ Leu: Amar é relativo! ♥

Ei, Gente! :) Finalmente, vou postar a resenha de “Amar é relativo“, da Sophie Kinsella. Um livro que esperei séculos para ler e, apesar de algumas ressalvas, deixou o meu coração de leitora chick lit bem quentinho. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Amar é Relativo| Autora: Sophie Kinsella| Editora: Record
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Ava está cansada de buscar um namorado em apps de encontro. Ela prefere um encontro cara a cara, seguir a sua intuição e não ligar para o que os algoritmos dizem ser a pessoa ideal.

Depois de um término, decide ir para um retiro de escrita na Itália e deixar o seu cachorrinho (o Harold) com uma de suas amigas. Um mosteiro no qual é proibido revelar o nome verdadeiro e nem fatos sobre a vida pessoal. Celular? Nem pensar. Ótimo, já que ela quer se concentrar na sua história. Até que ela conhece alguém com o apelido de Holandês! Tudo é perfeito, mas a vida fora desse retiro não é tão mágica.

Finalmente, ela descobre tudo sobre ele e, digamos, que amar é beeeemmmm relativo. Afinal, as diferenças serão superadas? ;-)

Opinião da Pequena: Eu tenho uma teoria… A Sophie Kinsella tem uma câmera escondida aqui em casa e mega se inspirou na minha vida para escrever essa história.

Porém, vamos ao que interessa: eu amei “Amar é relativo”. Confesso que imaginava um pouco diferente, mas foi uma leitura que abracei no final. Fala sobre amor, cachorrinho, amizade e dá um empurrãozinho em quem sempre está procrastinando!

As meninas do Clubinho do PJ (li com elas) falaram que lembrou um pouco “Casamento às cegas”. Claro que o teor é bem diferente, até porque a ideia do retiro de escrita não era conhecer alguém. Porém, mostra bem a diferença entre viver um amor de férias e a realidade do dia a dia.

No mais, a premissa é boa. Tem começo, meio e fim. Alguns desfechos confusos e meio desnecessários. Cada susto, que meu Senhor hahaha! Porém, o que fica de melhor é a lição de que, independente da relação, é bom a gente ter foco e escutar o que o outro tem a dizer. Talvez seja doloroso, mas pode render boas histórias.

Outra coisa: idealizar um relacionamento perfeito tende a ser meio caminho para uma decepção. Ninguém é igual a ninguém. Talvez o que seja bom e certo para você, não faça tão sentido para o outro. Mas isso não significa largar de mão, dependendo do caso.

Nenhum casal é 100% compatível, mesmo que os algoritmos digam isso. E foi nesse momento que eu entendi perfeitamente o nome do livro: amar é bem relativo e a gente tem de colocar na balança o que vale e o que não rola. A gente lida com um combo, não são apenas dois, envolve muita gente e outros fatores! Mas sem spoiler. Juro!

Por fim… O ritmo da leitura é leve e flui. Eu não tinha vontade de parar um segundo de ler. Só dei uma paradinha para ter a história fresquinha na minha cabeça no dia do date literário online do clubinho!

Nosso date literário online!
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Sobre os personagens: todos são incríveis. Ava, às vezes, irrita e me deu medo porque me identifiquei com muitas coisas. Mas ela é mega divertida e a sua evolução durante as páginas é inspiradora. Suas amigas são incríveis e doidinhas. Matt não é o boy perfeito, mas dá para entender o lado dele em muitas coisas.

Em contrapartida, quem me conquistou mesmo foi o Topher! Só perdeu para o Harold. Ele é o cachorrinho mais lindo e imperfeito perfeito do mundo. O amor da Ava por ele é idêntico ao meu pela minha Jeanninha, que a propósito, seria uma ótima amiga para o Harold hahaha.

Por fim, a capa fez sentido e é bem fofa. Me deu um choque de realidade em relação à procrastinação e acho que foi um recadinho da Sophie para mim hahaha. Não sei se entra no topo dos meus livros favoritos dela, mas foi mais um que só me fez amar ainda mais esse gênero literário. Adorei as sacadas, principalmente, no quesito “Mattlândia e Avalândia“.

Ah! E eu só dei nota alta porque atendeu as minhas expectativas e valeu toda a espera! Desde que começou a pandemia, eu estava aguardando ansiosamente para embarcar. Porém, se eu fosse bem casca grossa, a avaliação seria de 3,8 estrelinhas. Por conta de alguns desfechos e por ter quase me matado de susto! ;-)

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo. No mais, podem opinar à vontade! Ah! E quer saber sobre a próxima leitura do Clubinho do PJ? Clica aqui.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Mas tem que ser mesmo para sempre?
Fan Page ♥ Instagram 


4
18.01.2022
* BBB Book Tag! ♥

Ei, Gente! :) Por aqui, temos uma Big Brother Brasil Lover, mas que mega respeita quem não curte, viu? Mas por eu gostar e ter começado a nova edição na última segunda, dia 17, resolvi responder essa TAG, que vi no Blog Pausa para um Café. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. Anjo: Um livro que se tornou seu amorzinho e você daria imunidade?
R: Eu estou simplesmente apaixonada por “Como ser adulta e outras (im)possibilidades“, que li recentemente. Inclusive, deve sair resenha por aqui até semana que vem. ;-)

Crédito da Imagem: Amazon

2. Big Fone: Um livro que estava mais o menos , mas algo aconteceu ( telefone tocou), e teve um plot Twist e tudo mudou?
R: Mais um livro que li durante o isolamento nesses primeiros dias do ano foi “A vida não é uma linha reta“. Um texto da Fabi me surpreendeu e aí tudo mudou.

