01.10.2014
* PJ Leu: Freud Me Segura Nessa! ♥
Oi, Gente! 
A dica literária do dia é Freud Me Segura Nessa, da autora mega fofa Laura Conrado! Para quem não sabe, é a continuação do livro Freud Me Tira Dessa. Já falei sobre ele aqui. A leitura é tão leve e divertida quanto o primeiro! ♥
Depois de se apaixonar pelo terapeuta e passar por desventuras, Cat, agora encara uma série de descobertas sobre si própria e o mundo. Numa temporada fora do país (NY, baby!) e em meio a novas oportunidades, amores e amigos, nossa querida protagonista descobre que, mesmo distante, sentimentos não resolvidos de seu passado podem se fazer presentes. Ela confronta traições, inseguranças, dúvidas e os riscos das escolhas adultas diante do dinheiro, do sexo e do amor. Sendo assim, mais uma vez, Cat pede ajuda ao Freud para se segurar nos desafios da vida adulta. 
Crédito da foto: 
Pequena Jornalista! 
♥♥♥
– Livro: Freud  Me Segura Nessa 
– Editora: Editora Novo Século
– Trechos:  “Estava absolutamente entregue às nuvens de tempestades. Aprendia na prática que era impossível controlar o voo ou ter previsões acertadas sobre o céu.”  /  “Mas, ainda que minha caminhada parecesse em círculos, sabia que um dia, assim como a Dorothy, acharia meu trajeto para casa. A minha casa.” / “Modéstia demais é para disfarçar vaidade. Reconhecer no que se é bom e no que se é ruim é um ótimo sinal de maturidade.”  / “Você pode escolher se preparar para ser a pessoa que sempre sonhou ou andar por aí incomodada com os outros.”  / “Com medo de perder, você nunca irá ganhar.” /  “Ninguém tinha nada meses atrás – falei. – Talvez ainda não tenhamos muita coisa, mas descobrimos que não precisamos de Oz. As coisas acontecem durante o trajeto.” / “Catarina, a gente só suporta as coisas quando vê sentido nelas. Talvez seus planos aqui não façam mais sentido.” / “Isso mesmo. Quanto mais flexível nas ideias, maior a chance de ser feliz.” 
Adorei embarcar nas novas aventuras da Cat. E NY foi o cenário perfeito! Mais uma vez a série foi tipo uma terapia extra para mim. Não somente no quesito “vida amorosa catastrófica”, mas ajudou a pensar na minha vida profissional, relação com a família e com os amigos. A nossa protagonista amadureceu bastante, mas na minha humilde opinião, não só graças ao Freud e, sim, pelo fato dela estar mais disposta a assumir os riscos. Ah! Fiquei bem feliz com o final da história e com a surpresa boa que apareceu. Torcendo muito para Freud mantê-la nessa. 
Gente, é um livro que eu mega indico. A gente devora rapidinho, ri bastante, chora um pouquinho (mas eu sou chorona hahaha) e reflete muito também. E se você é fã do clássico “Mágico de Oz”, vai amar as referências. Ah! Quem não leu o primeiro não vai ficar perdido, mas acho que ler um seguido do outro é muito melhor! Tirei lições valiosas com essa leitura, como a vida é cheia de encontros e desencontros mesmo. Cada pessoa tem um papel fundamental ao entrar na nossa vida, nem que seja apenas para nos mostrar o que não queremos. Também confirmei que são através dos perrengues e dos riscos, que amadurecemos e descobrimos os nossos verdadeiros sonhos. 
Quem já leu, conta o que achou! Ainda não? Corre para a livraria! ♥
Um beijo, C. 

