15.03.2015
* Para pensar: Geração amar de menos! ♥
“Obsessão e descontrole são doenças sérias e merecem respeito e tratamento, mas batizar isso de ‘amar demais’ é uma romantização e um desserviço às mulheres e aos homens. Fica implícito que amar tem medida, que amar tem limite, quando na verdade amar nunca é demais. O que existe são mulheres e homens que têm baixa auto-estima, que têm níveis exagerados de insegurança e que não sabem a diferença entre amor e possessão. E têm aqueles que são apenas ciumentos e desconfiados, tornando-se chatos demais.
Mas se todo mundo concorda que uma patologia pode ser batizada de “amor demais”, então eu vou fundar As Mulheres que Amam de Menos, porque, pelo visto, quem é calma, quem não invade a privacidade do outro e quem confia na pessoa que escolheu para viver também está doente.”
(Por Martha Medeiros)
Eu não sou uma expert em relacionamentos amorosos. Não mesmo! Geralmente os meus sempre vão para o espaço e eu nem sei o motivo. Mas através de pequenos tapas na cara que a vida me deu, espero do fundo do meu coração que eu faça parte da geração As Mulheres que Amam de Menos e que o meu futuro príncipe da vida real faça parte do grupo Os Homens que Amam de Menos. Para mim, não existe nada mais romântico e bonito do que um casal que, acima de tudo, respeita um ao outro. E quando eu digo respeito, falo no geral. Para mim, não adianta nada o cara me amar “mais que tudo”, se não confia em mim. Se não respeita a minha privacidade e por aí vai. Claro, que nada é perfeito. Uma vez ou outra vai rolar uma desconfiança, um ciúme e uma insegurança. Mas nessas horas, espero sempre escolher conversar com ele e não ficar remoendo o que me despertou todas essas sensações ruins (espero o mesmo dele). Enfim, que assim seja! ;-)
Ah! Lembrando que essa é a minha opinião e não uma regra. Não existe o certo e o errado e, sim, o que deixa você mais leve e feliz.
Podem opinar à vontade, ok? ♥
Um beijo,
Carol.

28

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021