02.03.2020
* PJ Leu: Off-Line! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é Off-Line, da autora Gleice Couto, brasileira e parceira do blog. Um livro que aborda sobre assuntos como ansiedade e mostra que um tempo fora das redes sociais pode ser mais saudável do que a gente imagina! Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Off-Line | Autora: Gleice Couto
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Téo tinha tudo que muitos não tinham aos 16 anos… Namorava a menina mais popular do colégio, tirava boas notas e a relação com a sua mãe não poderia ser melhor. Porém, tudo mudou ao encontrar a namorada com outro. Então, desabafou na frente da câmera e divulgou no seu pequeno canal de Youtube. Porém, o vídeo viralizou e ele virou top trend. Mas a fama fez o efeito oposto, ele não curtiu e virou motivo de chacota!

Ainda bem que as férias chegaram e ele e sua melhor amiga, a Valentina, embarcaram em um plano: ficar off-line durante esse tempo! A ideia era curtir riscando metas de uma lista bem incomum. De quebra, ajudar na ansiedade da amiga, lidar com as suas questões e conhecer novos membros familiares na sua vida! ;-)

Opinião da Pequena: Quando entrei na leitura coletiva desse livro, não tinha ideia do quanto me identificaria com a história. Aprendi muito e vários assuntos, como a ansiedade, acabaram virando pauta na minha terapia! Então, só por isso, o livro já ganhou o meu coração. ♥

A premissa é bem boa e o que poderia ser só mais uma história teen, a autora conseguiu prender a minha atenção do início ao fim, de uma forma que eu carregasse aprendizados para sempre. Fez isso através de personagens cativantes e bem gente como a gente! Capítulos que falam sobre família, amigos, ansiedade, dramas e outros temas relevantes para todas as idades.

Amei a ideia da lista e mega quero fazer uma para mim. Me deu vontade de comprar um livro para colorir e, claro, ficar um pouco off-line! Aliás, às vezes, é preciso se desconectar para reconectar com o que realmente importa. Aliás, essa lição vai ficar para sempre e pretendo praticá-la. ;-) No mais, tudo se encaixa direitinho, alguns capítulos dão um aperto no coração, outros leves e a gente fica desejando um livro 2! #ficaadicaautora =D

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Quanto aos personagens: Téo foi o que eu mais me identifiquei e passei a ver os meus dramas com outros olhares. Por aqui, sempre falo que sou drama queen com uma pegada engraçada e tal. É divertido olhar por esse ângulo, mas alguns dramas podem levar a gente ao fundo do poço. Ah! Em alguns momentos o nosso protagonista irrita, mas a gente se solidariza com ele e fica feliz de ver o seu crescimento, mesmo que seja no tempo dele. Também adorei a parte que ele diz que, às vezes, a gente se recusa a enxergar uma outra realidade que a gente não tenha na nossa cabeça. Me fez refletir tanto, que nem sei!

Quanto a Valentina: é aquela personagem Girl Power que entra na nossa listinha de favoritas! Dá um banho em muita gente grande por aí. Se eu pudesse conversar com alguém de um livro atualmente, seria ela. E olha que problemas, situações não faltam, mas ela tá sempre lá, tentando superar um por um. E faz um papel de melhor amiga como ninguém. Sobre a avó do Téo, ela conquista aos poucos e faz a gente chorar e rir! Mas não vou falar muito, porque se não pode rolar um spoiler. E eu amei a mãe do Téo e o legado dos anos 80, mas queria que ela tivesse aparecido mais!

Enfim, gente. Eu recomendo MUITO a leitura. Vale cada palavrinha! A gente sai com a sensação de que se desconectar e ler um livro assim faz enxergar a vida de forma mais clara e leve! ;-)

***

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! Aliás, você podem embarcar na história através desse link. Ah! A leitura foi uma parceria com a autora, porém, isso não mudou nada na minha opinião, ok? :)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Gleice Couto
Fan Page ♥  Instagram 


4
11.02.2020
* PJ Leu: História de um grande amor! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é: História de um grande amor, da Julia Quinn, diva dos romances de época. A capa é linda e o conteúdo é engraçado, cativante e de arrancar suspiros. Vamos lá? Boa resenha! ♥

Livro: História de um grande amor | Editora: Arqueiro | Autora: Julia Quinn
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Aos 10 anos, Miranda Cheever já dava claro sinais de que a beleza não fazia parte de suas características no futuro. Desde então, sempre imaginava o seu destino como a solteirona da sociedade! Porém, o atraente visconde de Turner (e irmão de sua melhor amiga Olivia), deu o recado e disse que quando a mesma crescesse, seria tão bonita quanto já era inteligente. Essas simples palavras a fizeram cair de amores por ele!

