27.08.2020
* Beda 27 – TBT Literário: Coisas pra fazer antes dos 30! ♥

Ei, Gente! :) O PJ Leu da semana é sobre um livro que li há um tempinho: Coisas pra fazer antes dos 30, da Lisa Lynch. Já falei algumas vezes sobre essa história, mas nunca tinha rolado um post completinho mesmo. Perguntei aqui se vocês gostariam de resenha e muitos falaram que sim. Então, esse pedido é uma ordem. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Coisas pra fazer antes dos 30  | Editora: Panda Books | Autora: Lisa Lynch
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: A jornalista Lisa Lynch tinha uma listinha de coisas para fazer aos 30 anos, como engravidar, perder peso e escrever um livro. Até aí ok, mas ela teve de acrescentar de última hora “vencer um câncer de mama“.

Durante uma brincadeira com o marido, ela descobriu um caroço na mama e teve o diagnóstico da Porcaria (como a protagonista chamou a doença). Com dias bons e outros ruins, a autora resolveu criar um blog para escrever sobre esse inconveniente, que foi transformado em um livro.

Um relato para lá de honesto e leve, na medida do possível. Que faz o leitor chorar de tanto rir (acreditem, a Lisa tem esse poder) e de chorar mesmo. Mas o mais importante: olhar a vida através de um outro ponto de vista repleto de fé e esperança.

Minha opinião: Andando pela Bienal há um tempinho (acho que em 2011, por aí), me deparei com esse livro no stand da Saraiva. A capa foi o que mais me chamou a atenção e acreditei que era um chick-lit daqueles. Mas lendo o subtítulo, vi que a história ia muito além.

A escrita da Lisa me conquistou de cara. O livro é na primeira pessoa e todos, sem exceção, dão leveza à história. Aliás, por mais que a situação fosse dolorosa, ela tinha em mente de que se não encarasse de forma leve (na medida do possível), tudo seria bem pior. E acredito que essa maneira tenha tornado tudo mais de boa, tanto para ela, quanto para família, amigos e equipe médica.

Era incrível uma pessoa pensar que dane-se se o câncer vai levar o cabelo dela, o estilo ainda continua com tudo. Ela ainda queria ir numa cafeteria onde falassem o nome dela e não que fosse só mais um cliente. E, sim, é importante tratar bem os seus médicos, afinal, eles que vão salvar a sua vida. Em contrapartida, a protagonista e autora tinha os seus momentos mais isolada, efeito da Porcaria. Seja depois de uma sessão de quimioterapia ou de ver o seu pai sofrendo com tudo isso.

Falando neles, o pai dela é um dos meus favoritos, depois da Lisa. Ele é amoroso e tem os melhores conselhos (nunca durma brigado, se for possível) e o marido incrível mesmo, que fez toda a diferença nessa trajetória. O irmão foi na onda dela e tornou tudo mais tranquilo. E o que dizer do Dr. Parafusos frouxos? Aliás, como não amar esses apelidos?

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Enfim, é um livro que vai muito além do câncer de mama. Ele fala sobre a importância da família, dos amigos. Aborda sobre ansiedade, entre outros temas que colaboram com todos, independente se você está passando por uma situação semelhante ou não. Na época, eu lembro que comentei com a minha psicóloga sobre o livro e ela acabou recomendando aos pacientes que passavam por isso e tal. Acredito que realmente, esse relato honesto, sincero e, até mesmo, divertido, faça a diferença na vida de muitos leitores.

Eu li há séculos e talvez por esse motivo, não lembre de tudo tim tim por tim tim. Então, desculpem se esqueci de comentar algo importante. Mas reler as anotações me ajudou e me deu vontade de ler novamente.

Ah! Eu soube que ela não está mais aqui com a gente. :( Deu um aperto no coração, mas sou muito grata por tantas lições valiosas. São capítulos que mostram que, independente do que aconteça, é possível transformar um limão em uma limonada. Claro, tudo no seu tempo. Obrigada de coração, Lisa. Recomendo muito a leitura! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: 5 coisas que ninguém te conta sobre câncer de mama
Fan Page ♥ Instagram 


7

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021