11.06.2015
* PJ Leu: Todos os outros da série Becky Bloom! ♥
Uma das minhas metas literárias desse ano era terminar de ler os quatro últimos livros da série Becky Bloom (a nossa consumista número um do mundinho literário). Dito e feito! Terminei todos e estou mega ansiosa pelo sétimo, que será lançado em setembro na Bienal do Livro, com a presença da autora Sophie Kinsella. ♥ Para o assunto não ficar muito repetitivo aqui no blog, resolvi fazer um post com a sinopse e o que eu achei de cada um. Vamos lá? Segurem o dinheiro e boa leitura. ;-) 
PJ Leu: 
Os quatro últimos livros da série “Becky Bloom”!
Livro: As listas de casamento de Becky Bloom (terceiro livro)
Sinopse: Becky Bloom está em sua terceira aventura consumista. Mas não aprendeu, ainda, a controlar seu cartão de crédito. Por sorte arrumou um bom emprego e tem como namorado o fofo do Luke, que acabou se acostumando com sua compulsão por compras. As coisas parecem bem, até que Becky fica noiva. Perfeito. Sua mãe imediatamente começa a organizar a festa, na Inglaterra. Mas a bruxa da sogra, entra em ação e põe na cabeça da Becky que ela pode ter o casamento dos sonhos. Mas em Nova York. Uma festa cinematográfica no melhor hotel. Claro que os olhos dela brilham e Becky se empolga. Só que ela esquece de um pequeno detalhe: contar à mãe que mudou de ideia. Ou seja? Lá vem problema: duas festas de casamento marcadas com o mesmo noivo, para o mesmo dia e em continentes diferentes. 
Minha Opinião: De todos, foi o que menos gostei. A leitura é divertida, prende atenção, mas um pouco cansativa. Eu acho que não precisava enrolar tanto para o fim, que na minha opinião, deixou a desejar. Esperava uma solução diferente para o problema que a Becky criou, sabem? Porém, independente disso, acho que vale embarcar na história. Rende muitas risadas! ♥
Livro: A irmã de Becky Bloom (quarto livro)
Sinopse: Becky achou que casar com Luke seria o casamento dos sonhos. Porém, viu que a realidade é muito mais dura. O problema começou na lua de mel, quando contou uma mentirinha boba a Luke, sobre uma compra de nada. Agora ela está com o orçamento contado, não tem emprego e o pior de tudo: sua amiga Suze tem uma nova “melhor amiga”. Becky está na maior deprê quando de repente recebe uma notícia: tem uma irmã!!! Como assim??? Isso mesmo! Becky fica mega empolgada. Finalmente uma irmã para compartilhar tudo, passear no shopping…. Só que tem um porém: sua irmãzinha odeia o verbo “comprar” e tudo que tem a ver com esse mundinho consumista. 
Minha Opinião: Diferente do anterior, amei esse livro. A leitura flui que é uma beleza e a gente ri muito com as armações da Becky, a mudança de comportamento dela e tal. Acho que ela realmente amadurece. Mas sem deixar a essência de lado (óbvio). Algumas partes eu odiei a Jess (a irmã) profundamente. Enquanto a Becky é muito, ela é nada, sabem? Mas no final a gente vê um certo equilíbrio e passa a querer uma irmã igualzinha (er… quer dizer.. mais ou menos hahaha). E no final: uma surpresa linda que vai mudar a vida de todos os personagens para a melhor (ou não, depende do ponto de vista hahaha). ♥

Livro: O chá-de-bebê de Becky Bloom (quinto livro)
Sinopse: A vida de Becky não poderia estar melhor: um novo emprego, uma futura casa perfeita, um marido incrível (família e amigos também) e um baby. Isso mesmo: um bebê! Nada poderia estragar esse momento incrível, né? Errado! Becky cisma com uma obstetra famosa, só que a tal da médica é ex-namorada do Luke. Confusão na certa, já que a fulaninha mostra que o sentimento pelo marido da Becky não morreu. Só que nossa futura mamãe não deixa barato, mesmo com tudo desmoronando. 
Minha Opinião: Muito comédia o livro, gente! Apoiei (quase) todas as armações da Becky e deu vontade de mandar aquela “médicazinha” catar coquinho na ladeira (pra não dizer outra coisa). Ô mulher vaca (desculpem o termo hahaha). E quase levei um susto com as atitudes do Luke. Mas o mundinho é uma caixa de surpresas e esse livro também. Adorei o final! ♥

