25.05.2014
“- E como chego lá? – perguntou Dorothy. 
– Caminhando. É uma longa viagem, atravessando, às vezes, 
regiões agradáveis e, às vezes, regiões 
horríveis e escuras.”
(L. Frank Baum, em Mágico de Oz)
Ontem eu fui lá no lançamento do livro “Freud, me segura nessa”, da autora Laura Conrado. No bate-papo com os leitores, a Laura leu esse trechinho da abertura do livro dela. Nessa parte, a Dorothy pergunta como faz para chegar em casa. E, como a autora disse, tem tudo a ver com a vida da Catarina, personagem principal do livro dela. E se pensarmos bem, tem tudo a ver com todas as áreas da vida, seja amorosa, profissional e por aí vai. Achei perfeito! Para alcançarmos nossos desejos e sonhos, temos que passar por caminhos agradáveis e outros nem tanto. A estrada vai ter altos e baixos. Estilo montanha-russa. Vai fazer a gente cair, mas vai nos ensinar a levantar. E durante o processo, vamos amadurecer, rir, chorar e sentir um turbilhão de coisas. E, claro, alcançar a “casa” que tanto sonhamos. 
Ótimo para refletir, não acham? Podem opinar à vontade! ;-)
Ah! Amanhã eu publico a entrevista que eu fiz com a Laura Conrado e conto um pouco sobre o segundo livro da série “Freud, me tira dessa”.
Um beijo e bom domingo,
C. 
P.S: crédito da foto: Google (site Veja Rio)
carol

leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 Comentários