02.06.2016

Hoje vou falar sobre um drama atual, que vivi semana passada: o drama de passar férias na praia…

NÃO, PERAÍ, NÃO TEM DRAMA NENHUM NISSO, NÃO!

A prima do meu marido casou sábado em Trancoso, Bahia, então aproveitamos para passar 10 dias viajando ao invés de só ir no final de semana do casamento. Posso dizer que estou sofrida… SQN!

Então, eu não vejo drama nenhum em viajar para a praia porque eu sou simplesmente apaixonada pelo mar, pela areia, pelo sol e tudo o que eles representam. Mas vou contar um drama tragicômico que aconteceu comigo em Cabo Frio, Rio de Janeiro, quando eu era criança.

PDQ - 2

Lá estava eu toda serelepe e magrelinha aos meus 10 anos saindo do mar quando vi um cara vendendo picolé. “Hum, eu quero!”, pensei. “Está um calor de matar e eu preciso de um Chicabon”.

Chamei meu pai para comprar um para mim e a minha irmã foi junto. Chegamos no carrinho e eu já fui logo enfiando a mão lá para pegar meu Chicabon. Ele estava trincando de gelado, com uma camada de gelo do lado de fora. Não pensei duas vezes: Rasguei a embalagem com gelo e tudo e tasquei uma lambidona do picolé. Mas a minha língua grudou nele.

Sim, minha língua grudou no picolé no meio da praia.

Quando o gelado encosta com o muito quente os dois se “colam”. Como no filme Debi e Lóide, um deles lambe o corrimão do teleférico de esqui e fica lá grudado horas.

PDQ - 1

Então, minha língua grudou lá como se eu tivesse lambido uma cola Super Bonder e bateu o desespero. Quando minha irmã e meu pai viram isso, tiveram uma crise de riso e todas as pessoas ao redor viram o que estava acontecendo e riram também (Cadê um buraco para você se enterrar na areia quando mais se precisa dele?).

Então minha irmã, toda solícita, se ofereceu para desgrudar minha língua daquele pedaço de geleira. Como? Puxando, claro. Ela foi lá sem dó e nem piedade. Enquanto meu pai me segurou pelos ombros, ela pegou o picolé e puxou com força até que ele saiu.

Tenho quase certeza que uma camada da minha língua foi embora nesse dia.

Fiquei com a língua doendo muito, como se tivesse queimado, o que não deixa de ser verdade, já que o gelado também queima. Além de ter minha família rindo de mim até hoje com essa história, desconfio que as pessoas que viram a cena também não devem ter se esquecido desse episódio.

Mas tudo serve como lição: NUNCA MAIS lambi algo gelado sem esperar pelo menos derreter um pouquinho.

***

O Projeto Drama Queen foi criado pelos blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista para relatar e rir dos pequenos e grandes dramas da vida. Ajeite a sua coroa e vem ver os posts todas as quintas-feiras! E se você quiser mandar a sua participação especial, é mais do que bem vindo. Entre em contato conosco pelo e-mail projetodramaqueen@gmail.com ou aqui nos comentários mesmo.

Teca Machado.

***

Gente, só para avisar que na semana retrasada não consegui postar o texto do Projeto Drama Queen, mas você pode ler  lá no blog da Teca. Só clicar aqui. ;-)

Beijos, Carol.

P.S: Quem ainda não respondeu a pesquisa de público do PJ, clique aqui. Juro que não é demorada! Quem já respondeu, muito obrigada!! 

Fan Page ♥  Instagram

carol
compartilhe

leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.