28.01.2020
* PJ Leu: Os delírios de Natal de Becky Bloom! ♥

Sim. Finalmente embarquei nessa história! E por mais que o mês natalino já tenha dado adeus há séculos (exageros hahaha), eu não me aguento e vou fazer resenha do mesmo jeito. Em pleno janeiro mesmo! A propósito, estou falando de “Os delírios de Natal de Becky Bloom“, o último (até então) da série sobre a nossa consumista literária número um. Então, vamos lá? ♥

Livro: Os delírios de Natal de Becky Bloom | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Becky Brandon (nascida Bloomwood) adora Natal. Todo ano é a mesma coisa: a família se reúne na casa dos pais dela, eles ouvem canções natalinas, sua mãe finge ter feito a sobremesa e os vizinhos usam aqueles clássicos suéteres natalinos. E agora as compras ficaram mais fáceis: sites em promoções e dependendo do valor, o frete é grátis. Bem mais prático!

Porém, esse ano (no livro), parece que as coisas mudaram um pouco… Como os pais de Becky se mudaram, acabam pedindo para ela organizar o Natal. Ela se assusta, mas, afinal… O que poderia dar de errado, não é mesmo? É só dar conta de algumas (muitas, na verdade) demandas. Por exemplo: peru vegano para a sua irmã Jess. O presente de sempre para o Luke (mas talvez seja melhor mudar) e um desejo bem curioso da sua filha Minnie.

Mas calma que tem mais, caro leitor! Um ex-namorado ressurge das cinzas (ou dos palcos), algumas brigas atrapalham seus planos perfeitos e ainda precisa ganhar uma rifa de um local bem peculiar. Se ela consegue tirar de letra? É a Becky, né?

Opinião da Pequena: Ganhei esse livro no dia 25 de dezembro de 2019. Mesmo sabendo o que tinha no pacote que meu namorado pediu para eu guardar, fui boazinha e não abri hahaha. Que leitora controlada, né gente? Por esse motivo, a resenha entrou com um pequeno delay. Mas tudo bem. Quem liga? ;-)

A maioria já deve saber que a Sophie Kinsella é a minha escritora gringa favorita. Eu amo a escrita dela e queria muito que a Becky Bloom fosse uma pessoa de verdade e MINHA AMIGA. E com esse 9º livro essas vontades só aumentaram.

Todos os livros, eu me identifiquei com a protagonista de alguma forma. Mas esse passou dos limites hahaha. Natal é mágico, lindo e Nem Grinch (quem ler, vai entender o motivo da menção) pode roubar. Mas essa data têm muitos perrengues sim. E essa premissa é total gente como a gente, justamente nessa época do ano.

Têm aqueles exageros clássicos da personagem mais consumista do mundo literário. A Minnie ganha mais destaque e a história do ex-namorado com a namorada controladora é uma das que rende mais gargalhadas! Becky tem uma mente muito fértil, mas juro que dessa vez, fez total sentido o que ela estava pensando!

Suze é muito fofa e uma nova personagem conquistou o meu coração! Aliás, mostra ainda mais um lado da Becky que foge completamente do consumismo: alegre, atrapalhada, a protagonista é uma das personagens que mais ajuda, sem olhar a quem. Zero egoísta mesmo! Me ensinou muito, de verdade.

As brigas de família: qualquer semelhança, não é mera coincidência. Bom, pelo menos no meu caso hahaha. Jess, melhor amiga da mãe da Becky e os pais estão com a mesma essência. E a história do jogo de bilhar é maravilhosa e mostra uma Becky bem empoderada, mesmo que ela tenha algumas outras intenções. Eu amei! Ah! Graças a esses novos delírios, digamos assim, agora sei o que significa “Portmanteau” (não sabia hahaha) e vou adotar a palavra “Sprygge” na minha vidinha hahaha.

Enfim, amei muito esse novo livro e JURO que não caiu na mesmice. Por incrível que pareça. E apesar das confusões, dos estresses e de muitas atrapalhadas, a história mostra o verdadeiro espírito de Natal, com todas as imperfeições que essa comemoração carrega na vida real. Como falei, é bem gente como a gente, de uma forma leve, engraçada e verdadeira!

