01.04.2015
Cada louco tem a sua mania. Autor também tem. E muitas! Perguntei para algumas escritoras brasileiras uma loucurinha peculiar na hora de escrever. Só deu loucura hahaha e eu me identifiquei com algumas (ora, sou escritora também e futura autora também ;p). Com vocês: tradições pra lá de esquisitas, engraçadas e únicas (eu acho hahaha)! ;-) 
Manias! 
♥ 
Laura Conrado (último livro: Freud me segura nessa)

“Eu costumo falar muito sozinha quando estou escrevendo. Então, prefiro redigir sem ninguém por perto. Várias vezes já me peguei fazendo até a expressão da personagem, quase que incorporando. Não pega bem escrever com gente por perto! Quando estou terminando uma história, fico tão obcecada nisso que meu arrumo quarto, organizo a mesa… Tem hora que até me sinto meio adolescente de tanta zona e bagunça acumulada, mas é só medo das ideias irem embora e agonia de colocar o livro para fora.”

Stéfanie Medeiros (último livro: Borboletas infinitas de coração imperfeito)

“Uma mania muito esquisita que eu tenho (e pouca gente acredita), é colocar o pé em um balde de água fria enquanto escrevo. Isso começou quando eu estava no ensino médio e precisava ficar sentada por horas estudando. Se meu pé ficava seco ou se eu sentia poeira, já não conseguia me concentrar. Passei a deixar um balde embaixo da mesa e, no final das contas, estuda/escrever de pé molhado me ajuda na concentração. Funciona até hoje.”
Fernanda França (último livro: Bolsas, beijos e brigadeiros)

“Eu não sei se são manias estranhas, mas eu geralmente escrevo melhor de madrugada. De dia, se o vizinho começa a fazer barulho na obra ao lado, o telefone toca ou a campainha me chama, eu perco a concentração. De madrugada, o silêncio me deixa mais tranquila para escrever. Vou para o escritório e levo uma garrafa de água (eu bebo muito água enquanto estou mergulhada na história). E tenho um caderninho em que anoto tudo o que desejo colocar, mas ainda não sei como inserir na história. As ideias estão no caderno e sempre escrevo a lápis, sempre! Depois escrevo a história direto no computador. Também gravo em áudio as ideias, quando não posso escrever em determinado momento. Meu celular é repleto de notas em áudio e escritas sobre livros futuros.”
Teca Machado (último livro: I Love NY)

“Eu testo as vozes dos personagens. Quando começo a escrevê-los, vou lendo os diálogos com a entonação de voz e o timbre que eu quero. Se a conversa é entre um homem e uma mulher, você consegue imaginar que ridículo fica. Ah! Como sou péssima para dar nome aos personagens, recorro aos nomes dos meus amigos. Se estou criando um e alguém me liga, provavelmente essa pessoa que me ligou vai ganhar um personagem com o nome dela, a não ser se for um nome muito esquisito, hahaha.”
Carine Raposo (último livro: O Penhasco)

“Como sou meio maluca, vivo com ideias de novos livros na cabeça, mesmo quando já tenho um projeto em andamento. Os personagens falam na minha cabeça as vezes ao ponto de precisar mandar eles calarem a boca rsrs. E para não perder nenhuma ideia, acabei pegando a mania de mandar e-mail para mim mesma, com pequenas frases sobre o que os personagens estavam falando.”
** 
Hahaha ;-)! Me diverti com esse post e pretendo seguir algumas manias (tipo colocar um balde com água perto da minha mesinha) e continuar com outras (tipo interpretar os personagens para mim). Muito obrigada, viu gente? Adorei a participação de todas! ♥
E vocês? Alguma mania na hora de escrever? Podem opinar à vontade! Ah! Vou preparar um segundo post com outras autoras e um especial com loucurinha de leitor. ;-) 
Beijos, 
Carol. 
P.S: Crédito Montagem – Pequena Jornalista! / Crédito das fotos: autoras! ^^ 
carol

leia também

    * PJ News Agosto – Meninas & Meninos! ♥
    * PJ Leu: Mikaela – O desencontro! ♥

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

24 Comentários