14.10.2021
* PJ Leu: Canção da Mudança! ♥

Ei, Gente! :) Ainda em homenagem ao Dia das Crianças, trouxe uma resenha bem especial hoje: Canção da Mudança, um livro ilustrado com o poema da Amanda Gorman, que recebi da Editora Intrínseca (obrigada ^^). Vamos lá? ♥

Livro: Canção da Mudança | Autora: Amanda Gorman | Editora: Intrínseca
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: A posse do presidente Joe Biden foi marcada pela participação da poetisa Amanda Gorman, que declamou o poema “The Hill We Climb“.

Junto com as ilustrações de Loren Long, as doces e inspiradoras palavras dela. viraram um livro ilustrado perfeito para o público infantil. Ideal para mostrar a importância de um mundo mais inclusivo.

Opinião da Pequena: Quando eu recebi essa edição da Intrínseca, fiquei apaixonada. Que capa linda e título inspirador. Não conhecia a poetisa (e ativista também) e confesso que nem cheguei a assistir a posse do Biden. Mas lendo o livro, imagino o quão emocionante deve ter sido.

É uma leitura infantojuvenil, mas nada impede do poema ser lido por outros públicos (eu li hahaha). A autora Amanda e o ilustrador Loren conseguiram transformar as páginas em um sopro de esperança. Para todos!

Com muita delicadeza, a mensagem é de que para o mundo ser diferente, é necessário a ajuda de cada pessoa. Uma atitude, um olhar, podem render a mudança que a gente tanto espera.

Crédito da Foto do Livro: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

Acredito que uma sementinha da música da menina, que aparece em todas as páginas, possa ser plantada nos leitores. Enfim, eu amei cada trecho (“O mundo precisa de mim para ser diferente“) e a primeira ilustração é a minha favorita!

Não sei ao certo, mas acho que se for ler com uma criança mais velha, vale ler em conjunto com ela. Tem uma linguagem acessível, em contrapartida, uma explicação a mais é sempre bem-vinda.

Achei fofo, com uma mensagem que aquece o coração e é o típico livro que pode mudar uma história, mesmo que seja nos mínimos detalhes! Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Tudo nela é de se amar
Fan Page ♥ Instagram  


5
13.08.2021
* Beda 13 – PJ Entrevista: Anna Carolina Ribeiro! ♥

Ei, Gente! :) Quem gosta de ler autores nacionais? Sempre bom conhecer e apoiar a literatura nacional. Então, para o post de hoje, eu trouxe uma entrevista com a minha quase xará: Anna Carolina Ribeiro, que lançou recentemente o livro “Lua em Escorpião“. Vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Divulgação

1. Uma curiosidade sobre o livro “Lua em escorpião” que quase ninguém sabe? R: Lua em Escorpião é um livro bem pessoal, fala muito sobre o mundo a partir do que eu sinto. O título de um dos poemas (Amor Fati) está inclusive gravado em mim em uma tatuagem. É em latim e significa “amor ao destino” e é também o nome de uma das minhas músicas favoritas de um grupo de hip-hop coreano chamado “Epik High”. Parte do poema é inspirado na letra dessa música, que é baseada no conceito
filosófico de Nietzsche. Tanto Nietzsche quanto Epik High e eu falamos sobre como amor fati é uma aceitação do passado e das possibilidades do futuro como eles são, para que a partir disso, a gente tenha autonomia sobre a nossa própria vida e o nosso próprio destino. Acho que esse é um dos poucos fatos que nunca falei sobre o livro.

2. Por que o leitor deve ler? R: O subtítulo do livro é “versos sobre desejos profundos” e os poemas são sobre muitos tipos de desejos diferentes: amorosos, coletivos, individuais, existenciais. E todo mundo pode se identificar com um deles, alguns ou todos esses desejos. São coisas muito profundamente humanas, que em algum momento passam pela cabeça de todo mundo. Então, talvez a pessoa que lê vai identificar a si mesma e se sentir menos sozinha, ou vai entender que muita gente passa pelas mesmas emoções, então tá tudo bem passar por essas questões! Acho que “Lua em Escorpião” pode conversar com todo mundo em algum momento, mas principalmente com quem se sente de alguma forma limitada e em busca de se expandir.

