20.03.2015
* Projeto Drama Queen: Não quero mais brincar disso não! #22 ♥
Por Carol Daixum 
Se eu pudesse dar um conselho para as crianças, seria: não cresçam! É a maior cilada, gente! Vida de adulto é um porre. Não tem nada de legal e engraçado. Totalmente diferente do que a gente imagina quando é mais nova. Nossos dramas só aumentam. Quando eu era pequena (sinto cheirinho de bullying no ar). Ok, criança! Enfim, voltando ao assunto… Quando eu era mais nova, adorava aquela brincadeira do papel que um “unidunitê” decidia o meu futuro. Tipo, com quantos anos eu iria casar, quantos filhos eu teria, o nome do cara que ia me esperar no altar, lugar que seria o meu lar doce lar, o meu trabalho e por aí vai. 
Hoje eu tenho um Ó-D-I-O dessa brincadeira!! Na boa, espero que a pessoa que inventou isso esteja pagando por cada canetinha que ela me fez gastar. Cada planinho que ficou preso na bosta daquele papel. O negócio só enrola a gente. Pelas minhas contas, já era até para eu estar me divorciando, gente! Levando a Dudinha no colégio e já de rolo com o segundo nome da lista de pretendes. Eu seria escritora e colunista da Capricho. E morando em Dallas.  
Realidade? 28 anos, só acho sapo (cadê o meu príncipe no cavalo branco, hein Walt Disney???). Ah! A única “pessoa” que recebeu o nome de Maria Eduarda, até o momento, foi uma pedra renal. Estou longe do Texas, mas tudo bem hoje em dia eu prefiro Itália mesmo. Se ferra aí, brincadeirinha do papel!! Emprego? Sonho em publicar meus livros, mas no momento? Mandando currículo que nem uma corna. Que saudade quando a minha única preocupação rezar para o “unidunitê” cair no nome do menino mais lindo do colégio. Estudos dizem que não está fácil. Ô vida! Ai, gente! Alguém me livra dessa brincadeira? Posso voltar a ser café com leite? Grata! ;´-p  
Notas Drama Queen: 

– Eu tive pedra no rim e coloquei o nome de Maria Eduarda. A pedra é minha e eu faço o que quiser! 
– Minha filha vai ser proibida de assistir Disney. A primeira viagem dela vai ser para Las Vegas para ela ter noção dos “príncipes”. 
– A nota anterior é brincadeirinha. ;-) Er… Mais ou menos! Mas ela vai se acostumar desde pequeninha que os príncipes nem sempre vem nos salvar de uma rainha má.
– Se alguém não conhece essa brincadeirinha do papel: agradeça de coração! Você não sabe a sorte que tem. Mas caso você tenha curiosidade, olhe a última imagem do post. Ah! Minha filha que não apareça com uma brincadeirinha dessas em casa.
– Vale lembrar que todos os posts do Projeto Drama Queen têm uma dose de exagero. Vocês me pegaram num dia de TPM e “não quero mais brincar de ser adulto não”. Mas crescer tem as suas vantagens. ;-) 



** 
Lembrando que o Projeto Drama Queen é uma parceria entre o Pequena Jornalista e o blog Casos Acasos e Livros. Ah! Quem quiser ler os textos anteriores, é só procurar na caixa de busca ao lado. Quer participar dessa coluna? É só mandar um e-mail para pequena.jornalista@gmail.com
E podem opinar à vontade! ♥
Beijos, 
Carol. 

6
05.03.2015
* O drama de ter gostos adolescentes aos 27 anos – Projeto Drama Queen #20 (Por Teca Machado)! ♥
Por Teca Machado! 

