14.10.2021
* PJ Leu: Canção da Mudança! ♥

Ei, Gente! :) Ainda em homenagem ao Dia das Crianças, trouxe uma resenha bem especial hoje: Canção da Mudança, um livro ilustrado com o poema da Amanda Gorman, que recebi da Editora Intrínseca (obrigada ^^). Vamos lá? ♥

Livro: Canção da Mudança | Autora: Amanda Gorman | Editora: Intrínseca
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: A posse do presidente Joe Biden foi marcada pela participação da poetisa Amanda Gorman, que declamou o poema “The Hill We Climb“.

Junto com as ilustrações de Loren Long, as doces e inspiradoras palavras dela. viraram um livro ilustrado perfeito para o público infantil. Ideal para mostrar a importância de um mundo mais inclusivo.

Opinião da Pequena: Quando eu recebi essa edição da Intrínseca, fiquei apaixonada. Que capa linda e título inspirador. Não conhecia a poetisa (e ativista também) e confesso que nem cheguei a assistir a posse do Biden. Mas lendo o livro, imagino o quão emocionante deve ter sido.

É uma leitura infantojuvenil, mas nada impede do poema ser lido por outros públicos (eu li hahaha). A autora Amanda e o ilustrador Loren conseguiram transformar as páginas em um sopro de esperança. Para todos!

Com muita delicadeza, a mensagem é de que para o mundo ser diferente, é necessário a ajuda de cada pessoa. Uma atitude, um olhar, podem render a mudança que a gente tanto espera.

Crédito da Foto do Livro: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

Acredito que uma sementinha da música da menina, que aparece em todas as páginas, possa ser plantada nos leitores. Enfim, eu amei cada trecho (“O mundo precisa de mim para ser diferente“) e a primeira ilustração é a minha favorita!

Não sei ao certo, mas acho que se for ler com uma criança mais velha, vale ler em conjunto com ela. Tem uma linguagem acessível, em contrapartida, uma explicação a mais é sempre bem-vinda.

Achei fofo, com uma mensagem que aquece o coração e é o típico livro que pode mudar uma história, mesmo que seja nos mínimos detalhes! Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Tudo nela é de se amar
Fan Page ♥ Instagram  


0
28.09.2021
* 5 lições que tirei com o livro “Posso ajudar?”! ♥

Ei, Gente! :) Recebi recentemente da Editora Mol um livro bem especial: “Posso ajudar?“, que dá pequenos toques do que dizer às pessoas em algumas situações delicadas, como luto, doenças, entre outros cenários.

Como setembro é amarelo e o mês em que a gente lembra também o quanto é importante estar com a saúde mental em dia, achei bem propício falar sobre essa leitura. Então, vamos lá? Ah! O formato dessa resenha vai ser um pouco diferente. Vou contar 5 lições que tirei com livro! ♥

Livro: Posso Ajudar? | Editora MOL
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

A primeira: a nossa escuta é primordial. Afinal, cada um tem uma vivência. E por mais que a gente queira falar, opinar… Vale lembrar, que muitas vezes, o que o outro está precisando de fato é de um ouvinte!

A segunda é deixe o julgamento de lado, viu? Para você, até pode ser bobeira, mas se para o outro não é, respeite. Não use esse argumento de que é mimimi. Por mais que você interprete assim, lembre-se de quem precisa de ajuda e se coloque no lugar do outro.

Terceiro aprendizado: quem vive de passado é professor de história. Porém, em algumas situações, relembrar, faz bem e traz esperanças. Então, trazer a tona anos atrás em prol de um bem maior é super bem-vindo. Por exemplo? Um amigo que perdeu emprego, mas quantas coisas ele já conquistou?

Quarta lição é que muitas vezes, sim, a gente pode e deve agir com o coração. Mas não deixe a razão de lado. O intuito é ajudar, de fato, e da melhor maneira. Por exemplo, em questão financeira, se você não pode, não promete, emprestar um dinheiro que não tem. Porém, vale ajudar montar uma planilha financeira. ;-)

Por fim, a quinta: não imponha. Sempre leve em consideração o contexto e dê sugestões. A decisão final deve ser do outro. Faça o que estiver ao seu alcance, mas lembre-se: é a única coisa que pode fazer. Dê espaço!

Crédito da Imagem: Editora Mol

**

É isso, pessoal. :) É uma leitura curtinha e as ilustrações levantam o astral. Não só ajuda o outro, como a gente também. Inclusive tem uma parte sobre isso. E sabem o que é legal também nessa publicação? A cada livro, uma doação é feira para uma ONG da área da saúde. Vocês encontram nas lojas da Drogasil e Droga Raia e custa R$ 4,90. Bora ajudar? Para saber mais, clique aqui.

