13.08.2020
* Beda 13 – TBT Pipoca: Cartas para Julieta! ♥

Ei, Gente! :) Separei mais um filme antiguinho para o post de hoje: Cartas para Julieta. Eu já mencionei algumas vezes ele aqui no blog, mas nunca teve uma postagem 100% dedicada a ele e acho que merece! Enfim, vamos lá? Que a sessão TBT já vai começar. ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Para quem não conhece a história, vou contar um pouquinho: Sophie viaja para Verona com o noivo Victor. Tipo uma pré-viagem de lua de mel. Mas chegando lá, ele acaba tendo de resolver as questões de seu novo restaurante e a nossa protagonista acaba conhecendo sozinha a doce cidade de Romeo e Julieta.

Até que ela acha uma carta antiga na Casa da Julieta e resolve respondê-la. O que parecia uma tentativa sem resposta, Sophie e as voluntárias desse ponto turístico da Itália se deparam com a visita surpreendente da destinatária Claire Smith e seu neto Charlie.

Seguindo os conselhos de Sophie, os três vão em busca do grande Romeo (quer dizer Lorenzo hahaha) da Claire. Ambos viveram uma paixão na juventude e pode ser que essa aventura renda bons momentos e um final feliz. Será? ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Enquanto O Diabo veste Prada dá um ânimo na minha vida profissional, esse filme de hoje me traz uma esperança que acalenta o meu coração em relação ao amor.

O cenário é incrível e é impossível não acrescentar no roteiro, depois dessa história, uma visita à Verona. Claro que o filme meio que não mostra a real de como a Casa da Julieta é cheia. Mas até que da última vez que eu fui, deu para tirar um monte de fotos com a dona do ponto turístico praticamente sozinha.

O decorrer do filme é bem amarradinho e nos dá a sensação de que tudo vai dar certo. Mas caso não dê: pelo menos a tentativa rolou e o caminho foi repleto de momentos inesquecíveis e surpreendentes. De arrancar inúmeros suspiros!

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Ah! Quem quer ser escritora, logo vai se identificar com a Sophie. Sobre a Claire… Se eu não tivesse a minha avó, com certeza, queria ter uma igual a ela. Bondade é seu segundo nome e perseverança o primeiro. E o que falar da carta que deu abertura a tudo o que acontece no filme? Um tapa na nossa cara.

A propósito, essas voluntárias que respondem as cartas de amor dos visitantes realmente existem (até onde eu sei, pelo menos). Eu nunca recebi uma resposta, mas sei de uma pessoa que recebeu e é a coisa mais incrível da vida. Para quem quiser saber mais sobre, é só correr nesse post da Teca Machado.

Quanto ao final é simplesmente lindo e inspirador. Algumas histórias começam, outras terminam. Mas todas nos ensinam que o amor sempre vale a pena e lutar por ele, na medida certa, também. Aliás, ao contrário do namorado da Andy (O Diabo veste Prada), não acho o Victor um babaca. Algumas vezes as pessoas mudam e não se encaixam mais e está tudo bem.

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Em relação ao Charlie: amo o seu sotaque britânico e ele me irritou muitas vezes, mas ele é o meu crush da história e dá de 1000 a zero no Romeo hahaha. E têm outros personagens tão incríveis quanto, mas corre o risco de eu dar spoiler brabo, então, deixa para lá.

Destaque para a trilha sonora e para a cena do sorvete (que coloquei lá em cima). E só de escrever esse post já me deu saudade de viajar hahaha. A lição que fica? Deixar o “e se” para lá. Porque juntas, essas duas palavras podem ser mais nocivas do que imaginamos.

Enfim, se você não assistiu, recomendo. Já viu? Sempre vale um repeteco dele! ♥ No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: Filmes com cenários incríveis!
Fan Page ♥ Instagram 


8
06.08.2020
* Beda 6 – TBT Pipoca: O Diabo veste Prada! ♥

Ei, Gente! :) Vamos para mais um filme antiguinho? Dessa vez: O diabo veste Prada, que tem a Anne Hathaway e Meryl Streep. Já falei algumas vezes sobre ele, porém, nunca teve um post especial e eu acho que merece. Então, pega a pipoca, que a sessão TBT vai começar. ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Para quem não sabe, o filme conta a trajetória da jornalista Andrea Sachs, em um emprego que “toda garota gostaria de ter”: na revista Runaway. De quebra, ela ganha novos desafios ao lado de colegas não tão receptíveis assim e, claro, com uma chefe de deixar o cabelo em pé… Miranda Prestley. ♥

A princípio, parece mais uma comédia romântica clichê. Mas na minha humilde opinião, essa história vai além. Existe romance e tal, porém, a vida profissional é retratada com muito afinco e traz lições valiosas, nesse quesito. A propósito, sempre quando estou repensando esse lado, vejo esse filme e ele me dá uma injeção de ânimo.

Adoro a trilha sonora e a mudança do visual da Andy acho que coube direitinho. Não sei se seria bem aceita nos dias de hoje, mas mesmo entendendo alguns posicionamentos, é uma das partes que mais gosto do filme. Mudar essa parte é válido e se a mudança traz questões positivas, por que não? :)

Crédito da imagem: Adoro Cinema

Porém, a atitude do Nate (namorado da Andy), na época não me incomodou e até fiquei um pouco do lado dele. Mas depois de um tempinho, vi que ele foi bem incompreensível com ela. Quando alguém está construindo uma carreira é preciso ser mais flexível. Tudo bem que a Miranda Prestley não tinha limites, porém, poderia ter um equilíbrio ali.

Falando na girl boss. Ela é bem irritante com aquele “That’s all”, mas mostrar o lado b da vida dela é uma sacada bem incrível e a Andy mostra o quão empoderada é, reconhecendo essa visão. Falando nisso, eu amo o Nigel (deveria ter um filme só dele) e, até mesmo, a Emily.

E o que falar das cenas em plena Paris? Acho que me apaixonei pela Cidade Luz nesse filme! Enfim,é de arrancar suspiros e o meu sonho é jogar um celular naquela mini fonte hahaha. Não me julguem, por favor! =D

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

Comparando o filme com o livro, digamos que o segundo é mais vida real. Os acontecimentos finais não são tão bonitinhos, mas nos ensinam muito e mostram a realidade de muitos trabalhos. Quanto ao primeiro, tem um quê mais hollywoodiano, porém, confesso que eu amo do mesmo jeito. Traz uma esperança e coube direitinho na adaptação. Então, recomendo os dois, inclusive, a continuação literária: A Vingança veste Prada.

Por fim, as lições que aprendi é que a gente tem que dar o nosso melhor e o que for viável. Colocar limites e conhecer os nossos é bom e se cobrar menos também! O Glamour é irresistível, mas tem o seu preço. Tem de ver o que te faz feliz. Ah! Desafios nos fazem sair da zona de conforto. ♥

Crédito da Imagem: Adoro Cinema

É isso, pessoal. Espero que tenham gostado desse TBT. E que ainda não assistiu, vi que está passando no Now (Net). No mais, podem opinar à vontade. E me contem: qual filme vocês querem ver nessa sessão TBT? :)

Beijos, Carol.

Post Antigo: 5 filmes feministas/femininos
Fan Page ♥ Instagram  


9

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021