08.11.2019
* Playlist – Pequena Jornalista! ♥

Ei, Gente! :)  Fim de semana chegou e para relaxar (ou relaxar ainda mais), trouxe algumas músicas que não saem da minha playlist. São leves, fofas e que dão vontade de cantar bem alto. Vamos lá? Arrasta o sofá e aperta o play! 

5076772787507648973be6dc5b4cab0aCrédito: Pinterest 

1. Brisa (Iza)
P.S: Tem música mais alto astral do que essa? Clica aqui para escutar. ;-)

2. Pupila (AnaVitória e Vitor Kley) 
P.S: Apaixonante! Clica aqui para escutar. 

3. Pequena Flor (Gabriel Elias) 
P.S: Como eu amo! Clica aqui para escutar. ;-)

4. Um Sinal (Ivete Sangalo e Melim) 
P.S: Collab mais incrível.  Clica aqui para escutar. 

5. Não olha assim pra mim (OutroEu) 
P.S: Suspiros e mais suspiros! Clica aqui para escutar. ;-)

***

Gostaram? Espero que sim! :) E indicação de outras músicas são sempre bem-vindas!

Bom fim de semana!!

Beijos, Carol. 

Post Antigo:  Playlist – Músicas fofinhas!

Fan Page ♥ Instagram  


0
07.11.2019
* Inspiração do dia: vermelho! ♥

47937248347_9caec59770_oCrédito da imagem: Lovely Pepa

Tudo bem que eu queria um look quentinho, bem inverno. Mas já que a estação atual não permite muito isso, a gente topa um vestido fresquinho, né?  Não sou de usar muito vermelho, mas achei esse bem lindão e o modelo romântico! Amei a bolsa e acho que só tiraria o chapéu! Enfim, totalmente inspirada para essa primavera. E vocês? Podem opinar à vontade! ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Inverno Calorento

Fan Page ♥ Instagram 


0
06.11.2019
* PJ Leu: A padaria dos finais felizes! ♥

Ei, Gente! Hoje é dia de dica literária. Dessa vez, embarquei em mais uma história da série “Romances de Hoje“, da editora Arqueiro. O livro? “A padaria dos finais felizes“, escrito pela Jenny Colgan. Vamos lá? Boa leitura! 

PJ Leu - A padaria dos finais felizesLivro: A padaria dos finais felizes | Editora: Arqueiro | Autora: Jenny Colgan
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 3 livros
 

Sinopse: Um balneária tranquilo, uma loja abandonada e um apartamento meio que caindo aos pedaços. É isso que o destino de Polly reservou, assim que a mesma chega à Cornualha, na Inglaterra, fugindo de um relacionamento que não deu certo. Para enfrentar essa vida nova, a protagonista da vez se dedica a seu passatempo favorito: fazer pão. Mas o que era apenas um hobby, virou uma paixão e, logo, trabalho. Em um ambiente totalmente incomum, Polly descobre novos sabores e amores. Um livro sobre coragem, amigos e, claro finais felizes!

Opinião da Pequena: Esse é o quarto livro da série que embarco e, confesso, que não foi o que mais me prendeu. A premissa é boa, porém, acho que acabou estendendo muito. Ai acaba que a leitura fica mais arrastada do que fluida. Claro, que aquela floreada é sempre bem-vinda, mas no caso, achei meio too much.

Porém, a escrita da autora continua leve ela faz com que a gente se apaixone, até mesmo, por um papagaio-do-mar, que eu nem sabia que existia hahaha. Os personagens também são bem carismáticos, principalmente, Jayden. Um dos pescadores mais incríveis que já “conheci”. Queria muito uma história só dele! Huckle é o típico crush literário que conquista desde a primeira página. A melhor amiga de Polly é a melhor. Falando nisso, a inclusão de Star Wars em uma importante parte do livro é bem legal. E olhem que eu não sou fã dos filmes e tal.

Tarnie está na grande reviravolta e essa é uma das partes que me fez devorar a história! A dona da padaria (e do apartamento) ensina importante lições, principalmente, que a gente tem de seguir em frente. Têm fatos que não têm explicações e ficar atrás de cada uma, só faz a gente ficar presa no passado. O livro também fala muito sobre coragem, novos olhares e a importância dos amigos. Polly não é a minha protagonista favorita da vida, mas me ensinou muito! É nítido o crescimento dela, mesmo com algumas mancadas. O ex boy não achei totalmente lixo e subiu bastante no meu conceito, no decorrer das páginas.

Tive um mini infarto nos capítulos finais, mas logo me recuperei. Ainda bem, porque se não ia baixar bastante a nota da leitura hahaha! E eu tive muita vontade de comer pão durante a leitura. E eu adorei que a autora colocou as receitas! No mais, a capa é linda e o título, dessa vez, não achei que encaixou muito com o que eu li. Mas acho que é por conta do 1º livro da Jenny, que a propósito, você pode ler aqui a resenha.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! 

