10.12.2017
* Riscando as metas de 2017! ♥

Ei, Gente! Todo começo de ano, faço aquela clássica lista de metas. Quem nunca, né?  Dei uma olhadinha nela antes de começar a escrever esse post e percebi que consegui cumprir algumas. E uma delas, pretendo riscar até o dia 31 de dezembro. \o/

Post - Metas - 1Algumas metas que consegui cumprir em 2017!

A primeira meta que risquei foi, pasmem: visitar, finalmente, o Cristo Redentor. E, sério, pessoal. Valeu cada segundinho. Esse ponto turístico merece o título de umas 7 maravilhas do mundo. Adorei o passeio e rendeu ótimas fotos. Obrigada, Lala (a amiga capixaba mais carioca que eu tenho). Pela companhia e pelas fotos!  Depois, vou contar tudo em um post. Quanto foi, como faz e por aí vai. ;-)

Post - Metas - 3Euzinha e o Cristo!

Outro item que consegui cumprir: entreguei finalmente o meu TCC da Pós. Enrolei alguns meses, mas saiu. Sério, que alívio. O que eu aprendi: escrever sobre um tema que você gosta, faz toda a diferença. ;-) O meu foi sobre o papel dos blogs literários! Se quiserem um post especial, só pedirem nos comentários, ok?

comemorando - Post MetasComemorando hahaha 

Por fim: consegui um trabalho que  posso conciliar com outros trabalhos. Sim, frisei tanto isso nos meus pedidos. Talvez não com essas palavras, mas deu certo.  Trabalho em casa e, às vezes, a carga horária é bem maior do que se eu trabalhasse em uma empresa tradicional. Às vezes, quase ninguém me leva a sério e acha que eu não faço nada. Que fico em casa, olhando para as paredes e no computador, olhando o Facebook. Mas, no final, nada disso importa. Trabalho com o que eu gosto, consigo conciliar com o blog e outros projetos. É cansativo e preciso me organizar melhor. Mas no final de cada texto, me sinto feliz e realizada. 

Post - Metas - 2Um pedacinho do meu home office! 

Para fechar 2017 com chave de ouro, espero riscar uma última meta durante essa semana: fazer a minha terceira tatuagem, homenageando 4 pessoinhas mega importantes e especiais na minha vida. Se tudo der certo, mostro para vocês lá no Instagram.

Agora me contem: quais foram as metas que você riscaram esse ano? E olhem, dependendo, dá para cumprir ainda, ok? ;-)

Beijos, Carol.

PJ Todos Os Dias – Decor: cadeira para completar o meu home office

Fan Page ♥ Instagram  


0
09.12.2017
* Decor: cadeira para completar meu home office! ♥

Ei, Gente! Vamos de decoração hoje?  Um toque no home office faz toda a diferença, sem falar que é um incentivo a mais para o trabalho fluir. E sabe o que anda faltando lá no meu cantinho? Um cadeira. Fofa e confortável! E, de preferência, que não tenha de deixar um rim para pagar hahaha. Então, se você está na mesma, trouxe algumas inspirações. Espero que ajude de alguma forma. Bom post! ;-)

PJ Decor - 2

A cor branca é a minha primeira opção. Deixa o home office mais clean! De rodinha é mais prática, mas serve também essa segunda. E com esse tapete peludinho (não sei se é esse o nome certo, mas deu para entender) dá um toque bem charmoso e deixa a cadeira mais confortável. Pelo menos é essa impressão que eu tenho! 

PJ Decor - 1

E o quanto eu amei essa de bolinha? Deixa o ambiente mais divertido. A única parte ruim é que não tem o “braço” da cadeira (assim como a anterior). Mas se eu achar uma nesse estilo, espero que tenha. Também amei essa outra opção. Achei simples, fofa e confortável. Nesse caso, a falta da rodinha, não me incomoda não. ;-)

PJ Decor - 3Crédito das imagens: Pinterest 
Crédito das montagens: Pequena Jornalista

Meu quarto já é bem rosa, então a cor branca é a melhor opção. Mas aí encontrei essas duas inspirações e pensei: por que não?  Sério! As duas são lindas e bem o estilinho que quero seguir: um home office fofo, clean e aconchegante. E descobri através desse post: que preciso de um “peludinho” desse para chamar de meu hahaha. ;-)

***

É isso, pessoal. Quem sabe o bom velhinho não me dá de presente hahaha. =) Independente, é uma das minhas metas do próximo ano. A que eu estou usando quebra um galho, mas não combina nada com o meu cantinho. Enfim, se alguém tiver uma dica de loja com um preço em conta e que tenha, pelo menos, alguma dessas opções, não deixa de me contar. Por favorzinho! No mais, podem opinar à vontade!

