29.06.2020
* PJ Leu: O que acontece em Londres! ♥

Ei, Gente! :) E a última dica literária do mês é: O que acontece em Londres, da Julia Quinn. O livro, publicado pela Arqueiro (parceira do blog), é o segundo da trilogia “Bevelstoke“. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: O que acontece em Londres | Editora: Arqueiro | Autora: Julia Quinn
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Há um boato de que Harry Valentine matou a própria noiva. Olivia Bevelstoke não acredita nisso, porém, por via das dúvidas, acha melhor espioná-lo, já que o rapaz é o seu mais novo vizinho! Tudo a postos: encontra um lugar perto da janela do quarto e se esconde atrás da cortina. Logo descobre um homem intrigante e que, sem sobra de dúvida, está tramando algo com o seu chapéu e inúmeros papeis.

Mas nem tudo é o que parece: Sir Harry, na verdade, trabalha para o Departamento de Guerra inglês, traduzindo documentos vitais para a segurança nacional. Não é um espião, mas já passou por treinamentos para ser um e logo de cara percebe que a sua vizinha está o observando!

Mas chega à conclusão de que ela é só uma bisbilhoteira e descobre também que a jovem está sendo cortejada por um príncipe russo suspeito de conspirar contra a Inglaterra. Ou seja? Querendo ou não, agora ele vai ter de espioná-la e talvez essa missão represente uma paixão, que nenhum dos dois imagina. ;-)

Opinião da Pequena: A Olivia é uma das minhas personagens favoritas do primeiro livro da trilogia. Então quando li que a história seria dela, tive de embarcar, né?

Para começar: a premissa! Achei bem divertida. É clichê, mas ao mesmo tempo não é, sabem? Claro que a gente imagina, de cara, o que vai acontecer. Mas a forma como tudo é contado que faz a diferença, mesmo com algumas ressalvas. A escrita da Julia Quinn tá bem intacta e faz a gente suspirar por mais um romance de época.

Harry e Olivia são protagonistas dos melhores diálogos. Desde o comecinho do relacionamento até o clímax, mas não vou dar spoiler! Amei ele por conta do nome (sou dessas hahaha) e o jeito meio intrigante conquista de cara. Olivia não é a personagem que mais me identifiquei, porém, é aquela amiga que eu queria ter na vida. Aliás, ela não é leitora voraz de livro, mas ama um jornal e acho que tem futuro para entrar no mundo dos leitores hahaha.

Achei o Sebastian bem maluquinho e o príncipe russo me lembrou um pouco o Gaston. Por falar nele, seu guarda-costas me surpreendeu! As cenas de um tal livro (que amei a criatividade do nome) são hilárias e eu soltei a minha imaginação. A rixa entre o Harry e o vulgo Gaston rende boas risadas e alguns trechos dão raiva. Queria que alguns personagens aparecessem mais, tipo a Mary, os irmãos e tal… Porém, fiquei feliz que a gente teve atualizações do livro 1.

Enfim, eu adorei a história e suspirei muito! Algumas partes esperava mais e achei alguns capítulos do meio para o final meio confusos e resolvidos de uma forma muito rápida. Minha cabeça fez um bolôlô, sabem? Mas aí vieram as últimas páginas e achei tão incrível, que quase tudo fez sentido! Enquanto o primeiro teve um dos casamentos mais sem graça, esse teve um pedido maravilhoso!!

Ah! A capa é linda e é uma das minhas favoritas! Falando nisso, eu fiquei imaginando os figurinos e os penteados da Olivia. Acho que é isso! Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – História de um grande amor
Fan Page ♥ Instagram


0
28.05.2019
* PJ Leu: Uma noite com Grace Kelly! ♥

Ei, Gente! :) Algumas histórias a leitura acaba não fluindo tanto e eu acabo demorando mais tempo para publicar resenha sobre aqui no PJ. Mas podem ficar tranquilos, que hoje tem dica literária, que a propósito é: Uma noite com Grace Kelly, escrito pela Lucy Holliday. Vamos lá? Bom post!

IMG_8144Livro: Uma noite com Grace Kelly | Editora: Harper Collins| Autora: Lucy Holliday
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 2,5 livros!

Sinopse:  No terceiro livro da trilogia “Uma noite com…”, Libby finalmente se deu conta de que seu melhor amigo, Olly, é o seu verdadeiro amor. Porém, tudo indica que já é tarde para essa descoberta, já que o dito cujo parece ter partido para outra. Pois é, as coisas na vida dela não são fáceis e todos os setores, desde o amoroso até o profissional, não dão descanso . Mas graças ao sofá mágico, nossa protagonista tem um outro encontro surpreendente: dessa vez, Grace Kelly faz umas visitas com aprendizados que estão longe de ter uma cara de contos de fada, mas, às vezes, o pé no chão é a melhor saída. Será?

Minha opinião: Eu li o 1º e o 2º livro e amei tanto que a minha expectativa para o 3º era bem alta. Porém, não superou muita coisa não, gente! Apesar da Grace Kelly ser uma figura icônica e nessa história trazer aprendizados realistas que fazem a gente crescer, eu achei ela bem blasé e a aparição dela mínima (não conheço muito a história dela, então, não sei se bate ou não com a realidade)! O que era para ser um tchan na história, não rolou muito, sabem? E apesar de ter coisas novas e tal, meio que a leitura não fluiu e eu quase desisti no meio. Mas fui até o fim!

Quanto aos outros personagens: não ri tanto com a Libby dessa vez, entretanto, ainda tenho um carinho por ela! Em contrapartida, Dillon me conquistou nesse livro e adorei as suas participações. Olly continua fofo e Tash uma chata! A irmã e a mãe no mesmo esquema, mas com algumas surpresas boas no 45 do 2º tempo. Sobre o Joel, não posso falar muito, porque corro o risco de dar spoiler. E outros personagens a autora cortou total com eles e eu queria meio que uma reviravolta. Mas claro que não estou aqui só para falar que não gostei e tal. Como contei, quase desisti, mas fui até a última página porque a trilogia me proporcionou muitas risadas e aprendizados que levo até hoje! Então, continuei em forma de agradecimento. E os últimos capítulos até aproveitei mais, principalmente, com o resgaste de algumas personagens que amei conhecer, mesmo que na minha imaginação. Achei meio corrido, mas até que curti. Teve clichê do jeitinho que eu gosto! 

E uma observação que quase nunca falo sobre: a ortografia desse livro, ao menos a edição que eu tinha, tinha muita bola fora. Tipo palavras faltando letras, parágrafos faltando continuação. Claro que todo mundo tem direito ao erro e quem sou eu para julgar, mas isso, dessa vez, me incomodou além da conta. Então, talvez isso não tenha ajudado muito na minha impressão. :(

É isso, pessoal. Apesar dos poréns, acho que a história pode bater de forma diferente em cada leitor, viu? E eu estou mega aberta a debates construtivos! A minha única dica é que não vá com muitas expectativas ao ler Uma noite com Grace Kelly. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Uma noite com Audrey Hepburn

Fan Page ♥  Instagram


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020