06.02.2020
* PJ Leu: Mulheres não são chatas, Mulheres estão exaustas! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é “Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas“, da Ruth Manus. Um livro que aborda sobre direitos, trabalho, família e outras questões turbulentas da mulher em pleno século XXI. Boa resenha para vocês! ♥

Livro: Mulheres não são chatas, Mulheres estão exaustas | Editora: Sextante | Autora: Ruth Manus
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Diariamente a gente se depara com comentários que somos chatas. Mas na realidade, estamos exaustas. Afinal, carregamos pesos que não deveríamos carregar. E é nesse livro que a Ruth Manus aborda sobre inúmeros tormentos que carregamos em pleno século XXI.

A pressão vem de diversos lados: família, carreira, amor, lutar pelos direitos e muitos outros. Mas de forma simples e, ao mesmo tempo, profunda, a autora consegue fazer com que todos reflitam e questionem preconceitos e incertezas. :)

Opinião da Pequena: No comecinho do ano, terminei de ler o livro “Corajosa sim, Perfeita não” e, como disse na resenha, ele plantou uma sementinha de que eu não preciso de perfeição. E aí veio “Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas” e ajudou a regar essa plantinha que vem crescendo aos pouquinhos. Então, desde já, obrigada Ruth.

Agora vamos lá: é um livro que a gente devora. Com uma escrita leve, a autora consegue trazer assuntos profundos, que são mais do que necessários no nosso dia a dia. Ela pondera cada capítulo e jamais julga. Porém, sabe exatamente onde “meter a colher”.

Traz o feminismo e mais uma vez mostra que jamais essa palavra tem de ser o oposto do machismo. É a busca pela igualdade, que a propósito traz benefícios a todos. ;) Aponta questões que trazem exaustão, como trabalho, família, beleza, autoestima, entre outros.

Aliás, não somos chatas, temos total direito de expor a nossa opinião e é importante lutarmos nos simples detalhes para esse cansaço ir embora aos poucos! Por exemplo, parar de pedir de desculpa por tudo e saber que tá tudo bem ser a gente. Falando nisso, nem sempre precisamos ser a nossa melhor versão. Nem sempre é possível e ok! :)

Claro que as coisas não mudam da noite para o dia. Assim como no outro livro da Ruth, acho que é aquela leitura que volta e meia a gente tem que pegar na estante e reler inúmeras vezes.

Enfim, curti muito e indico a todos, inclusive ao público masculino! E quanto à capa: perfeita! ;-)

No mais, podem opinar à vontade. ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu: Um dia ainda vamos rir de tudo isso
Fan Page ♥ Instagram  


2
03.02.2020
* PJ News – Fevereiro 2020: Tem Oscar e folia! ♥
Em: PJ News

Ei, Gente! :) Finalmente Janeiro acabou e o mês do Oscar e da folia chegou. E fevereiro trouxe algumas novidades para quem é de papelaria, comemora Valentine’s Day, é leitora assídua, digna de Oscar e ama ir para bloquinho. Então, vamos lá? Bom post. ♥

Para começar: o tênis mais lindo da história! Eu simplesmente amei essa coleção da Adidas por conta do Valentine’s Day. Pena que, por enquanto, só vende lá fora. Mas se alguém for viajar, vou fazer o meu pedido, fato hahaha. Eu amo corações e esse está simplesmente maravilhoso. Não acham? E se você, na verdade, quer saber já do Carnaval, as lojas de Departamento estão com coisas bem legais para quem quer cair na folia. Como a C&A, que tem peças lindas e bem em conta. Em breve, vou fazer um post-ajuda com alguns itens para a época mais animada do ano. ;-)

Crédito das Imagens: Glamour e Instagram C&A
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

E quem ama papelaria, vem aqui: tem novidades para a gente amar e desejar muito. A Donna Dolce lançou uma linha de cadernos e cartela de adesivos, com a Pat, do Sublinhando. A coleção tá bem fofa! E a Bee Mine, a lojinha online mais fofa do mundo, colocou hoje alguns lançamentos. Inclusive essa caneta linda, que lembrou a série The Good Place. Para saber mais, é só clicar aqui e aqui.