3. A parte doce e não doce assim de ser escritora no Brasil? R: A parte doce é poder criar algo único e particular de quem nasceu e criou aqui. A literatura e a arte são universais, mas tem universos mais próximos de nós. Como leitora, gosto muito de me ver nos mundos e palavras de quem está próximo de mim, então é muito bom, como escritora, poder oferecer essa mesma experiência a quem me lê. E o Brasil é um país tão rico e tem tanto a oferecer! A parte não tão doce é que a cultura está sendo ainda menos valorizada nos últimos tempos por quem tem condições de ampliar o acesso das pessoas a ela. Em um mundo em que a arte é mercadoria, a escrita tem sido subvalorizada e a leitura tem se tornado cada vez menos acessível e elitizada e isso acaba sendo bem amargo para quem precisa sobreviver da venda de livros e não se encaixa nesses padrões. Acabei de chegar no universo literário de publicações e me considero escritora recente. mas não é difícil perceber que não é uma carreira fácil.

Crédito da Imagem: Divulgação

4. De onde surgiu a ideia do título? Falando nisso, como foi o processo de escrita? R: Escrevi os poemas como parte de um exercício de retomada do meu contato com a poesia, porque eu vinha escrevendo, mas a última vez em que tinha me dedicado tinha sido na minha adolescência. Me programei a escrever um poema por semana durante o ano de 2020, sem nem sonhar com o pesadelo da pandemia que acabou me dando ainda mais tempo para escrever durante o ano. Para organizar essa minha retomada e também para direcionar o que eu já vinha escrevendo para algum modo de publicação, fiz uma mentoria de escrita com a Fernanda Rodrigues no fim do ano passado, e quando ela viu alguns dos poemas que eu tinha escrito nesse processo, me disse que tinha ali material para um livro. Fiquei bem surpresa, mas me empolguei e comecei a selecionar o que poderia ir para o livro, editei alguns poemas, ordenei para que houvesse uma linha guiando a leitura e assim surgiu Lua em Escorpião! O livro ganhou esse nome porque notei que a maioria dos poemas selecionados para compor a obra eram sobre minhas emoções e desejos. Segundo a astrologia, as minhas emoções são guiadas pelo signo de escorpião, que é um signo cheio de desejos bem profundos. Daí surgiu o título e também o subtítulo. Mas não necessariamente os poemas precisam ser lidos por esse viés astrológico. Emoções são emoções para todo mundo, mesmo para quem não acredite que os planetas registram os padrões delas.

5. Escritores e/ou livros que influenciam no seu dia a dia como escritora? R: Nossa, tanta gente! Tenho certeza que vou ser injusta e esquecer algumas pessoas aqui, mas vou falar dos principais que me influenciam na poesia neste momento: Manoel de Barros, Mário Quintana, Drummond, Neruda Rupi Kaur, Ryane Leão, Jarid Arraes. Também tem pessoas mais próximas que vem produzindo bastante na internet: Roque Marciano, Larissa Fonseca e também Lucila Neves e Leidiane Holmedal, que são minhas amigas e a Fernanda Rodrigues, que brinco que é a mãe da House of Rodrigues, de onde saem muitas escritoras fantásticas!

Crédito da Imagem: Divulgação

Pergunta Bônus: Se tivesse um incêndio na sua biblioteca, qual livro salvaria? R: Eu salvaria “Jung e o Tarô“, que é um dos livros que estou lendo no momento e quero muito terminar de ler! Ele é um livro cheio de insights que fazem a gente mergulhar dentro da gente e voltar renovados para superfície. Quando a gente submerge desta leitura, a gente sai com outro olhar para o mundo e para vida, e eu estou amando cada página. Ele demanda muito tempo, tanto que estou nessa leitura desde março, porque
a cada parágrafo tem uma reflexão. Não dá para ler sem parar para olhar o teto e repensar a vida inteira várias vezes! E não tem fogo que me impeça de chegar ao final da jornada dessa leitura!

