30.10.2014
“TPM, Sinusite e Vingança” 
(Por Carol Daixum) 
– Não gosto desse, nem desse. Esse é muito infantil. Não, pai, credo!
Esse é muito sério. Droga, eu não encontro nada na minha vida. Nada dá certo!
Nada! Por quê? Que mal eu fiz para merecer isso? (Nessa hora, lágrimas começam
a descer e tcharan: fim do mundo!)
– Filhota, as pessoas estão olhando. Você sabe que a gente está falando
de um caderno, né?
– NÃO, PAI!! Esse caderno resume a minha vida. Nada do que eu quero
acontece, nada, nadinha! (começo a soluçar)

Quando saímos do shopping, ele nem deu muita bola para mim. Tipo,
concordava com tudo o que eu falava. Mas sabe quando a pessoa faz isso só para
não contrariar? Que raiva! Nem o meu pai liga para mim. Acho que é porque eu
estou com sinusite e de TPM. Ou, ele deve estar cansado de mim. Nem brigar mais
comigo ele quer. Dizem que quando a pessoa para de brigar é porque ela desistiu
de você. Ai meu Deus, o meu próprio pai desistiu de mim. Por que Deus? O que eu
fiz?  
Cheguei em casa e fui para a cama chorar mais um pouquinho (como a
minha fonte não seca???). Bati a porta com toda a força e tranquei. Ele perdeu
a paciência comigo! Que pai briga com a própria filha que está doente???? Minutos
depois, ele pegou a chave do carro e saiu. Ainda teve a cara de pau de me dar
um beijinho na testa e uma piscadela fofa.
Algumas horas depois, ele abre a porta do meu quarto com uma bandeja e
uma flor de chocolate para curar a TPM. Remédios para a sinusite, um caderno (exatamente
como eu queria), uma sopinha batida e um bilhete: “para a minha drama queen
preferida”! Me derreti toda e fiz as pazes com o meu pai. Mas deixei claro que eu
não era dramática. Só sensível demais. ;-) 
Três semanas depois….
– Pai, levanta da cama!
– Filha, acho que eu não vou trabalhar não. Estou febril, enjoado. Você
vai ficar com saudades se eu partir dessa para melhor? (carinha de cachorro
abandonado),
– Ai, paiiii! Quanto drama, hein? Levanta da cama e, aproveita, para me
dar uma carona. Eu preparo o seu café, viu seu “drama king”. (dei uma piscadela
fofa e sai)
Às vezes, os homens conseguem ser mais dramáticos que a gente, né? Uma
gripe de nada e pronto: já acham que vão morrer. Quanto drama, meu Deus! ;p 
P.S: Dicas para as dramáticas de plantão:
1. Meu termômetro para medir o quanto a pessoa me ama é justamente nos
dias de “drama normal + TPM + sinusite”. Se a pessoa não me socou, ela me ama.
2. Quando seu pai (ou namorado) falar que você é muito dramática,
desconte no momento “resfriado” dele e faça uma cara de “não aguento esse drama
todo”. Dá uma paz! ;-)
** 
Para quem ainda não conhece o Projeto Drama Queen, clique aqui. E quem quiser ler os dois primeiros textos, clique aqui e aqui. ♥
E quem tiver sugestões para o projeto, eu e a Teca, do blog Casos Acasos & Livros, vamos adorar receber. Podem opinar à vontade, ok? ;-)
Um beijo, 
Carol.
P.S: crédito da fotos – Indiretas do Bem. ;-)
Todo mundo  já curtiu a Fan Page do blog? 
Podem sugerir, criticar e por aí vai! 
Ainda não curte? Clica, clica! ♥
carol

leia também

    * Contém (vários) dramas! – Projeto Drama Queen #41! ♥
    * Um caso de amor: A gravidade e eu – Projeto Drama Queen #40 (Por Teca Machado)! ♥

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

17 Comentários