04.02.2016

Nossa querida Hellz, do blog Being Hellz, que mantém a identidade secreta (Menos para mim, que até tenho ela no Facebook. Beijo no ombro para vocês, meros mortais), escreveu para a página dela um post muito dramático e eu achei tão engraçado (Sorry, Hellz) e tão *ajeita a coroa*, termo que ela inventou, que pedi para colocar aqui no Projeto Drama Queen. Sendo uma fofa, ela cedeu seu relato.

Então, senta que lá vem história! E essa é das boas. :D

Cabeleireiros e a tesoura nervosa

0d42e04a-6d04-49b6-abfc-838032dba320
Por Hellz! 

A casa CHEIA de gente como habitual no fim do ano (onde vem visitas de todo o buraco pra cá), sem o meu querido habitat natural (lê-se: meu quarto), decidi mandar todo mundo se foder no dia 31 de dezembro e fazer a antissocial MEXMO. Porém, os planos foram por água abaixo quando minha prima decidiu avisar que tínhamos um cabeleireiro no recinto, disposto a fazer magias capilares dentro da minha própria casa.

Entenda: Não sou uma barbie fútil, rata-de-salão-de-beleza ou coisa assim. Entretanto, se tem uma coisa que muito me diverte e consta como um por cento do lado feminino que ainda me habita é dar uma arrumadinha no cabelo. Eu pretendia total fazer a mendiga no réveillon 2015 já que não iria sair de casa mesmo. Pretendia de coração, mas aí surgiu o raio do cabeleireiro, com secadores e escovas de todos os tamanhos e meu cabelo andava tão bonito, né? Do tamanho que eu tinha pedido a Deus, loiro, liso, leve, solto… Não custava dar uma escova, vai. Tudo bem, talvez eu me arrumasse no Ano Novo, afinal…

Fui ser a primeira da fila de quatro mulheres na casa (duas residentes, duas volantes HAHAHAH), YEY! Sentei na cadeirinha como se aquele fosse meu trono e deixei o cara fazer o trabalho. Tirar a toalha da minha cabeça, ok. Tirar o excesso de água, ok. Pentear, ok. Cortar…. oi?

“Posso tirar só essas pontinhas estragadas que estão uó?”
“hm… pode” – respondi sem nem eu mesma acreditar na afirmação.

Cara… você não tem noção. Baixou o Edward Mãos de Tesoura no tal do cabeleireiro e eu só via cabelo voando pra todo lado. MEU CABELO VOANDO PRA TODO LADO. MEU CABELO – COMPRIDO- VOANDO PRA TODO LADO. Meu cabelo no chão. Muito cabelo no chão, muito. Eu vou chorar…

7370d8b6-e2ab-42bd-8baf-4815f941bbb8

Entenda (parte dois): Eu já fiz de tudo no meu cabelo e a última vez que consegui deixá-lo grande foi no tempo glorioso do ano de 2009. Depois disso foi ladeira abaixo: Uma grande saga de cortes experimentais, tinta preta, violeta genciana usada como tinta, tonalizante que deixa o cabelo acaju Silvio Santos, luzes pra tirar o acaju silvio santos, cortar as pontas que as luzes não clarearam, dar progressiva, pintar de vermelho Marina Ruy Barbosa e errar por três vezes, abafar com loiro escuro, dar californianas. O fim é triste: Cortar cortar cortar cortar. Eis que ao fim de 2015 meu cabelo estava loiro (como deve ser), grande (como eu queria que fosse) e, apesar da saúde dele andar meio suspeita… as pontinhas estranhas e um pouco ralas em nada me perturbavam, achava que dava um tom original ao look, até HAHAHAH E eu tinha jurado a mim mesma que só cortaria o cabelo de novo com a trans chamada Sabrina que encontrei ao acaso e que conseguiu canalizar a minha vibe capilar. E esse corte seria sutil, aconteceria sistematicamente em alguns meses e me manteria com o cabelo enorme (porque eu e Sabrina nos entendemos e estabelecemos uma conexão desde a primeira tesourada).

Ao fim do assassinato ao meu cabelo comprido e com a escova finalizada, eu muito lutei pra forçar um sorriso e me fingir de satisfeita pro Edward mãos-de-tesoura from hell. Olhei no espelho e cá estou eu: Com uma cara de bibliotecária do caralho (nada contra as bibliotecárias, mas eu tento todos os dias da minha vida fugir da MINHA imagem inevitável de boazinha com essas bochechas gorduchas HAHAHAHA) e um leve aspecto de poodle triste.

Moral da história: Viverei de coque até meados de maio – se tiver sorte.

***

Hellz, quem nunca passou por um péssimo corte de cabelo? Sei que eu já tive uma franja cortada dois dedos acima da sobrancelha, haha. Pensa num trem feio! Mas veja pelo lado positivo: O cabelo cresce! Hahaha. Boa sorte até maio e ajeita a sua coroa.

O Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista com textos dramáticos, exagerados e divertidos todas as quintas-feiras. É uma ótima terapia para levar os problemas da vida de forma mais leve. Quer mandar sua participação especial? Fale conosco nos comentários ou na nossa FanPage

Beijos,

Teca Machado.

**

P.S: Carol invadindo! Hellz, *ajeita a coroa”!! Como a Teca falou: o cabelo cresce e você NÃO ESTÁ SOZINHA. Todo mundo tem uma lembrança nada boa com Edward Mãos de Tesoura !! ;p 

Fan Page ♥  Instagram 

carol
compartilhe

leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.