20.04.2015
* Para assistir: Cada um na sua casa! ♥
E como amanhã é feriado, resolvi “roubartilhar” o último post da minha coluna do blog Sem Clichê. Para quem não sabe, toda quarta-feira eu indico um filme por lá. ;-) 
Então quer assistir uma história leve, divertida e que agrada todo mundo? A minha dica é: a animação Cada um na sua casa. A história é a seguinte: o planeta Terra foi invadido pelos Boov, uma espécie de extraterrestre, que estão em busca de um lugar para chamar de “lar doce lar”, pois estão fugindo de seus maiores inimigos. No meio disso tudo, o atrapalhado alien Oh, que foi banido devido aos seus erros, encontra a jovem adolescente Tip, que durante a invasão acabou se separando da sua mãe e ficando apenas com seu bichinho de estimação. Sendo assim, os dois embarcam em uma divertida aventura com duas missões: achar a mãe da Tip e consertar mais uma atrapalhada do Oh. 
A princípio, os Boov lembraram muito os minions, do filme “Meu Malvado Favorito”. Com uma linguagem diferente e engraçadinha. Mas só lembrou mesmo, nada muito igual. Os personagens centrais são encantadores e muito divertidos. O Oh é apaixonante e muito desastrado. A Tip é uma fofa e bem decidida! E os diálogos dos dois são imperdíveis. Uma amizade improvável, mas que deveria servir de exemplo para muita gente. Ah! O capitão Smek, líder dos Boov, é o fugitivo mais comédia da vida. E destaque para três cenas: o primeiro contato do Oh, com uma música dançante, a Tip fazendo uma maquiagem para esconder a verdadeira identidade do alien mais fofo do planeta e a do posto de gasolina. 
Não assisti em 3D, mas acho que deve valer muito a pena. Mas me diverti na sessão “normal” também. ;-) Ah! Geralmente, eu gosto de assistir esses filmes infantis em versão dublada mesmo. Porém, como tem Jim Parsons (do seriado The Big Bang Theory), emprestando a sua voz para o Oh, acho que deve ser imperdível. Também tem Rihanna e J.Lo. Falando na J.Lo, a música “Feel The Light”, que faz parte da trilha sonora, é bem fofa.
Mega recomendo o filme. Para alguns pode até ser considerado bobinho, mas eu tirei lições valiosas. E a principal foi: mesmo que a probabilidade de conseguir tal coisa seja mínima, a gente tem que ir lá e fazer. Aquela velha história: se tiver com medo, vai com medo mesmo. Enfim, uma história que rende boas risadas e um ótimo momento com a família, amigos, namorado ou até mesmo sozinha! ♥
Já assistiu? Conta o que achou! Ainda não? Corre! 
Beijos,
Carol. 
P.S: Crédito da Imagem – Adoro Cinema! 

27

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017