10.08.2015
* Contém (vários) dramas! – Projeto Drama Queen #41! ♥
Eu tenho inúmeras listas na minha vidinha. Sejam elas imaginárias ou reais. Lista de metas, de livros, do que eu tenho que fazer em cada dia da semana e, claro, uma de dramas peculiares. Tenho uma reputação a zelar, né? Então, resolvi revelar alguns itens dessa lista negra. E chega de mimi, que já vai ter muito mimi a seguir. Boa sorte… Quer dizer: bom post! ;)

Post Drama Queen - #41

 

(Por Carol Daixum ♥)

1. Acordar atrasada. 
Quem foi o bocó que inventou a tal da soneca, hein? Gente, meu cérebro fica todo confuso. Cinco minutinhos? Hahaha… Ele não entende o que isso significa. E quanto mais a tal da soneca aparecer, mas o meu dedinho vai mandar ela calar a boca e acabar com a raça dela. Resumo da ópera: acordo mais atrasada que o Rubinho Barrichello, desesperada, xingando o pobre do despertador e a minha vontade é de voltar a noite anterior e cumprir a meta: hoje vou dormir cedo.

2. Hoje vou dormir cedo. 
Hahaha. Mais um item para listinha de coisas que meu cérebro não entende. Culpa da droga do celular e da rotina que ele criou na minha vida: Face, Insta, Whatsapp, Twitter, Youtube, E-mail (repete a sequência um milhão de vezes). Ai quando eu vejo: só mais duas horinhas de sono e olhe lá. Mas quando finalmente consigo cumprir a minha promessa de capotar cedinho, o que acontece? Ahá! Nada adiantou. Só piorou a minha situação: meu sono, meu cansaço aumentam mais do que sei lá o quê. Fico sonolenta o dia todo e com raiva da promessa idiota que eu fiz e prometo nunca mais prometer dormir cedo. Mas é claro que funciona.

3. Palavrinha macabra: corretivo!
Acordei, sem muito atraso. Por incrível que pareça, visto a primeira roupa que escolhi e gostei. Mas olho a minha olheira e a raiva já domina meu corpo. Pego o corretivo, dou batidinhas nele e nada muda a situação. Entra produto no meu olho, começo a lacrimejar, faz uma lambança e nem Camila Coelho daria jeito. Fernando Torquato já teria desistido da vida. Vou para a academia (não me julguem, tento não malhar de cara lavada e é isso aí), encontro aquele carinha lindo. Ele me olha e fala: aconteceu alguma coisa? Tá meio abatida. #OBRIGADAOLHEIRAPORACABARCOMAMINHAVIDAAMOROSA.

4. Fantasminha Queen 
Finalmente fiz uma maquiagem linda (na minha humilde opinião). Vou para o restaurante encontrar as minhas amigas e escuto: tá tudo bem? tá pálida. OIII??? Gente, será que nem um raio de um blush eu sei passar? O que acontece? Poxa, acho que preferia escutar “levou chinelada na cara?” do que “está parecendo um fantasminha”. #toaquighostbusters “/

5. Qual é a música? 
Sabem aquele aplicativo Shazam para descobrir a música que está tocando na rádio, na novela, no filme, no seriado, no comercial e por aí vai? SERVE PRA NADA!! Quase sempre me deixa na mão. Estou lá assistindo filminho no cine. Várias músicas perfeitas. Quero preparar um post com as minhas preferidas. Ai eu fico que nem uma palhaça com telefone apontado para a tela, perdendo a cena que está rolando. Fico batendo na tela várias vezes e só vejo a mensagem que o app não está identificando a música. Ou seja? Já era post, já era filme e perdi a música da MINHA VIDA!!! #valeushazam. :(

****

Claro que a lista é infinita, gente. Meus draminhas particulares dariam mil posts. Mas quem sabe não rola uma segunda edição com os da Teca e de vocês? Contem aí nos comentários uma coisa que te faz tacar longe a coroa e ninguém entende. Todo mundo tem. Todo mundo, né? Pelo amor de Deus, digam que sim. ;´D Hoje eu estou toda trabalhada no drama (mais do que o normal) hahaha!

