22.02.2021
* Top 5: Romances contemporâneos! ♥

Ei, Gente! :) Romances literários abrangem vários gêneros. Do chick lit ao de época, passando pelo drama até o contemporâneo. É tanta opção, que às vezes me confundo hahaha!

Mas para o post do dia, trouxe cinco livros que retratam bem o o último estilo que falei. Não chega a ser uma comédia romântica clássica, em contrapartida, é quase isso. São leituras leves, mas com um toque mais de drama. Tem humor, mas não é o ponto forte, digamos assim.

Uma coleção que resume bem o que eu tô falando é a “Romances de hoje“, da Editora Arqueiro. ;-) Enfim, vamos ao top 5 da vez? Que acho que vai dá para entender melhor hahaha. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
(Lou Click) ♥

1. Daqui a cinco anos (Rebecca Serle – Paralela)
Sinopse:
Dannie Kohan sabe onde quer estar daqui a cinco anos. O emprego no escritório de advocacia dos sonhos, o noivado com o namorado, entre outros planos. Até o dia em que acorda e percebe que está em uma realidade diferente. Mas quando desperta novamente, tudo volta ao normal e acredita que só foi um sonho! Quatro anos e meio depois, ela vê o cara misterioso daquela página da sua vida e tem uma surpresa nada agradável.
Observação da Pequena: Uma escrita que prende e um romance que chama atenção! Não é uma protagonista que me identifiquei, mas que me ensinou bastante. Tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

2. Paris para um e outros contos (Jojo Moyes – Intrínseca)
Sinopse:
São dez pequenas amostras da escrita de Jojo Moyes! Um fim de semana em Paris, um assalto em uma joalheria, uma mulher que passa o dia inteiro com sapato de outra pessoa e um shopping lotado na época do Natal. E em “Lua de mel em Paris”, que fecha a coletânea, Jojo Moyes brinda os leitores com um reencontro com as personagens do best-seller “A garota que você deixou para trás”.
Observação da Pequena: Ótima opção para quem quer conhecer a escrita da autora e se deliciar em situações cotidianas. Tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

3. Não se esqueça de Paris (Deborah McKinlay – Globo Livros)
Sinopse:
Eve Petworth vive reclusa em sua casa na Inglaterra. Ela divide seu tempo entre os livros, a culinária e os preparativos para o casamento da sua única filha, Izzy. Jackson Cooper é um bem-sucedido escritor norte-americano que passa por uma crise existencial. Em um rompante de coragem, Eve decide escrever uma carta para Jackson, um de seus autores preferidos, elogiando uma passagem de uma de suas obras. Apesar de estar acostumado com o assédio das fãs, algo na carta de Eve a conquista, e uma longa troca de correspondência se inicia entre eles. À medida que se conhecem, Jackson, cede à curiosidade e decide marcar um encontro com Eve.
Observação da Pequena: É o típico romance que aborda temas sérios, mas de um jeito leve. Porém, com um tom diferente de uma comédia romântica. Tem drama, cartas e Paris! Tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

4. A casa dos novos começos (Lucy Diamond – Arqueiro)
Sinopse:
Rosa larga a carreira de sucesso em Londres e, num impulso, recomeçar a vida como sous-chef em Brighton. Já Georgie, se muda para o Sul com o namorado, Simon, atrás de uma incrível oportunidade… para a carreira dele. Charlotte, que após uma grande tragédia, passa as noites isolada em seu novo apartamento. Mas graças a Deus, tem Margot, uma senhorinha que mora no último andar, tem outros planos para ela. Então, quando as três se conhecem, a esperança renasce, uma amizade surge e um novo capítulo começa.
Observação da Pequena: O meu livro favorito da coleção “Romances de Hoje”. É intenso, emocionante e que faz a gente ficar com ressaca literária. Tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

5. Não é errado ser feliz (Linda Holmes – Intrínseca)
Sinopse:
Evvie Drake raramente sai de casa, mesmo um ano após a morte do marido. Dean, é um ex-arremessador que está passando por uma fase bem ruim na sua carreira. Para ficar longe de tudo que faz mal, ele acaba se mudando para o apartamento anexo à casa de Evvie. Quando se conhecem, os dois combinam de ela não perguntar nada sobre beisebol e ele de não tocar no assunto do falecido marido dela. Mas será que ambas as regras serão quebradas? ;-)
Observação da Pequena: Foi o 2º livro que li esse ano e entra nessa categoria. Lembra um pouco “Não se esqueça de Paris”, mas claro, em outras condições. Tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

**

Acho que é isso, pessoal. Espero que tenha dado para entender o gênero que eu quis destacar no blog hoje. Se alguém tiver alguma descrição melhor, fica à vontade, viu? :) E dicas de livros assim são sempre bem-vindas!