Beijos, Carol.

Para ler: Cantinhos e itens rose gold 

Fan Page ♥ Instagram  


0
08.12.2017
* Wishlist Literária: Natalina! ♥

Ei, Gente! :) Só para avisar que já estou aceitando livros de Natal, amigo secreto e por aí vai. Eu sei que não cabe mais livros na minha pilha de próximas histórias, mas que culpa eu tenho? É um vício e me julguem hahaha. Brincadeirinha, mas a quem interessar possa (leia-se mãe e irmã): segue a minha wishlist literária natalina. Vamos lá? Bom post! 

Wishlist Literária - NatalCrédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. O Clube de Escrita de Jane Austen (Rebecca Smith – Editora Bertrand Brasil) 
Sinopse: Um guia charmoso e informativo sobre como escrever como Jane Austen, escrito pela sobrinha-neta de quinto grau da famosa escritora. Rebecca Smith analisa vários aspectos da escrita de ficção como enredo, caracterização de personagens, diálogos, cenários e técnicas de escrita, dividindo também com os leitores os conselhos que Jane Austen escreveu em cartas a seu sobrinho e sobrinhas aspirantes a romancistas. Repleto de exercícios úteis e citações esclarecedoras, este livro ensinará métodos, dicas e truques, usando como exemplos a obra de Austen.
Observação da Pequena: Vai ser muito útil na minha vidinha!

2. Caligrafia para relaxar (Amy Latta – Editora Sextante) 
Sinopse: Uma introdução simples e divertida à arte da caligrafia.Unindo técnicas de escrita à mão com textos inspiradores sobre a necessidade de desacelerar e de aceitar a vida como ela é, este livro é uma ótima maneira de cultivar a calma, promover a alegria e celebrar a beleza. À primeira vista, dominar a arte da caligrafia pode parecer difícil, mas você vai se surpreender ao ver como é simples criar lindos projetos.
Observação da Pequena: Só a capa já me conquistou e acho que vai me ajudar a riscar uma meta especial para o próximo ano!

3. 30 Jours à Paris (Carol Pio Pedro – Editora Letramento) 
Sinopse: O que incluir em um roteiro de viagem a Paris além dos pontos turísticos mais famosos e visitados? Nesse livro, a autora apresenta diversas opções de lugares que vão das esquinas retratadas nos cinemas à esquinas e recônditos da Cidade Luz. O livro se constitui em um compilado de informações na mesma vertente de seu blog intitulado 30 Jours à Paris, onde a autora vem compartilhando suas descobertas e interesses sobre a capital francesa desde 2015, em suas duas visitas anuais que visam explorar todos os cantos da cidade e enxergar a beleza nas diferentes formas que ela se apresenta, indo muito além dos cartões postais, circuitos turísticos, museus, pontes e igrejas.
Observação da Pequena: Preciso desse livro por motivos de Paris. Óbvio!

4. Turma da Mônica Jovem – Uma viagem inesperada (Várias autoras brasileiras – Editora Nemo) 
Sinopse: As personagens da Turma da Mônica Jovem estão reunidas, pela primeira vez, em um livro de contos. Mônica, Magali, Denise e Marina embarcam em aventuras inéditas, cada uma com um destino especial. Mônica parte rumo à Coreia do Sul, em um tour inesquecível, repleta de k-pop, cores e aventuras. Magali tem seus planos virados de cabeça para baixo e acaba em Paraty, onde gastronomia e novas amizades se misturam. Marina desenvolve um novo lado artístico em Londres – com direito a chá, saudades, encontros e desencontros. E Denise, por ter se metido numa encrenca, é mandada de castigo para um acampamento na Serra Catarinense. Prepare as suas malas e acompanhe as garotas em viagens pelo Brasil e pelo mundo, com romances, confusões e aventuras!
Observação da Pequena: Já falei mil vezes que estou louca para ler esse livro e lembrar da minha infância, né? Então, fica a dica, mãe e irmã!