Ah! Só para esclarecer: sei passar maquiagem sim e até a Vic, do Dia de Beauté, ia ficar com invejinha. E o shazam é o aplicativo mais amado por mim. Como você sabem, todos os textos do Projeto Drama Queen (uma parceria entre o PJ e o blog Casos, Acasos e Livros) são inspirados na vida real, mas com uma dose extra de exagero. ;-) Quer mandar o seu drama marcante para a gente? Anota aí: projetodramaqueen@gmail.com. E não esqueçam de curtir a nossa Fan Page.

Ahhh!! Eu sei, hoje não é dia de post do Projeto, mas é que eu fiquei atolada semana passada e não consegui postar. ;-)

Beijos,
Carol.


19
25.07.2015
* Um caso de amor: A gravidade e eu – Projeto Drama Queen #40 (Por Teca Machado)! ♥
Vivo um drama amoroso eterno: Tenho um caso de amor muito forte desde que nasci. Eu e a lei da gravidade somos inseparáveis. Eu sei, todos nós somos inseparáveis dela, só que ela me ama mais do que eu a amo, por isso ela força a barra e sempre usa os seus poderes (do mal) contra mim. Ela faz com que eu beije o chão ou que objetos (bolas, livros, mangas…) caiam em cima de mim, só para mostrar quem manda. 
Por Teca Machado

Quem me conhece ao vivo provavelmente já me viu cair uma, duas, cinco, quinze vezes. É normal ou estar de boca ou bumbum no chão. Roxos? São recorrentes. Cicatrizes? Tenho várias (Algumas incomuns, feitas por massinha de modelar queimada. Falei sobre essa bizarrice aqui). A minha sorte é que eu não fico marcada por muito tempo, senão seria um retalho ambulante, não apenas um desastre ambulante.
Tenho tantas histórias sobre isso que eu nem sei por qual começar… 
Há exatamente um ano me estribuchei de quatro no asfalto pelando de meio-dia. Nunca me esfolei tanto de uma vez só. Meus dois joelhos ficaram arrasados, parecia que eu tinha passado um ralador de queijo nos pobres coitados. Ainda estou com as marcas para mostrar para vocês (Comentei mais sobre esse desastre aqui).
Há também o problema de que eu moro numa casa com escadas há 23 anos e despenco pelos seus degraus pelo menos uma vez por semana, só para não perder o costume. A minha mãe nem se preocupa mais. Se eu estou viva e não quebrei nada, para ela está tudo bem.
Quando tinha 10 anos, estava num aniversário brincando numa escadaria (É claro que isso não ia dar certo). Rolei 36465382 degraus, machuquei e destronquei o braço, mas a única coisa que eu consegui falar para a minha irmã quando ela me acudiu foi: 
– Nana, a minha calcinha apareceu?
– Sim…
– BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ (Durante três horas, mais ou menos).
Uma vez eu estava na frente do computador gravando um arquivo de som com uma piada. Como sempre, estava me equilibrando apenas nas duas pernas traseiras da cadeira. No meio da fala, despenquei com tudo para trás, me estabaquei no chão e a piada ficou sem fim. Num segundo estou lá, toda empolgada me achando a engraçada, e, de repente você escuta “AAAAAh! POF…” e um silêncio mortal. Depois de uns 20 segundos um “Ai” choroso e o arquivo para (Algum dos meus amigos ainda tem isso no computador para me mandar?).
E, como eu nunca aprendo a lição, há um tempo estava no trabalho fazendo isso com a minha cadeira e o mesmo aconteceu, fui com tudo para trás. Puxei a gavetinha do teclado, que voou e espalhou letrinhas por toda sala. O copo de água que estava na mesa caiu na minha cara. O meu sapato, que estava desencaixado do pé, foi parar perto da porta. Foi aquele silêncio geral de “Morreu?” até que eu comecei a rir igual uma louca, tanto que nem conseguia levantar.
Tenho tombos históricos! E o pior é que na maioria das vezes que isso acontece estou de vestido. Já cai de boca na escada da igreja, com um monte de gente descendo atrás de mim e todo mundo viu a minha calcinha. Também tropecei na escada principal do shopping e saí rolando até ela acabar. Numa viagem com um grupo de amigos para um congresso, eu e uma amiga saímos correndo para pegar o ônibus da excursão e derrapamos juntas no chão de poeira vermelha.
Se fosse contar todas as minhas tragédias e casos de amor com o chão, ia escrever umas dez páginas. Outro dia eu conto das vezes que meti a cara em placas e estátuas e de objetos que vêm em alta velocidade na minha direção (Principalmente na cabeça).
E sabe o que é o mais engraçado de tudo? Apesar de viver caindo, eu NUNCA quebrei nenhum osso. Sou o Wolverine! Haha.
***
Gostou do post? Tem vários outros no tema do Projeto Drama Queen. É só procurar na caixa de busca aqui do lado. Esses textos dramáticos fazem parte de uma parceria entre Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista. Toda quinta-feira tem um relato novo. Quer participar? Mande uma contribuição para projetodramaqueen@gmail.com.
Teca “Desastre” Machado. 

