17.10.2019
* PJ Leu: Quando não há palavras! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é “Quando não há palavras“, da autora Julie Buxbaum. Publicado pela Galera Record, é um YA (Young Adult) que conta a história de uma menina de luto e um menino diferente, onde uma tragédia acaba unindo os dois. Vamos lá? Boa resenha! 

IMG-2410Livro: Quando não há palavras | Editora: Galera Record | Autora: Julie Buxbaum
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 2 livros!

Sinopse: Kit Lowell perdeu o pai em um acidente de carro e, de uma hora para outra, seu mundo perdeu o colorido. As amigas, a mesa onde sempre se sentou na hora do almoço, as aulas e, até mesmo, o sabor da comida indiana da sua mãe não tem mais graça. A ausência do pai se tornou a presença que ela não consegue evitar! Já David Drucker tem Asperger, declama pi numa sequência de centenas de algarismos (de cor) e sente dificuldade de entender figuras de linguagem e não compreende sentimentos alheios. Ainda bem que pode contar com a sua família e com um caderno, onde anota tudo que considera digno de nota.

Kit precisa de alguma maneira se reinventar para lidar com o luto. Então, a mesa de David parece um bom lugar para recomeçar. Ele, por sua vez, é honesto demais e está cada vez mais atraído pela natureza curiosa dela. E no meio disso tudo, ela pede ajuda ao mais novo amigo para desvendar os detalhes do acidente do pai. Porém, o que nenhum dos dois esperavam era a surpresa que a vida reservou. Será que a amizade (ou algo a mais) irá sobreviver a dura verdade?

Opinião da Pequena: Vi esse livro no aeroporto e meu namorado me deu de presente na Bienal. Confesso que a princípio a história parecia ser daquelas que prende do início ao fim… Afinal, a premissa é muito boa! E no começo foi desse jeito, mas a leitura começou a ficar arrastada e eu quase abandonei o livro! Porém, decidi continuar. E um pouco depois do meio até mais ou menos o final, a leitura fluiu mais! Daí, quando teve aquela reviravolta…. Por mais impressionante que fosse, não mexeu comigo como eu achei que poderia mexer!

Mas é claro que tiveram coisas boas! Adorei a sinceridade do David, saber um pouco mais sobre Asperger e achei totalmente compreensível a reação da Kit. Acho que ela vai evoluindo no decorrer das páginas e o nosso protagonista também! Muitas lições nessa história, como ser a gente mesmo e que não ser compreendida, às vezes, é uma boa perspectiva! A irmã do David é a melhor e a mãe dele também. O pai me surpreendeu de forma positiva! A mãe da Kit tem os seus prós e contras, mas acho que a partir do momento que a gente fica mais velho, suas atitudes são mais compreensíveis. Torci pelo Jack (vai entender, mas sei lá hahaha) e adorei o professor de violão do David.

Acho que a história merecia mais páginas. Por mais que a leitura não tenha fluido da melhor forma, algumas coisas ficaram muito no ar. E, sei lá, gosto de usar a minha imaginação, mas eu queria algumas respostas, sabem? No mais a capa é linda e a escrita da autora é bem boa, mas acho que só não bateu e acontece, né? Mas fiquem à vontade para embarcar. Até porque o que pode não ser tão legal para mim, pode ser para vocês! 

É isso, gente! Quem já leu, conta o que achou. Quem ainda não, fica a dica! ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Três coisas sobre você

Fan Page ♥  Instagram


0
28.05.2018
* Top 5: Livros com pegada teen! ♥

Ei, Gente! :) Quem ama embarcar em uma história YA (Young Adult)? Não sei vocês, mas eu adoro esses livros de jovens adultos. Sempre tiro uma lição, me divirto e me emociono horrores! Pensando nisso, separei cinco livros com essa pegada mais teen. Não sei ao certo se todos se encaixam nesse gênero, mas já dá para perceber a ideia. Espero que gostem das indicações. Bom post! 

Post PJ - Top 5 - YACrédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. Para todos os garotos que já amei (Jenny Han – Editora Intrínseca) 
Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu para os cinco garotos que já amou. As cartas são sinceras, ela não reprime nada. Escreve tudo o que sente, sem joguinhos. Na vida real, ela jamais diria tudo isso a eles. Até que um dia, alguém envia essas cartas aos destinatários. Resultado? A vida amorosa da protagonista vira de pernas para o ar!
Observação da Pequena: Sabe aquele livro amor? É esse! Desse gênero, é um dos meus preferidos. Ah! Tem mais dois, que ainda não consegui ler. E em julho, se eu não me engano, a Netflix vai liberar o filme inspirado nessa história literária. Para saber mais sobre o que achei do romance da Jenny, é só clicar aqui 

2. Os diários de Carrie (Candance Bushnell – Editora Record) 
Sinopse: Um livro que conta o começo de tudo da história de Carrie, aquela de Sex and The City. Sua adolescência, sua família, amigos, amores e como ela foi parar em NY. Também descobrimos como ela se tornou escritora e outros segredos.
Observação da Pequena: São dois livros que abrem os diários de Carrie, mas esse é o meu favorito. Inclusive, amo a série que teve inspirada nele. Mega recomendo, principalmente, se você é fã da icônica série Sex and The City.