Crédito das Imagens: Instagram Donna Dolce e Site Bee Mine
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

E já que esse mês tem a tradicional noite do Oscar, tem filme, que não foi indicado, mas eu quero muito ver hahaha: Dolittle. Aliás, essa semana vai entrar resenha de um que eu amei muito!! Fiquem de olho, ok? Temos livros? Temos também!! Essa fofura chamada “Beijos em Nova York“, da Catherine Rider, publicado pela Galera Record. A capa é linda e a história tem cara de ser bem fofa. Aliás, quem quiser assistir ao trailer do filme é só clicar aqui e a sinopse do livro aqui.

Crédito das Imagens: Adoro Cinema e Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal. :) Agora me contem: qual lançamento que vocês querem de qualquer jeito? Podem opinar à vontade!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir: Book Green!
Fan Page ♥  Instagram


5
31.01.2020
* Para assistir: Jumanji – Próxima Fase! ♥

Eu tenho uma mania. Para deixar as pessoas “mais perto” de mim, aquelas que já se foram, eu assisto filmes, escuto músicas que sei que elas amavam. É uma forma de lembrar delas com carinho e isso acolhe a saudade. Meu pai é um exemplo disso. Sempre faço questão de assistir filmes que sei que ele gostava! Por exemplo? Jumanji.

Ok. Confesso que morria de medo do primeiro, aquele bem antigão! Aquela batidinha já me dava arrepio. Mas essa nova versão eu amo e sei que ele gostaria também! Daí, recentemente eu assisti ao segundo dessa franquia atual e me conquistou mais ainda. Fora que me senti bem pertinho da pessoa que mais sinto saudade. ♥

Então, vamos lá? Com vocês: o que eu achei de Jumanji: Próxima fase. Pega a pipoca, o refri, que a sessão já vai começar! ;-)

Para começar, um pouquinho da história: Como sua vida anda meio confusa, Spencer decide consertar o videogame que permite que os jogadores sejam transportados ao jogo. Na intenção de se sentir forte como no primeiro filme, ele volta para a realidade de Jumanji, só que sem os seus amigos. Logo, os três sentem falta dele e correm para o porão e lá embarcam novamente na aventura para resgatar o companheiro. Mas tem novidade nessa segunda parte! Por exemplo, o jogo está bugado e seu avô e amigo aparecem na partida, que está para lá de emocionante e tudo indica que uma nova fase está por vir! ;-)

E o que eu achei? Tem muita emoção nesse novo nível de Jumanji, mas as sacadas continuam hilárias e diria até melhores! Fiquei apreensiva em algumas partes, mas ri muito, gente. Por isso, é um filme de “ação”, digamos assim, mas a comédia inteligente e nada apelativa continua intacta.

Amei que cada jogador foi parar na pele de outro e isso mostra como os atores são maravilhosos! A entrada do avó do Spencer e seu (ex, futuro) melhor amigo é a mais hilária. Dá um toque a mais, que fez total diferença no filme. Tudo bem que algumas coisas ficaram com aquele ar de dúvida e isso incomoda um pouco, mas tirando esse detalhe, vale cada cena!

E, como falei, o filme tem um “quê” de ação, mas mostra a importância dos amigos e da família. Uma coisa bem clichê, mas que no final aquece o nosso coração. Sinceramente, acho que é uma história para a família toda! Tem risada, emoção e muito aprendizado. E a mensagem de que a velhice é um presente é uma das melhores!