4
21.07.2015
* Frases dramáticas – Parte 2 – Projeto Drama Queen #39! ♥
Semana retrasada a Teca listou aqui cinco frases que toda Drama Queen fala ou falou, pelo menos, uma vez na vida! E como a gente tem milhões de bordões exclusivos, claro que tinha de ter mais um post sobre o assunto, né? Então, vamos lá! Que taque a primeira coroa quem nunca “recitou” essas palavrinhas! ;-)
Por Carol Daixum

1. Ninguém me entende!
Não tem jeito. Na hora do drama, por mais que no fundinho a gente saiba que a pessoa está realmente exercitando a paciência dela na hora do nosso show extra, a sensação é sempre a mesma: ninguém entende o que a gente está sentindo. Ninguém! É muita “sofrência” para um coração só.
2. Nada dá certo na minha vida!
Época de TPM então… Tudo dá errado! Tudo, tudinho! Você acorda atrasada, no lugar do seu cabelo tem uma juba, nenhuma roupa fica legal, ninguém te responde na hora que você quer, o seu sorvete preferido está em falta e o chocolate também. O seu celular pifa, o computador dá pane e o seu chefe resolve implicar com você! Ai na hora que você ia deitar para relaxar e esquecer o dia “péssimo” e está louca para ler um livro… A lâmpada do seu quarto queima!
3. Nunca mais falo com ele!
Isso aí! Nunca mais e nem adianta implorar, queridinho! Perdeu, playboy. PERDEU!!! Uma hora depois: cadê esse desgraçado que não fala comigo? Ai, vou mandar um oi, vai que a mensagem dele não chegou pra mim? Minha operadora é péssima!
4. Não sei decidir!
Muitos dramas não existiriam se a gente soubesse decidir. Entre uma cor de esmalte ou outra, um vestido ou uma saia, um livro de romance ou de suspense, festa ou viagem! Quem inventou isso de que toda escolha tem que ter uma renúncia: na boa, vai catar coquinho na ladeira. A vida é muito curta para ficar entre um ou outro. Deixa a gente ficar com as duas opções e pronto. Os dramas diminuiriam uns 30%! :-)
5. EU NÃO ESTOU FAZENDO DRAMA!
Tudo que a gente fala parece que é drama. Um espirro e pronto: “ai, para de draminha”. Olho o celular: “calma, ele vai ligar”. Gente, só estou olhando a hora! Não posso nem deixar uma lágrima cair em paz, que pronto! Às vezes eu faço drama, eu sei. Mas às vezes é só a minha sensibilidade.  E as duas coisas são completamente diferentes. Não sou dramática 24h por dia! Que saco!
***
Se identificou com alguma? Vem cá, dá um abraço! Tem alguma frase que você fala muito no seu dia a dia? Conta pra gente, que com certeza compartilhamos das mesmas palavras hahaha! Desabafa ai, gente! ;-)
Lembrando que o Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Pequena Jornalista e Casos, Acasos e Livros. Quer dividir com a gente um draminha? Manda um e-mail com um relato, que vamos adorar: projetodramaqueen@gmail.com ;-)! Ah! Não esqueçam de curtir a Fan Page mais dramática do mundo.
Ah! Geralmente essa coluna entra nas quintas, mas eu viajei (casamento da Teca uhuulll o/) e não consegui publicar antes. To perdoada? ;))
Beijos,
Carol. 