– Mas quantos anos você tem?
– 27.
– E isso não é para adolescentes?
– É, mas e daí?
– E daí que você não é uma adolescente mais.
– Quem te disse que não?
– A sua idade.
– Pois eu vi uma matéria esses dias que dizia que a adolescência vai
até os 25 anos. Passei só um pouco.
– Não me convenceu. Você não é adolescente.
– A minha mente é.
– E você teria coragem de ir num show deles?
– Claro. E por que não teria?
– Porque você seria a única pessoa adulta que não foi para levar os
filhos.
– E daí?
– Você não tem vergonha?
– Nenhum pouco. Ainda mais porque se eu for ao show, vou enxergar o
palco todo sendo mais alta dos que as meninas de 14 anos.
– Por que você não escuta músicas feitas para a sua idade?
– E existe isso?
– Claro! Sertanejo universitário, por exemplo. Muito mais maduro.
– Prefiro ouvir músicas bonitinhas, doces e românticas para
adolescentes do que sertanejo sem letra.
– Mas sertanejo é romântico também.
– Aham. Só que não, né? Todas as músicas envolvem só três temas: Fui
traído, quero te pegar e vou me afogar de tanto beber.
– Melhor do que os seus One Direction, Taylor Swift e Glee da vida.
– Não concordo.
– Ok, e quando você vai começar a ler livros de adultos?
– Eu já leio livros de adultos.
– É, mas também lê a série Percy Jackson, os livros da Meg Cabot,
Harry Potter, fantasia e comédias românticas açucaradas.
– E qual é o problema?
– Isso não é para você.
– Quem disse?
– A sua idade.
– Idade é algo relativo. Minha mente se recusa a ter quase 30.
– Você nunca vai crescer…
– Já cresci, mas meus gostos continuam adolescentes. Qual o problema?
– Cadê a sua maturidade?
– Está onde eu preciso ter maturidade, não no meu gosto por livros,
filmes e música. Eu gostar disso te atrapalha? Te faz mal? Te machuca?
– Não…
– Então me deixa, oras.
*** 
Esse tipo de conversa acontece comigo direto, só porque eu tenho
gostos extremamente adolescentes. Não tenho vergonha de assumir e nem me
incomodo. Nesse caso, as pessoas é que fazem drama para cima de mim. Raro isso
acontecer, né?
O Projeto Drama Queen é uma parceria lindona entre o Casos Acasos e Livros e o Pequena Jornalista. Analisamos os dramas do dia a dia com muito bom
humor e exagero. Quer contar para nós a sua história? Envie um e-mail para pequena.jornalista@gmail.com.
Teca Machado. 
Autora do romance chick lit I Love New York, Teca Machado é uma devoradora de livros e filmes desde 1988 (Ok, mentira, desde 1994, quando aprendeu a ler). Alguém que compra livros pela capa, chora até com propaganda de margarina, é apaixonada por trailers, tem gostos mais adolescentes do que meninas de 14 anos, sonha com dinossauros e com o Bon Jovi, dá risada de si mesma, canta alto e dança no carro e pretende ser autora de Best Sellers. ;-)  * Dona do Blog Casos Acasos & Livros

17
26.02.2015
* Participações Dramáticas Especiais: Office, obrigada por acabar com a minha vida! – Projeto Drama Queen! #19 ♥
Ei, Gente! Mais uma blogueira dramática topou escrever para o Projeto Drama Queen. Uhul o/! 
Com vocês, o draminha da Nat, do Blog da Natz! Desabafa, Nat! ;-) 
*** 
Primeiramente, me sinto superfeliz em ser convidada para participar desse projeto que eu acho o MÁXIMO. Carol, você é uma linda, adorei te encontrar pela blogosfera. ♥ E para ser sincera, já te considero uma amiga. Agora vou parar de papo e ir direto ao assunto. Vamos falar do drama da vez. 
Por que as licenças expiram? 
(Por Nat)
;-) 

