13.05.2022

Ei, Gente! :)

Eu sempre bato nessa tecla: não é porque o gênero de uma história literária é chick lit ou afins, que significa que seja uma leitura rasa. Ao longo da minha vidinha, me deparei com livros que abordaram temas, como luto, de uma maneira leve e que me ensinaram muito! Gosto dessa pegada de alguns autores e comigo super funciona!

Se assim como eu, você prefere aprender desse jeitinho, separei alguns livros que vão fazer a diferença na sua caminhada como leitor(a).

Vamos lá? Bom post. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. Menina de 20 (Sophie Kinsella)
Observação da Pequena:
O motivo de eu amar tanto esse livro é pelo simples fato de que a gente percebe que através do luto recuperamos e conquistamos memórias . No começo, a saudade dói, aperta… Mas com o tempo, essa sensação de tristeza dá lugar a lembranças saudosas que aquecem o coração e faz com que apareça timidamente um sorriso de orelha a orelha!

2. A casa dos novos começos (Lucy Diamond)
Observação da Pequena:
O tema central desse livro não é luto, mas uma das histórias tem muito a ver com uma perda. Nessa parte, notamos que é possível recomeçar sim, até mesmo, quando parece impossível.

3. A Troca (Beth O’Leary)
Observação da Pequena:
Foi esse livro que me fez escrever esse post. A premissa “luto” é uma característica mais marcante nesta história, mas de maneira totalmente leve. Com capítulos bem escritos e bem-humorados, na medida certa, ensinam a gente que essa palavrinha faz parte da vida e não importa o seu jeito de lidar, o importante é lidar.

4. Amor & Azeitonas (Jenna Evans Welch)
Observação da Pequena:
Ainda não consegui postar essa resenha, mas já adianto que o terceiro livro dessa série aborda sobre luto e suas várias formas. Não, necessariamente, tem a ver com morte. E sim a ausência, seja por não estar presente no dia a dia ou a perda de uma ideia que era fixa. Vale ler a visão dessa autora e seus personagens. A propósito, o primeiro “Amor & Gelato“, também relata sobre esse tema. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

***

É isso, pessoal. :) Tem alguma história que trate sobre o luto com leveza? Compartilhe nos comentários. No mais, podem opinar à vontade!

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Por que eu leio chick lit?
Fan Page ♥ Instagram 

carol
compartilhe
11.05.2022

Ei, Gente! :)

Todo mundo sabe que o PJ tem um Clubinho de Leitura Coletiva, né? Para quem ainda não sabia: sim, temos! \o/ E vamos para o nosso 7º livro: O outro lado de tudo isso, da Kim Lock. ♥

Crédito da Imagem: @paper.ane
♥ Obrigada pelo registro, miga!

A princípio, a capa foi o que conquistou a gente. Mas a história parece ser do jeitinho que gostamos: leve e repleta de aprendizados… Começando pelo nome, né? ♥

Falando nisso, segue a sinopse: a casa de Mercy Blain acabou de pegar fogo. E esse nem é o maior de seus problemas. Pela primeira vez em dois anos, Mercy está do lado de fora. Lançada em um mundo que tentava a todo custo ignorar, ela vai para a casa de Eugene (seu não-tecnicamente-ex-marido), mas logo percebe que ficar lá não é uma opção.

Em meio ao pânico, toma a decisão mais impulsiva de sua vida: compra uma van cult vintage (leia-se minúscula, velha e fedida) e coloca o pé na estrada. Afinal, lar é onde você está. Na companhia de Wasabi, seu salsichinha, e de uma passageira um tanto mórbida, Mercy agora precisa enfrentar surtos inoportunos, uma simpática trupe de nômades na terceira idade, um escocês charmoso e uma rival inescrupulosa para chegar a Darwin, no norte da Austrália, a mais de três mil quilômetros de distância.

Impossível não ficar curioso para embarcar nesse livro, né? Então, anotem aí: dia 13 de maio, que cai numa sexta-feira treze (hahaha), começa a nossa leitura. Dessa vez, vamos ler dois capítulos do dia (se não, a lc ia durar muito mais que um mês hehehe) e teremos mais uma novidade: os dois primeiros capítulos serão lidos em um sprint de leitura (mas quem não puder, sem problemas). Para ser um incentivo a mais!

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Então, vamos?

Quem quiser/puder embarcar nessa nova aventura, me avisa, que envio o link do grupo do WhatsApp (não coloco direto aqui por questões de segurança). Aliás, a compra do livro fica por conta de cada pessoa, viu (lembrando que ao final de cada leitura sempre rola mimos literários)? E quem puder apoiar o meu trabalho, sem pagar nada mais por isso, só garantir o seu através do meu link de associado. ;-)

É isso, pessoal. No mais, podem opinar à vontade! ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Lições Inesperadas sobre o Amor
Fan Page ♥ Instagram

carol
09.05.2022

Ei, Gente! :)

Ainda no clima do Dia das Mães, trouxe uma indicação de filme que assisti nesse fim de semana. Anotem aí o nome: Lua de mel com a minha mãe, disponível na Netflix. Parece só mais uma história engraçadinha, mas vai além.

Vamos lá? Boa sessão! ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Para começar, segue um resuminho do filme: José Luis acaba de ser deixado no altar. Com tudo pago, incluindo a lua de mel, sua mãe, a Mari Carmen, insiste para ele não desistir da viagem para não perder o dinheiro. Para não deixá-lo sozinho, se oferece para ir junto. Os dois embarcam nessa aventura, um por espontânea pressão e outra com a oportunidade de aproveitar esses dias como nunca! ;-)

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

No comecinho, eu não dava nada para essa história cinematográfica. Achava que ia ser mais do mesmo! Porém, me surpreendeu. Me fez rir, mas ao mesmo tempo trouxe lições que valem ouro! Sei que parece piegas, em contrapartida, esse filme é mais uma prova de que a gente pode aprender muito com as comédias. ♥

Eu achava que a mãe ia ser mega sem noção. Mas é impossível não se encantar por ela! José Luis não ganhou o meu amor de cara. Só que no decorrer das cenas, percebemos como ambos podem acrescentar um na vida do outro e como o laço de mãe e filho rende boas lembranças e ótimos aprendizados. Mesmo que aos trancos e barrancos hahaha!

O cenário é incrível (nas Ilhas Maurício). A interação dos atores é maravilhosa! Outros personagens fazem a total diferença no filme. Cada um interpretando do jeito que o personagem pede, porém, na minha humilde opinião: a Mari Carmen rouba a cena. Só que o José do meio para o desfecho surpreende a gente. E super me identifiquei com ele querendo proteger a mãe a qualquer custo! Só que é aquilo: mães não são bobas! E a dele não é diferente. Desvendou um dos plot twist do filme, mas soube tirar proveito da melhor maneira. Mega inspiração, aliás!

O final deu quentinho no coração e mostra que a conquista entre casais tem de ser diária. Nem sempre é fácil, mas conquistar, deixar para lá e só cair na rotina tende a ser ruim para ambos! Aliás, saber ficar na sua própria companhia é o início de um amor próprio incrível. A gente até pensa em um rumo diferente, mas achei o desfecho perfeito!

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

O filme é espanhol e ganha a nossa atenção do início ao fim. Vale cada minutinho da história, que faz a gente rir, ficar com medo do que vai acontecer e ter uma vontade imensa de aproveitar cada oportunidade, sem ter de esperar o pior acontecer. Destaque para a cena da prisão, eles fingindo ser um casal hahaha e a arte final do pai.

Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo e MUITO! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir – Minha mãe é uma peça
Fan Page ♥ Instagram

carol