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – A Garota italiana

Fan Page ♥ Instagram 


0
05.11.2019
* A Louca da Papelaria: papel de carta! ♥

Eu não sei se alguém ainda coleciona papel de carta. Mas eu lembro que amava e tinha uma coleção linda!  Hoje em dia, o pessoal troca like, antigamente trocava papel de carta. E era tão legal, né? Não sei onde eles foram parar, mas achei um que comprei em uma viagem e, recentemente, me dei de presente também. Nada comparado ao clássico da personagem Moranguinho, mas fiquei tão feliz e nostálgica… Dai, resolvi fazer um post com alguns que achei pela internet. Vamos lá? ;-)

Papel de Carta - PJ 1Crédito da Imagem: Pequena Jornalista 

Esse, com envelope e adesivo, comprei lá em São Paulo, na Fancy Goods (que tem muita opção, gente). Tinha cada um mais lindo que o outro, mas me contive e levei só o dito cujo. Dá até peninha de usar, mas recentemente usei para mandar uma carta para uma amiga. E o da Giulietta, comprei em Verona, em uma das lojinhas da Casa da Julieta. Esse pacote eu quase não uso e quando uso é bem em ocasiões especiais, como a primeira carta para o namô hahaha. ;-)

Aliás, como o Pequena Jornalista é cultura e talvez, você que esteja lendo, nem saiba do que se trata, trouxe alguns fatos….  Por exemplo, sabia que o protagonista do post de hoje foi febre nos anos 80 e 90? Alguns, tinham até cheirinho e esses valiam ouro, pelo menos, para mim hahaha. Todos eram lindos e quanto mais fofo, melhor. Tinhas de variados tamanhos, alguns com envelope e o seu propósito? Enviar carta e, claro, colecionar e trocar! Com linhas ou não, faziam o nosso coração viver de amores.

Ficou com saudade? Trouxe alguns modelos que encontrei na Internet. Aliás, foi missão achar! Tudo bem que mandar DM, e-mail e afins é legal, mas nada se compara a escrever algo significativo em um doce papel de carta, né?

Papel de Carta - PJ 2Crédito das Imagens: Papel de Carta Shop; Lugar di Papel; Las Niñas e Brilhos e Purpurinas
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal. Gostaram? Podem opinar à vontade!
Ah! Caso conheça algum lugar que venda papel de carta. me avisa? Quero investir em mais! Aliás, na papelaria do Barra Shopping, a Art Nit, têm algumas opções também que eu já vi. Então, fica a dica para quem quer matar a saudade da infância. ;-)
E partiu trocar de papel de carta? Vamos fazer um clube? Hahaha 

Beijos, Carol.

Post Antigo: Últimas comprinhas

Fan Page ♥ Instagram   


0
04.11.2019
* Para assistir: A Família Addams! ♥

Ei, Gente! :) No finde, relembrei a minha infância indo ao cinema para assistir “A Família Addams“. Estalei os dedos como a clássica música pede e me diverti bastante com a história, que rende ótimas lições e uma doce (e assustadora, para combinar hahaha) nostalgia. Vamos lá? Pega a pipoca e o refri, que a sessão já vai começar! 

5933410.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Para começar, um resuminho da história: a Família Addams irá receber uma visita de parentes para uma importante celebração. Porém, vizinhos da misteriosa mansão estão com outros planos, que por incrível que pareça, são bem assustadores! Afinal, uma casa mal assombrada não combina nada com um bairro para lá de colorido e que precisa vender e garantir a audiência de um programa estilo “Irmãos à obra”.  Uma aventura de causar arrepios, provocar calafrios e matar a saudade dessa família! ;-)

THE ADDAMS FAMILY

E o que eu achei? Não é o meu filme favorito da vida, mas curti bastante, principalmente porque relembrei a minha infância!  Achei a animação muito bem feita e com personagens que marcaram uma época, desde o primo It até a maravilhosa mãozinha. Aliás, a Wandinha é a minha personagem favorita nessa versão e dá um banho no quesito proteger e amar a família! Mesmo com aquele jeitinho sombrio de ser. Já a filha da Margaux (apresentadora do tal programa) é uma típica adolescente viciada nas redes sociais e esse toque atual fez a diferença no filme. E o que falar do Tio Chico? Amei o destaque e o seu final hahaha. Enfim, ri bastante e quando acabou, nem senti que tinha passado.

Ou seja, a história tem ritmo! Ah! E uma trilha sonora maravilhosa. É impossível não ficar estalando os dedos depois de sair do cine e até mesmo quando o filme está rolando. Também tem lições valiosas e bem pertinentes, como respeito ao próximo, mesmo que o outro seja diferente do padrão e de você. Fiquei bem feliz com o final, mesmo não entendo algumas falas. Mas pode ser que eu tenha deixado passar algo!

THE ADDAMS FAMILY

THE ADDAMS FAMILY

THE ADDAMS FAMILYCrédito das Imagens: Adoro Cinema

Enfim, é um filme que vale a pena assistir com a sua família, seus amigos ou na sua própria companhia. E se você foi dessa época, prepare que essa história vai te deixar nostálgica! No mais, recomendo. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir – ABC do Amor e Meu primeiro amor

Fan Page ♥ Instagram  


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2019