24.05.2021

Ei, Gente! :) Posso começar a semana, separei cinco curiosidades sobre chick lit. Espero que gostem! Mas se não for do seu interesse, dê uma chance ou passe para alguém que ama esse tipo de livro. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. Eu não sabia, mas tudo indica que um dos livros pioneiros do gênero foi “O diário de Bridget Jones“, da Helen Fielding (que não li…. Absurdo, eu sei hahaha). Alguns sites falam que foi em 1998, outros em 1999. 1997, 1996… Digamos, então, que foi na década de 90. :)

2. Hoje em dia, eu vejo muitas editoras publicando histórias de chick lit. Uoba! \o/ Mas uma que lança livros desse estilo com frequência e há séculos, é a Editora Record, incluindo títulos da diva Sophie Kinsella.

3. Mas afinal o que é esse gênero? Eu vejo como histórias sobre mulheres no mundo moderno, com uma escrita leve e tem um toque (sutil ou não) de comédia. Aborda sobre romance, mas vai além: dá para tirar lições valiosas sobre vida profissional, relacionamento abusivo, luto, entre outros. A única diferença é a forma como elas são entregues ao leitor.

Crédito da Imagem: Amazon

4. Eu sei que a gente já tem referência de autoras gringas, como Lauren Weisberger e Marian Keys. Mas no Brasil, temos outras tão incríveis quanto, como Renata Lustosa, Teca Machado, Laura Conrado, Fernanda França, Leila Rego, Carina Rissi (que ainda não li #posteiesaicorrendo hahaha), entre outras.

5. O termo urgiu na década de 80, nos EUA, e era o nome de uma matéria sobre literatura feminina da Universidade de Princeton. Esse nome tem uma carga bem negativa, meio que falando que não é uma leitura de verdade e tals. Mas eu me sinto muito bem falando que eu adoro ler “chick lit”. Acho que o tem de mudar mesmo é o preconceito. Não gostar, ok, mas julgar como uma leitura rasa: aí não! ;)

Eu & a Minha Coleção P-E-R-F-E-I-T-A da Sophie Kinsella.
Crédito da Imagem: @lou.click

****

É isso, pessoal. :) Minhas fontes foram de alguns sites e blogs, como Livros & Fuxicos, Wikipédia e Oficina de Escrita.

Ah! A intenção do post é mostrar um pouco mais sobre chick lit, viu? E tentar diminuir o preconceito que, infelizmente, existe. Mas não há problema nenhum em não gostar desse tipo de livro. O ruim é quando a gente escuta que não está lendo de verdade. :) Porém, acho que aos poucos isso está mudando!

E você: ama chick lit ou passa? Dicas sempre são bem-vindas e para ler mais posts sobre o assunto, corre lá na caixinha de busca, que tem muito post sobre esse gênero que eu amo (Jura, Pequena? hahaha)! No mais, podem opinar à vontade!

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Por que eu leio chick lit?
Fan Page ♥ Instagram 

carol

leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 Comentários

  • Olá…
    Eu amo um bom chicklit também! Acho que eles são tudo isso que você falou, é romantico, é divertido, mas sempre aborda algum assunto importante pra nós mulheres também.
    Sem dúvida, é um gênero que acarreta muito preconceito, já ouvi muitos comentários maldosos por curti esse gênero, mas aos poucos a gente vence.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

  • Li Bridget Jones nos anos 90 e super me identificava com ela, apesar de ser bem mais nova, pela questão do corpo e tal. super divertido.

    A Renata Lustosa fez o lay do meu IG literário (@estantedamicha), ela é uma fofa, mas ainda não li nenhum dos livros dela (mas já estão no kindle). A Carina Rissi é boa, leitura flui, eu gosto.

    Já salvei seu blog pra voltar sempre.

    http://michadescontrolada.blogspot.com/
    Beijossssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

  • Confesso que não conhecia o gênero bem, mas seu post me deu uma visão geral. “Os delírios de consumo de Beck Blomm” é tão conhecido né? Acho que o preconceito deveria parar das pessoas.

    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

  • carol

    Diane: Sem dúvidas, Di. É um gênero que merece amor e não preconceito! E a gente faz a nossa parte. ♥
    Micha: A Rê arrasa muito! Quando der, lê o livro e os contos dela. São incríveis! E quero ler da Carina e da Bridget. :)
    Emerson: Com certeza. O problema não é nem ler, sabe? O problema é falar mal, sem nem saber. Mas aos poucos, a gente vai quebrando esse preconceito. ♥