***

Como não amar essa entrevista? Desde o dia em que a Fê Rodrigues, que a Anna cita na entrevista, falou do lançamento… Eu fiquei apaixonada pelo título. Nunca fui muito de ler poesia, mas esse curso de escrita está me ajudando muito a explorar esse universo. :)

Todo sucesso do mundo, Anna. Quero ler em breve! E obrigada por ter topado responder. Aliás, o livro está esgotado no site da Editora Penalux. Porém, a protagonista do post do dia, ainda tem uns exemplares. Ficou curiosa? Só entrar em contato com ela pelo Insta (@annacaribee). ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Fernanda Rodrigues
Fan Page ♥ Instagram 


4
04.08.2021
* Beda 4 – Pequena Escritora: O que é poesia? ♥

Ei, Gente! :) Lembram quando eu falei que ia compartilhar textos atuais e antigos? Então, chegou a hora de mostrar um que eu fiz no curso de escrita, da Fê Rodrigues. Ainda vai passar por algumas alterações, mas eu gostei assim também. Vamos lá? Boa leitura. ♥

O que é poesia?
Crédito da Imagem: Pinterest

“Olhar as estrelas da janela do avião.
Universo: seria essa sensação?
Sim, mas tem mais…
Bolo de cenoura de chocolate.
Verona. Amor correspondido. Amor real.
Mas há beleza no amor platônico também. :)

Vencer a preguiça de ir na natação.
Pacote do correio. Parece que é um presente.
Mesmo que eu tenha dividido em cinco vezes no cartão.
Bilhetes. Cartas. Quarto arrumado e organizado.
Matar a saudade. Sonhar com o meu pai.
Lembranças boas. Lembranças ruins, mas que não doem mais. Ou nem tanto.

O cheirinho do chulé da minha cachorrinha. O arroz maluco da minha mãe e o colo dela. A palha italiana da minha irmã mais nova. Trocar mensagens com a mais velha. O carinho nas minhas costas do meu namorado (agora noivo ♥). Aliás, olhar as pintinhas da orelha dele me dá paz.

Paz. Falando nela…
Resume bem o significado de poesia para mim.
Poesia é tudo que traz paz, mesmo que o caminho seja confuso.

Escrita leve, assunto pesado. Desfecho repleto de aprendizado.”

(Por Carol Daixum)

Crédito da Imagem: Pinterest

***

É isso, pessoal. :) Espero que tenham gostado. E me contem: o que é poesia para vocês? No mais, podem opinar à vontade. ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Pequena Escritora – O que ela não mostra, vira texto
Fan Page ♥ Instagram 


3
20.07.2021
* PJ Leu: Tudo nela é de se amar! ♥

Ei, Gente! :) Uma das metas desse ano era ler mais poemas. E eis que li o primeiro do ano: Tudo nela é de se amar, da Luciene Nascimento (autora brasileira). Publicado pela Sextante (parceira do blog), é um livro que traz palavras de uma jornada da mulher negra. Boa resenha! ♥

Livro: Tudo nela é de se amar | Autora: Luciene Nascimento | Editora Sextante
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Poemas e poesias que mostram como a autora compreende a sua identidade. Palavras sobre autoestima, posicionamento, saúde mental e muito mais. Um livro com temas que abrem caminho para todos, com estrofes leves e singelas ilustrações.

Opinião da Pequena: A minha meta era ler, ao menos, um livro desse gênero esse ano. E sério, mega me inspirou para embarcar em outros poemas.

O que eu mais gostei é que os temas não são tão simples, mas através das palavras da autora, o pesado virou leve, na medida do possível. Foi uma nova forma de entender o racismo e o motivo dele ser tão prejudicial. A forma como ele descreve um black power de uma criança é linda e todas tinham de ter a simples ideia de como o seu “travesseiro” as leva para perto do céu. Só lendo para entender!