Livro: Mini Becky Bloom – Tal mãe, tal filha (sexto livro)
Sinopse: Becky agora tem uma mini companheirinha (inclusive de compras): sua filha Minnie, de 2 anos. Um anjinho que dá um trabalhão e deixa todo mundo louco. Além de ter que lidar com o temperamento nada fácil da Minnie, Becky precisa encontrar um lar para sair da casa dos pais, convencer o Luke de ter mais um filho e enfrentar uma grande crise financeira. Todos estão cortando gastos, inclusive seus clientes na The Look (emprego da Becky). Para reduzir as despesas, Becky faz uma promessa: não comprar nada até usar todos os itens do seu armário pelo menos umas três vezes. E o que ela faz para diminuir a tensão de todos? Arma uma festa surpresa para comemorar o aniversário do Luke, mas vai descobrir que a tensão vai aumentar ainda mais. 
Minha Opinião: Para variar, a leitura é mega divertida. O nome do livro é bem legal, mas não combina tanto com a história, já que o foco não é a filha deles. A Minnie até tem destaque, mas esperava mais. Porém, vale embarcar. Becky continua com aquelas ideias mirabolantes, armando altas confusões e, no final, até nós leitores assíduos somos surpreendidos. A babá é estilo Nanny e mostra quem (não) está agindo da melhor forma. Não sinto mais tanta raiva da mãe do Luke e, apesar do nome (não que seja feio, mas esperava outro), a Minnie é uma fofura. Imagino a mini Becky roubando os produtos de beleza da mãe, sapatos e tudo que for desse mundinho fashion e consumista. Queria tanto um filme mostrando essa parte da história. Quem sabe, né? ♥
*** 
Prontinho, gente! ;-) Só queria falar uma coisinha que me incomodou muito nesses livros: errinhos de português nada a ver. Claro que todo mundo erra, mas acho que a revisão deixou a desejar. Não sei se isso acontece em todas as edições ou se a pequena aqui que não teve muita sorte hehehe. 
Mas vamos falar de coisa boa, né? Queria ressaltar que em setembro, na Bienal do Livro, a autora Sophie Kinsella vai marcar presença (uhul o/) e lançar o mais novo livro da série. Se eu não me engano, a nova aventura da Becky será em Hollywood. Mega ansiosa!!! 
Agora eu quero saber: já leu? Conta o que achou! Ainda não? Corre, que vale a pena! ♥ Ah! Quem quiser ler a resenha do segundo livro da série é só clicar aqui
Beijos, 
Carol. 

8
12.12.2014
* PJ Leu: Becky Bloom – Os delírios de consumo na 5ª avenida! ♥
Oi, Gente! ;-)
E a dica literária da semana é para quem adora a personagem Becky Bloom, a consumista nº 1 do mundo dos livros. Terminei há pouco tempo, o livro Becky Bloom – Os delírios de consumo na 5ª avenida, da autora Sophie Kinsella. Para quem não sabe, esse é o segundo da série, que tem seis livros. 
Neste segundo livro, as contas da nossa protagonista foram equacionadas e ela ainda ganhou um quadro em um programa de TV e um lindo namorado. Porém, o seu lado consumista em excesso teima em atacar e incomodá-la com novos problemas. Dessa vez, do outro lado do Atlântico. Tudo está aparentemente normal, até que Luke, seu namorado, vai trabalhar em Nova York e resolve levá-la. Chegando lá, Becky dá de cara com vitrines, liquidações e pontas de estoque nova-iorquinas. E, claro, que rolam várias milhões de compras e, consequentemente, infinitas dívidas no cartão de crédito. Novas versões do mesmo problema, só que dessa vez, bem mais graves. E com consequências piores: ela perde o programa, nenhuma outra emissora aceita contratá-la depois do escândalo, fica sem namorado e  sem crédito. Mas Becky conta com o seu bom humor para superar! ♥
Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
;-) 
Sou suspeita, pois a Becky realmente é uma das minhas personagens preferidas do mundo literário. Eu li o primeiro livro da série há séculos. Então, não lembro de tudo nos mínimos detalhes, sabem? Mas tenho quase certeza que o roteiro do filme foi inspirado também no segundo livro (não sei se isso é óbvio, mas se for, desculpa hahaha). Adorei a história e ri muito com a protagonista. Fiquei com raivinha do Luke quando as coisas começaram a dar errado, mas depois suspirei muito por ele. Será que se eu comprar uma echarpe verde minha vida amorosa muda? Hahaha #brincadeirinha ;p! Achei a Becky mais madura, principalmente na hora do aperto, mas sem perder a essência maluquinha, sabe? Me identifiquei com ela arrumando a mala e quis um gerente de banco igual ao Derek Smeath (neste livro, ele é bem legal, principalmente, no final). Aliás, nunca vi o Derek como vilão, ele só fez o papel dele, né? O novo gerente que é um grosso. Enfim, gostei do rumo que a vida dela deu e acho que algumas fases catastróficas são fundamentais para a gente não se acomodar e para escolher o caminho que realmente vai nos proporcionar a tal da felicidade. Ah! E que o bom humor é muito importante mesmo. Tirando isso, os pais da Becky continuam fofos, a Suze também continua sendo uma boa amiga e o Michael (que trabalha com o Luke) é um conselheiro incrível. ;-) 
Ah! O livro nem precisava ser tão longo, mas valeu mesmo assim. Entrou na minha listinha de livros e filmes que me ajudam a refletir sobre a vida, principalmente a profissional. Para alguns pode até parecer uma história fútil, mas o livro vai além e a gente pode tirar lições valiosas. Depois do capítulo 13 então, nem se fala. E fora que a gente morre de rir. Os próximos da série já estão lá em casa para eu ler no próximo ano. E para quem só assistiu ao filme e/ou só leu o primeiro, seguem os nomes de todos dessa série. 
Na ordem: Os delírios de consumo de Becky Bloom, Becky Bloom – Delírios de consumo na 5ª avenida, As listas de casamento de Becky Bloom, A irmã de Becky Bloom, O chá-de-bebê de Becky Bloom e Mini Becky Bloom – Tal mãe, Tal Filha. ;-)
Quem já leu, pode opinar à vontade. Quem não leu, superindico! ♥
Um beijo,
Carol. 
P.S: crédito da 1ª imagem – Pequena Jornalista / crédito da montagem – Pequena Jornalista (fotos dos livros do site da Saraiva). ;-). 