Ah! Se vai ter continuação? ESPERO QUE SIM DONA SOPHIE KINSELLA E BECKY BLOOM. Porque a palavra que ela deu de presente para o Luke (meu eterno crush ) tem muito pano para manga. Por favor, Santinha dos Leitores! Nunca te pedi nada.

***

É isso, gente. Já embarcou nesse livro? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Becky Bloom ao Resgate
Fan Page ♥  Instagram


5
08.01.2020
* PJ Leu: Corajosa sim, Perfeita não! ♥

Ei, Gente! :) Ontem não consegui postar. O dia foi bem corrido e ainda teve niver das minhas irmãs. Mas para comemorar o Dia do Leitor (ainda dá tempo, né? haha), separei uma resenha literária: Corajosa sim, perfeita não, da autora Reshma Saujani. Publicado pela Editora Sextante, o livro ajuda a gente dar os primeiros passos em busca de uma jornada repleta de coragem e menos perfeccionismo. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Corajosa sim, perfeita não | Editora: Sextante | Autora: Reshma Saujani
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: A busca pela perfeição acaba nos limitando. É preciso na verdade exercitar o músculo da coragem. O que não é fácil também! Mas quando deixamos a necessidade de perfeição para trás, encontramos liberdade, alegria e todas as coisas boas que queremos na vida. É preciso tentar, antes de pensar em desistir. E, com base na sua vida e na de outras histórias, a fundadora da ONG Girls Who Code, a Reshma Saujani, escreveu esse livro inspirador sobre coragem. ;-)

Opinião da Pequena: Eu ando numa fase bem tensa, principalmente, no quesito profissional. Depois de um dia ruim, decidi largar o livro que estava lendo e embarcar nessa jornada em busca da coragem. E acho que foi a primeira decisão certeira do ano!

Claro que as coisas não mudam da noite para o dia. A busca pela perfeição não vai simplesmente embora. E o músculo da coragem não aparece do nada! Mas o mais legal desse livro é que ele deixa isso bem claro. Que é aos poucos mesmo e, ao mesmo, tempo, nos impulsiona dar os primeiros passos!

Não é simplesmente uma história de uma pessoa que “deu certo”. É uma história de uma mulher que fracassou e que usa a seu favor esses fracassos! Que faz do limão, uma limonada, sabem? Não é aquele livro auto-ajuda impossível de colocar na prática. E eu fico tão feliz de ler livros assim. Me dão uma luz no fim do túnel. Realmente me ajudam!

Fora que a escrita da Reshma acolhe o leitor. Dá a sensação de que o livro foi escrito para a gente. É quase impossível não se identificar com os casos e as descrições. Pelo menos, com a pequena jornalista que vos bloga foi assim.

Enfim, é um livro que vale muito a pena! A gente vê o quanto precisa excluir a palavra perfeição do dia a dia. Ninguém é perfeito e nem precisa ser. Isso acaba só te puxando para baixo. Outra coisa: vi com outros olhos o significado de fracassar. E isso tem me ajudado. E a coragem? Ela virou uma das minhas palavras preferidas e espero que ela esteja mais presente no meu dia a dia.

Desde que terminei “Corajosa sim, Perfeita não”, a sementinha de uma “Carol mais corajosa e menos perfeccionista” foi plantada. E espero, do fundo meu coração, colher bons frutos! Lembrando, que coragem não tem nada a ver com a ausência do medo. ;-)

RECOMENDO muito a leitura, viu gente? ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Garota pare de mentir pra você mesma!
Fan Page ♥ Instagram   


7
03.01.2020
* PJ Leu: Onde mora o amor! ♥

Ei, Gente! :) Prontos para a primeira resenha literária do ano? Com vocês, o que eu achei do livro “Onde mora o amor“, da autora Jill Mansell. Um romance com a capa linda e o conteúdo repleto de histórias de amor. Vamos lá? Boa resenha! ♥

Livro: Onde mora o amor | Editora: Arqueiro | Autora: Jill Mansell
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Dexter Yates adora a sua vida despreocupada. Além de lindo e rico, mora em um apartamento chique de Londres e está sempre acompanhado de belas mulheres. Mas tudo se transforma da noite para o dia quando a irmã morre, deixando a pequena Delphi, de apenas 8 meses.