Poooois é, eu estava com várias coisas na cabeça para postar no Projeto Drama Queen. Por quê? Porque eu sou uma pessoa dramática mesmo. Morro de rir dos meus próprios dramas quando a loucura do momento passa e a poeira abaixa. Sou daquelas que engole um chiclete e já acha que vai morrer, pois ele vai grudar nos meus órgãos e aí não tem saída. Meu noivo sofre comigo, pois além de dramática eu sou uma pessoa EXTREMAMENTE indecisa. A gente sempre demora um kadiiin para decidir aonde vamos, isso quando eu não mudo de ideia de última hora, depois volto a ideia anterior e, por fim, peço para ele escolher (no meio do caminho, enquanto ele dirige e acha tudo isso superdivertidio #sqn). Outra criatura que sofre comigo é a minha cachorrinha. Coitada! Tem que aguentar os meus chiliques e meus apertos. Esses dois me amam muito, porque eu mesma não me aguentaria, principalmente quando estou naqueles dias, sabem? Ai o bicho pega, fico dramática, de repente superfeliz, ai mudo para revoltada, começo a chorar e fico animada numa questão de segundos. Vou aproveitar o momento para agradecer todos que me aturam. Sério, amo MUITO vocês! ♥
A única que não sofre com tudo isso é a minha mãe, pois ela é tão dramática quanto eu (acho que consegue ser até pior). Pelo menos eu sei da onde vem tanto drama! Ela é do tipo de pessoa que quando pensa em cair fala “meu Deus, quase cai, bati a cabeça na quina da calçada, entortei o pé, fraturei as costelas, abri a cabeça e tive que fazer uma cirurgia de emergência, ainda bem que eu reparei de última hora e desviei o lado”. JURO que ela já me disse essa frase no meio da rua, praticamente assistiu uma cena que não chegou a acontecer, tamanho o drama, reflitam. 
Enfim, eu estava com váárias ideias na cabeça sobre o post de hoje e eis que surge um drama maior querendo aparecer por aqui. Fui digitar o post no word e CADÊÊ o word funcionando? Se o pacote office vem no meu lindo notezinho, ele não deveria durar para sempre? Poxa, ele VEIO NO NOTE, nasceu no note, por que morrer no note? Eu não tenho código de acesso, senha, nada disso. Inclusive, cheguei a pesquisar no manual, mas nada me dá uma simples senha. Para salvar a minha vida, eu teria que comprar o pacote office com uma certa urgência ou achar o código de acesso em algum lugar imaginário que eles não me indicaram como chegar lá. 
O QUE EU FAÇO AGORA? E as minhas lindas planilhas??? Sou uma pessoa um pouco (leia-se muito) sistemática. Tenho uma planilha com meus livros, separada por nome, autor e ano de edição, planilha de dvds, CDs, com direito a observações do gênero “emprestei para quem? qual foi a data/já devolveu”. Elas são úteis na minha vida, fazem parte de mim, do meu ser, de quem eu sou. ♥ E agora, o Office não deixa eu ter acesso a elas? Como assim? Se fui eu que criei por que pagar por algo que criei? É meu filho, meu bebê, minhas planilhas, meus documentos, tudo MEU MEU MEU! Acho essa vida injusta, o Office querendo nos obrigar a fazer coisas que não estávamos pensando em fazer, querendo nos afastar do que é nosso – INJUSTO
Sei que muitas pessoas irão dizer que é preciso, que é uma taxa de serviço, que isso tudo é para melhorias. Para mim? Tudo blábláblá! Antigamente isso não existia e eu era feliz. Tinha as minhas planilhas, apenas isso. E agora? O office quer tirar essa alegria de mim, só posso visualizar, não posso alterar algo que eu mesma criei *mil lágrimas*. Ai o meu noivo diz “copia tudo e joga para o seu Google Drive”. Eu respiro, conto até 10 (para soltar um palavrão básico) e digo “meu querido, como? O Office está me bloqueando de copiar e colar, porque NEM isso eu tenho direito! ABSURDO“. E ele me diz “é amor, acho que você vai ter que refazer tudo no drive se não for atualizar o Office, se não, você terá visualização eterna apenas”. 
E com muito carinho eu troco de assunto, antes que eu resolva partir o meu note em pedacinhos, sendo que ele nem tem culpa da tragédia disso tudo. Vou tentar colocar os meus arquivos no pen drive, abrir no Office do meu trabalho e por lá salvar tudo no drive. Torcendo para este procedimento dar certo, porque se não der, é drama até o final do ano. E antes que vocês pensem que eu sou louca: não sou, juro para vocês que sou normal. Pelo menos tento, vida de publicitária não é fácil, publicitária sem Office ainda? Por favor, deem um desconto pra mim. Estou sofrendo hahaha! E claro, além do desconto, me desejem sorte com o meu procedimento amanhã. Tudo para o drive, Office nunca mais! ♥
Natália Purcino, 24 anos, publicitária, paulista, noiva do Ramon, mãe da cachorrinha Nina, ama sua família, amigos e Deus. Dona do blog Blog da Natz, que fala sobre os assuntos que mais ama: livros, música. filmes, séries, moda e mais uma infinidade de pensamentos aleatórios. 
*** 
E ainda acham que a vida de uma drama queen é fácil. Não é fácil não, gente! Boa sorte, Nat! Depois conta para a gente se deu certo. E participem da campanha: Office, para de palhaçada e libera as planilhas da nossa drama queen do dia! ;-) 
Lembrando que o Projeto Drama Queen é uma parceria entre o Pequena Jornalista e o blog Casos Acasos e Livros. Ah! E todos os textos têm uma dose extra de exagero. Quem quiser ler os outros texto, é só procurar na caixa de busca ao lado. Quer participar dessa seção do blog? É só mandar um e-mail para pequena.jornalista@gmail.com
Beijos,
Carol e Teca. 

