29.05.2018
* PJ Leu: Os quase completos! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Os Quase Completos, do autor brasileiro Felippe Barbosa, que recebi da Editora Arqueiro (parceira do blog). É um livro bem diferente do que imaginei, mas no final abracei a história. Vamos lá? Boa resenha! 

PJ Leu - Os Quase completosLivro: Os Quase Completos| Editora: Arqueiro | Autora: Felippe Barbosa
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota: três livros! 

Sinopse: O Quase Doutor é um renomado cardiologista que passa os dias em um hospital, mas no fundo é um artista frustrado. A Quase Viúva é uma professora que está de licença do trabalho para ficar com o noivo, em coma após um grave acidente. O Quase Repórter é um jornalista decepcionado com a profissão que sofre há mais de um ano pelo suicídio da esposa. A princípio, a única coisa que essas pessoas têm em comum é a sensação de incompletude e de desilusão com a vida. Mas não…. Por quê?

Um dia… O Quase Doutor é persuadido por um velho desconhecido a embarcar com ele em um ônibus rumo a jornada para se reconciliar com o seu passado. Logo, a viagem se transforma em uma aventura cheias de surpresas e com um porém: ele precisa fazer escolhas que mudarão para sempre o seu destino e a forma de ver a sua vida! Sobre a Quase Viúva, ela suspeita que alguém está querendo matar o seu noivo dentro do hospital. Já o Quase Repórter, através de uma pesquisa minuciosa, acredita que podem ter matado a sua esposa. O que esses personagens têm em comum então? A resposta para os mistérios que envolvem os seus amores e a vida deles, pode estar dentro do ônibus, que o Quase Doutor embarcou.

Minha opinião: Quando eu pedi esse livro, imaginava uma outra forma do autor contar a história. Talvez, por eu ter uma expectativa diferente, a leitura não tenha fluido tanto o quanto eu imaginei. Mas não abandonei e fui até o último capítulo, pois algo me dizia que eu ia me surpreender. E não deu outra, gente! Os Quase Completos é cheio de mensagens intensas e que realmente nos fazem pensar sobre a vida que estamos levando! Sendo assim, valeu cada página. Apenas a construção que, em alguns momentos, não bateu com o meu gosto literário. Mas é questão de gosto mesmo, ok?

Sobre os personagens: o Quase Doutor é aquele que quase todo mundo se identifica. Quem nunca deixou de lado um sonho por acreditar mais na opinião dos outros do que na própria? A viagem no ônibus, foi uma viagem mesmo, mas que o levou ao destino certo, sem dúvida. A Quase Viúva é a típica personagem que sonha com tudo perfeitinho, mas ao final, se dá conta, que nem sempre o perfeito é o melhor! E o Quase Repórter? Viver no passado, atrapalha tudo. Por mais que a gente descubra a verdade, às vezes, o melhor a fazer é seguir em frente mesmo, sem olhar para trás.

Enfim, deu para perceber que esses três tem muito a ensinar o leitor. Porém, quem mais me ensinou: os coadjuvantes. Judite, Mira, Dona Marta e Marina são os meus personagens  preferidos. Principalmente, essa última. A cena dela com o Quase Doutor valeu pelo livro todo. Anotei vários trechos e espero colocar todos em prática! Principalmente, no quesito “tenho 31 anos e tenho prazo de validade”. Não mesmo. Amei essa parte e vou levar para a minha vida! A gente cresce, mas isso não significa nada que não temos muito tempo. Por mais clichê que pareça, a vida não tem que ter prazo de validade. Claro, que temos nossos limites e tal, mas isso não pode ser um empecilho para não corremos atrás do que realmente desejamos. Obrigada, Marina. E obrigada, Felippe, por nos ter presenteado com uma personagem tão rica e com um destino tão maravilhoso. Meu desfecho preferido do livro!

No mais, leia com a mente aberta e veja o que pode mudar para encontrar o seu 8º Reino real. A medida que os capítulos vão se encerrando, a gente vai se surpreendendo de uma forma bem positiva. Gostei como cada história se entrelaçou e pensei: como não tinha percebido isso antes? Enfim, recomendo! 

IMG_9994Meu trecho preferido. 