Sem a menor ideia de como cuidar sozinho de um bebê, ele resolve se afastar da correria da cidade grande e se muda para o chalé em Briarwood. Ele não está acostumado ao ambiente de um vilarejo. Mas ainda bem que os moradores o recebem de braços abertos, principalmente, Molly, com quem logo tem uma conexão inegável. ;-)

Opinião da Pequena: Esse é o 6º livro da série “Romances de hoje”, da editora Arqueiro. É um daqueles romances que tem a história central, porém, as paralelas são as que mais chamam a atenção. Pelo menos, no meu caso foi assim. ♥

Dexter e todo o contexto que o envolve mexeu bastante e bateu aquela curiosidade, do que seria dele e da pequena Delphi. A gente já imagina no que vai dar, mas o final não deixa de ser surpreendente e de arrancar suspiros.

Porém, a parte da Frankie e sua família foi a que fez me devorar cada capítulo em que apareciam. É nesse momento que a gente se toca que o “perfeito” é muito relativo! Aliás, ela é uma das personagens mais fortes que já vi nessa série.

No mais, a escrita da Jill continua envolvente. Os personagens nos conquistam, alguns dão raiva e a maioria nos ensina e faz valer cada página desse romance. O 1º livro dela eu gostei mais, mas esse também é perfeito para quem ama romance e todos os clichês que esse gênero carrega (e eu, particularmente, amo).

E, por fim: destaque para a capa que é uma das mais lindas. Enfim, RECOMENDO a leitura. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Desencontros à beira-mar
Fan Page ♥ Instagram 


6
09.12.2019
* PJ Leu: Meu crush de Nova York! ♥

Ei, Gente! :) Para começar a semana, preparei uma dica literária nacional: Meu crush de Nova York, da autora Raffa Fustagno. Publicado pela The Gift Box, o livro é o clássico romance leve, inspirador e perfeito para quem ama filmes, séries e, claro, a famosa Big Apple! Então, vamos lá? Boa resenha para vocês. ♥ 

PJ Leu - Meu crushLivro: Meu crush de Nova York | Editora: The Gift Box | Autora: Raffa Fustagno
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4,5 livros

Sinopse: Depois de perder o emprego e não conseguir uma resposta sequer para fazer entrevista, Charlotte decide pegar o dinheiro do fundo de garantia e embarcar para um destino chamado Nova York. Ela acredita que essa viagem irá ajudar a esquecer um pouco os boletos, entre outros problemas. Por exemplo? Mesmo após alguns anos, ela ainda não consegue perdoar o pai por ter traído sua mãe! Aliás, essa situação faz com que a nossa protagonista não acredite no amor. Porém, tudo muda quando a viagem, sem pretensão alguma, coloca no seu caminho o Ethan, um barista do Starbucks. Amor à primeira vista? A cidade que nunca dorme promete muito mais!

Opinião da Pequena: Meu crush de Nova York é um romance leve, divertido e que faz a gente viajar pela cidade que nunca dorme e por cenários de filmes e séries que marcaram! Adorei a escrita da Raffa e a premissa  da história. Para alguns, talvez seja clichê, mas um clichê bem escrito, é sempre bem-vindo! E sabem o que eu mais amei? A forma como a autora posiciona a Charlotte. Me senti a melhor amiga dela, tipo a Juli (para entender, melhor ler o livro ^^). Realmente parece que a protagonista está conversando com o leitor. E isso é tão bom, né? Acho que prende mais e a leitura flui melhor!