Crédito da Imagem: Amazon

3. Líder: O livro que lidera seu coração?
R: Vou falar de um dos novos da Sophie Kinsella que eu amei, mesmo com algumas ressalvas. “Amar é relativo“, que inclusive deve sair ainda essa semana a resenha. ;-)

Crédito da Imagem: Amazon

4. Paredão: Um livro que te irritou, você não gostou e, com certeza, colocaria no paredão?
R: Vou pegar um livro antiguinho, mas vale lembrar que essa é a minha opinião e acho válido cada um tirar a sua, ok? “Amor(es) Verdadeiro(s)“.

Crédito da Imagem: Amazon

5. Planta: Um livro que passou pela sua vida e você nem lembra (Um livro que não acrescentou em nada a você!)?
R: Solidão acompanhada. Eu jurava que ia render muitos aprendizados, mas pelo menos comigo não funcionou. Porém, repito a mesma observação da pergunta 4. ;-)

Crédito da Imagem: Amazon

6. Barraco: Aquele livro que chega causando, um livro que divide opiniões!
R: Acho que muitas histórias escritas pelo John Green. Vejo leitores que amam e outros que não curtem. Os que eu li, eu adorei, como “A culpa é das estrelas“. Não sei se é a melhor resposta, mas foi o primeiro que veio na minha cabeça. ;p

Crédito da Imagem: Amazon

7. O casal: O livro que o casal ganhou sua atenção e só foi bom por causa do casal (protagonista)?
R: Quase Rivais“, como eu amo aquele casal estilo “Romeu e Julieta” atual.

Crédito da Imagem: Amazon

8. Estalecas: Livro que você investiu muito para ter e valeu (ou não) a pena?
R: Dia de Beauté. Confesso que não li tim tim por tim tim, mas eu acho a capa simplesmente maravilhosa e muito bem feito. Fora que tem uma dedicatória da Vic e valeu cada real (na época acho que foi uns R$ 80… Algo assim).

Crédito da Imagem: Amazon

9. Festeiro: Um livro que tenha uma data comemorativa importante para a história?
R:Os delírios de Natal da Becky Bloom“, que fala sobre o Natal, óbvio! hahaha

Crédito da Imagem: Amazon

10. Fofoqueiro/Leva e trás: Um livro com um personagem com um caráter duvidoso?
R: Eu comecei, mas dei uma pausa. Mas já no início a gente se depara com um personagem que tem caráter não só duvidoso, como assustador! Estou esperando melhorar a crise de ansiedade continuar “Uma escritora de matar“.

Crédito da Imagem: Amazon

11. Prova de resistência: Um livro que você levou muito tempo para concluir?
R: A menina que roubava livros“, não por ser ruim, mas não queria que terminasse nunca. É um dos meus favoritos da vida!! :)

Crédito da Imagem: Amazon

12. Game over: Um livro eliminado! – um livro que você teve que desfazer dele esse ano?
R: Segredos de uma noite de verão” foi um dos primeiros livros que esqueci por aí, com a intenção de alguém encontrar e embarcar. Então, não me desfiz, apenas doei. :)

Crédito da Imagem: Amazon

***

É isso, pessoal. Agora me contem: qual é o livro que lidera o coração de vocês? Pode ser uma leitura recente ou antiguinha. ;-) No mais, podem opinar à vontade.

Ah! Quem aí é #TeamBBB ou #BBBnempensar? hahaha ;p

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: 5 coisas que aprendi com BBB20
Fan Page ♥  Instagram


2
17.01.2022
* Para assistir: Encanto! ♥

Ei, Gente! :) Que tal pegar a pipoquinha, o refri e apertar o play para acompanhar a resenha de um dos primeiros filmes que assisti esse ano? Com vocês: Encanto, que est´´a disponível no streaming da Disney (Disney+). Boa sessão! ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Para começar: a família Madrigal vive escondida em uma região isolada e mágica, conhecida por Encanto. Todos os membros dela possuem poderes mágicos, exceto Mirabel, que não tem nenhum dom. Porém, quando descobre que o seu lar doce lar corre o risco, ela pode ser a última esperança. ;-)

O que eu achei? Mais uma produção impecável da Disney, onde encanta as crianças com o colorido e os adultos com as mensagens que aquecem o coração! É um ótimo filme para começar o ano bem e com aquelas lições que fazem a diferença. Nem que seja apenas na teoria.

A história toda é bem fofa e tem um ritmo que prende do início ao fim. A gente ri e reflete muito sobre fatos simples e mais complexos também. Afinal, será que um dom tem de ser aquele que todo mundo espera? Que a sua família imagina?

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Falando nisso, a Mirabel é uma personagem que inspira. Mesmo sem o tal do “dom”, ela não desiste e tenta viver da melhor forma possível. E o final mostra que todo mundo, sem exceção, tem o seu diferencial. Sendo mágico ou não.

Destaque também para o Antonio, o garotinho mostra como a percepção de uma criança traz esperança. Adorei a trilha sonora (principalmente a música “All of You”) e a personagem Isabel, irmã da Mirabel. Ela me irritou no começo, mas depois virou uma das minhas favoritas! Aliás, a gente (quase) sempre pode dar uma segunda chance para as pessoas.

Enfim, recomendo muito esse filme. Que tem uma mistura de Moana, mas com ingredientes novos que nos ensinam mais uma vez sobre família, pré-conceitos, entre tantas outras questões que podem encantar, mesmo com os perrengues. Só depende do nosso olhar. ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir: Moana
Fan Page ♥  Instagram


1

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2022