3. Amy & Matthew (Cammie McGovern – Galera Record) 
Sinopse: Matthew sabia quem era Amy, mas não fazia a menor diferença! Afinal, ele também sabia quem eram várias outras pessoas e nem por isso era amigo delas. Amy vivia numa cadeira de rodas, não conseguia verbalizar com ninguém. Só com a ajuda de um computador, ela conseguia se expressar. Porém, mostrava para os outros que era feliz o tempo todo. Até o dia em que Matthew disse a Amy tudo o que pensava sobre sua eterna fachada de felicidade. Sendo assim, Amy viu que era exatamente disso que precisava. Durante um período, Amy seleciona alguns “amigos” para ter ajuda extra na escola (pegar livros, colocá-la no carro e tal). A partir daí, Amy e Matthew viram inseparáveis e ela acaba descobrindo que ele também precisa de ajuda (tanto quanto ela). E quando a relação, que começou com uma amizade, se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava e nem sabem definir, eles percebem que tudo foi dito…. exceto o que mais importava. ;-)
Observação da Pequena: É um dos livros (com essa pegada) mais intensos que já li, mas com uma escrita leve e com personagens bastante ricos. Eu amei e mega recomendo! Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

4. Confissões de uma garota excluída mal-amada e um pouco dramática (Thalita Rebouças – Editora Arqueiro) 
Sinopse: Tetê acaba de se mudar com a família toda para a casa dos avós em Copacabana (RJ), pois com a crise o pai perdeu o emprego e eles tiveram que sair do lindo apartamento na Barra da Tijuca. Resultado? Sua vida virou de cabeça para baixo! Ela perdeu sua privacidade e sua referências. A parte boa foi se livrar do antigo colégio, onde sofria bullying devido ao seu jeitinho peculiar de ser. O problema é que a nossa protagonista está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola e sem conhecer ninguém. Seus maiores medos: de ser excluída novamente, de não fazer amigos e sofrer com tudo isso! Tetê é uma garota divertida, bem-humorada e que adora cozinhar. Porém, está muito mal. Será? Acontece que uma das características dela é ser (um pouco) dramática! Afinal, no primeiro dia de aula as coisas já parecem um pouco diferentes. Ela já conheceu na prática a palavra amigo! Enfim, com o tempo, ela vai descobrir que sair da zona de conforto e enfrentar seus medos é a única maneira de ser feliz. :)

Observação da Pequena: Tetê nos representa, ao menos, em algum momento da vida. Amei essa história criada pela Thalita Rebouças e recomendo a todos, sem exceção. Solte o lado adolescente que existe em você ou relembre! Quem quiser saber mais, só clicar aqui.

5. À procura de Audrey (Sophie Kinsella – Galera Record) 
Sinopse: Audrey é uma adolescente de 14 anos, que tem uma vida comum. Até que um dia, começa a sofrer bullying no colégio. O que parecia ser só uma implicância “inocente”, acaba mudando radicalmente a rotina da nossa protagonista. Resultado? Ela não consegue mais voltar ao colégio, sente pânico quando tem que encarar alguém desconhecido e se esconde atrás de um óculos escuros, faça chuva ou faça sol. Seu diagnóstico: transtorno de ansiedade social e generalizada, além de episódios depressivos. Mas aos poucos, Audrey começa a se recuperar com a ajuda da Dra. Sarah, que passa desafios como gravar um documentários e ir até o Starbucks. Ela também conta com uma ajudinha extra do amigo do seu irmão: o Linus. O que era uma conversa fora dos “padrões” vira uma relação incrível, que afeta todos da história.
Observação da Pequena: Não é o meu livro favorito da vida, mas é Sophie Kinsella, né? Então, não poderia ficar de fora desse Top 5. Além disso, tem umas lições bem bacanas. Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

***

É isso, gente!  Claro, que a lista vai além. Quem tiver mais indicações, é só acrescentar nos comentários. E quem já leu algum desses, conta o que achou. ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Top 3 – livros caninos!

Fan Page ♥ Instagram   


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2019