9
22.09.2014
* PJ Entrevista: Autora Stéfanie Medeiros! ♥
Oi, Gente! 
Tem autora nova na área e um livro quase saindo do forno também. Dessa vez, o PJ entrevistou a Stéfanie Medeiros, uma das meninas do clube de leitura Meg’s Army Book Club (não conhece ainda? clique aqui e conheça ;p). No dia 23 de outubro, será o lançamento do seu primeiro livro: Borboletas infinitas de coração imperfeito. É apaixonada por poesias? Não pode deixar de ler. Tanto o livro quanto a entrevista. ;-) 
Entrevista: Autora Stéfanie Medeiros
1. O que te motivou e inspirou a escrever um livro de poesias? Um autor do mesmo gênero ou a sua própria vida? Conte um pouco! 
R: A poesia foi meu
primeiro contato com a literatura no sentido clássico da palavra. Um dia (há
muito tempo), eu estava andando pelo centro de Cuiabá com meu pai e entramos no
sebo que tinha perto da Praça Ipiranga. Lá, achei um exemplar de “Caderno H”,
do Mario Quintana, o primeiro livro de poesia que realmente gostei. Depois
disto, comecei a escrever poemas. O “Borboletas infinitas de coração
imperfeito” é uma reunião de poemas que escrevi desde os meus 16 anos até agora
(que estou com 22). O livro é, por assim dizer, um ‘apanhado’ das minhas
primeiras experiências literárias.
2. Qual é a fórmula para uma poesia tocar a vida do leitor? Tem algum segredinho que não falha? 
R: Se tem, ninguém me
contou ainda! Mas os poemas que eu mais gosto são os poemas ‘simples’. Eu me
apaixonei pela poesia moderna, que já não usa tantas rimas e métrica. A
simplicidade desses poemas, no entanto, é bem complexa. Como Manoel de Barros,
por exemplo. Os poemas dele são acessíveis, as pessoas gostam, incorporam. São
simples, mas com conteúdo “complexo”. Não estou dizendo que o que eu faço é
assim, longe disso. Mas são por conta desses poetas que tomei gosto pela poesia. 
3. Para quem deseja ser uma escritora, o que não pode faltar? E como funciona todo o processo? 
R: O processo criativo
é diferente para cada pessoa, mas tem uma coisa que não pode faltar para
ninguém: disciplina. Independente do que você quer escrever, você vai fazer
isso muito melhor com a prática. Algumas pessoas acreditam em inspiração e
outras não. Se você acredita, você vai conseguir colocar a “inspiração” no
papel muito melhor se você tiver prática na escrita. E isso só acontece se você
escrever sempre.
4. Pretende seguir a carreira como escritora? Se sim, vai seguir o mesmo gênero ou arriscar outros? 
R: Sim, com certeza vou
continuar nesta área. Mas acho que, além de ser meu primeiro livro de poemas,
este vai ser o último do gênero. Já há um tempo passei para a prosa, onde quero
ficar. A poesia veio como experimentalismo, como primeiro contato com o fazer
literário. Mas agora eu quero seguir para “outro desafio”, por assim dizer. 

5. Se tivesse que salvar três livros de um incêndio, quais seriam os escolhidos (não pode ser o seu hahaha)?
R: Pergunta difícil!
Mas eu salvaria, em primeiro lugar, o “Clarissa”, do Érico Veríssimo. Depois a
primeira edição de “Harry Potter e a pedra filosofal”, da J.K. Rowling e em
terceiro o “Caderno H”, do Mario Quintana.
** 
Prontinho. Gostaram? Espero que sim! ♥
Obrigada, Stéfanie! Desejo que o “Borboletas infinitas de coração imperfeito” seja o primeiro de muitos e que conquiste muitos leitores. E, gente, anotem na agenda: no dia 23 de outubro, às 19h30, o lançamento do livro será na Casa Barão de Melgaço, sede da Academia Mato-Grossense de Letras (AML) e
Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso (IHGMT). Ah! Assim que eu receber as informações dos locais de venda, eu atualizo o post e coloco na Fan Page do blog. 
Beijos e boa semana, 
Carol. 

5
14.09.2014
* Para pensar: Covardia! ♥
“Eu leio por pura covardia, para fugir da realidade mesmo (…)”
(Livro De Volta aos Sonhos)
Eu não sei vocês, mas eu também leio por pura covardia. Às vezes o mundo real é um pouco complicado, daí eu me jogo no mundo dos livros sem dó e nem piedade. Um dos maiores prazeres da minha vida é deitar na minha cama (na cafeteria ou em qualquer lugar) e ler. Daí, quando eu termino de ler mais um capítulo, estou pronta para encarar a vida real no dia seguinte hahaha! Talvez até mais preparada do que se eu não tivesse embarcado na história. Mas vale lembrar, que eu escolho embarcar no mundo dos livros em todas as situações e momentos da minha vida. Se ela está boa, eu pego um livro. Se ela está sem graça, assumo a covardia sem medo de ser feliz. Tudo na vida é a maneira como olhamos. Eu adoro ser covarde desse jeito. ;-)
E vocês? São covardes também? Podem opinar à vontade!
Beijo e bom domingo,
C. 

