23.08.2021
* Beda 23 – O que eu levo em consideração ao escrever uma resenha literária? ♥

Ei, Gente! :) Volta e meia eu publico uma resenha literária aqui no PJ. Independente da minha experiência, acho válido contar um pouco sobre o que eu achei de tal livro. Mas e o que eu levo em consideração? Separei algumas observações importantes. Boa leitura! ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. Nunca, em hipótese alguma, eu desrespeito o autor. Mesmo se a história não me agradar! Vale lembrar que críticas construtivas podem ser escritas de uma maneira que não machuque ninguém. Então, sim, sou sincera nas minhas resenhas, mas com respeito sempre.

2. Esse tipo de postagem é feito com base na minha experiência. Então, sempre deixo claro que é válido conferir o livro e tirar a sua própria conclusão. Então, caso alguma resenha tenha te desanimado, mas você quer muito ler: vai em frente! Vai que a sua visão é diferente e essa leitura seja a melhor do ano?

3. Mesmo quando são livros lidos por conta de parceria e tal, a opinião é sincera e de coração. Uma vez vi uns stories da Ju Cirqueira, que muitos acreditam que por ser parceria ou publi e o influenciador falou bem, com certeza não está dizendo a verdade. Mas sim é TOTALMENTE POSSÍVEL GOSTAR DO LIVRO, independente do motivo que te levou a embarcar nele.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

4. Sempre tento tirar alguma lição e comentar com vocês por aqui. Ah! E alguns pontos são essenciais: capa e o nome do livro tem a ver com o conteúdo? Ganham o coração da Pequena que vos bloga. Juro!

5. Também levo em conta a construção dos capítulos, a escrita do autor, se é um gênero que eu curto ou é novidade para mim. Caso um autor brasileiro queira divulgar o seu livro, mas estou com muitos na fila ou realmente é um estilo que não rola (tipo terror), tento apoiar com entrevistas. :)

***

Enfim, por aqui funciona mais ou menos assim. Mas não sou a rainha da razão e sempre tento ver onde posso melhorar, adaptar e tal. É blogger literário? Comente o que leva em consideração. Não é? O que não pode faltar em uma resenha para você? No mais, podem opinar à vontade. ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Eu escolho o livro ou ele me escolhe?
Fan Page ♥ Instagram 


2
21.06.2021
* O que eu levo em consideração na hora de avaliar uma leitura? ♥

Ei, Gente! :) Acho que, desde 2014, eu faço resenhas literárias com mais frequência aqui no blog. Mas afinal, o que eu levo em consideração na nora de avaliar um livro? Para hoje, separei algumas observações (principais) sobre esse tema. Boa leitura! ♥

Crédito da Imagem: @lou.click
(Pequena Jornalista)

Para começar: se eu não gostar de algo na história, na escrita… Eu falo, mas sempre com jeitinho e respeito ao autor. Afinal, não é porque eu não curti, que o escritor merece uma crítica azeda. Para mim, a gente pode falar um ponto negativo de um forma totalmente positiva!

Mas atenção! Eu só falo, se eu sentir necessidade e realmente fizer a diferença, sabem? Várias capas, por exemplo, não entram para o meu top 5 de favoritas, mas acho que pouquíssimas vezes mencionei. Normalmente, se eu não gosto eu deixo para lá. Amo capas, em contrapartida, sei que o conteúdo é o que vale mais.

Sou a favor de todos tirarem a sua própria conclusão sobre tal livro do “PJ Leu“. Talvez, um que eu não tenha gostado, possa ser o seu favorito da vida. A intenção das resenhas é sempre mostrar a minha opinião. Então, se está com vontade de ler algo que eu não gostei de embarcar, leia. Porque a sua experiência pode ser completamente diferente da minha. E isso serve para o oposto. Amei muito e na sua vez, deixou mega a desejar. ;-)

Crédito da Imagem: Pantys

Cada leitura me ensina algo. Por isso, sempre coloco o que eu aprendi. Pode ser nas entrelinhas ou não! Então, isso é uma característica bem marcante das minhas resenhas. Quer dizer, eu espero que seja hahaha. E sabe uma coisa que conta muito para mim? A ligação do título com o conteúdo. E alguns elementos da capa, sem pensar muito se ela é incrível ou não! Se faz sentido, pontinho extra!

Geralmente, as resenhas são de histórias que eu quis ler, seja de parceria ou não. Mas se por acaso for de um gênero que eu não tenho o costume, tento sempre deixar bem claro. ;-) A construção de cada capítulo também levo em conta e o ritmo da minha leitura também. Se existem erros gramaticais, também alerto. Porém, mais uma vez: tudo com jeitinho. Afinal, erros são comuns, né?