Os anos passaram e ele acertou em cheio: ela se tornou uma linda mulher, porém, por conta de acontecimentos implacáveis, Turner (ou Nigel, que era como sua mãe chamava), virou um cavalheiro solitário e amargo. Mas nem mesmo essas características marcantes fizeram com que a nossa protagonista mudasse o sentimento que nutria por ele, desde o dia em que o mesmo a viu e previu o seu futuro!

E, sim, Miranda irá fazer qualquer coisa para salvar a vida de Turner e que esse amor, impossível ou não, não escape dela! :)

Opinião da Pequena: Julia Quinn nunca nos decepciona, né? E esse primeiro livro da trilogia Bevelstoke, é aquele que arranca suspiros! A história nos envolve de um jeito, que é quase impossível não sentir o amor, a raiva e todos os sentimentos que os personagens sentem na pele durante cada página.

A escrita é divertida e sagaz! Os diálogos entre Miranda e Turner são maravilhosos e adoro a resposta de cada um. Destaque também para a Olivia, que é uma das melhores personagens da vida! É aquela amiga, que todo mundo deveria ter. Ah! Fiquei apaixonada pelos avós da Miranda e os queria para mim!

O livro segue aquele caminho bem clichê, mas com toques que só a Julia Quinn sabe dar. Tudo acontece na hora certa e não é um livro que a gente fica “putz, ainda nisso”. Segue um ritmo perfeito para quem ama romance de época e quem ainda não caiu de amores, vai se apaixonar por História de um grande amor!

Mas sem querer dar spoiler e não vou entrar em muitos detalhes, foi o casamento mais sem graça da vida, mesmo sabendo que a história pedia. Porém, nunca um nascimento foi tão angustiante e lindo! Os dois últimos capítulos me deixaram bem emotiva! Acho que algumas coisas passaram sem muita explicação e alguns capítulos são bem picantes, mas com aquele ar de inocência e malicioso ao mesmo tempo! Para quem curte hot leve, acho que vai aprovar!

Eu amei que a Miranda é uma leitora voraz e odiei o vendedor de livro! Muito triste como era o tratamento à mulher, mesmo naquela época, em alguns aspectos! E acho que é impossível não terminar o livro querendo escrever diários. Aliás, esse conselho do Turner, fez com que ele se tornasse meu crush literário atual, mesmo com algumas atitudes nada a ver no decorrer da história!

Por fim, mas não menos importante, a capa é uma das mais lindas!! Que a Arqueiro sempre valorize capas com ilustrações assim. Acho que super combinou!

***

Ah!! Esse livro eu li em parceria com a Editora Arqueiro, mas também li porque é a primeira história de um projeto lindo que estou participando: Livros Viajantes! Eu e algumas meninas do mundo literário escolhemos um livro para viajar pelo país! O próximo destino fica aqui no Rio de Janeiro, mas ele vai conhecer MG, RS, BA, SP e por aí vai! :) Assim que terminar essa grande viagem, conto com mais detalhes. E não sei vocês, mas estou me sentindo naquele filme/livro Jeans Viajante, sabem?

É isso, gente! Quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Recomendo! E já participou de algum projeto parecido? Pode opinar à vontade!! ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – O Duque e Eu
Fan Page ♥ Instagram


2
06.02.2020
* PJ Leu: Mulheres não são chatas, Mulheres estão exaustas! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é “Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas“, da Ruth Manus. Um livro que aborda sobre direitos, trabalho, família e outras questões turbulentas da mulher em pleno século XXI. Boa resenha para vocês! ♥

Livro: Mulheres não são chatas, Mulheres estão exaustas | Editora: Sextante | Autora: Ruth Manus
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Diariamente a gente se depara com comentários que somos chatas. Mas na realidade, estamos exaustas. Afinal, carregamos pesos que não deveríamos carregar. E é nesse livro que a Ruth Manus aborda sobre inúmeros tormentos que carregamos em pleno século XXI.

A pressão vem de diversos lados: família, carreira, amor, lutar pelos direitos e muitos outros. Mas de forma simples e, ao mesmo tempo, profunda, a autora consegue fazer com que todos reflitam e questionem preconceitos e incertezas. :)

Opinião da Pequena: No comecinho do ano, terminei de ler o livro “Corajosa sim, Perfeita não” e, como disse na resenha, ele plantou uma sementinha de que eu não preciso de perfeição. E aí veio “Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas” e ajudou a regar essa plantinha que vem crescendo aos pouquinhos. Então, desde já, obrigada Ruth.