5. Uma história entre nós (Isa G. – Editora Benvir) 
Sinopse: Duas pessoas se encontram por acaso. Ela, intensa, sentimental, profunda. Ele, racional, calado, temeroso. E então tem início uma história. Mas o passado muitas vezes assombra o presente, e nem sempre as coisas acontecem como queremos… Em “Uma história entre nós”, a autora constrói uma delicada e autêntica narrativa, usando o mesmo estilo de frases que a consagrou nas redes sociais.
Observação da Pequena: Do Instagram (@amargoemeio) direto para o mundo literário. Adoro o trabalho da Isa, mas não encontro de forma alguma esse livro. Se alguém souber, me avisa!

6. Lady Whistledown Contra-Ataca (Julia Quinn e outras autoras – Editora Arqueiro) 
Sinopse: Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, “Lady Whistledown contra-ataca” contém quatro curtas histórias sobre um roubo de uma pulseira milionária. Os contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável. Então: quem roubou o bracelete de lady Neeley? O caça-dotes, o apostador, a criada ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.
Observação da Pequena: Só de ter a Julia Quinn, já vale. :)

***

Prontinho, gente. Quem já leu algum desses, me conta o que achou, se devo substituir por outro e tal. E também conta quem está na sua whislist literária natalina!

Beijos, Carol.

PJ Todos os Dias – Entrevista Daiana Garbin

Fan Page ♥ Instagram  


0
07.12.2017
* PJ Entrevista: Daiana Garbin! ♥

Ei, Gente! :) A entrevista de hoje é com uma pessoa mega querida e verdadeira: Daiana Garbin, autora do livro “Fazendo as pazes com o corpo“, publicado pela Editora Sextante (parceira do blog). Se na leitura, dei de cara com uma história sincera e que mostra que há um caminho bem melhor do que essa briga pelo corpo perfeito e imagem impecável, nesse bate-papo não foi diferente. Ela também me apresentou uma palavra, que já conhecia, mas que teve um plus a mais: autocompaixão. Enfim, vamos lá? Bom post, pessoal. 

Fazendoaspazescomocorpo_CapaWEBPJ Entrevista: Daiana Garbin! :) 

1. Tem alguma curiosidade em relação ao livro? Se sim, conta para a gente?  
R: Tenho sim. Eu terminei de escrever a primeira versão do livro em dezembro de 2016, mas ainda não tinha a questão da autocompaixão. Depois que entreguei o manuscrito em janeiro, comecei a fazer um curso de “Mindfulness Self-Compassion”, onde descobri a autocompaixão na minha vida. E isso mudou o meu jeito de encarar as coisas completamente! Então, depois desse aprendizado, eu reescrevi várias partes do livro e escrevi todas as páginas que falo sobre. Sem ela, a gente não consegue fazer as mudanças necessárias na nossa vida para diminuir o sofrimento emocional. Não só em relação à alimentação e ao corpo! Temos alguns sofrimentos emocionais, que nem sempre sabemos como lidar e que aprisionam e fazem com que haja resistência de entender esse sentimento e acolhê-lo. A gente tem vergonha de pedir ajudar, de se mostrar vulnerável. Então, ter aprendido sobre esse tema e ter lido vários livros, mudou o meu jeito de gravar os meus vídeos e o jeito que fiz “Fazendo as pazes com o corpo”. Fez diferença na minha vida e acredito que possa fazer diferença na vida do leitor. Conseguir colocar autocompaixão na nossa vida, seja por meio de meditações ou de pensamentos, tem o poder de mudá-la.

