04.02.2021
* TBT Pipoca: Os delírios de consumo de Becky Bloom! ♥

Ei, Gente! :) Separei mais um filme para o nosso TBT Pipoca da semana. Aliás, pasmem: a adaptação “Os delírios de consumo de Becky Bloom” não tinha um post exclusivo! Mas vamos mudar isso, né dona Pequena? Então, peguem a pipoca, o refri, que a sessão consumista vai começar hahaha. ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Eu acredito que a maioria saiba a sinopse. Mas vou colocar um resuminho, ok? :) Rebecca Bloomwood é uma garota que ama fazer compras e seu grande sonho é trabalhar na sua revista de moda favorita. Mas os gastos vão além e a levam à falência. E quanto ao trabalho: tudo o que ela consegue é escrever para um veículo de finanças. Chega a ser contraditório e cômico, né? E quanto tudo está prestes a melhorar, nossa protagonista repensa em suas ambições e seu estilo de vida!

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Vocês já estão cansados de saber que a Becky é uma das minhas personagens favoritas da vida. Sim, esse filme é uma adaptação do livro da Sophie Kinsella. Apesar de amar ler as atrapalhadas da protagonista, amei ver a personagem ganhando vida nas telonas.

Claro que no cine, o mundinho da protagonista ganhou alguns toques diferentes. E se eu não me engano, eles misturaram o livro 1 e o 2. Mas juro, não me incomodou nadinha. Pelo contrário, amei ver uma premissa que me fez amar chick lit. ♥

Achei tudo bem amarradinho. O filme tem ritmo e cada cena envolve o telespectador e não dá sono. Mesmo assistindo pela milésima vez! A gente ri e aprende lições valiosas. Não só sobre finanças, mas a importância da família e o que um lenço verde não faz na vida de uma pessoa hahaha!

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Quanto à escolha dos atores: não poderia ter sido melhor, juro! A Isla como Becky é perfeita. Não imagino outra atriz fazendo esse papel. Ela captou direitinho a essência da protagonista. Também amei os pais dela, que são aquelas “pessoas” que a gente quer guardar dentro de um potinho, sabem? Luke é de arrancar suspiros e a Suzy é igualzinha hahaha. Alicia? Tão irritante quanto a do livro hahaha.

Sobre o Dereck Smeath… É a única mudança que eu faria. Ele saiu meio como vilão, mas na real não é. Afinal, a gente ama a Becky, mas ele tava fazendo o trabalho dele. De uma forma meio nada a ver, mas foi a solução que ele achou. Em contrapartida, amei cada centavo que ela colocou na sala dele hahaha.

E o que falar do final? Perfeito! A dancinha, a mini vingança, os manequins e a volta do lenço. Aliás, essa peça roubou a cena e é a melhor compra da vida. Os figurinos são extravagantes, mas não poderiam ser outros. Talvez, a roupa de madrinha do casamento. Enfim, é uma história que deixa a vida mais leve e diverte qualquer domingo de tédio!

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Sim, os livros são melhores, claro. Porém, essa adaptação não deixa nada a desejar e o meu sonho é que tenha mais continuação. Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! Pelo que eu pesquisei, está disponível na Apple TV. ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Green Scarf
Fan Page ♥ Instagram  


6
03.11.2020
* Para assistir: Amor com data marcada! ♥

Ei, Gente! :) Está aberta a temporada de filmes natalinos. O primeiro que assisti esse ano: Amor com data marcada, disponível na Netflix, onde a história começa no Natal e pega as principais datas comemorativas. Enfim, vamos lá? Pega a pipoca, o refri, o gorrinho do Papai Noel e boa sessão! ♥

Crédito da Imagem: Ultra Cine

Para começar, aquele resuminho: Sloane é uma jovem solteira, desacreditada do amor. Jackson é um jovem solteiro que foge de relacionamento. Os dois sofrem aquela clássica (e desnecessária) pressão de “cadê os (as) namoradinhos (as) e tal”. Então, em uma fila de uma loja, ambos se conhecem, conversam e fazem um acordo…. Ser o par um do outro em ocasiões especiais, como Natal, Ano Novo, Halloween e por aí vai. Mas… A gente já imagina o final. Porém, a maneira como chega lá é o que faz a diferença. ;-)

O que eu achei? É uma mistura de “Amizade Colorida” com “Qual é o seu número?“. O filme tem um ritmo bem divertido e vai direto ao ponto, sem enrolação. Apenas com algumas floreadas, que particularmente, eu amo. Sloane é ácida, mas divertida. Jackson? Tem aquele humor que conquista a gente. Pelo menos, me conquistou. ♥

Crédito da Imagem: Holofote Digital

A gente ri bastante e algumas cenas são meio apelativas, mas nada que deixe a história sem noção. Curti quase todos os personagens, mas uma das garotinhas, da mesa de Natal dos mais novinhos é a melhor. Sem contar o coral de Natal do shopping. Sério, o filme todo poderia ser ruim, mas só com essa parte conquistaria e faria cada minutinho valer a pena.