Aliás, por enquanto, não rolou publi de livros. Apenas parcerias! E todas, sem exceção, são feitas com cuidado e respeito. Tanto com o autor, a editora e, claro, os leitores (vocês). Fiquem de olho sempre nas TAGs de cada post. Sempre sinalizo por lá, viu?

Crédito da Imagem: Gfycat

Enfim, acho que é isso. Aos poucos, vou tentando aprimorar as resenhas. Se tiverem sugestões, fiquem à vontade. E me contem um ponto crucial na resenha (seja de post ou apenas mental hahaha) de vocês! No mais, a caixinha de comentários está aí! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: 5 dicas da Blogosfera!
Fan Page ♥  Instagram


5
23.04.2021
* PJ Leu: Lições inesperadas sobre o amor + Promoção Dia Mundial do Livro! ♥

Ei, Gente! :) E o Dia Mundial do Livro chegou. Então, nada melhor do que uma resenha literária, né? O PJ Leu da vez é “Lições inesperadas sobre o amor“, da Lucy Dillon, publicado pela Arqueiro. Aliás, essa história foi a escolhida 1ª edição da Leitura Coletiva do PJ em parceria com as meninas do Estante das Abelhas (obrigada pela companhia de cada uma que participou) e a editora. Enfim, vamos lá? ♥

Livro: Lições inesperadas sobre o amor | Autora: Lucy Dillon| Editora: Arqueiro
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4,8 livros

Sinopse: Jeannie sempre sonhou em viver uma paixão de tirar o fôlego. Começou a namorar o lindo veterinário Dan e depois de um fim de semana perfeito em NY com ele, é surpreendida com um pedido de casamento. Tudo bem que eles não completaram nem um ano de namoro, mas não importa, né?

O noivado passa voando e as coisas parecem acontecer muito rápido. Nossa protagonista tem a sensação de que talvez esteja tomando uma decisão errada. Ela pode voltar atrás, mas o destino prega uma peça e o futuro agora parece incerto.

Uma nova casa, novos hábitos, novos amigos e um processo de autoconhecimento faz com que ela tire lições inesperadas sobre amor. Principalmente, sobre aquela voz que não sossega lá no fundinho da nossa mente e do coração. ;-)

Opinião da Pequena: Esse é o 8º livro da coleção “Romances de hoje”, da Arqueiro. Cada história é especial para mim, mas essa ganhou pontinhos extras por três motivos: tem doguinho no meio, é leitura de estreia da LC do PJ e a protagonista tem o mesmo nome da minha cachorrinha linda… Jeannie. Ai o coração não aguenta, né?

Nunca tinha lido nada da autora e acho que comecei com o pé direito. A escrita é delicada e a cada capítulo, a gente tira uma lição. Algumas clichês, outras nem tanto. Por exemplo, a escolha do vestido de casamento. O tamanho certo é ideal para o dia da cerimônia, mas no dia a dia do casal é importante saber que é preciso fazer uns ajustes para que o relacionamento caiba na vida a dois. :)

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Eu gostei da Jeannie e do amadurecimento dela a cada página. Do Dan também. Aliás, eu acho que é uma história onde os dois tiveram deslizes, mas não por falta de caráter. E, sim, de cara a gente já imagina o final… Mas apesar de ser um romance, fala muito sobre a evolução da protagonista. Ou seja, nos surpreendemos com o desfecho.

Edith e Carmem não tem a minha admiração hahaha. As enfermeiras e a equipe médica eu amei. Owen é sem comentários! Os pais da Jeannie são incríveis e queria que eles tivessem aparecido mais. Rachel é a amiga que todo mundo quer ter. Aliás, quando uma pessoa ama os pets e faz o bem para eles, não tem como não gostar, né? E George me surpreendeu muito positivamente.

Falando em doguinhos: eles estão sempre dando uma voltinha pelos capítulos e aquecem o nosso coração e algumas lágrimas aparecem sim. Aliás, o Gem lembrou o meu doguinho (Johnny) que foi para a ponte do arco-íris há 4 anos. Chorei, mas o coração ficou confortável. E adorei que a autora dá dicas de como saber se o canil é confiável e vale lembrar: se puder, adote! Faz um bem não só para eles, como para nós humanos.

E como nem tudo são flores, acho que as coisas poderiam ter sido resolvidas aos poucos. Meio que fica tudo para o final. Acaba prendendo, mas acho que desenrolando etapa por etapa teria sido uma leitura melhor. Mas recomendo e MUITO, ok?

No mais, a capa é linda. E o conteúdo têm elementos que fazem a vida do leitor mais leve e “simples”: dogs, música e amor.