A maioria dos poemas é seguida de um texto explicativo e ilustrações que fazem todo o sentido. Falando nessa parte do cabelo ainda, me identifiquei com o pensamento dela: não há regras, ou melhor, há! Respeitar o seu desejo, independentemente da referência que a gente tem.

Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Adorei as inspirações em forma de senhorinhas no ponto de ônibus. Também é um convite para quem ama escrever e quer escrever mais. Com amor!

Algumas partes, fiquei meio confusa, perdida. Talvez por não ser a minha realidade. Mas espero conseguir, cada vez mais, fazer a minha parte para que a mudança seja real.

Também acho que é um livro perfeito para deixar na mesa de cabeceira e ir absorvendo palavra por palavra. Aos poucos! No mais, queria anotar quase todas as páginas para voltar depois e ler novamente o que trouxe leveza e reflexão.

Crédito da imagem: Pequena Jornalista

O título é lindo e tem tudo a ver com o conteúdo! Recomendo. Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica e pode comprar aqui no meu link.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Minha História
Fan Page ♥ Instagram  


4
22.03.2021
* Para ler poesia! ♥
Em: Poesia

Ei, Gente! :) Ontem, 21 de março, foi Dia da Poesia. E no começo do mês, rolou uma live no Insta do blog sobre o tema. A convidada da vez foi a escritora Fernanda Rodrigues. E para unir o útil ao agradável, mesmo com um pequeno atraso, resolvi trazer um post com dicas de livros e um pouco do que rolou nesse bate-papo. Vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Para começar, uma das coisas que mais me marcou nessa conversa foi o fato de pensar na poesia como uma leitura aos poucos. Ler devagarinho, sem pressa, para que cada palavra, rimada ou não, toque a alma do leitor de verdade. Diferente de uma história que a gente fica ansiosa para saber o desfecho.

Outra coisa: poesia não deve ser vista como uma leitura difícil. Vá aos poucos, no seu ritmo e leia. Aliás, eu já falei algumas vezes por aqui que alguns clássico da literatura brasileira, a pessoa precisa ter maturidade. Mas falar com a Fê me mostrou um outro ponto de vista: tudo tem de ter um preparo. Jogar Machado de Assis logo de cara, faz com que o aluno não se interesse muito. Mas se o educador saber introduzir aquele tipo de leitura, pode ser que as coisas façam mais sentido. E isso se encaixa com poesia, né?

Enfim, muito obrigada pela conversa, Fê. Quem quiser assistir na íntegra, corre aqui. Inclusive, saber a diferença entre Poema e Poesia. ;-) Agora, vamos às indicações de livros?

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

Para começar, um dos poucos livros de poesia que eu li (espero mudar isso logo): Poesia que transforma, do Bráulio Bessa. Aliás, era o nome dele que eu queria lembrar na live e não consegui hahaha. Sério, cada página desse livro foi um acalento no coração.

E claro que o da não poderia ficar de fora, né? Esse ela escreveu com a Elizza Barreto e o nome é “Sobre o que Estava Tentando Dizer“, que está na minha listinha de livros que quero ler ainda esse ano. :) E para quem ama novidade, tem um que vai sair do forno ainda esse ano: Tudo nela é de se amar, da Luciene Nascimento, publicado pela Sextante (parceira do blog). Achei a capa incrível e acho que vou amar a leitura! ^^

Por fim, duas dicas da Fê: Toda Poesia, do Paulo Leminsky. Ele é livro de cabeceira dela. E outra escritora que também vale a pena conhecer é a Ryane Leão. O que eu selecionei foi “Jamais peço desculpas por me derramar“, que se a capa é maravilhosa, acho que o conteúdo não vai decepcionar. ♥

É isso, pessoal. Já leu algum? Qual acrescentaria no post? No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Poesia que Transforma
Fan Page ♥ Instagram 


3
12

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021