Têm lições fofinhas, como encarar o medo e agarrar as chances que a vida te dá. Um detalhe, faz a diferença em uma relação. E, sim, o amor pode estar mais perto do que imagina ou onde nunca imaginou. É só abrir os olhos! O casal protagonista tem química e quero ver os dois em mais comédia romântica. A mãe da Sloane me irritou um pouquinho, mas fiquei tão feliz com o desfecho dela. ;-)

Crédito da Imagem: O cinema é

Enfim, por mais filmes natalinos assim e para quem quiser começar a temporada dessas histórias com o pé direito: Amor com data marcada é uma ótima pedida. Rende risadas, suspiros e faz com que a gente queira o Natal logo, mesmo com todas as ressalvas desse ano.

Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo e muito! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Uma segunda chance para amar
Fan Page ♥ Instagram  


3
10.09.2020
* Tag: Uma comédia romântica, por favor! ♥

Ei, Gente! :) Como vocês sabem, eu não dispenso um chick-lit e a Kaka, do Rainhas da Pechincha, também não. Então, decidimos criar em conjunto uma TAG para mostrar todo o nosso amor por esse gênero literário e afins. O nome é: Uma comédia romântica, por favor. Vamos lá? ♥

1. Melhor par romântico: 
Carol: Charlie e Dan (O Diabo ataca em Wimbledon).
Kaka: Becky e Luke (Livros da Becky Bloom).

2. Personagem mais embuste: 
Carol:
Ryan (Te devo uma).
Kaka: Dillon O’Hara (Uma noite com Audrey Hepburn).

3. Melhor local fictício:
Carol:
A redação da revista The Plunge é o primeiro local que surgiu na minha cabeça (A vingança veste Prada).
Kaka: A casa de Lina, na Itália (Amor & Gelato).

4. Chick Lit que precisa de lencinho: 
Carol:
Menina de 20.
Kaka: Teto para Dois.

5. Melhor personagem amigo da protagonista:
Carol
: Eu ia colocar Susie, mas vou colocar um que eu gostei recentemente, que foi a Piper (O Diabo ataca em Wimbledon).
Kaka: Susie, amiga da Becky Bloom.

Crédito da Imagem: Kaka

6. Protagonista que mais se identifica:
Carol:
Mel (Confissões de uma Terapeuta).
Kaka: Becky Bloom (Vocês sabem os nomes dos livros, né? hahaha).

7. Um chick lit com a primeira letra do seu nome (ou blog):
Carol:
Corra, Abby, Corra!
Kaka: Não conheço nenhum!

8. Personagem que queria trazer para a vida real:
Carol:
A Becky (Os delírios) e a Mel (Malas, Memórias e Marshmallows) .
Kaka: Sadie, a tia avó da Lara (Menina de Vinte).

9. Uma autora que estoura o limite do seu cartão:
Carol:
Sophie Kinsella.
Kaka: Sophie Kinsella.

10. Comédia romântica que todo mundo ama e você não (ou vice-versa): 
Carol:
Não gostei de “As joias de Manhattan”.
Kaka: Não gostei de “Um presente da Tiffany” e “O Navio das Noivas”. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

***

É isso, pessoal. Gostaram? A gente espera que sim. :) Aliás, quem quiser responder, fica à vontade, ok? Vamos amar ler as respostas de vocês. Ah! A maioria tem resenha aqui no blog ou lá no Rainhas. Só buscar na caixinha de pesquisa. E quem tiver indicação de chick-lit de autoras nacionais, seremos eternamente gratas. ^^

Beijos, Carol e Kaka.

Post Antigo: TAG Dramática
Fan Page ♥ Instagram  


10
25.08.2020
* Beda 25 – Para assistir: Amor em obras! ♥

Ei, Gente! :) Para o dia de hoje, separei um filme bem comédia romântica: Amor em Obras, disponível na Netflix. Vamos lá? Pega a pipoca, que a sessão PJ já vai começar. ♥

Crédito da Imagem: Pinterest

Para começar, aquele resuminho do que se trata a história: Gabriela Diaz é uma executiva de São Francisco, mas tudo na sua vida parece estar dando errado. Tanto no amor quanto no trabalho! Até que um dia ao afogar as mágoas, ela participa de uma promoção e ganha uma pousada na Nova Zelândia.