Crédito das Imagens: Adoro Cinema

Enfim, amei. Os efeitos, a premissa, os atores, a trilha sonora e tudo mais! Por isso, recomendo e MUITO!! E obrigada pai por me fazer assistir esse filme que tirou de cena o pânico que sentia e substituiu por uma leveza que me faz amar ainda mais esse mundo cinematográfico! (E obrigada namorado por me acompanhar nesses filmes). ♥

É isso. Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! Ah! E uma observação: caso ainda não tenha visto a primeira parte dessa nova versão, acho que vale embarcar na história antes de assistir esse, ok? ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para ler e assistir: A menina que roubava livros!
Fan Page ♥  Instagram


5
29.01.2020
* Top 3 Literário: Ruth Manus! ♥

Ei, Gente! :) Normalmente, eu faço um Top 5 de livros de autores ou de algum tema e tal. Mas esse ano resolvi mudar. Vou revezar. Podem entrar 3 ou 5 histórias de escritores nacionais ou de fora, combinado? E para dar início: selecionei 3 livros da Ruth Manus, que é brasileira, mas atualmente mora em Portugal. Vamos lá? Bom post! ♥

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. Pega lá uma chave de fenda (Editora Benvirá)
Sinopse:
Uma coletânea de textos, onde a autora fala sobre o amor romântico, o amor carnal e, claro, o amor-próprio. Mas sem muito clichê! Ela vê amor em lugares peculiares, que vão desde carrinhos de supermercado até canjas de galinhas. ;-)
Observação da Pequena: Se eu não me engano, esse foi o primeiro livro da Ruth. E olha o título? AMEI. E como a escrita dela me ganhou recentemente, quero embarcar nesses textos também. Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

2. Um dia ainda vamos rir de tudo isso (Editora Sextante)
Sinopse:
Mais uma coletânea de crônicas escritas por ela, que a propósito é advogada e professora de Direito do Trabalho e Direito Internacional. Ruth fala de tudo um pouco, desde assuntos banais, temas sobre machismo, padrões estéticos, família, Portugal, amor, amizade e muito mais. Textos que nos dão a certeza de que sim: um dia ainda vamos rir de tudo isso e levar aprendizados para a vida toda!
Observação da Pequena: Foi o meu primeiro contato com a autora e eu amei cada capítulo, mesmo com algumas ressalvas. E para quem quiser saber mais, é só clicar aqui e aqui.

3. Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas (Editora Sextante)
Sinopse:
Por que estamos tão cansadas? Por que sentimos que o mundo está pendurado nos nossos ombros? Por que ainda temos tantos medos e tantas dúvidas, mesmo nos assuntos mais básicos? Por que ainda pensamos tantas vezes antes de dizer alguma coisa? Por quê tantas coisas… Só de pensar em algumas questões, a exaustão bate, mas sabia que pode ser mais leve? Com alguns textos e questionamentos da autora é possível trilhar esse caminho.
Observação da Pequena: É a minha leitura atual. Ainda estou no comecinho, mas acho que vai ser bem útil. Porque o título resume muita coisa e acho que com a escrita da Ruth dá para perceber que a gente pode estar um passo da tão sonhada leveza! Assim que eu terminar, faço resenha. Quer saber mais? Só clicar aqui.

***

É isso, pessoal. Ela tem mais livro, mas esses foram os selecionados! Os outros são mais da área de Direito e falando sobre Portugal, pelo que eu vi. Enfim, mega recomendo para quem gosta de crônica e tem a mente aberta para aprender com histórias assim! :) No mais, podem opinar à vontade! E me contem: quem vocês querem ver nesse Top 5 ou 3 (pode ser tema ou autor, ok?)?

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Top 4 Literário – Girl Power
Fan Page ♥  Instagram


2
28.01.2020
* PJ Leu: Os delírios de Natal de Becky Bloom! ♥

Sim. Finalmente embarquei nessa história! E por mais que o mês natalino já tenha dado adeus há séculos (exageros hahaha), eu não me aguento e vou fazer resenha do mesmo jeito. Em pleno janeiro mesmo! A propósito, estou falando de “Os delírios de Natal de Becky Bloom“, o último (até então) da série sobre a nossa consumista literária número um. Então, vamos lá? ♥

Livro: Os delírios de Natal de Becky Bloom | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Becky Brandon (nascida Bloomwood) adora Natal. Todo ano é a mesma coisa: a família se reúne na casa dos pais dela, eles ouvem canções natalinas, sua mãe finge ter feito a sobremesa e os vizinhos usam aqueles clássicos suéteres natalinos. E agora as compras ficaram mais fáceis: sites em promoções e dependendo do valor, o frete é grátis. Bem mais prático!

