30.11.2017
* O drama de ter – e manter – um cachorro branco – Projeto Drama Queen #109 (Por Teca Machado)! ♥

Quando eu escolhi o Calvin para chamar de meu, meu West Terrier fofinho, nem pensei num pequeno detalhe: Ele é branco e a terra em Brasília é vermelha.

Drama Queen - PJ - 1

Antes de ele poder começar a passear, tudo era limpo, o Calvin era brilhante de tão branco. Mas assim que o primeiro passeio na rua aconteceu eu percebi: nunca mais ele seria branquinho, muito pelo contrário.

E além disso, ele é agitado, gosta de correr, brincar e, pasmem, pular no lago do parque onde vamos todos os dias. Ou seja, ele vive mais sujo e empoeirado do que o normal.

Há algumas semanas mesmo, estávamos brincando quando ele achou uma maravilhosa poça de lama e resolveu nadar. O resultado foi esse:

PDQ - 2

E eu quase chorei na hora de dar banho.

O drama atual se chama “período de chuva”. Ultimamente tem chovido quase todo dia e sempre na hora do passeio de fim de tarde. Tem dia que eu vou com ele e quando já estamos lá o céu se abre e a chuva despenca. Então ele e eu nos molhamos e nos sujamos, que foi o caso de ontem, de anteontem e ainda do dia anterior.

E o problema é que a raça dele tem uma pele meio sensível, não podemos dar banho com frequência – diz que o certo seria uma vez a cada 15 dias, mas com o Calvin isso não pode acontecer nunca, senão ele mudaria de cor de vez e traria muita sujeira para a minha casa – então chego em casa e só posso dar um banho a seco e usar secador de cabelo no rapaz. Não resolve o problema, mas melhora muito.

Tem dias, como hoje, que eu acho que a solução seria comprar uma tinta de cabelo castanho e transformar de vez a cor do bichinho, hahaha (ou deixar ele como aquele poodle roxo que está rolando na internet, hahahahahaha).

Pelo menos já cheguei a uma conclusão: Cachorro sujo é cachorro feliz, é só olhar a cara do Calvin nas fotos imundo!

PDQ - 3

***

O Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista, com textos quinzenais cheios de dramas da vida e muito bom humor. Quer participar? Manda seu texto para a gente. ;-)

Teca Machado.

Para ler: Projeto Drama Queen #108

Fan Page ♥  Instagram 


0
09.11.2017
* Projeto Drama Queen #108 – Sente o drama! ♥

Projeto Drama Queen - Imagem - 108Por Carol Daixum (Pequena Jornalista hahaha) 

– Jeannie, você me ama?

(Esperando a minha cachorrinha responder, mas no momento ela só olha para a minha cara)

– Jeannie, se você me ama, me dá uma lambida no braço.

(Cri cri cri – me ignora e faz uma cara, sai daqui sua louca)

– Jeannie, por que você não me ama?

(Cara de eu não sei falar, mas sério você é bem louca, irmã)

– Jeannie? Jeannie? Me respondeeeeeeeeee ou me dá um beijinho!!

(Meu pai se intromete e Jeannie sai fora do quarto, agradecendo meu pai)

– Filha, por que você estava espremendo a Jeanninha?
– Estava tentando entender se ela me ama… (cara de choro)
– É óbvio que ela te ama, né sua doida?
– Pai, como você pode ter tanta certeza disso?
– Ela não te larga um minuto.
– Pai, ela está preferindo dormir na cozinha do que no meu quarto. Você tem noção disso?
– Filha, ela tem direito de ter a privacidade dela.
– Você está dizendo que não dou privacidade para a minha cachorra?
– Não começa o drama.
– QUEM ESTÁ FAZENDO DRAMA AQUI???

21105528_1055006341315139_511008252010217472_n

(Jeannie interrompe e me dá a tão desejada lambida no braço e sai correndo)

– E aí? Quem não te ama mesmo, filha?
– Pai, ela fez isso por pura pena.
– Ah, com certeza.
– Você também acha isso? Pai, mudando de assunto li no Google que quando cachorro não deixa tirar a coleira, ele acha que manda no dono.
– Você tem dúvida de que ela não te faz de trouxa?
– Não faz nada. Ou faz? Jeannie, você me faz de trouxa? Vem cá, Jeannie Daixum!
– Filha, você não pode acreditar em tudo que você lê no Google, né? Provavelmente, ela tem medo do barulho da coleira.
– Mas com você ela deixa.
– Ah! Mas é diferente… Filha, olha, chega desse assunto, ela te ama e PRONTO.
Por que ninguém tem paciência comigo?

(Meu pai sai andando e a Jeanninha vai do lado dele, me deixando para trás… Vida cruel)

**

Pois é, gente. Nem a minha cachorrinha escapa dos meus dramas! Vocês também são assim? A sorte que ela é tão dramática quanto eu. =D Ah! Vale lembrar, que a história não aconteceu exatamente assim, mas volta e meia tem um episódio parecido por aqui hahaha.