***

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! ;-)

Beijos, Carol

Para ler: Mais lindo que a lua

Fan Page ♥ Instagram  


1
28.05.2018
* Top 5: Livros com pegada teen! ♥

Ei, Gente! :) Quem ama embarcar em uma história YA (Young Adult)? Não sei vocês, mas eu adoro esses livros de jovens adultos. Sempre tiro uma lição, me divirto e me emociono horrores! Pensando nisso, separei cinco livros com essa pegada mais teen. Não sei ao certo se todos se encaixam nesse gênero, mas já dá para perceber a ideia. Espero que gostem das indicações. Bom post! 

Post PJ - Top 5 - YACrédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. Para todos os garotos que já amei (Jenny Han – Editora Intrínseca) 
Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu para os cinco garotos que já amou. As cartas são sinceras, ela não reprime nada. Escreve tudo o que sente, sem joguinhos. Na vida real, ela jamais diria tudo isso a eles. Até que um dia, alguém envia essas cartas aos destinatários. Resultado? A vida amorosa da protagonista vira de pernas para o ar!
Observação da Pequena: Sabe aquele livro amor? É esse! Desse gênero, é um dos meus preferidos. Ah! Tem mais dois, que ainda não consegui ler. E em julho, se eu não me engano, a Netflix vai liberar o filme inspirado nessa história literária. Para saber mais sobre o que achei do romance da Jenny, é só clicar aqui 

2. Os diários de Carrie (Candance Bushnell – Editora Record) 
Sinopse: Um livro que conta o começo de tudo da história de Carrie, aquela de Sex and The City. Sua adolescência, sua família, amigos, amores e como ela foi parar em NY. Também descobrimos como ela se tornou escritora e outros segredos.
Observação da Pequena: São dois livros que abrem os diários de Carrie, mas esse é o meu favorito. Inclusive, amo a série que teve inspirada nele. Mega recomendo, principalmente, se você é fã da icônica série Sex and The City.

3. Amy & Matthew (Cammie McGovern – Galera Record) 
Sinopse: Matthew sabia quem era Amy, mas não fazia a menor diferença! Afinal, ele também sabia quem eram várias outras pessoas e nem por isso era amigo delas. Amy vivia numa cadeira de rodas, não conseguia verbalizar com ninguém. Só com a ajuda de um computador, ela conseguia se expressar. Porém, mostrava para os outros que era feliz o tempo todo. Até o dia em que Matthew disse a Amy tudo o que pensava sobre sua eterna fachada de felicidade. Sendo assim, Amy viu que era exatamente disso que precisava. Durante um período, Amy seleciona alguns “amigos” para ter ajuda extra na escola (pegar livros, colocá-la no carro e tal). A partir daí, Amy e Matthew viram inseparáveis e ela acaba descobrindo que ele também precisa de ajuda (tanto quanto ela). E quando a relação, que começou com uma amizade, se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava e nem sabem definir, eles percebem que tudo foi dito…. exceto o que mais importava. ;-)
Observação da Pequena: É um dos livros (com essa pegada) mais intensos que já li, mas com uma escrita leve e com personagens bastante ricos. Eu amei e mega recomendo! Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

4. Confissões de uma garota excluída mal-amada e um pouco dramática (Thalita Rebouças – Editora Arqueiro) 
Sinopse: Tetê acaba de se mudar com a família toda para a casa dos avós em Copacabana (RJ), pois com a crise o pai perdeu o emprego e eles tiveram que sair do lindo apartamento na Barra da Tijuca. Resultado? Sua vida virou de cabeça para baixo! Ela perdeu sua privacidade e sua referências. A parte boa foi se livrar do antigo colégio, onde sofria bullying devido ao seu jeitinho peculiar de ser. O problema é que a nossa protagonista está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola e sem conhecer ninguém. Seus maiores medos: de ser excluída novamente, de não fazer amigos e sofrer com tudo isso! Tetê é uma garota divertida, bem-humorada e que adora cozinhar. Porém, está muito mal. Será? Acontece que uma das características dela é ser (um pouco) dramática! Afinal, no primeiro dia de aula as coisas já parecem um pouco diferentes. Ela já conheceu na prática a palavra amigo! Enfim, com o tempo, ela vai descobrir que sair da zona de conforto e enfrentar seus medos é a única maneira de ser feliz. :)

Observação da Pequena: Tetê nos representa, ao menos, em algum momento da vida. Amei essa história criada pela Thalita Rebouças e recomendo a todos, sem exceção. Solte o lado adolescente que existe em você ou relembre! Quem quiser saber mais, só clicar aqui.