Ah! Esse post não é um publipost, ok? Recebi da Editora Mol, que sempre tá pertinho do blog, achei legal e decidi postar. Inclusive, fiz votação lá no Insta e a maioria pediu resenha. ;-)

Agora me contem: quem já leu? No mais, podem opinar à vontade. ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Conhecendo a Revista Sorria
Fan Page ♥ Instagram 


2
21.09.2021
* PJ Leu: Um novo capítulo para o amor! ♥

Ei, Gente! :) Mais uma história da coleção “Romances de hoje“, da Editora Arqueiro (parceira do blog). Dessa vez, eu li junto com as meninas, do Clube de Leitura Coletiva do PJ: Um novo capítulo para o amor, da Jenny Colgan. Vamos lá? Boa resenha. ♥

Livro: Um novo capítulo para o amor | Autora: Jenny Colgan| Editora Arqueiro
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Zoe é uma mãe solo que batalha diariamente para sustentar a si mesma e o seu filho de 4 anos, Hari, em Londres. Porém, as coisas precisam mudar quando ela se depara com algumas questões, incluindo as financeiras.

Até que a tia do garotinho, sugere que os dois se mudem para a Escócia, com o objetivo de gerenciar uma pequena livraria e tomar contar de algumas crianças. Isso pode ser o início de uma grande mudança, mas…

Ela não imagina os obstáculos que irá encontrar e se questiona: será que essa mudança veio a calhar mesmo? ;-)

Opinião da Pequena: Quando eu sugeri essa história na 1ª Leitura Coletiva do PJ, sabia que não era continuação de “A pequena livraria dos sonhos“, da mesma autora, mas não imaginava que fosse um livro mais tenso. Talvez, seja o mais pesado até agora da coleção “Romances de hoje”.

Isso não significa que seja uma leitura ruim, ok? Pelo contrário. Temos personagens fortes, intensos e inspiradores. Outros dão muita raiva, mas a medida que vamos conhecendo, tentamos entender o que tem por trás, por exemplo, de uma criança que só se alimenta de torradas e o que tem em uma biblioteca particular.

Encontramos temas bem necessários, como transtornos mentais e o desafio de ser mãe solo, entre outras questões da maternidade. Um mix de sentimentos nos acompanha do início ao fim. Cada capítulo, flui. Porém, em alguns momentos, a história pede que o leitor descanse um pouco. A escrita da Jenny continua incrível e como as meninas do clube falaram, algumas partes parecem que foram criadas para cutucar de leve o leitor.

Hari é o meu personagem favorito e o Patrick idem. Zoe também! Mesmo aos trancos e barrancos, ela vai e faz. E o amor dela pelos livros, é impressionante e nos faz amar ainda mais esse mundinho literário. Em breve, um post sobre histórias que a gente encontra nessas páginas. Ah! A gente mata a saudade da Nina, mas em contrapartida, a gente vê um outro lado da moeda. Talvez, se você não tiver lido essa outra história em que ela é a protagonista, valha a pena embarcar e conhecer uma outra Nina.

Um pouquinho do nosso encontrinho online (faltando algumas meninas)!
Foi incrível, meninas! ♥♥

O Ramsay dá medo, porém, vale dar uma chance. Mary? A mesma coisa, que a propósito nos deixa com o coração na mão. E confesso que torci para um outro casal, porém, vale sair da zona de conforto. Sobre as lições que eu tirei: a gente aprende o quão desastroso pode ser um mundo de achismos e julgamentos, sem saber do que realmente se trata. As mudanças podem acontecer, com quem a gente menos espera. E quando alguém lê, portas se abrem.

Amei a parte que a Jenny “invade a história”. Achei bem diferente. E destaque para a capa linda, mas preciso dizer ela e o título dão uma leveza, que talvez dê uma outra impressão ao futuro leitor dessa história. No mais, recomendo a leitura.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica. ;-) Ah! Quer fazer parte do próximo grupo? Em breve, mais informações. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Capas Gringas x Capas Brasileiras
Fan Page ♥ Instagram 


3
27.08.2021
* Beda 27 – PJ Leu: Um proposta irrecusável! ♥

Ei, Gente! O Beda está chegando ao fim e uma resenha literária não poderia ficar de fora, né? Então, a dica de livro da vez é “Uma proposta irrecusável“, da Katie FForde. Vamos lá? Boa leitura. ♥

Livro: Um proposta irrecusável | Autora: Katie FForde| Editora Record
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 3,7 livros

Sinopse: Sophie está sempre tentando agradar as pessoas e ajudar todo mundo. Mas quando se dá conta de que sua família nunca levou a sério e que vive tirando vantagem dela, resolve dar um basta. Então, não pensa duas vezes antes de aceitar o convite de uma amiga para deixar a Inglaterra por Nova York, principalmente, depois de receber uma missão de seu tio distante.