Agora vamos lá: é um livro que a gente devora. Com uma escrita leve, a autora consegue trazer assuntos profundos, que são mais do que necessários no nosso dia a dia. Ela pondera cada capítulo e jamais julga. Porém, sabe exatamente onde “meter a colher”.

Traz o feminismo e mais uma vez mostra que jamais essa palavra tem de ser o oposto do machismo. É a busca pela igualdade, que a propósito traz benefícios a todos. ;) Aponta questões que trazem exaustão, como trabalho, família, beleza, autoestima, entre outros.

Aliás, não somos chatas, temos total direito de expor a nossa opinião e é importante lutarmos nos simples detalhes para esse cansaço ir embora aos poucos! Por exemplo, parar de pedir de desculpa por tudo e saber que tá tudo bem ser a gente. Falando nisso, nem sempre precisamos ser a nossa melhor versão. Nem sempre é possível e ok! :)

Claro que as coisas não mudam da noite para o dia. Assim como no outro livro da Ruth, acho que é aquela leitura que volta e meia a gente tem que pegar na estante e reler inúmeras vezes.

Enfim, curti muito e indico a todos, inclusive ao público masculino! E quanto à capa: perfeita! ;-)

No mais, podem opinar à vontade. ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu: Um dia ainda vamos rir de tudo isso
Fan Page ♥ Instagram  


2
28.01.2020
* PJ Leu: Os delírios de Natal de Becky Bloom! ♥

Sim. Finalmente embarquei nessa história! E por mais que o mês natalino já tenha dado adeus há séculos (exageros hahaha), eu não me aguento e vou fazer resenha do mesmo jeito. Em pleno janeiro mesmo! A propósito, estou falando de “Os delírios de Natal de Becky Bloom“, o último (até então) da série sobre a nossa consumista literária número um. Então, vamos lá? ♥

Livro: Os delírios de Natal de Becky Bloom | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Becky Brandon (nascida Bloomwood) adora Natal. Todo ano é a mesma coisa: a família se reúne na casa dos pais dela, eles ouvem canções natalinas, sua mãe finge ter feito a sobremesa e os vizinhos usam aqueles clássicos suéteres natalinos. E agora as compras ficaram mais fáceis: sites em promoções e dependendo do valor, o frete é grátis. Bem mais prático!

Porém, esse ano (no livro), parece que as coisas mudaram um pouco… Como os pais de Becky se mudaram, acabam pedindo para ela organizar o Natal. Ela se assusta, mas, afinal… O que poderia dar de errado, não é mesmo? É só dar conta de algumas (muitas, na verdade) demandas. Por exemplo: peru vegano para a sua irmã Jess. O presente de sempre para o Luke (mas talvez seja melhor mudar) e um desejo bem curioso da sua filha Minnie.

Mas calma que tem mais, caro leitor! Um ex-namorado ressurge das cinzas (ou dos palcos), algumas brigas atrapalham seus planos perfeitos e ainda precisa ganhar uma rifa de um local bem peculiar. Se ela consegue tirar de letra? É a Becky, né?

Opinião da Pequena: Ganhei esse livro no dia 25 de dezembro de 2019. Mesmo sabendo o que tinha no pacote que meu namorado pediu para eu guardar, fui boazinha e não abri hahaha. Que leitora controlada, né gente? Por esse motivo, a resenha entrou com um pequeno delay. Mas tudo bem. Quem liga? ;-)

A maioria já deve saber que a Sophie Kinsella é a minha escritora gringa favorita. Eu amo a escrita dela e queria muito que a Becky Bloom fosse uma pessoa de verdade e MINHA AMIGA. E com esse 9º livro essas vontades só aumentaram.

Todos os livros, eu me identifiquei com a protagonista de alguma forma. Mas esse passou dos limites hahaha. Natal é mágico, lindo e Nem Grinch (quem ler, vai entender o motivo da menção) pode roubar. Mas essa data têm muitos perrengues sim. E essa premissa é total gente como a gente, justamente nessa época do ano.

Têm aqueles exageros clássicos da personagem mais consumista do mundo literário. A Minnie ganha mais destaque e a história do ex-namorado com a namorada controladora é uma das que rende mais gargalhadas! Becky tem uma mente muito fértil, mas juro que dessa vez, fez total sentido o que ela estava pensando!

Suze é muito fofa e uma nova personagem conquistou o meu coração! Aliás, mostra ainda mais um lado da Becky que foge completamente do consumismo: alegre, atrapalhada, a protagonista é uma das personagens que mais ajuda, sem olhar a quem. Zero egoísta mesmo! Me ensinou muito, de verdade.