22
19.02.2015
* Projeto Drama Queen: Minha unha, meu drama! #18 ♥
Se tem uma coisa que me deixa com ódiozinho no coração: é quebrar a minha unha. Mas quem dera que o drama queen da unha fosse só esse. Essa coisinha que faz parte dos nossos lindos dedinhos tem o poder de causar problemas terríveis. Nem ajeitando a coroa passa! Acho que até a Cleópatra era mais feliz nesse quesito “vaidade da unha”. Para provar que eu não estou mentindo e que é um desaforo quem chama esse draminha de tempestade no copo d´água, resolvi listar cinco situações que acontecem com quem valoriza o trabalho da manicure. Vamos lá? ;-)

Texto: 
Por Carol Daixum!
;-)

1. Quebrar a unha! 

Um dos terrores da vida de uma mulher. Eu sei, parece o drama queen mais fútil da vida. Mas é muito mais do que um simples draminha. Quebrar a unha significa ter que lixar todas as outras (uma cotoquinho e outra grande não rola). Sabe o trabalho que isso dá? E quando ela decide quebrar bem no meio. Dor é pouco para o que a gente sente. E cortar fica fora de cogitação, daí você tem que andar com um Band-Aid ridículo ou pior: colar com uma super bonder. Eu colo tudo, menos a unha. Ok, eu sei que a unha cresce. Mas até lá, o meu mundo já caiu e levantou mil vezes.

2. Borrar a unha! 
Você reserva um dia da semana sagrado para fazer a unha. Leva umas duas horas, usa finalmente aquele esmalte azul lindo e o que acontece quando você pisa em casa? Ela resolve BORRAR! Sabe o que isso significa? Significa que você não tem o esmalte da semana na sua casa, que você liga para o salão e a recepcionista fala que a agenda da sua manicure está lotada. Ai o que acontece? Você tenta ajeitar, passar um extra brilho e só piora a situação. O jeito é tacar a coroa bem longe, resmungar e deixar pra lá. Mas a partir de hoje eu vou sair do salão que nem um zumbi (com as mãos para frente) e vou ficar assim até o dia seguinte. E tenho dito! =D

3. É só um bife! 