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Teto para dois
Fan Page ♥ Instagram 


2
03.02.2021
* Top 5: histórias para rir! ♥

Rir é o melhor remédio. E uma leitura, dependendo da história, faz a gente sorrir de orelha a orelha! Para diminuir o estresse ou sair de uma ressaca literária, nada melhor do que livros leves e que fazem a gente morrer de vergonha de ler na rua de tanto que ri. Então, para o post do dia, separei cinco títulos que tiveram essa função na minha vidinha. Vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Para começar, escolhi um livro de uma das personagens mais cômicas do universo literário: Os delírios de consumo de Becky Bloom, da Sophie Kinsella. A cada história, ela evoluiu, mas a sua essência doidinha do bem, continua intacta. É impossível não rir das trapalhadas dela e esse é um tipo de livro que não posso ler na rua, se não vou passar vergonha hahaha. Brincadeirinha! ;-)

E também temos autoras brasileiras incríveis que deixam a barriga doer de tanto rir. Por exemplo? “Adulta sim, madura nem sempre“, da Camila Fremder. Ela já é maravilhosa no Insta, mas os livros dela são uma injeção para deixar a vida menos pesada, mesmo com as coisas chatas, que qualquer ser humano acaba enfrentando. Tem uma parte que as mamães se identificam mais, porém, quem ainda não é mãe, se diverte também.

E um livro que deu um up na minha relação com a vida amorosa e me ajudou a entender melhor como lidar foi “Freud, me tira dessa“, da Laura Conrado. É impossível não se identificar com a Cat! O mais legal é que a gente chora de tanto gargalhar, mas também aprende um monte de lições valiosas.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Voltando aos autores gringos: A lista que mudou minha vida, da Olivia Beirne, é um exemplo nítido de chick-lit, que te faz sorrir, gargalhar e querer ser a melhor amiga da protagonista. Tem a parte série, mas o livro é repleto de capítulos divertidos e bem gente como a gente.

Por fim, mas não menos importante, temos a rainha do romance de época… Julia Quinn, com “Como agarrar uma herdeira“. Todas as histórias dela tem uma pitada de comédia. Mas esse é o mais divertido, juro!! E um dos meus preferidos. Não queria largar esse livro e contém páginas que deixam a vida do leitor mais engraçadinha e feliz. ^^

Agora me contem: o último livro que te fez rir muito? Ah! Todos esses que citei, vocês encontram a resenha clicando no nome de cada um. No mais, podem opinar à vontade. E essa semana, vou colocar em dia as visitas pela blogosfera, ok?

Beijos, Carol.

Post Antigo: Livros que adoçam a vida!
Fan Page ♥ Instagram  


2
27.01.2021
* Top 5 literário: Taylor Jenkins Reid! ♥

Ei, Gente! :) Para o top 5 literário da vez, selecionei histórias de uma autora gringa que sempre encontro nas livrarias: Taylor Jenkins Reid. Quer dizer, não ela, mas os livros dela hahaha. Enfim, vamos lá? Bom post. ♥

Para começar, queria dizer que o meu primeiro contato com ela, foi incrível. “Em outra vida, talvez?” entrou para a minha listinha de favoritos. É um romance bem com a cara de chick-lit e com uma pegada de realidade paralela, mas de forma leve e divertida. Já a segunda vez em que eu embarquei em uma história dela… Fuén! :( “Amor(es) Verdadeiro(s)” não me prendeu tanto o quanto imaginei e foi uma leitura bem arrastada! Mas acho que sou uma exceção, porque escuto todo mundo falando bem hehehe. Acontece, né?

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

Confesso, que depois do segundo livro, tento não criar muitas expectativas com os outros. Mas acho que como uma história me conquistou 100%, vale a pena dar uma chance! Por isso, esses três estão na minha listinha. Vejam só:

1. Depois do sim (Editora Paralela)
Sinopse:
Lauren e Ryan chegam à conclusão de que não estão felizes juntos. Mas o fim, pode ser o começo. Um ano diferente, mas com aprendizados importante para ambos se conhecerem de verdade (mais do que imaginam).
Observação da Pequena: Pela sinopse, acho que é o tipo de livro que eu vou curtir. Aliás, foi um dos últimos que vi na livraria e quase coloquei no carrinho. Fico meio assim, porque algo lembra “Amor(es) Verdadeiro(s)”, mas acho que esse ano rola a leitura dele.

2. Os sete maridos de Evelyn Hugo (Editora Paralela)
Sinopse:
Lendária estrela de Hollywood, Evelyn Hugo sempre esteve sob os holofotes. Agora, prestes a completar oitenta anos e reclusa em seu apartamento no Upper East Side, a famigerada atriz decide contar a própria história (ou sua “verdadeira história”). Monique Grant, jornalista iniciante, ficou com essa missão e logo vai perceber que nada é por acaso.
Observação da Pequena: Acho que esse é um dos livros mais famosos da autora. Confesso, que a curiosidade bate mais pela fama dele, mas acredito que eu possa me surpreender. Olha eu criando expectativas hahaha!