2. Para quem quiser ler mais sobre o tema e outros relacionados, quais livros você indicaria? 
R: Todos os livros da Brené Brown, como “A Coragem de ser imperfeito” e “Mais forte do que nunca”. Também gosto muito da Amy Cuddy, que escreveu o “Poder da Presença”, um livro transformador, e um  do Thupten Jinpa: “Um coração sem medo”, que fala sobre compaixão e autocompaixão. Além desses, gosto de outros em inglês: “Self-Compassion”, da Kristin Neff, e “The Mindful Path to Self-Compassion”, do Christopher Germer. Aliás, esse último estou terminando de ler. Não leio rápido, porque gosto de reler, riscar, copiar frases e colar no meu espelho. Livro é como uma terapia para mim!

3. Qual dica você daria para quem leu o livro e acha que algum amigo ou parente pode estar passando por isso? Como ele pode pode ajudar?
R: Acho que precisa conversar com carinho, respeito e, claro, compaixão. Se você pensa que alguma pessoa da sua família está passando por isso, eu acho interessante começar a conversa, falando do sofrimento de outra pessoa. De repente, usa o meu canal, a minha história e fala “Olha, você conhece essa moça? Ela teve isso, você já viu as coisas que ela fala?”. Também pode dar de presente o livro, aliás, não precisa ser exatamente o meu, viu? Pode ser um sobre autocompaixão que citei ou não. Livros conseguem mudar a vida ou pelo menos dar um start na mudança. Presentear alguém com um obra, que tenha uma mensagem bonita, é um ótimo jeito de ajudar!

PJ Entrevista - Daiana GarbinCrédito das Imagens: Sextante. 

5. Por fim, o que de mais valioso você leva desse aprendizado (por mais que seja diário) e deseja passar para os seus leitores?
R: Aprendi que a gente só consegue fazer as modificações que são necessárias na nossa vida, por meio do carinho, do respeito, da paciência e do amor. Não é com ódio, com raiva e com rejeição ao nosso corpo e à comida, que a gente vai conseguir mudar o sofrimento. Seja relacionado ao transtorno alimentar ou outra questão, como a obesidade. Se a gente continuar tratando esses problemas como frescura, algo fácil de resolver, como se fosse “só seguir a dieta”, as pessoas vão continuar sofrendo. Então, tem algum hábito que traz sensações ruins? Acolha e cuide com carinho e paciência. Raiva, rejeição e ódio só vão gerar mais raiva, rejeição e ódio em relação ao nosso corpo. Aliás, temos de parar de tratá-lo como nosso inimigo e a mesma coisa serve para a comida. :)

***

Tem como não amar esse entrevista?  Muito obrigada, Daiana! Amei cada coisinha que você falou. Continue com esse trabalho e passando tanta mensagem bacana e que realmente ajuda os outros, que passam ou não por algum tipo de transtorno alimentar. Quem quiser conhecer um pouco mais sobre a história da nossa entrevistada, vale clicar aqui e aqui. E tem resenha do livro dela aqui no PJ. No mais, podem opinar à vontade! ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Fazendo as pazes com o corpo

Fan Page ♥ Instagram  


1
06.12.2017
* Playlist: as minhas favoritas (do momento) da Colbie! ♥

Ei, Gente! :) Sou do tipo que ama música leve, romântica, alto astral e que faz a gente sonhar alto. Daí, para comprovar isso, fiz um top 5 de uma das minhas cantoras favoritas: Colbie Caillat, que é mestre em lançar músicas assim. Playlists que eu monto, sempre tem pelo menos uma canção dela. Enfim, vamos lá? Aperta o play e bom post!

921f8dfeb6b506dc76d2ca1c517a5f4e

1. Never Got Away

2. What If 

3. Goldmine

4. You Got Me 

5. Like Tomorrow Never Gomes

(Clique em cima de cada música para escutar)

É isso, pessoal. Claro, que um monte de música ficou de fora. Mas essas são as minhas favoritas do momento! Ah! A 2ª e a 4ª fazem parte da trilha sonora do filme “Cartas para Julieta”. Enfim, tem alguma dela ou de alguma cantora do mesmo estilo para me indicar? Fique à vontade para compartilhar nos comentários. ;-)

Beijos, Carol.

PJ Todos os Dias: Cinco perfis que me inspiram!

Fan Page ♥ Instagram  


0
12

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017