22.06.2020
* PJ Leu: Vozes negras! ♥

Ei, Gente! :) Há um tempinho, vi a resenha desse livro lá no blog Leia Pop. Fiquei bem curiosa e terminei recentemente a leitura. São 4 contos que mostram a importância da representatividade. Então, vamos lá? Com vocês: o que eu achei de Vozes Negras. Boa leitura! ♥

Conto: Vozes Negras | Editora: Se liga Editorial | Autoras: Pétala Souza, Isa Souza, Flor Priscila, Maria Ferreira e Amanda Condasi
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Um livro e quatro contos de mulheres duplamente silenciadas, tanto pelo gênero quanto pela cor. Histórias que reivindicam o protagonismo e autoras que narram a trajetórias de personagens que estão em busca de seus ideais e, claro, da representatividade. Temos coincidências, carimbos e memórias, sinônimos insuficientes para o futuro e bailarinas na ponta dos sonhos.

Opinião da Pequena: Desde o dia que embarquei no livro “O ódio que você semeia”, me deparei com uma realidade oposta da minha. Aquela leitura plantou uma sementinha de que eu tinha de sair da minha bolha. E quero muito saber o que posso fazer para melhorar a vida de quem é silenciado diariamente! E acho que uma das formas é lendo! :)

Sei que o tema antirracismo está em alta e espero que ele não se perca no meio de tantas notícias. E quero cada vez mais ler sobre, entender um pouco e mudar pequenas atitudes, que possam afetar o próximo, mesmo que não seja de propósito. Daí, eu já tinha escutado falar desse livro, mas depois da resenha que li, vi que “Vozes Negras” tinha de ser a minha próxima leitura.

Cada conto é uma representatividade e a forma como as autoras narram traz leveza e seriedade. Tudo na medida certa! O racismo é visto nos mínimos detalhes. Seja em um amor não correspondido, entre carimbos e memórias, numa fantasia ou na ponta do pé. Aliás, todas as histórias mexem com o leitor. Vai ter identificação e/ou aprendizado! Todo mundo sai ganhando, principalmente, quem não se vê representado a maioria das vezes. Aliás, que esse livro também seja um estopim para que as coisas mudem!

Como sou jornalista, a Glorinha é uma das personagens que mais tive apego e o que falar da sua professora? Não tenho certeza, mas acho que a história tem a ver com a Glória Maria. Vibrei com a Amara quando ela foi para são Paulo e ela tem os melhores amigos e família! E que ela encontre alguém na vida amorosa que faça jus a sua leveza e palavras. Aliás, amei a escrita da Maria e quando a gente se toca já chegou ao fim e quer saber mais! Fiquei um pouco tensa com o conto do vírus. Não fluiu muito e não sei se captei exatamente a mensagem. Mas levei para a vida quando as autoras falaram que a maturidade acontece dentro de um desconforto. Por fim, Dandara é a minha bailarina preferida. Foi um conto que me inspirou muito a correr atrás dos meus sonhos e chorei de rir com as suas amigas, família… Ah! E tenho um novo crush: Rafael hahaha. ♥

No mais, é uma leitura que flui, na maioria das vezes, e que vale cada página. Acho que cumpriu bem o papel dele e espero que mude a vida de muitas leitoras e que nenhum voz seja calada. Ah! Destaque para as ilustrações, que dão um toque todo especial em cada capítulo e, claro, na capa. E esse livro contém um dos prefácios mais incríveis do mundo literário!

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – O ódio que você semeia!
Fan Page ♥ Instagram 


11

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021