** O Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Pequena Jornalista e Casos, Acasos e Livros. Duas vezes por mês, um draminha bem dramático para vocês. Quem quiser compartilhar com a gente seus episódios “ajeita a coroa”, fique à vontade.

Beijos, Carol. 

Para ler: Projeto Drama Queen – Minha nada mole vida canina

Fan Page ♥  Instagram 


2
26.10.2017
* Nem tão dramática assim! – Projeto Drama Queen #107 (Por Teca Machado)! ♥

Projeto Drama Queen - 167

– Quer ir para o hospital?
– Não.
– Tem certeza?
– Tenho.
– Mas você não está passando mal?
– Ah, só um pouco.
– Vomitar um monte, não conseguir comer nada, ter dor no corpo todo e muita dor de cabeça não é só um pouco.
– Meu bem, é só uma virosezinha. Vou descansar, tomar muito líquido e fico bem daqui a pouco.
– Do jeito que você é, achei que ia já estar encomendando o caixão.
– Como assim do jeito que eu sou? O que você quis dizer com isso?
– Bom… É que você é meio… Você sabe… Dramática.
– Eeeeeeeu?
– Sim, você. Que acabou de fazer cara de drama.
– Eu não sou tão dramática assim.
– É, e você sabe. Até escreve o Projeto Drama.
– Projeto Drama Queen. Você esqueceu do Queen. Sem o Queen não tem graça. Como eu ia poder ajeitar a coroa?
– Tá, que seja. Mas você deveria ser mais dramática em relação a isso e ir para o hospital.
– VOCÊ QUER DIZER QUE ACHA QUE EU ESTOU MORRENDO?

* Drama detected*

– Claro que não, meu amor. Só acho que você deveria ir ao hospital.
– Mas eu não gosto de hospital.
– E alguém por acaso gosta?
– Então vamos fazer um trato. Se eu não melhorar até amanhã, eu vou, tá?
– Ok, combinado.

No dia seguinte:

– E aí, meu bem, melhorou?
– Hum… Claro, tô ótima!

Marido olha minhas olheiras e minha cara meio pálida.

– Mentirosa. Vou te levar agora. Entra no carro.
– Nãããããão. Eu vou melhorar, prometo.
– Você não pode me prometer isso. Larga de ser teimosa.
– Tá. Deixa só chegar a hora do almoço. Vai que eu melhoro, né? Vai que eu consigo comer?
– Cara, além de dramática é teimosa.

Projeto Drama Queen - 107
Obviamente eu em médico hahaha!

Desfecho da história: Eu melhorei e não fui para o hospital. Hahahahaha. Foi um mal estar muito horroroso essa semana que já passou e eu já estou 100% e altamente funcional.

A história não foi bem assim, mas meu marido tentou me arrastar para o hospital e eu relutei em ir, como sempre. Fiz um check up total há menos de dois meses e tinha certeza que ia chegar lá e escutar que era uma virose. Sei que eu deveria ser dramática justamente com isso, mas por incrível que pareça, não sou. Vai entender!

* O Projeto Drama Queen é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista com histórias cheias de exagero, ironia, sarcasmo e muito bom humor. A cada 15 dias tem um post novo. Que tal ajeitar a sua coroa e participar com a gente? É só mandar a seu relato dramático!

Beijos,
Teca Machado.

Para ler: Projeto Drama Queen #106

Fan Page ♥ Instagram 


0
05.10.2017
* A volta das que não foram! – Versão 2017 – Projeto Drama Queen #106! ♥

O projeto mais amado das dramáticas voltou: Projeto Drama Queen! \o/

Na verdade, o PDQ nunca ficou para trás, volta e meia nós planejávamos posts, mas nunca dava certo. Chegamos até pensar: Meu Deus, é possível existir drama de não ter drama? Sente o nível da gente!

O PDQ só estava descansando e ele está pronto para atacar novamente! Com novos e antigos dramas, pontos de vista diferentes e por aí vai. Afinal, uma vez drama queen, sempre drama queen. Esse é um cargo que você nunca deixa para trás, a verdade é essa.

Mas oh, esse post de “a volta dos que não foram” foi um parto para sair. Quando não era uma, era a outra, quando não era a outra, era uma. Isso quando as duas estavam mais enroladas que sei lá o quê (é o drama de ser jornalista, mãe de cachorro, blogueira e mais mil coisas ao mesmo tempo. Mal sobrou tempo para ser dramática! Olha que absurdo!).

PDQ - 106
Para voltarmos rolou drama das duas partes, ideias a mil, ideias a zero, grava vídeo, posts quinzenais, “você desistiu do nosso PDQ?”, “cadê os dramas?”, áudio pra lá, áudio pra cá, desisto… NÃO, EU SOU DRAMÁTICA E NÃO DESISTO NUNCA!

– Friend, vamos voltar com o PDQ semana que vem? Sem falta?
– Sem falta!

(Semana que vem)

– Friend, conseguiu?
– Ai, meu Deus!
– Ok, sua desnaturada…
– Semana que vem…

(Semana que vem – parte 3450876)

– Conseguiu?
– Texto pronto!
– Também

ALELUIAAAAAA!!!!!