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

3. Daisy Jones e The Six (Editora Paralela)
Sinopse: Todo mundo conhece Daisy Jones & The Six. Nos anos setenta, dominavam as paradas de sucesso, faziam shows para plateias lotadas e conquistavam milhões de fãs. Eram a voz de uma geração, e Daisy, a inspiração de toda garota descolada. Mas no dia 12 de julho de 1979, no último show da turnê Aurora, eles se separaram. E ninguém nunca soube por quê. Até agora.
Observação da Pequena: Esse também é bem famoso, mas nunca me atraiu muito. Em contrapartida, a informação de que a narrativa é escrita através de entrevistas fictícias, me chamou muita a atenção!

***

É isso, pessoal. :) Lição do dia: tentar não apostar todas as fichas de leitora, mas sempre dar chances. Cada história pode mexer de um jeito com a gente! Agora me contem: vocês já leram algo Taylor?

Beijos, Carol.


3
24.11.2020
* 5 coisas boas que aconteceram em 2020! ♥

Ei, Gente! Falta 1 mês e pouquinho para esse ano doido acabar. Sem dúvida, não foi o melhor da vida. Por motivos óbvios e outros também! Mas durante a tempestade, sempre aparecem alguns arcos-íris. E nesse clima de repensar tudo o que tem acontecido, resolvi olhar o lado bom e relembrar 5 coisas que deixaram 2020 mais leve. Vamos lá? ♥

1. Já era próxima da minha irmã mais nova e do meu cunhado, mas com a pandemia, a gente acabou ficando ainda mais! Eu, ela, ele e meu namô formamos um belo quarteto com churras na varanda. E, claro, com a Jeanninha do lado tentando roubar carne, com uma rede mara e cada pôr do sol, que MEU DEUS!

2. No comecinho de 2020, eu tava bem desanimada com a minha vida profissional. E no meio de tantas demissões, consegui freelas que me ensinaram muito e mostraram que eu tô no caminho certo. Ainda bem! E o blog deu passos que sempre quis. Enfim, que venham mais e mais trabalhos incríveis. Aliás, eu to mega solta nos stories e nas lives! Quem diria? E o Insta do PJ deu uma renovada, graças a minha irmã. Obrigada, Lulu!

3. No comecinho da quarentena, confesso que me dava raiva ver pessoas na rua e sem máscara (olhando da minha varanda). Hoje, não julgo quem sai, mas quando tá sem o nosso acessório “tem que ter” ou finge que usa, fico possessa. Mas apesar disso, a minha empatia aguçou muito. Não tomar cuidado, não só me prejudica, como pode ter consequências para o outro. Falando nisso, protestos que eu sabia apenas por alto, dessa vez fui além. Mantive posições, revi outras e aprendi novas.

Crédito da Imagem: Bacon Frito!

4. Eu tô com muita saudade de ir ao cine. Mas ainda bem que existe Netflix, Amazon e por aí vai. Conheci histórias que entraram na minha lista de favoritos e maratonei séries e filmes como nunca. E aquelas que todo mundo assistia, eu finalmente embarquei, como Modern Family. E no quesito literário, tive meus bad days, mas me aventurei em novos gêneros e me apaixonei ainda mais por chick-lit.

5. Vi que a gente se adapta e dá valor ao que nunca deu antes, como a liberdade de sair. Tudo bem que o Rio é perigoso e tal, mas ter um vírus no meio disso tudo, dá ainda mais medo. Mas a gente se adapta às mudanças. E cada um tem o seu tempo! Não é romantizando a quarentena, até porque imagino o quanto de coisa ruim acontece. Porém, às vezes, diferentes posicionamentos, podem melhorar ainda mais uma relação. Seja amorosa, familiar ou de amigos. ♥

Crédito da Imagem: @naniape

Enfim, ainda têm outras coisas boas. Tipo o nascimento da minha afilhada, Malu. O niver diferentão da quarentena. O tempo todo agarrada com a minha doguinha perfeita e convivendo mais com o meu namorado, irmã e cunhado. O novo assusta, porém, aos poucos a gente vai. Quero que tudo volte ao normal, mas que as lições e as mais recentes lembranças (boas) fiquem e virem rotina também!