As brigas de família: qualquer semelhança, não é mera coincidência. Bom, pelo menos no meu caso hahaha. Jess, melhor amiga da mãe da Becky e os pais estão com a mesma essência. E a história do jogo de bilhar é maravilhosa e mostra uma Becky bem empoderada, mesmo que ela tenha algumas outras intenções. Eu amei! Ah! Graças a esses novos delírios, digamos assim, agora sei o que significa “Portmanteau” (não sabia hahaha) e vou adotar a palavra “Sprygge” na minha vidinha hahaha.

Enfim, amei muito esse novo livro e JURO que não caiu na mesmice. Por incrível que pareça. E apesar das confusões, dos estresses e de muitas atrapalhadas, a história mostra o verdadeiro espírito de Natal, com todas as imperfeições que essa comemoração carrega na vida real. Como falei, é bem gente como a gente, de uma forma leve, engraçada e verdadeira!

Ah! Se vai ter continuação? ESPERO QUE SIM DONA SOPHIE KINSELLA E BECKY BLOOM. Porque a palavra que ela deu de presente para o Luke (meu eterno crush ) tem muito pano para manga. Por favor, Santinha dos Leitores! Nunca te pedi nada.

***

É isso, gente. Já embarcou nesse livro? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Becky Bloom ao Resgate
Fan Page ♥  Instagram


5
08.01.2020
* PJ Leu: Corajosa sim, Perfeita não! ♥

Ei, Gente! :) Ontem não consegui postar. O dia foi bem corrido e ainda teve niver das minhas irmãs. Mas para comemorar o Dia do Leitor (ainda dá tempo, né? haha), separei uma resenha literária: Corajosa sim, perfeita não, da autora Reshma Saujani. Publicado pela Editora Sextante, o livro ajuda a gente dar os primeiros passos em busca de uma jornada repleta de coragem e menos perfeccionismo. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Corajosa sim, perfeita não | Editora: Sextante | Autora: Reshma Saujani
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: A busca pela perfeição acaba nos limitando. É preciso na verdade exercitar o músculo da coragem. O que não é fácil também! Mas quando deixamos a necessidade de perfeição para trás, encontramos liberdade, alegria e todas as coisas boas que queremos na vida. É preciso tentar, antes de pensar em desistir. E, com base na sua vida e na de outras histórias, a fundadora da ONG Girls Who Code, a Reshma Saujani, escreveu esse livro inspirador sobre coragem. ;-)

Opinião da Pequena: Eu ando numa fase bem tensa, principalmente, no quesito profissional. Depois de um dia ruim, decidi largar o livro que estava lendo e embarcar nessa jornada em busca da coragem. E acho que foi a primeira decisão certeira do ano!

Claro que as coisas não mudam da noite para o dia. A busca pela perfeição não vai simplesmente embora. E o músculo da coragem não aparece do nada! Mas o mais legal desse livro é que ele deixa isso bem claro. Que é aos poucos mesmo e, ao mesmo, tempo, nos impulsiona dar os primeiros passos!

Não é simplesmente uma história de uma pessoa que “deu certo”. É uma história de uma mulher que fracassou e que usa a seu favor esses fracassos! Que faz do limão, uma limonada, sabem? Não é aquele livro auto-ajuda impossível de colocar na prática. E eu fico tão feliz de ler livros assim. Me dão uma luz no fim do túnel. Realmente me ajudam!

Fora que a escrita da Reshma acolhe o leitor. Dá a sensação de que o livro foi escrito para a gente. É quase impossível não se identificar com os casos e as descrições. Pelo menos, com a pequena jornalista que vos bloga foi assim.

Enfim, é um livro que vale muito a pena! A gente vê o quanto precisa excluir a palavra perfeição do dia a dia. Ninguém é perfeito e nem precisa ser. Isso acaba só te puxando para baixo. Outra coisa: vi com outros olhos o significado de fracassar. E isso tem me ajudado. E a coragem? Ela virou uma das minhas palavras preferidas e espero que ela esteja mais presente no meu dia a dia.

Desde que terminei “Corajosa sim, Perfeita não”, a sementinha de uma “Carol mais corajosa e menos perfeccionista” foi plantada. E espero, do fundo meu coração, colher bons frutos! Lembrando, que coragem não tem nada a ver com a ausência do medo. ;-)

RECOMENDO muito a leitura, viu gente? ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Garota pare de mentir pra você mesma!
Fan Page ♥ Instagram   


7

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021