Era ano novo. Eu estava louquinha atrás de um salão para passar a virada com a unha bonitinha. Encontrei! A recepcionista mandou eu sentar e lá veio a bruxa das unhas. Alicate daqui, alicate dali e.. Bife e sangue para tudo quanto é lado. Dói, gente! Dói muito! E quando passa aquele liquido transparente e ela fala “não vai arder nada”. NÃO VAI ARDER EM VOCÊ, NÉ??? A gente engole o choro e se segura para não falar nada, mas no final escuta: “ah, eu nem tirei tanto bife assim, vai”, Olha, a sorte desse ser é que eu sou muito educada. Se não, ela ia ver o poder de uma Drama Queen sem bife. A minha cutícula é muito fininha, qualquer coisinha machuca. As minhas manicures sofrem na minha mão, eu sei. Mas essa menina me traumatizou num grau! Daí, eu virei essa chatinha da cutícula fininha. Mas ainda bem que  Deus só coloca no meu caminho manicures pacientes. ♥

4. Isso é Glamour? 

Viajar é uma das melhores coisas do mundo! Mas o que acontecem com as unhas? Elas ficam podrinhas… ieiii! ;-( Nessa hora tem que desapegar, a não ser que você seja uma mestre, que não é o meu caso. Sou um desastre! Passar a base até que vai, mas na hora do esmalte, usar aquele palitinho com algodão. Nunca pensei que a minha unha pudesse ficar melhor sem nada. Quando você viaja durante uma semana, ok. Mas e quando você passa três meses? O glamour acaba, gente! Eu já admiro o trabalho da minha manicure, mas nessas horas a admiração só aumenta.

5. Você tem alergia a esmalte!


Foi uma das piores frases que eu escutei na vida. Olhar a minha unha pintadinha é uma alegria imensa. Me sinto mais bonita, arrumada e  limpinha. Tão bom ver a unha bonitinha, né? Acho que faz parte do cartão de visita. Daí, você vai alegre e contente na sua dermatologista falar sobre outras coisas, ela examina o seu olho e diz: ele está ressecado, acho que a sua alergia a esmalte voltou. E eu reclamando da unha quebrada! Claro que a gente continua fazendo a unha, tirando cutícula e tal. Mas e o esmalte? Esse é o meu maior drama queen das unhas, gente. Ainda bem que têm marcas lindas que entendem o nosso drama! Viva os esmaltes hipoalergênicas! ♥

***

E depois disso tudo a gente ainda tem que escutar “ah, é só uma unha”. A vida não é fácil, né dramáticas? Mas vocês não estão sozinhas! E viva o drama queen, de unha feita, por favor! ;-)

Lembrando que o Projeto Drama Queen é uma parceria entre o Pequena Jornalista e o blog Casos Acasos e Livros. Ah! E todos os textos têm uma dose extra de exagero e a intenção deles é fazer com que a gente olhe as nossas tempestades no copo d´água com muito bom humor. Ah! Você pode procurar os outros textos na caixa de busca ao lado. Quer participar dessa seção do blog? Mande um e-mail para pequena.jornalista@gmail.com. ♥

Beijos,
Carol. 