Agora me conta uma coisa boa que aconteceu nesse ano. Tenho certeza que tem! Seja uma ligação inesperada e um sorriso que alivia tudo! Mas se tiver tudo meio estranho, tudo bem. Tenta amanhã! ;-)

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Quarentena da Pequena – Parte 1
Fan Page ♥ Instagram  


5
20.11.2020
* Top 5 – Consciência Negra: Histórias que todo mundo deveria ler! ♥

Ei, Gente! :) 2020 tem tido casos de racismo bem tensos. Aliás, não só esse ano, né? Há tanto tempo isso acontece! :( Às vezes, não sei muito bem como agir. Mas uma forma que encontrei para buscar saber mais o que eu não vivo diariamente, é lendo. Através de histórias, vejo onde posso melhorar, repensar atitudes e tal. Então, no Dia da Consciência Negra, selecionei cinco livros com essa temática, que todo mundo deveria ler! ♥

Crédito das Imagens e Montagem: Pequena Jornalista

1. O ódio que você semeia (Angie Thomas – Galera Record)
Resuminho:
Starr vive entre dois mundos: o bairro pobre onde mora e o colégio particular em que estuda. Até que esse equilíbrio é quebrado: Starr presencia a morte de seu melhor amigo de infância, Khalil, por um policial. Khalil estava desarmado. Starr é a única testemunha. Dizem que a justiça é cega, e é isso que Starr está prestes a descobrir!
Observação da Pequena: É uma história que me fez enxergar o outro lado, que eu tinha uma ideia bem vaga. Vi que temos de parar com achismos e que a gente não sabe nem a metade do que não é a nossa realidade. E apesar do tema ser bem triste, a autora conseguiu contar através de uma escrita leve e fluida. Tem resenha aqui.

2. Na hora da virada (Angie Thomas – Galera Record)
Resuminho:
Bri tem 16 anos e quer se tornar a maior rapper de todos os tempos. Filha de uma lenda do hip-hop que morreu assim que estourou nas paradas de sucesso, ela tem grandes expectativas para superar. Em sua primeira música, Bri joga toda a sua raiva e frustração. A canção viraliza, mas pelos motivos errados. Taxada de ameaça social, ela precisará usar todo o seu talento para virar o jogo.
Observação da Pequena: É também da autora do primeiro livro dessa lista. Esse tem um toque de esperança a mais e mostra que nem tudo está sob o nosso controle. Mas fazer a nossa parte é essencial. E mostra como a base familiar faz a diferença! Tem resenha aqui.

3. Vozes negras (Pétala Souza, Isa Souza, Flor Priscila, Maria Ferreira e Amanda Condasi – Se liga editorial)
Resuminho:
Quatro contos de mulheres duplamente silenciadas, tanto pelo gênero quanto pela cor. Histórias que reivindicam o protagonismo e autoras que narram a trajetórias de personagens que estão em busca de seus ideais e, claro, da representatividade.
Observação da Pequena: É um dos meus livros de contos nacionais favoritos desse ano. Traz representatividade com leveza e seriedade, na medida certa. Mostra o racismo nos mínimos detalhes! Vale cada conto. Tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Ilustra Loh

4. Minha história (Michelle Obama – Objetiva)
Resuminho:
Michelle Obama nos convida para conhecer a sua vida antes e depois de ser a primeira-dama dos EUA. De forma envolvente, o leitor embarca na sua infância em Chicago, invade o jantar romântico entre ela e o Barack e sabe detalhes do endereço mais famoso do mundo: a casa branca.
Observação da Pequena: É representatividade pura esse livro! Entendi a real importância de ter uma família afro-americana na presidência dos EUA. A gente conhece não só os bastidores, mas a força de uma mulher que é bem girl power, com erros e acertos! Tem resenha aqui.

5. Na corda bamba (Kiley Reid – Arqueiro)
Resuminho:
Emira Tucker, um jovem negra que trabalha como babá, está em um supermercado à noite, quando é abordada por um segurança. Ele a acusa de ter sequestrado Briar, a garotinha que ela cuida. No meio da confusão, alguém grava o vídeo e o pai da menina é chamado. Ela prefere deixar para lá, mas a família de Bri não.
Observação da Pequena: Coincidentemente a história começa em um cenário parecido com o que aconteceu no mercado em Porto Alegre essa semana. :( Não é o meu livro preferido, mas a autora plantou mais sementes sobre algumas atitudes que precisam ser repensadas por todos (e eu me incluo nessa)! Tem resenha aqui. ♥

***

É isso, pessoal. :) Que a gente tenha consciência da importância da igualdade racial todos os dias e não só hoje! Fazer a nossa parte é primordial. Nada muda da noite para o dia, mas nos colocando no lugar dos outros, a mudança pode acontecer sim. ♥

E quem tiver mais indicações de livros que abordam esses temas e que nos ajudam a rever e mudar atitudes, é só acrescentar nos comentários!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir – Mudbound – Lágrimas sobre o Mississippi
Fan Page ♥  Instagram


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021