5. À procura de Audrey (Sophie Kinsella – Galera Record) 
Sinopse: Audrey é uma adolescente de 14 anos, que tem uma vida comum. Até que um dia, começa a sofrer bullying no colégio. O que parecia ser só uma implicância “inocente”, acaba mudando radicalmente a rotina da nossa protagonista. Resultado? Ela não consegue mais voltar ao colégio, sente pânico quando tem que encarar alguém desconhecido e se esconde atrás de um óculos escuros, faça chuva ou faça sol. Seu diagnóstico: transtorno de ansiedade social e generalizada, além de episódios depressivos. Mas aos poucos, Audrey começa a se recuperar com a ajuda da Dra. Sarah, que passa desafios como gravar um documentários e ir até o Starbucks. Ela também conta com uma ajudinha extra do amigo do seu irmão: o Linus. O que era uma conversa fora dos “padrões” vira uma relação incrível, que afeta todos da história.
Observação da Pequena: Não é o meu livro favorito da vida, mas é Sophie Kinsella, né? Então, não poderia ficar de fora desse Top 5. Além disso, tem umas lições bem bacanas. Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

***

É isso, gente!  Claro, que a lista vai além. Quem tiver mais indicações, é só acrescentar nos comentários. E quem já leu algum desses, conta o que achou. ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Top 3 – livros caninos!

Fan Page ♥ Instagram   


0
24.05.2018
* Para assistir: A noite do jogo! ♥

1970542.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxxPara assistir: A noite do jogo! 

Já declarei o meu amor pela Rachel McAdams. Ela é uma das minhas atrizes preferidas e se está em algum filme, corro para assistir. E o último que eu vi foi: A noite do jogo, aquelas comédias que faz você sair da sala de cinema com a barriga doendo de tanto rir.  Bom, a história conta sobre o casal Max e Annie, que participam de um grupo de casais que organizam noites de jogos. Eles são do tipo viciados em jogos de tabuleiro e por aí vai. Então, um dia, o irmão de Max, o bem-sucedido Brooks, chega com uma proposta irrecusável: uma festa de assassinato e mistério, onde quem ganhar leva um carro do dono da casa. Porém, Brooks é sequestrado de verdade, mas todos os participantes acreditam que esse sumiço faz parte dessa brincadeirinha e resolvem desvendar tudo para vencer o jogo. Porém, o rumo das coisas toma um caminho totalmente inesperado, rendendo boas risadas e, até mesmo, lições.

O que eu achei? Tudo que tem tiro, sangue e tal, eu saio correndo. Mas esse filme, apesar de ter tudo isso, de uma forma leve, me fez amar e colocar na lista de histórias cinematográficas preferidas! :) Tudo se encaixa e quando você percebe já está querendo desvendar o mistério junto com os personagens. Eu e meu namorado, várias vezes pensamos em soluções. Seríamos bons concorrentes hahaha! O comecinho do filme, mostra como Max e Annie se conheceram e que fofo… Um jogo de mímica pode resultar em doces lembranças e pedidos! Também amei a cena do cachorro (queria que ele tivesse mais destaque, mas ok), do policial. Ele ganha de todos! E as partes que eles ainda não tem noção de que é um sequestro real, são maravilhosas. S-É-R-I-O! Ah! E os coadjuvantes também arrasam: o cara doidinho pelo clube de luta e o homem que descobre que a mulher o traiu com um vulgo famoso é uma das partes que mais rende diálogos divertidos.

GAME NIGHT

GAME NIGHTCrédito das imagens: Adoro Cinema 

Quanto ao irmão de Max: desconfie se tudo parece muito perfeitinho. Ele trouxe a lição do filme, que realmente nem tudo é como parece, sabem? Achei que ele teria um desfecho diferente, mas foi interessante. Aliás, o final é surpreendente e, ao mesmo tempo, clichê. Falando nisso, fiquem até o finalzinho, depois da cena final, para entender melhor a história. Eu demorei um pouco, mas entendi hahaha. #lerdinhafeelings ;p! Destaque para uma outra cena: a do jatinho. Sério, a Rachel é hilária! Enfim, um resuminho apenas para falar: assistam A noite do Jogo. No mínimo, será divertido!

Já assistiu? Conta o que achou, sem spoiler! 