****

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

E para terminar o dia de hoje, trouxe uma promoção especial. Não é sorteio, ok? Nesse post, comente com uma declaração inesperada sobre o seu amor por livros. Pode escrever até terça-feira, dia 27 de abril. Vou selecionar três comentários e colocar para votação no Instagram no dia 28 de abril. No dia 30 de abril conto o resultado aqui e no insta.

O que ganha? Um marcador magnético de livro do blog, um livro (o ganhador escolhe) de até R$ 50,00 (vou comprar pelo Amazon) e uma luz de livro portátil (essa aqui). Vai ser um ganhador e tem de ter endereço no Brasil, ok?

Então, soltem a criatividade! Façam uma declaração incrível sobre páginas que se transformam em um livro, que transforma a nossa vida.

P.S: Promoção finalizada – Quem ganhou foi a Diane, do blog lindo “Coisas de Diane“. Parabéns!! Obrigada a todos que participaram!! Em breve, vamos ter mais promoções do tipo.

Beijos, Carol.

Post Antigo: Diário de Viagem – Barcelona (e uma tradição literária)
Fan Page ♥ Instagram 


9
01.07.2019
* PJ Leu: Confissões de uma terapeuta! ♥

Ei, Gente! Nada melhor do que começar o mês com uma indicação de um livro, que aquece nosso coraçãozinho e faz a gente amar ainda mais chick lit, né? O PJ Leu da semana é “Confissões de uma terapeuta“, da autora Rê Lustosa. Vamos lá? Boa leitura! ♥ 

PJ Leu - Confissões de uma terapeutaLivro: Confissões de uma terapeuta | Editora: Lura | Autora: Renata Lustosa 
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros!

Sinopse: Melissa Belinque é uma garota planejada. Muito planejada. Apaixonada por seu melhor amigo e formada em psicologia, ela é uma terapeuta especializada em relacionamento, porém, nunca esteve em um. E o que fazer quando, numa reviravolta do destino, Mel descobre que uma de suas pacientes está completamente apaixonada (e é recíproco) justo pelo mesmo boy que ela? Bom, nossa protagonista terá de correr atrás do prejuízo e impedir que o grande amor de sua vida e seus planos mega certos sejam passados para trás!

Minha opinião: Chick lit, muitas vezes, é dito como uma leitura rasa, apenas uma distração! Nada contra um livro ser apenas uma distração, mas esse gênero, normalmente, me ensina tantas coisas, que acho bem injusto sofrer preconceito literário. E “Confissões de uma terapeuta” é assim: leve, divertido e cheio de aprendizados! Bom, pelo menos para mim. Amei que a autora conseguiu abordar questões como ansiedade, TOC, bullying e quilinhos a mais de um jeito sério, mas sem perder a leveza que o tipo de história pede. Acho que entra muito mais na cabeça do leitor, sabem?

Mas vamos aos personagens? Começando pela nossa protagonista Mel. É quase impossível não se identificar com ela e descobrir que a gente não está sozinha nesse mundo. Ela é incrível! Mesmo a gente querendo ter uma conversa digna de Dr. Julio (outro personagem incrível) com ela. É bem visível o crescimento dela no decorrer dos capítulos. E eu amo isso! A Alana é aquela paciente que dispensamos, mas pessoas assim tendem a nos ensinar muito. E a protagonista foi bem profissional e não deixou atrapalhar muito a sua paixonite na hora de cada sessão.  A Pati é bem doidinha fofa, o Rafa meio sei lá e o Leo é o meu atual crush literário. Digamos que foi amor à primeira vista! E a sua segunda paciente é a melhor de todas. Prestem atenção nessa garotinha também, que dá muitos tapas (do bem) na sociedade! E amei a estilista e suas palavras que vão ficar para a vida “você pode usar o que você quiser, querida”.  Iolanda não apareceu muito na história, mas foi aquela personagem que marcou! E a mãe da Mel na palestra? Compete muito sério com a mamy da Becky Bloom e a minha hahaha. Rendeu ótimas risadas e conversas bem maravilhosas!  A-D-O-R-E-I!

No mais, o contexto é bem bom e prende a gente do início ao fim! A escrita da Rê é deliciosa! É impossível querer largar a leitura no meio do capítulo. A construção da história foi muito bem bolada e amei as sacadas da Mel e suas observações. Destaque também para o nome de cada capítulo e a diagramação. Deu um toque a mais! E, claro, que o conteúdo é repleto de lições. O que eu mais aprendi foi sobre aqueles planos, que a gente cisma e não deixa de lado por nada nesse mundo. Vi que é bom ser organizada, ter tudo na mente. Mas na dose certa, se não o plano “B”, vira plano meio, desculpa o termo, de b de “babaca” (como a própria Mel diz). Às vezes, é bom deixar a vida fluir. Porém, isso não significa que você deve ficar sentada no sofá sem fazer nada, ok? Talvez, um equilíbrio entre a protagonista e a mãe dela, seja uma boa forma de levar o dia a dia! E outro aprendizado é que uma atitude muda tudo, prova viva é a relação da Melissa com a sua secretária.