6
09.07.2015
* Frases Dramáticas – Projeto Drama Queen #38 – Parte 1 (Por Teca Machado)! ♥
Drama Queens que são Drama Queens de verdade têm algumas frases padrão para os horrores da vida. Você sabe quais são elas? Aviso: Se você fala pelo menos 3 de 5 você pode se considerar uma Drama Queen de primeira categoria.
Por Teca Machado

1- “Eu não tenho roupa!”
Ah, minha querida! Que mulher nunca soltou uma dessas quando estava para sair, mesmo com o armário abarrotado e cuspindo roupas para fora. Você sempre tem a sensação de que nenhuma é adequada para a ocasião, seja ela um casamento, seja ela uma ida para a padaria.
2- “Por que ele não me ama?”
Sim, essa é uma frase padrão Drama Queen e nem precisa ter um alto grau dramático para soltar ela de vez em quando. Já perdi as contas de quantas vezes falei isso durante a minha vida, principalmente na adolescência.
3- “Eu, definitivamente, vou morrer sozinha.”
Que Drama Queen nunca se sentiu abandonada pelo namorado, pela família, pelos amigos, pelo cachorro, pela sociedade em geral? Achar que irá morrer sozinha, sendo a tia velha dona de 28 gatos e que vai ter o seu corpo descoberto apenas três semanas depois da morte porque ninguém se deu ao trabalho de conferir se você estava bem é um pensamento quase normal entre nós.
4- “Nunca chorei tanto na minha vida.”
A cada decepção, coração partido ou mesmo propaganda de margarina você se debulha em lágrimas, mas sempre acha que dessa vez foi pior do que a anterior. Não, não foi. O problema é que o seu canal lacrimal veio com defeito e ele tem vida própria, então não dá para controlar a enxurrada. Mas, não se preocupe, você já chorou mais antes.
5- “Eu estou horrível! Olha o tamanho dessa espinha/barriga/olheira/qualquer outro aspecto físico que você não gosta.”
As Drama Queens sempre acham que qualquer defeitinho, qualquer aspecto negativo do corpo tem um sinal luminoso apontando para ele escrito “Olhe para mim!”. Mas saiba que não tem, então provavelmente ninguém reparou que você tem 3 ml de gordura na barriga ou uma espinha no cantinho do nariz.
*** 
Confessa, vai! Você já falou algumas dessas frases, não falou? Então, junte-se a nós, você é uma Drama Queen! Quais outras você acrescentaria na lista de frases dramáticas?
O Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista. Todas as quintas-feiras têm um texto bem dramático cheio de exagero e bom humor sobre os dramas da vida. Mande o seu relato para o Projeto no e-mail projetodramaqueen@gmail.com e não se esqueça de curtir aqui a nossa página no Facebook. ♥
Beijos,
Teca Machado. 

3
02.07.2015
* Um drama chamado: processo seletivo! – Projeto Drama Queen #37! ♥
Procurar trabalho já é um drama, participar de um processo seletivo então… Nem se fala! 
Quem inventou essa história de entrevista de emprego e aquelas perguntas do tipo “qual é o seu animal preferido?”, sabia bem o significado da palavra “tortura“. E o inventor nunca tinha ficado desempregado na vida. E tudo deve ter sido bem fácil pra ele. Porque a pessoa não tem coração e nem piedade. É muita maldade, gente! Dá não!