16
13.02.2015
* Os dramas de uma vida mais fitness e saudável – Projeto Drama Queen (Por Teca Machado) #17! ♥
Here comes the dramaaaaa!
O drama desse post é um muito atual nessa minha vida de noiva: Projeto
Casamento Sarada e Gostosa. Sim, queridos leitores dramáticos, eu estou
tentando mudar de vida e estou sofrendo amargamente com isso. É legal. Mas dói.
Mas é legal. Mas dói.
1º drama: Cortei refrigerante desde o dia 1º de janeiro. Não sou uma
louca viciada por Coca-Cola, mas gosto de tomar final de semana, quando saio
para restaurantes ou festas. Hoje, 40 dias depois, estou até acostumando, mas
os primeiros 20 dias foram cruéis.
Até sonhava com uma Coca geladinha delícia descendo pela minha
garganta no calor. Pior era o noivo tomando refrigerante NA MINHA CARA. Confesso
que eu quis enfiar a garrafa de plástico goela abaixo dele (Desculpa, amor, te
amo). A fase 1 da abstinência de qualquer coisa é complicada, deixa qualquer
Drama Queen não ajeitando a coroa, mas jogando ela do outro lado do quarto.
2º drama: Transformei o chocolate em chocolatinho, o doce em docinho.
Diferente da Coca-Cola que eu não sou verdadeiramente viciada, açúcar é o
combustível da minha felicidade suprema. Esse eu não posso cortar de jeito
nenhum. Se me perguntassem se eu preferia viver sem chocolate ou sem cabelo,
acho que ia comprar uma peruca na mesma hora.
Vi no Bem Estar (Porque trabalho de casa e assisto Ana Maria Braga,
Bem Estar e Encontro, haha) que se você é como eu maníaco por doce, mas quer
melhorar seus hábitos alimentares sem tirar da sua dieta essa delícia do
paraíso, tem que cortar pela metade a quantidade. Até o momento eu não matei
ninguém, então acho que estou sendo bem sucedida.
3º drama: CrossFit. É, gente, coloquei o CrossFit na minha vida e
agora não sei o que é viver sem dor. Cada aula é uma surpresa. Será que hoje vai
doer no abdômen, no bumbum, na panturrilha, no ombro, no pé, no bíceps ou no
fio de cabelo? Ou será que vai ser uma mistura de várias partes do corpo
doloridas? E o pior é que o professor fica gritando “Vocês são mulheres de aço
ou flores do campo?”. Querido, eu definitivamente sou uma flor do campo.
Fico suja, dolorida, cheia de roxos e estropiada, tem vez que eu não
consigo respirar fundo porque o abdômen está dolorido. Juro que tem dias que eu
acho que vou morrer de tanto esforço. No final das aulas e nos dias seguintes
pareço uma velhinha andando e gemendo. Mas no final das contas a sensação é
boa. Tudo bem que no momento da aula eu me pergunto o tempo todo “Por que eu
estou fazendo isso comigo mesma? Por queeeeeeee?”, mas enfim.
Aí enquanto eu sofro e penso em fazer uma desistência dramática no
melhor estilo jogando papel para cima e cantando “I really don’t care”, abro o
meu álbum de fotos do celular e vejo uma imagem da Miss Universo desse ano.
Olho para o corpo dela e falo para mim mesma: “Engole o drama pelo menos uma
vez na vida para tentar ficar remotamente parecida com isso”.
Então, leitores queridões, é muito drama tentando não virar drama no
Projeto Casamento Sarada e Gostosa. Mas estou resistindo e focada. Até o
momento não tive nenhum deslize.
Faltam só 156 dias de tortura, mas quem está contando?
Ajeita a coroa *.*
Teca Machado. 
Autora do romance chick lit I Love New York, Teca Machado é uma devoradora de livros e filmes desde 1988 (Ok, mentira, desde 1994, quando aprendeu a ler). Alguém que compra livros pela capa, chora até com propaganda de margarina, é apaixonada por trailers, tem gostos mais adolescentes do que meninas de 14 anos, sonha com dinossauros e com o Bon Jovi, dá risada de si mesma, canta alto e dança no carro e pretende ser autora de Best Sellers. ;-)  * Dona do Blog Casos Acasos & Livros
*** 
Oi, Meninas! Invadindo o post da Teca (Falando nisso, ela está fazendo niver hoje! Parabéns, friend! Muitos dramas engraçados para você!! ^^) para dar um recadinho: voltei de viagem e agora o blog volta ao normal. Inclusive, semana que vem volto a postar os textos do Projeto Drama Queen todas as quintas, ok?Ah! Para quem não sabe, o Projeto Drama Queen é uma parceria entre o Pequena Jornalista e o blog Casos Acasos e Livros, no qual falamos sobre os dramas da vida com muito
bom humor e exagero. Você pode procurar os outros textos na caixa de busca ao
lado. Quer fazer uma participação especial? Escreva-nos: pequena.jornalista@gmail.com. ;-) 
Beijocas, 
Carol. 

2

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017