Seguindo seus sonhos antigos e querendo um pouco de paz, ela vai para lá. Mas como o destino prega peças, o prêmio está longe de ser igual ao da foto e ela vai ter muito trabalho. Mas claro, com a ajuda de um empreiteiro para lá de especial e charmoso (e um pouco irritante hahaha), o Jake Taylor. ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

O que eu achei da história? Sabe aquele filme bem sessão da tarde, que faz a gente rir e suspirar muito? Então, “Amor em obras” é assim. Adorei a premissa e me prendeu do início ao fim. O filme tem ritmo e é bem fofo! Clichê, sem dúvida. Mas para quem ama é um prato cheio.

A protagonista é divertida e com looks maravilhosos. O mocinho? Bem lindo! E os outros personagens não ficam de fora. Todos fazem a diferença e dão um toque a mais. A cidade é aquela que a gente fica com vontade de morar, mesmo com todas as fofocas sendo descobertas em 5 minutos hahaha. Ah! E, sem dúvida, vou acrescentar a Nova Zelândia nos lugares que eu ainda quero conhecer. Cada paisagem, que MEU DEUS!

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Porém, como nem tudo são flores: eu jurava que ia ter um mistério fofinho por trás. Tipo quem está por trás da promoção da pousada. O que aconteceu com a outra e tal. E tudo acontece bem rápido, por mais que eu saiba que histórias assim rolam desse jeito. Enfim, eu já tinha várias teorias na minha cabeça e nada do que imaginei a mais, rolou. Então, é muito bonitinho o filme, mas não traz nada de diferentão.

Entretanto, são só ressalvas para quem é mais exigente. Amor em obras traz mensagens bem válidas. Por exemplo? Nada acontece por acaso e uma mudança é sempre bem-vinda e pode trazer sonhos antigos à tona. Recomendo! ♥

Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol

Post Antigo: Para assistir – Virgin River
Fan Page ♥ Instagram  


5
09.07.2020
* Para assistir: O amor não tira férias! – #TBT ♥

Ei, Gente! :) Como quinta-feira é o dia oficial de relembrar momentos e tal (o famoso #TBT), decidi que vou postar filmes antiguinhos aqui no blog. Pelo menos, duas vezes por mês! Para estrear: O amor não tira férias. Vamos lá? Pega a pipoca e o refri, que a sessão nostalgia vai começar! ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Para começar, aquele clássico resumo: a jornalista Iris está apaixonada por Jasper, mas logo descobre que ele está prestes a se casar com outra. Amanda, dona de uma renomada agência de publicidade especializada em trailers de filmes, tem a prova de que o namorado Ethan não é fiel. Iris é de Londres e Amanda de Los Angeles. Através de um site de intercâmbio (tipo um Airbnb da época), as duas trocam de casas para tirar uma mini férias de suas vidas e, claro, do amor. Essa mudança temporária traz novidades que refletem na vidinha amorosa de ambas e acabam cruzando o caminho de Miles e Graham, entre outros personagens importantíssimos! ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Esse filme é de 2006, mas vi pela primeira vez lá em 2014. Me apaixonei completamente. Por mais que a história seja clichê, a forma como tudo acontece é apaixonante e realmente traz esperança no amor e a gente tem a clara noção de que ele não tira férias! Inclusive, o amor próprio. E que aquele romance pode estar onde você menos espera e em uma hora bem improvável. Os atores são sensacionais e acho que ambos casais tiveram aquela química que arrancaram suspiros!

Fiquei torcendo para todos e adorei as peculiaridades, como a Amanda nunca chorar, o Graham ser o pai mais hilário do mundo (amei as filhas dele) e o jeito como a Iris aproveita a sua estadia em Los Angeles é inspirador. Arthur é o meu personagem favorito e suas palavras, como “seja a protagonista da sua história e não apenas a amiga dela fizeram a diferença nessa época. Ser a melhor amiga tem o lado divertido, mas a gente não pode deixar a nossa voz de lado e o protagonismo também.

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Amo que esse filme traz memórias de como era legal escolher uma história em plena Blockbuster e que a gente entende a importância de guardar o nosso choro para acolher o amigo do lado. E que a propósito, o amor pode estar embaixo do seu nariz e é só mudar a direção do seu olhar! E sempre quando assisto “O amor não tiro férias” fico com vontade de ter uma casa igual a da Iris, em Londres. No meio de neve e até dirigindo na mão contrária hahaha.

Enfim, é uma sessão pipoca para aquecer o coração, independente do seu estado civil. A gente ri, chora e vive cada cena! O final é bem clichê e dá uma sensação tão boa. Confesso que assistir novamente me bateu uma saudade de filmes assim românticos, mas nada apelativos! Enfim, recomendo e muito! ♥

***

Já viu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! Se eu não me engano, está disponível na Netflix, entre outros canais, como Telecine. ;-) No mais, podem opinar à vontade. E me indiquem filmes antiguinhos desse gênero. Vou adorar!!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Oscar 2018 – 4 filmes que assisti
Fan Page ♥  Instagram


10

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021