Beijos, Carol.

Para ler (assistir): Série This is us 

Fan Page ♥ Instagram  


8
18.05.2018
* Casamento Real & Fofurices! ♥

Ei, Gente! É oficial: amanhã, dia 19 de maio de 2018, Harry vai dizer sim a Meghan (e vice-versa) E, sim, vou acordar às 06 da manhã para assistir tudinho! Ah! Eu amo essas coisas da realeza, principalmente quando tem casamento no meio e o príncipe Harry também! Louca para assistir tudinho e comentar sobre o vestido da noiva e o quanto o noivo tá mais gato do que nunca (sorry, namorado, você é o meu preferido ♥). Ansiosa para ver os sobrinhos entrando na igreja, a cara da rainha e por aí vai. Mas sabe o que eu amo mesmo e morro de inveja desse povo londrino? As fofurices personalizadas, que as lojinhas de souvenir e afins vendem. É tão legal o quanto que eles entram no clima, sabem? Então, sai pesquisando no Instagram a #royalweeding e achei cada coisa, que foi impossível não morrer de amores! Então, trouxe algumas das minhas “lembrancinhas” (e coisas semelhantes) preferidas para o post de hoje. Vamos lá? :)

Casamento Real - Fofurices - PJCrédito das imagens: Instagram @alexandra_nea e @langhampasadena
Crédito da montagem: Pequena Jornalista 

Sério? Olhem que ilustração mais fofa! Viraria um quadrinho para decorar o meu quarto, fato!  E esses cookies? Não tenho maturidade não, gente! Do coração está lindo, mas o que falar sobre essa coroa? Trabalho lindo e o biscoito deve tá mara, mas teria pena de comer. E vocês?

Casamento Real - Fofurices - PJ - 2Crédito das imagens: Instagram @london_babi, @ellefr, @bywoops, @cookiesontheside, @kristenweditor e @weenie_willow
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

O que falar sobre essa ecobag e essa decoração linda de uma loja londrina? Ainda bem que eu não fui, porque eu ia surtar REAL. A caneca é a coisa mais amor da vida e esse macaron é sem palavras! Não comeria também e os outros biscoitinhos iam mofar, mas é um pecado comer isso, gente! Mas não duvido que estejam gostosos! =D E o meu sonho de consumo para amanhã: minha cachorrinha Jeannie vestir uma bandana dessas para assistir o casamento comigo. Será que dá tempo de mandar fazer? 

E se a sua dúvida é: fui convidada, mas por questões de conflito na agenda, vou ter de assistir de casa mesmo… Em qual canal eu assisto? Bom, pelo que eu pesquisei, você pode assistir pelo GNT (Hugo Gloss no comando uhul \o/) e pela GloboNews, que vão passar tudinho desse dia histórico, a partir das 06 da manhã. Lembrando, que a cerimônia vai começar às 07h. Ah! No GNT, vai ser possível conferir também pelo canal deles no Youtube (Divas da Depressão que vão comentar). Ah! Globo também deve passar, mas não sei se ao vivo. Enfim, eu vou ficar assistindo um pouco de cada e, claro, comentando pelo Instagram (segue lá @pequenajornalista). Não que eu seja mestre no assunto, mas adoro dar pitaco hahaha. Se não rolar imprevisto, vai ter post completo sobre esse dia aqui no blog na segunda, ok?

Por fim… Numa escala (Harry) de 1 a 6, como está a sua ansiedade para amanhã?

Escala Harry - Casamento Real - PJ1. Casamento? Tenho mais o que fazer! / 2. Tentando disfarçar a ansiedade!  / 3. Tô mega ansiosa sim!!!! 
4. Ansiedade ok, mas que horas são mesmo, hein?  / 5. Deixa eu te explicar o que significa o Casamento do Príncipe Harry…  / 
6. Imaginando os dois dando aquele beijo fofo na sacada!
Crédito das Imagens: @kensingtonroyal
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal! :) Um post curtinho, mas espero que gostem. Podem opinar à vontade!

Beijos, Carol. 

