26.03.2014
* Para ler (e assistir): A Menina Que Roubava Livros! ♥

Olá, Gente, tudo bem?

A dica literária de hoje é A Menina Que Roubava Livros. Uma leitura que ensina o real valor das palavras e que pode mudar uma vida. E muda mesmo! Sabe aquele livro que ao mesmo tempo em que você quer saber logo o final, você também não quer terminar de ler nunca? Loucura, eu sei. Acho que quando a gente se apega a uma história, o efeito é esse. Embarquei nesse livro, como nunca. Me apaixonei pelo Rudy, roubei livros com Liesel e me inspirei na sua coragem. Fiquei encantada com a biblioteca da mulher do prefeito, ganhei um pai amável (e o melhor acordeonista do mundo) e uma mãe rabugenta (mas com coração de ouro). Li e contei meus segredos para o Max e odiei o Hitler como ninguém. E conheci o outro lado da morte. Ah! E eu realmente acho que quando a morte conta uma história, você deve parar para ler. ;)



Informações: 
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca 
Preço: R$ 39,90 (comprei na livraria Travessa).



Frase:
– “Odiei as palavras e as amei, e espero tê-las usado direito.” ♥

E a história é assim: horas depois de ver seu irmão morrer nos braços de sua mãe, que era comunista, Liesel Meminger é adotada por Hans e Rosa Hubermann. Ao entrar na nova casa (localizada na Rua Himmel), trazia escondido na mala “O Manual do Coveiro”, livro que o rapaz que enterrou o seu irmão deixou cair na neve. Foi o primeiro dos vários livros que Liesel roubaria. O começo de uma carreira brilhante!

Através dos livros, Liesel descobre um mundo diferente do cenário triste de uma guerra, que transformava a Alemanha diariamente. Ela descobre o real significado do amor, da amizade e da lealdade. E as palavras que Liesel encontrou nessas páginas seriam mais tarde aplicadas ao contexto da sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, pai adotivo mais amável do mundo, e Max Vandenburg (o judeu do porão), o amigo quase invisível e que a família Hubermann ajudou de braços abertos, mesmo com todos os riscos.

A menina que roubava livros também conta com personagens fundamentais, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e primeiro amor. E a mulher do prefeito, sua melhor amiga e que também tem uma grande parcela de “culpa” por transformar esse amor pelas palavras mais possível. Sem eles, a sua história não teria a menor graça. E, claro, a narradora, mais conhecida como a morte! Que testemunhou a dor e a poesia da época em que Liesel teve sua vida salva diariamente pelas palavras.

Fofa essa imagem, né? 
Ah! Depois da leitura, vale assistir a história na telinha. Claro, que o livro é bem melhor. Mas o filme é tão apaixonante quanto. Amei a escolha dos atores! Me envolvi da mesma forma e chorei muito também! Me encantei pela relação dela com as palavras, com o pai (principalmente), com o Max e com a mãe. Faz jus ao livro, sabe? Só achei que eles exploraram bem pouco a relação dela com a mulher do prefeito! E merecia! Quanto ao Rudy… Sem palavras! Acho que todo mundo merece encontrar um primeiro amor parecido com ele. Aliás, as cenas dos dois lembraram muito o filme “Meu Primeiro Amor”. Aquele que o menino morre com a picada de abelhas. Acho que foi o filme que mais marcou a minha infância. E agora o filme A Menina Que Roubava Livros, marca do mesmo jeito. Dá um pulinho no cine, come uma pipoca, leva lencinho, pois vale muito a pena! Livros sempre são melhores, mas a história na telinha nem sempre é ruim! ♥
As cenas do filme! 
Os atores na vida real e o autor Markus Zusak. 
Ben Schnetzer – Max  
Sophie Nelisse  – Liesel 
Nico Liersch – Rudy
É isso, gente! Confesso, que foi difícil fazer esse post. Queria mostrar o que ele realmente significou. Mas acho que eu consegui pelo menos um pouco. :’) É um dos meus livros preferidos, sem dúvida! Que vale cada letrinha e, se você se permitir, aprende muito. Acho que só aumentou o meu amor pelas palavras, por livros, a saudade do meu pai e a vontade de ser uma escritora. Às vezes a vida não é tão boa, mas pequenas coisas podem fazer milagres. Como uma simples leitura. ♥
Fica a dica para quem ainda não leu. Já leu? O que achou? 
Enfim, podem opinar à vontade! 
Um beijo, C. 
P.S: crédito das fotos: Santo Google, Instagram The Book Thief Fans e Instagram The Book Thief Posts. 

13
24.03.2014
* Inspiração do Dia: Xadrez! ♥

Olá, Gente, tudo bem?

Ainda bem que o outono chegou, né? E espero que dias mais frios também! :)
Para as estações mais fresquinhas, na minha humilde opinião, o xadrez é super bem-vindo! E a inspiração do dia é assim. Deem só uma olhadinha. Ah!O look é da Flavia, do Fashion Coolture! ♥

Crédito da foto:
Fashion Coolture
Apaixonada pela saia e pela boina. O look está mega fofo e a cara do outono. E o melhor: superusável aqui no Brasil, já que a maioria das cidades o calor continua firme e forte, né? :)
Ah! Para quem adora misturar estampas, mas não sabe muito bem como fazer, o blog Fashion Coolture é uma ótima fonte de inspiração. 
E vocês? O que acharam? 
Podem opinar à vontade!
Um beijo e boa semana,
C. 

2
23.03.2014
* Para pensar: Recomeço! ♥

“Páginas em branco. A cada passo, 
um recomeço. 
É sua vida e de mais ninguém.”
(Fernanda Mello)
Boa semana pra gente. Bom recomeço! ;-)
Um beijo, C. 

1
18.03.2014
* Inspiração do Dia: Jardineira! ♥

Olá, Gente, tudo bem?

Quando eu era criança, adorava usar macacão. Era uma das peças mais presentes no meu guarda-roupa! Era tipo “meu pretinho básico” hahaha! E a inspiração do dia é com uma jardineira superfofa, usada pela blogueira Chiara, do The Blonde Salad. ♥

Crédito da foto:
The Blonde Salad

E as peças usadas para compor o look? Amei!
Modelito ideal para ir ao cine ou… Andar de bicicleta! Sem falar que é superconfortável! Tem gente que usa com sapatilha, tênis e, até mesmo, scarpin (para ocasiões mais sofisticadas!). Sei que a peça está em alta agora, mas na minha humilde opinião é mega bem-vinda no outono/inverno também. Enfim, depende do gosto de cada uma! ;-)

Pequena curiosidade: O macacão jeans surgiu como uniforme de operários, mas nos anos 90 saiu do chão de fábrica e ganhou espaço no mundinho da moda. ;-)

Gostaram? Podem opinar à vontade!
Um beijo, C.


6
16.03.2014
* Para pensar: Sonhe alto! ♥
“Sonhe alto. O máximo que pode acontecer é
você realizar um sonho à altura.”
(Pedro Gabriel – Eu Me Chamo Antônio)
Esse Pedro Gabriel sabe das coisas, né? 
Mas não adianta só sonhar, tem que correr atrás. Afinal, nada cai do céu! ;-)
Um bom domingo, gente!
Beijo, C. 
P.S: crédito da foto: Andy, do Styles Scrapbook. 

5

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020