11.11.2014
* PJ Leu: Trilogia A Seleção! ♥
No domingo, eu terminei de ler os três livros da série A Seleção, da autora Kiera Cass. Uma distopia pra lá de romântica, com direito a príncipe, rei e rainha. Ah! Também encontramos rebeldes e por aí vai. Enfim, a minha primeira trilogia completa. Amei, amei. ♥
Falando nisso, a distopia mostra os Estados Unidos após passarem por mais uma Guerra Mundial, pela colonização chinesa e por uma volta à monarquia, quando recebe o nome de Illéa. A população foi divida em oito castas e se prepara para a Seleção. Trinta e cinco garotas são sorteadas para participarem de um reality show que escolhe a esposa do príncipe Maxon. America Singer, da casta cinco, foi selecionada para participar contra a sua vontade, já que amava outra pessoa. Por incrível que pareça nem todas as garotas querem ser princesas. Porém, as coisas mudam de rumo e a vida dela nunca será a mesma. Aliás de nenhum personagem envolvido na história. ;-)

Para esse post, vou colocar a sinopse dos três livros e depois a minha opinião. Sem spoiler, prometo! Só o básico. Mas caso não queira saber nadica de nada, dá uma voltinha pelo blog e volte depois para ler esse post hehehe! Se quiser saber um pouquinho, continue lendo. 

A Seleção – Livro 1


Nem todas as garotas querem ser princesas. America Singer, por exemplo, tem uma vida perfeitamente razoável, e se pudesse mudar alguma coisa nela desejaria apenas ter um pouquinho mais de dinheiro e poder revelar seu namoro secreto. Um dia, America topa se inscrever na Seleção só para agradar a mãe, certa de que não será sorteada para participar da competição em que o príncipe escolherá sua futura esposa. Mas é claro que seu nome aparece na lista das Selecionadas, e depois disso sua vida nunca mais será a mesma. 
A Elite – Livro 2

A Seleção começou com 35 garotas. Agora, restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no Palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto. America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer – e ela está prestes a perder sua chance de escolher. 
A Escolha – Livro 3

Quando foi sorteada para participar da Seleção, America não imaginava que chegaria tão perto da coroa – nem do coração do príncipe Maxon. Com o fim do concurso cada vez mais próximo, e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela se dá conta de tudo o que está em risco e do quanto precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. America já fez sua escolha, mas ainda há outras em jogo. Aspen, seu antigo namorado, terá de encarar o futuro longe dela. E Maxon precisa ter certeza dos sentimentos da garota antes de tomar a grande decisão, ou acabará escolhendo outra concorrente. 
Minha Opinião: A trilogia é incrível. E apesar de ser uma distopia, acho que vivemos num mundo bem parecido. Principalmente em relação às castas. Vivi uma relação de amor e ódio com alguns personagens. Mas nunca deixei de amar o príncipe. Foi amor à primeira vista hahaha. Me identifiquei com a America em alguns pontos e compreendi alguns defeitos. Outras vezes, tive vontade de jogá-la no meio dos rebeldes sulistas (pequena má hahaha). Aspen me irritou profundamente, desde o começo. Mas no final, até que gostei um pouco dele. Quis uma amiga igual a Marlee e pessoas iguais a Mary, Anne e Lucy ao meu lado. O rei é um babaca. A rainha uma fofa! Algumas concorrentes são más, outras não fazem diferença, outras são fofas desde o começo. E tem candidata que pode surpreender a gente no final. Sofri com a morte de personagens, outros compreendi a autora “matá-los”. O pai da America, meu Deus! Sem comentários. Tanto amor que não cabe. Anotei quase todos os trechos das cartas que ele escreveu. E os irmãos? Tirando o mais velho, todos são fofos. Mas a May é a minha preferida. E a mãe dela é dura na queda, mas graças a ela, a vida da America mudou para melhor. Fiquei com muito medo de ler o final e me decepcionar. Mas foi melhor do que eu imaginei. Chorei litros na última página, mas valeu cada letrinha. Por mais que seja uma distopia com foco em romance, a trilogia mostra que o final feliz vai além do “felizes para sempre”. Aliás, muito além! E um relacionamento tem tanto o lado bom e ruim, nem conto de fadas escapa dessa regrinha após o “happy end”. ♥
Quanto às capas, fiquei louca pelo vestido vermelho que aparece no livro A Elite. Quero muito, viu manhêêê? hahaha ;p 
E para terminar, queria agradecer a Camila e as outras meninas do Meg’s Army Book Club por terem me indicado a trilogia. Amei muito! Vamos rezar para ter filme, né? Falando nisso, gente, têm livros extras sobre a trilogia. 
Enfim, superindico a leitura! Quem já leu, conta o que achou. Quem não leu, fica a dica. ;-)
Um beijo, 
Carol Daixum. 
P.S: crédito das imagens – 1ª foto: Pequena Jornalista / Outras fotos: Site Saraiva

14

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020