Para ler: PJ News – Casamento Real

Fan Page ♥ Instagram   


1
17.05.2018
* Livros sobre cachorros! ♥

Quem me conhece um pouquinho, sabe do meu amor pelos cachorros. Principalmente, pelo meu eterno Johnninho e pela minha sapeca Jeanninha!  Então, porque não preparar um post com livros que falam sobre esses bichinhos tão lindos por dentro e por fora? Muitas dessas histórias, deixam a gente bem triste. Confesso, que evito, porque já basta a realidade e ter de lidar com morte desses seres em livros é muito para mim. Porém, todos trazem uma linda lição e que vale ser lida e absorvida. Então, vai ter post sim. E chega de papo. Vamos lá? Um livro eu já li e os outros dois, estão na listinha de espera! ;-)

PJ Livros - Top caninoCrédito da imagem: Pequena Jornalista

1. Se meu cachorro falasse (Cynthia L. Copeland – Editora Sextante) 
Sinopse: A autora desse livro uniu lindas fotos com ótimas lições que os cachorros nos ensinam. Ou seja, uma forma fofa de mostrar o que realmente importante na vida e, disso, esses anjinhos de quatro patas entendem!
Observação da Pequena: Mamy que me deu de presente, mas ainda não parei para ler todas as mensagens! Porém, acho que é o tipo de livro que merece ser aberto todos os dias para inspirar a gente! Quando eu terminar todas as mensagens, conto para vocês! ;-)

2. Marley & Eu (John Grogan – Editora Harpercollins)
Sinopse: John e Jenny casaram e resolveram testar o talento materno e paterno, antes de ela engravidar. Então, decidiram pegar um mascote canino: Marley! Ele por sua vez, puxou seu pai, bagunceiro como ninguém. Ou seja? A vida dos dois jamais seria a mesma! Marley cresceu rapidamente e se tornou um gigantesco e atrapalhado labrador de 44 kg, um cão como nenhum outro. Ele arrebentava portas por medo de trovões, rompia paredes de compensado, babava nas visitas, apanhava roupas de varais vizinhos e comia praticamente tudo que via pela frente, incluindo tecidos de sofás e jóias. As escolas de adestramento não funcionaram e ele acabou sendo expulso de uma! Mas, acima de tudo, o coração de Marley era puro. Ele repartia o contentamento do casal em sua primeira gravidez e sua decepção quando sobreveio o aborto. Também estava lá quando os bebês finalmente chegaram e quando os gritos de uma adolescente de dezessete anos cortaram a noite ao ser esfaqueada. Tudo bem que fechou uma praia pública, mas ensinou o verdadeiro amor incondicional e o real sentido da palavra fidelidade.
Observação da Pequena: Tem o filme, mas o livro é mil vezes melhor. Faz a gente chorar litros e é essa história que me deixou com trauma de livros sobre cachorros. Mas recomendo e MUITO! Eu li há séculos, então, não sei se ainda está disponível nas livrarias. E a edição que eu tenho aqui não é da Harpercollins, mas no site da Saraiva está dando esse crédito. De qualquer forma, tentem embarcar nessa leitura, seja física ou online. Porque você chora, mas aprende tanto, que vale.  ;-)

2. Procurando Gobi (Dion Leonard – Editora Harpercollins) 
Sinopse: O ultramaratonista, Dion Leonard, que atravessa longos percursos com um cachorrinho vira-lata, conta o relato milagroso desse bichinho, que o acompanhou por 77 milhas. No final, seu objetivo nem era mais ganhar a corrida e, sim, garantir que sua amizade com Gobi continuasse forte bem após a linha de chegada. Embora não tivesse cruzado a linha de chegada em primeiro, Dion sentiu que ganhara algo ainda maior: uma nova visão da vida e um novo amigo que ele planejava trazer para casa assim que possível. No entanto, antes que isso pudesse acontecer, Gobi desapareceu na grande cidade chinesa. Dion, com a ajuda de estranhos e da internet, começou a rastreá-la e se reuniu para sempre com o incrível animal que mudou sua vida e provou a ele (e ao mundo) que os milagres são possíveis.
Observação da Pequena: É a minha próxima leitura em parceria com a Harpercollins! E, por incrível que pareça, acho que o final é mais do que feliz. De qualquer forma, conto para vocês depois, ok? 

****

Já leu algum desses livros? Conta o que achou, mas sem spoiler hahaha. E se tiver outro para indicar e que não seja muito triste, fique à vontade para compartilhar o nome. No mais, pode opinar à vontade! =)

Beijos, Carol.

Para ler: PJ Entrevista – Henrique Perdigão

Fan Page ♥ Instagram   


1

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018