Por Carol Daixum
Não tem como não ficar nervosa, mesmo que você seja a pessoa mais calma do mundo e tome mil calmantes (brincadeirinha). Eu até tento ficar zen, mas o nervosismo toma conta assim que eu desligo o telefone com a funcionária da tal empresa que entrou em contato comigo. Funciona assim: primeiro fico mega feliz! Afinal, alguém viu meu currículo! Ai depois fico imaginando o meu dia a dia no trabalho, as roupas que eu preciso comprar e ligo para a minha mãe e irmã contando. Depois bate um nervosinho: e se eles mandarem eu escrever uma redação de 30 linhas sobre a questão política do país? Ok, eu sei falar sobre o assunto. Mas a situação muda completamente quando você está sendo observada a cada piscada. É diferente escrever quando o emprego já é seu, né? Ou seja, já penso: nem fui contratada e já vou ser demitida. Ai para finalizar, vem a sua irmã e fala: não vai perder a hora, coloca mil despertadores. Gente, nem consigo dormir, porque eu tenho pesadelo achando que vou perder a hora, que perdi a oportunidade da minha vida e nossa… É muita pressão! 
Segunda parte: a roupa e maquiagem! Como a pessoa marca com você às 8 da manhã e te espera linda e sem nenhuma olheira? Sério, dá não. Ainda mais que na parte da manhã parece que os seus produtinhos de beleza não funcionam e a roupa que ficou ótima no dia anterior, resolveu te deixar estranha e com cara de criança. Quando dá tudo certo, você conseguiu pegar o ônibus, chegar num horário bom, a recepcionista pede para você aguardar um pouquinho. Mas só te recebem duas horas depois. Claro, acontece. Ainda mais com esse trânsito caótico e a correria do dia a dia. Mas, desculpa a sinceridade, tem empresa que abusa, gente! Posso até não ser mais contratada, mas acho que o respeito tem que ser dos dois lados. Tanto do candidato quanto do recrutador. Mas a gente respira fundo e fica lendo livro na salinha de espera. Ou sendo fuzilada pelos seus concorrentes. Que te analisam mais do que a pessoa que vai te entrevistar. 
Aí finalmente te chamam e perguntam: você veio para a vaga de analista de sistema? OIII??? Não, eu sou jornalista e, apesar de respeitar muito esse profissional, não faço a mínima ideia quais são as funções dele. Daí, a pessoa te pergunta: não te informaram a vaga? Ai você responde: não, só falaram que era para parte de comunicação. Então, ela pede mil desculpas e fala que te informaram errado. Mas que se tiver vaga nessa área, seu currículo já está cadastrado na empresa. Ou seja, todo sofrimento a toa. Porém, quando você menos espera te ligam de outra empresa para uma área que você sempre sonhou: redação de uma revista feminina. ♥
O processo é o mesmo. Tudo dá certo, a entrevista ocorre bem, você se sente segura e confiante. Ai falam que vão entrar em contato, porém não te falam o dia exato. Então, a ansiedade toma conta mais ainda. Passou um mês e nada da resposta e nem de responderem seu e-mail que você pergunta sutilmente “e aí?”. Nesse meio tempo, pintou outra vaga de emprego. Você passou. Não era bem o que você queria, mas do jeito que as coisas estão difíceis. Ai na sua primeira semana de trabalho, seu celular toca: é a chefe de redação da revista perguntando se você pode começar na segunda…. Ou seja??? Senta e chora!!! ;’D
*** 
Processo seletivo? Quando eu tiver a minha empresa, vou mudar esse esquema. hahaha ;-) Lembrando que sempre tem uma dose de exagero esses textos. Ok, pessoal do RH? Não me importo com atraso, de escrever uma redação (mesmo tensa hahaha) e por aí vai rsrsrs! ♥ As histórias sempre são baseadas na minha vidinha, porém a maioria dos detalhes é “fruto da minha imaginação“. 
Vale lembrar que o Projeto Drama Queen é uma parceria entre o Pequena Jornalista e o blog Casos, Acasos e Livros. E se você quiser sugerir um tema dramático ou mandar o seu relato, fique à vontade. Só mandar um e-mail para: projetodramaqueen@gmail.com ;-)!! 
Beijo, 
Carol. 

2

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017