P.S (2): Na próxima semana eu coloco mais uma edição do diário de viagem, ok? Essa semana eu não consegui. ;-)

18
25.10.2014
* PJ Leu: Drinques para Três! ♥
Oi, Gente! 
E a dica literária do dia é Drinques para Três, da autora Madeleine Wickham, mas conhecida por seu pseudônimo Sophie Kinsella. O livro conta a história de três amigas: Roxanne, Maggie e Candice. No primeiro dia de todo mês, as três se encontram no Manhattan Bar para fofocar sobre a rotina do trabalho na revista Londoner e conversar sobre tudo o que acontece em suas vidas. Quer dizer, quase tudo, pois todas escondem grandes segredos. ♥

Por exemplo, Maggie é uma editora bem-sucedida, ela e o marido acabaram de se mudar para uma linda casa de campo. Tudo parece feliz e dentro dos eixos, mas por trás disso há uma mulher que esconde uma grande insegurança: a maternidade. Já Roxanne é a mais bem-resolvida do grupo. Trabalha como freelancer viajando pelo mundo para escrever matérias e mantém um relacionamento de anos com o “Sr. Casado com filhos”. 
Candice é uma jovem doce, com um grande talento para a escrita. Em uma noite no bar, ela reconhece uma das garçonetes, Heather, sua amiga na infância. E esse encontro traz à tona algo que ela julgava ter ficado no passado. Motivada a recompensar Heather por uma injustiça cometida pelo seu pai, Candice decide ajudá-la arrumar um bom emprego, chamá-la para morar em sua casa (totalmente de graça), entre outras coisas. Porém, ela não imagina que essas atitudes podem resultar em sérias consequências, como abalar para sempre a amizade do trio.
Livro: Drinques para Três
Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
*Crédito da Foto: Pequena Jornalista
Quando eu li a sinopse, jurava que a minha personagem preferida seria a Candice. Porém, achei ela bem burrinha e um pouco patética. Imagino a culpa que ela carregou durante anos, mas tudo tem limite. O romance que ela vive foi mega esperado por mim, mas quando finalmente aconteceu não gostei do desenrolar da história não. Sobre a Heather, a minha antipatia só não foi maior porque eu odiei a Candice. Entretanto, o final dela foi irritante. Mas comparando com o mundo real, infelizmente coisas assim acontecem o tempo todo. 
A Roxanne é a prova viva que por trás de toda segurança e tal, sempre tem algum segredinho, tipo uma defesa, sabem? Um sentimento que a pessoa foge mesmo. Achei bem interessante o desfecho que a autora deu para ela e para o “Sr, Casado com filhos”. Aliás, desconfiei de vários caras, mas passei longe. Ah! E eu senti uma invejinha da vida dela de “sou freelancer, viajo pelo mundo e ainda ganho para escrever sobre isso, chupem essa manga”. Nada mal, né? 
Me surpreendi muito com a Maggie. Adoraria ser amiga dela na vida real e tomar uns bons drinques. Acho que quando eu engravidar, vou sentir na pele essas inseguranças. Mas que mãe de primeira viagem não sente, né? Em relação ao marido dela, no começo rolou uma raivinha e desconfiei dele, mas depois me apaixonei por ele e, claro, pela baby. A sogra me irritou e achei ela muito sem noção, porém depois entendi as atitudes dela. Acho que é a sogra que eu pedi a Deus hahaha. Enfim, são os meus personagens preferidos do livro. ♥
Gente, Drinques para Três não é o meu livro preferido. Mas também não é o pior do mundo! Alguns capítulos são bem chatinhos, mas outros são bonitinhos. No final, rola uma lição bem bacana sobre amizade. Enfim, uma ótima distração para o fim de semana. 
Podem opinar à vontade! ^^
Um beijo, 
Carol. 
Todo mundo  já curtiu a Fan Page do blog? 
Podem sugerir, criticar e por aí vai! 
Ainda não curte? Clica, clica! ♥

3

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017