Foi isso que rolou, gente. Com um toque extra de exagero, mas baseado em fatos reais! ;-)

Estamos de volta quinzenalmente com textos cheios de drama, exagero, ironia, lágrimas, risadas e muito, mas muito bom humor para enfrentar os reveses da vida.

Quer ler os textos antigos? É só fazer uma procura por Projeto Drama Queen aqui na barra de busca do blog (Tanto no Casos, Acasos e Livros quanto no Pequena Jornalista). Tem mais de 100 posts dramáticos elevados na potência dez mil para você se divertir até a nossa próxima incursão por aqui.

E agora nós prometemos: A volta das que não foram é para valer!

Ajeita a coroa e vem com a gente.

Beijos,

Carol Daixum e Teca Machado. 

Para ler: PDQ #105 

Fan Page ♥  Instagram 


0
22.12.2016
* Um Natal dramático – Projeto Drama Queen #105! ♥

Se você acha que o Natal é uma época drama free, está completamente enganado. É um dos períodos do ano com mais dramas! Mas não se preocupe, com um pouco de jogo de cintura e de bom humor, você consegue sobreviver (pelo menos até o próximo Natal).

Já teve um Natal (ou pré-Natal) dramático? A gente já! Por isso resolvemos contar para vocês a nossa experiência:

pdq-um-natal-dramatico-2016

Teca Machado

Os pais do Caio, meu marido, são separados há anos, desde quando ele era criança. Apesar de ele ter se mudado para Brasília há muito tempo (e eu fui quando me casei), todas suas festas de Natal e Ano Novo foram em Cuiabá, porque mesmo com a mãe morando no Distrito Federal, sua família toda está em Mato Grosso, assim como a minha e o pai dele.

Desde que começamos a namorar, dividimos a noite da ceia de Natal em duas: metade na casa dos meus pais e metade dos avós dele por parte de mãe. Seu pai sempre ficou de fora dessa divisão porque nunca passava em Cuiabá. Até que num dos anos ele resolveu ficar por aqui e tivemos que ir no jantar dele também.

Então, para não ter drama em nenhuma família, pegamos a noite do dia 24 para 25 de dezembro e separamos em três blocos de duas horas: uma para cada família. De 20h às 22h na casa dos meus pais, de 22h às 0h na casa dos avós dele e de 0h às 2h da manhã na casa do pai.

Comemos jantar e sobremesa três vezes, passamos um tempão no carro indo de um lugar para o outro e ficamos preocupados com a hora o tempo todo. E o pior é que em todas as casas reclamaram que ficamos pouco. Quando chegamos na casa do pai dele, já estávamos mortos de cansaço, nem querendo muito interagir com as pessoas.

O lado bom de tudo isso? Ganhamos presentes três vezes!

***

Carol Daixum

O meu drama maior nessa época é: arrumar a árvore! É uma tradição tão legal, mas que poucos aderem aqui em casa. Acho que por pura preguiça. Que, cá entre nós, dá mesmo, mas é tão legal, que vale. Só que é uma saga aqui em casa. Primeiro a pergunta que não quer calar “onde estão as coisas”? Ai procura daqui, procura dali. Achamos! \o/ Só que não para por aí…

Minha mãe me enrola muito para arrumar. De verdade, acho que ela tem algum trauma de infância e não quer compartilhar. Sempre escuto “amanhã a gente monta, ok?”. Daí, quando eu percebo, faltam 5 dias para o Natal. Ai tento ajeitar a coroa, mando indiretinha no Facebook ou cara a cara, mas nada funciona. Ai estou quietinha na vida, conformada que esse ano vai sem árvore mesmo… O que acontece? Ela vem com a minha irmã e fala “vamos arrumar hoje à noite?”. Fico feliz, corro para comprar lâmpada (pisca-pisca), enfeites novos, enfrento fila quilométrica para pagar, mas tudo bem. É para um bem maior! :)

Chego em casa, animada, ansiosa e, eis que de repente, ouço “amanhã de manhã, sem falta”. Ai não tem coroa que aguente firme na minha cabeça não, gente! Meu lado drama queen ressurge e fico mal. Mas assim MAL MESMO! Onde vamos deixar os presentes? E o que o bom velhinho vai pensar da gente? Mas fiz a minha parte! Tenho plena consciência. Aí para não colocar a culpa só nelas, tento ver pelo lado positivo: vai que a Jeannie, minha cachorrinha, derruba a árvore? Tanto drama para nada? Só que lá no fundinho ainda tenho esperança. São 10h54 e nada até agora. Mas o “de manhã” é até 12h, né? #miniesperança

P.S: Esse drama é totalmente verdadeiro, mas só queria dizer que deu certo. A árvore foi montada hoje, antes das 12h. \o/ Obrigada, irmã!!! Mãe, te perdoo se rolar aquele vale de livros sem limite. Beijo, te amo! =D

***

Vale lembrar que o PDQ é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista. Toda quinta, um texto dramático com uma dose extra de exagero. :)

Beijos e feliz Natal (adiantado),
Carol e Teca.

Fan Page ♥  Instagram


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017