20.01.2016

Sempre envio e-mail para as editoras pedindo ajuda para entrevistar autores e tal. Mas não fazia a mínima ideia de quem estava por trás das respostas (sempre tão gentis) de uma das editoras. Até que descobri: Danilo Barbosa. Um profissional mega atencioso e que pratica também uma das atividades mais incríveis: escreve livros, contos, crônicas e por aí vai. Ele é autor do livro “Arma de Vingança“, que conta a história da personagem (pra lá de vingativa) Ana. Quem me conhece, sabe que foge do meu estilo literário, mas como ele disse que não é de terror, só suspense, aceitei meu primeiro desafio literário desse ano. Enquanto não leio e não  rola resenha aqui no blog, confiram o nosso bate-papo. ;-)

11215120_10206422047487476_5900635032187763692_nEntrevista: Danilo Barbosa! 

1. Conte um pouco sobre o seu livro “Arma de Vingança”.
R: Arma de Vingança é um livro que fala sobre quais são os limites de cada pessoa, o que você é capaz de fazer quando as pessoas abusam de você em todas as formas. A Ana, no começo do livro, é uma moça ingênua e sensível, que só deseja viver a sua história de amor. Mas o destino faz com que ela cruze a vida dela com dois homens que destroem cada um dos seus desejos, um a um, e esmagam o seu coração, sem dó ou piedade. Em um jogo de traições em que sobreviver é o mais importante, só resta a ela se vingar e revidar, nem que tenha de perder sua alma no processo. Esse é o tema central do livro.

2. Caso tivesse vontade de se vingar de alguém, o que você seria capaz de fazer?
R: Sou impulsivo, entende? Caso eu tivesse vontade de me vingar de alguém – coisa que só fiz nos livros, por enquanto – seria revidar, na mesma hora e com a mesma força, de quem me prejudicou.

3. O que te faz mais feliz como escritor: conto, poesia, crônica ou livros? Por quê?
R: Não tenho preferência, sabia? O texto que mais me deixa feliz é o que atinge o leitor, que traz algo bom para ele. Livros, contos, poesias ou crônicas, tanto faz, só atingem a sua função quando tocam as pessoas de alguma forma. Esta é, na minha opinião, a função do escritor.

4. Conte um pouco sobre a sua trajetória literária.
R: Minha vida com os livros acontece desde cedo. Passei parte da minha infância escolar nas bibliotecas da escola, envolvendo-me com as mais diferentes histórias. Era gordinho, usava óculos e era gago, por isso acabava me recolhendo na biblioteca, já que os livros nos oferecem um mundo em que todos somos iguais. Foi questão de tempo que o mundo literário transbordasse da minha cabeça. Começou com pequenos textos, poesias e em seguida veio o Arma de Vingança, que publiquei independente, antes que fosse convidado para fazer parte dos escritores da Universo dos Livros. Os contos vieram depois e por último me inseri na área das crônicas, e não parei mais.

5. Se tivesse que salvar três livros de um incêndio, qual seria a sua escolha?
R: Nossa, acho que me queimaria tentando salvar todos. Não suporto a ideia de ver livros queimando, hahaha.

***

Achei a última resposta mega original hahaha. Acho que vou usar essa resposta quando me perguntarem sobre essa questão de salvar livros hahaha.
Muito obrigada, Danilo. Pela atenção e carinho! Desejo todo sucesso do mundo. Vem logo para a terrinha do bixxxxxcoitoooo! hahaha Falando nisso, vai ter sessão de autógrafos no dia 11 de março aqui no Rio, às 19h, no Norte Shopping. :) Quem quiser mais informações sobre o autor e suas histórias, só clicar aqui.

Um beijo, Carol.

Fan Page ♥  Instagram 

carol
compartilhe

leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.