13
07.09.2014
* Para pensar: Pequena receita para um bom futuro! ♥
“Prometi então que daquele momento em diante não daria espaço 
para pensamentos negativos dentro de mim. Já que o meu 
passado não existe mais, que eu gaste o meu tempo no 
presente conquistando um bom futuro.”
(Trecho Livro: De volta aos sonhos) 
E dentro de um livro encontramos pequenas dicas para levarmos a vida mais leve. 
Achei esse trecho excelente para quem vive presa no passado e não quer mais perder tempo com isso. Uma pequena receita que pode ajudar o presente e mudar (para melhor) o futuro. ;-)
Bom domingo! 
Beijocas, C.

12
05.09.2014
* Diário de Viagem: Onde comprar livros na Suíça! ♥
Um item mega importante que eu acrescentei no meu último roteiro de viagem: clicar livrarias pela Suíça! Item riscado com sucesso! Nesses dois meses conheci quatro livrarias, novos títulos e novas capas de livros que eu sou apaixonada. Está com viagem marcada ou é uma curiosa de plantão quando o assunto é leitura? Selecionei quatro livrarias da parte italiana e algumas curiosidades. Confiram! ♥                                                                          
Descendo algumas escadas, num lugar escondidinho lá em Bellinzona, encontrei um cantinho aconchegante repleto de livros: Libreria Casa Grande. Adorei conhecer de pertinho capas de livros de autores, como John Green, Sophie Kinsella e Jojo Moyes, que são diferentes das nossas. Deu vontade de levar um monte de livros (principalmente da Sophie Kinsella), mas me contive com um livro em italiano da Jojo, que ainda não tem no Brasil: Lua de Mel em Paris (Luna di miele a Parigi), pelo que eu li conta como começou a história do livro “A garota que você deixou para trás”. 
Um pouquinho da “Libreria Casagrande”
Dias depois, conheci uma outra livraria em Locarno, perto da estação do trem: Press Books. Na verdade é tipo um banca gigante com uma parte só de livros. Lá eles separam por línguas: alemão, inglês e italiano. Não reparei se tinha em francês, mas acho que não. Não resisti e levei “A Culpa é das Estrelas” (em italiano) com aquela capa “hardcover” (aquelas capas durinhas, revestidas por uma outra capinha, sabem?)  e “Keep Calm and Carry On”, com frases motivacionais em inglês. Ganhei até cartão fidelidade. Acho que das quatro que eu conheci, essa foi a minha preferida! Aliás, essa Press Books tem na Suíça alemã também. 
Press Books ♥
No último dia da minha viagem, dei de cara com mais duas livrarias no centro de Locarno. A primeira é a Libreria Cartoleria Locarnese. Na verdade, gostei mais dos marcadores de livros e dos bloquinhos (levei os dois para casa) do que dos livros e da livraria em si. Mas vale dar uma olhadinha, pelo menos pelos marcadores de livros. E para finalizar: a Libreria della Funicolare! A decoração me chamou muita atenção. Achei mega fofa! Todos os gêneros dos livros e recados para os clientes são escritos à mão de um jeito tão delicado e com desenhos fofos. Amei e amei! Quer mais opção para comprar livro por lá? Anota aí: La Poste (tipo o Correio deles) e as bancas dos mercados. ♥
Marcadores e bloquinhos fofos!
Decoração linda! 
Agora algumas curiosidades. ;-) Os suíços andam lendo por lá: Trilogias como Divergente e Jogos Vorazes, autores como Danielle Steel, Nicholas Sparks, Lauren Weisberger e Paulo Coelho (o/). Sabe como eles chamam “literatura chic” por lá? Romanzi Rosa. Achei fofo! E a autora que eu vi que é bem renomada por lá é a Jojo Moyes. Não tinha um lugar que não vendesse pelo menos um livro dela. E acho que já deu para perceber que eu amei as capas dos livros que eu encontrei por lá. E se você não entende italiano ou quer ler em outra língua, sem problemas! Lá você encontra diversos livros em alemão, inglês e deve ter em francês também. E, sim, o Paulo Coelho é “vida” por lá. Ah! os títulos que a gente não encontra por aqui e eu quis muito ler em português: “Cento lacrime, mille sorrise”, “Vacanze da Tiffany” e “Tutta Colpa Della Neve”. Pelo que eu li e pelas capas, eu já me apaixonei pelos três. Mas quando eu voltar, vou tentar ler em italiano mesmo. Preparo resenha e tudo hehehe! =D  
Quero ler! 
O que eu levei para casa! 
Gostaram? Espero que sim! 
Se alguém tiver mais alguma dica de livraria e livros por lá, fiquem à vontade. Lembrando que o foco do post são as livrarias da Suíça italiana. ;-)
Um beijo, C.

P.S: crédito das fotos: Pequena Jornalista! :)


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017