Porém, esse ano (no livro), parece que as coisas mudaram um pouco… Como os pais de Becky se mudaram, acabam pedindo para ela organizar o Natal. Ela se assusta, mas, afinal… O que poderia dar de errado, não é mesmo? É só dar conta de algumas (muitas, na verdade) demandas. Por exemplo: peru vegano para a sua irmã Jess. O presente de sempre para o Luke (mas talvez seja melhor mudar) e um desejo bem curioso da sua filha Minnie.

Mas calma que tem mais, caro leitor! Um ex-namorado ressurge das cinzas (ou dos palcos), algumas brigas atrapalham seus planos perfeitos e ainda precisa ganhar uma rifa de um local bem peculiar. Se ela consegue tirar de letra? É a Becky, né?

Opinião da Pequena: Ganhei esse livro no dia 25 de dezembro de 2019. Mesmo sabendo o que tinha no pacote que meu namorado pediu para eu guardar, fui boazinha e não abri hahaha. Que leitora controlada, né gente? Por esse motivo, a resenha entrou com um pequeno delay. Mas tudo bem. Quem liga? ;-)

A maioria já deve saber que a Sophie Kinsella é a minha escritora gringa favorita. Eu amo a escrita dela e queria muito que a Becky Bloom fosse uma pessoa de verdade e MINHA AMIGA. E com esse 9º livro essas vontades só aumentaram.

Todos os livros, eu me identifiquei com a protagonista de alguma forma. Mas esse passou dos limites hahaha. Natal é mágico, lindo e Nem Grinch (quem ler, vai entender o motivo da menção) pode roubar. Mas essa data têm muitos perrengues sim. E essa premissa é total gente como a gente, justamente nessa época do ano.

Têm aqueles exageros clássicos da personagem mais consumista do mundo literário. A Minnie ganha mais destaque e a história do ex-namorado com a namorada controladora é uma das que rende mais gargalhadas! Becky tem uma mente muito fértil, mas juro que dessa vez, fez total sentido o que ela estava pensando!

Suze é muito fofa e uma nova personagem conquistou o meu coração! Aliás, mostra ainda mais um lado da Becky que foge completamente do consumismo: alegre, atrapalhada, a protagonista é uma das personagens que mais ajuda, sem olhar a quem. Zero egoísta mesmo! Me ensinou muito, de verdade.

As brigas de família: qualquer semelhança, não é mera coincidência. Bom, pelo menos no meu caso hahaha. Jess, melhor amiga da mãe da Becky e os pais estão com a mesma essência. E a história do jogo de bilhar é maravilhosa e mostra uma Becky bem empoderada, mesmo que ela tenha algumas outras intenções. Eu amei! Ah! Graças a esses novos delírios, digamos assim, agora sei o que significa “Portmanteau” (não sabia hahaha) e vou adotar a palavra “Sprygge” na minha vidinha hahaha.

Enfim, amei muito esse novo livro e JURO que não caiu na mesmice. Por incrível que pareça. E apesar das confusões, dos estresses e de muitas atrapalhadas, a história mostra o verdadeiro espírito de Natal, com todas as imperfeições que essa comemoração carrega na vida real. Como falei, é bem gente como a gente, de uma forma leve, engraçada e verdadeira!

Ah! Se vai ter continuação? ESPERO QUE SIM DONA SOPHIE KINSELLA E BECKY BLOOM. Porque a palavra que ela deu de presente para o Luke (meu eterno crush ) tem muito pano para manga. Por favor, Santinha dos Leitores! Nunca te pedi nada.

***

É isso, gente. Já embarcou nesse livro? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Becky Bloom ao Resgate
Fan Page ♥  Instagram


2

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020