Assim que chega em Manhattan, conhece Matilda, uma senhora simpática e as duas se dão bem. Mas nem todo mundo fica feliz com a amizade das duas, principalmente, o neto Luke. Porém, tudo muda depois de alguns episódios e uma proposta para lá de irrecusável. ;-)

Opinião da Pequena: Quando eu li a sinopse, me apaixonei pela história. Fora que a capa é linda e o nome chama atenção! E o meu amor por chick lit não deixou eu abandonar a minha edição lá no carrinho. Tive que levar hahaha.

O livro me remeteu a duas histórias que eu amo: “Menina de 20” (livro) e “Cartas para Julieta” (filme). Não completamente, mas quase isso hahaha. Porém, mesmo tendo gostado, confesso que não superou as minhas expectativas.

A premissa é bem interessante e os capítulos bem escritos. Em contrapartida, em alguns momentos, tudo é resolvido muito rápido e de uma forma meio estranha. Por mais que eu seja uma leitora sonhadora, achei alguns pontos meio surreais.

Crédito da Imagem: Amazon

Os personagens são carismáticos e todos cumprem a sua função: seja despertar o melhor da gente ou aquela raivinha que dá vontade de invadir o livro hahaha. Sophie é a típica protagonista que inspira com o jeito dela de levar a vida. Matilda é fofa, mas com algumas ressalvas. Moira é a minha favorita! Luke, eu não sei. E o tio é aquele parente distante que todo mundo deveria se aproximar. Pode nos surpreender mesmo.

Eu me diverti, devorei alguns capítulos e outros, a leitura se arrastou bem. Só pensava que eu queria acabar logo! Teve suspiro, aprendizados… Da Moira então, nem se fala! Para anotar todos os conselhos dela no caderninho.

No mais, acho que trocaria algumas floreadas para saber de outros desfechos. Acho que uma continuação, seria uma boa… Talvez! Enfim, apesar de não ser o meu chick lit favorito, rendeu bons momentos como leitora. Vale ler, se rolar interesse, e tirar a sua própria conclusão.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica. Se quiser comprar e ajudar o blog, clica aqui.

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir – Que seja doce!
Fan Page ♥ Instagram   


2
20.07.2021
* PJ Leu: Tudo nela é de se amar! ♥

Ei, Gente! :) Uma das metas desse ano era ler mais poemas. E eis que li o primeiro do ano: Tudo nela é de se amar, da Luciene Nascimento (autora brasileira). Publicado pela Sextante (parceira do blog), é um livro que traz palavras de uma jornada da mulher negra. Boa resenha! ♥

Livro: Tudo nela é de se amar | Autora: Luciene Nascimento | Editora Sextante
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Poemas e poesias que mostram como a autora compreende a sua identidade. Palavras sobre autoestima, posicionamento, saúde mental e muito mais. Um livro com temas que abrem caminho para todos, com estrofes leves e singelas ilustrações.

Opinião da Pequena: A minha meta era ler, ao menos, um livro desse gênero esse ano. E sério, mega me inspirou para embarcar em outros poemas.

O que eu mais gostei é que os temas não são tão simples, mas através das palavras da autora, o pesado virou leve, na medida do possível. Foi uma nova forma de entender o racismo e o motivo dele ser tão prejudicial. A forma como ele descreve um black power de uma criança é linda e todas tinham de ter a simples ideia de como o seu “travesseiro” as leva para perto do céu. Só lendo para entender!

A maioria dos poemas é seguida de um texto explicativo e ilustrações que fazem todo o sentido. Falando nessa parte do cabelo ainda, me identifiquei com o pensamento dela: não há regras, ou melhor, há! Respeitar o seu desejo, independentemente da referência que a gente tem.

Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Adorei as inspirações em forma de senhorinhas no ponto de ônibus. Também é um convite para quem ama escrever e quer escrever mais. Com amor!

Algumas partes, fiquei meio confusa, perdida. Talvez por não ser a minha realidade. Mas espero conseguir, cada vez mais, fazer a minha parte para que a mudança seja real.

Também acho que é um livro perfeito para deixar na mesa de cabeceira e ir absorvendo palavra por palavra. Aos poucos! No mais, queria anotar quase todas as páginas para voltar depois e ler novamente o que trouxe leveza e reflexão.

Crédito da imagem: Pequena Jornalista

O título é lindo e tem tudo a ver com o conteúdo! Recomendo. Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica e pode comprar aqui no meu link.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Minha História
Fan Page ♥ Instagram  


3

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021