E, gente! Quem fica meio assim com psicólogo, psiquiatra e tal… Leiam esse livro! É um investimento que a gente faz para a nossa saúde mental! E, obrigada, Rê, por abordar esse tema tão bem! Enfim, é o típico livro que faz a gente amar a capa, mas quando embarca, faz o leitor abraçar a história bem apertado. Falando nisso, o final é simplesmente lindo! Dá uma ressaca literária, mas a certeza de que esse chick lit vai seguir com a gente para todos os outros capítulos da nossa vida, é certeira, viu? “Confissões de uma terapeuta” é sobre amor, amizade, profissão (que a propósito faz a gente não desistir, mesmo que seja bem difícil), planos e outros temas que volta e meia podem aparecer na corrida do nosso livro real. Sem dúvida, entrou para a minha listinha de favoritos. 

PJ Leu - Confissões de uma terapeuta - TrechoCrédito da imagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal. Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo muito!

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Rê Lustosa

Fan Page ♥  Instagram


10
09.10.2018
* PJ Leu: Em outra vida, talvez? ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é: “Em outra vida, talvez?“, da escritora Taylor Jenkins Reid. Publicado pela Record, o livro me ganhou pela capa, mas o conteúdo é tão mara, que a gente fica triste quando acaba. Gera uma ressaca literária (no sentindo bom) daquelas hahaha! Enfim, vamos lá? Boa resenha para vocês! 

PJ Leu - Em outra vida talvezLivro: Em outra vida, talvez? | Editora: Record | Autora: Taylor Jenkins Reid
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: cinco livros!

Sinopse: Hannah Martin tem quase 30 anos e ainda não encontrou seu lugar no mundo. Ela já morou em Boston, Washington, Portland, Seattle, Austin, Nova York e agora está de volta a Los Angeles. Ela acha que é em sua cidade natal, perto de Gabby, sua melhor amiga, que vai conseguir superar uma grande decepção amorosa e, finalmente, colocar a vida nos trilhos. Para comemorar a mudança, resolve reunir velhos amigos em um bar.

E é lá que encontra um antigo amigo, ex-namorado: Ethan. No fim da noite, tanto ele quanto Gabby lhe oferecem carona. Em universos paralelos, conhecemos as duas possíveis escolhas. Ambas com desdobramentos diferentes, mas que fazem parte dela e ensinam o leitor que a vida é feita de escolhas. Boas e ruins, que podem mudar completamente o destino de cada personagem. O resultado? Só lendo mesmo! 

Minha opinião: A capa é linda e o conteúdo mais incrível ainda. No começo, dá a sensação de que a gente vai se perder. Cada capítulo é dedicado ao desdobramento de cada escolha da noite “D”. Mas dá para acompanhar direitinho. É incrível, como uma simples decisão, muda todo rumo de uma vida. Fiquei pensando: será que em uma vida paralela, estou levando dias totalmente diferentes? Talvez, por esse motivo, a gente tenha a sensação, às vezes, de “conheço aquela pessoa de algum lugar” e por aí vai. Mas vai saber… ;p!

Amei e devorei esse livro, como não devoro uma leitura há séculos. Os personagens são incríveis e cada um tem uma importância nas duas vidas da Hannah. Achei bem bacana que em uma das escolhas, conhecemos o valor da família da nossa protagonista. Às vezes, a forma de demonstrar o amor é diferente do que imaginamos, mas continua sendo amor. E o que seria trágico, a autora soube construir uma história apaixonante. Alguns momentos de raiva. Outros só de suspiro!

É um daqueles livros que a gente gostaria de ser amiga da protagonista e queria filme, mas sem mudar nada, ok produção? hahaha =) E, aos poucos, alguns personagens se cruzam e tudo se encaixa. São assuntos relevantes e que nos ensinam, principalmente, que nenhuma escolha é à toa. Tudo tem o lado bom! Amei todos os amigos e familiares que rondam cada página. A família da Gabby é a mais fofa e Ethan é o meu preferido, mas o enfermeiro não fica de fora.

Recomendo e muito a leitura, que a propósito é leve, divertida e que faz a gente suspirar do começo ao fim! E o título? Tudo a ver com o que encontramos nos capítulos. Louca para ler mais livros dessa escritora. Nunca te pedi nada, Record, entre outras editoras do Brasil. ;-)

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! 

Beijos, Carol.

Para ler: Poesia que transforma 

Fan Page ♥ Instagram 


4
12

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021