No mais, é um livro com várias lições no decorrer dos capítulos, principalmente, sobre o amor. Que a propósito não tem regra. É viver um dia de cada vez. Tentar ser pé no chão, mas viver intensamente. Até mesmo quando você é do Rio e o dito cujo é de NY! E o tempo é muito relativo! Falando nisso, amei a tia da Charlotte. Alguns dos melhores conselhos são ditos por ela, que é uma das minhas personagens favoritas! Acho que o livro merecia mais páginas, mas quem sabe não tem um “Meu crush de Nova York 2”? Quanto ao Ethan, ele já ganhou pontinhos extras por trabalhar na minha cafeteria favorita da vida. E é um verdadeiro crush e de arrancar suspiros, principalmente, no aniversário da nossa protagonista e nos passeios misteriosos.

Amei o nome de cada capítulo e pelo que eu entendi, muitos levam nomes de filmes. Aliás, preciso fazer uma maratona com todos que ela menciona nas páginas! E fiquei com muita vontade de assistir Sexy and the city e visitar novamente Nova York. Por fim, adorei o final e mesmo querendo entender algumas coisas, acho que dá asas a nossa imaginação. Ou quem sabe, mais uma vez, um sinal de que vem um segundo livro sobre Charlotte e seu crush por aí. Enfim, recomendo a leitura. ♥

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Blogueiras.com

Fan Page ♥ Instagram 


0
22.11.2019
* PJ Leu: O café da praia! ♥

Ei, Gente! :) Para terminar a semana, tem dica literária para vocês no post de hoje. Dessa vez, li: O café da praia, da autora Lucy Diamond. Publicado pela Editora Arqueiro (eterna parceira do blog), o livro faz parte de uma série que eu amo: Romances de hoje! Então, vamos lá? Boa resenha! 

PJ Leu - O Café da PraiaLivro: O café da praia | Editora: Arqueiro | Autora: Lucy Diamond
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Evie sempre foi a ovelha negra da família: sonhadora e  impulsiva, o oposto das irmãs mais velhas bem-sucedidas. Tentou fazer carreira como atriz, fotógrafa, mas nada engrenou. Viva pulando de um trabalho para o outro, sempre com a sensação de que lhe faltava um propósito. Então, quando a sua tia preferida sofre um acidente, ela recebe uma inesperada herança…. O café na beira da praia, de Cornualha, onde passou sua infância, entre outros momentos, agora é seu!

Empolgada com a oportunidade de mudar de vida, ela decide morar lá. Mas logo descobre que nem tudo são flores no Café! Os funcionários não são os melhores, o local está caído e muita coisa precisa ser feita! Mas apesar das dificuldades, ela está determinada a fazer dar certo! Com isso, conquista muito mais, inclusive na vida amorosa!

Opinião da Pequena:  “A casa dos novos começos“, da mesma autora, é um dos livros que eu mais amei dessa série. Então, a expectativa para “O café da praia” estava giga!  Não me emocionou tanto quanto o primeiro, mas não deixou a desejar. Adoro que ela usou a Evie para narrar a própria história. A leitura fica mais envolvente, sabe? Fora que me senti bem mais próxima da protagonista. A premissa é bem boa e a escrita da Lucy é tão leve que quando a gente se toca, puft, o capítulo já acabou.

Me identifiquei muito com a personagem principal. Foi uma inspiração a mais para correr atrás do meu propósito. Aliás, é uma história que define muito aquele ditado “nada acontece por acaso”. A morte da tia Jo é bem triste, mas ainda bem que o destino reservou algumas coisas boas, por mais que tivesse pedras no caminho. Evie evolui bastante, mas sem perder a sua essência de sonhadora! E uma das lições que eu mais amei: nunca é tarde para começar do zero, mesmo com as dificuldades! Ah! Sua família tem uns poréns e a sua mãe e seus sobrinhos são incríveis. A cena do telefone é uma das que mais me marcou. Amei os moradores, até mesmo, a Betty. Por trás de uma atitude ranzinza, existe um coração de ouro! E o que falar da Florence (acho que é esse o nome)? Melhores conselhos!

Continuando… No meio, a leitura ficou meio arrastada. Não teve muita emoção! Só algumas suspeitas. O romance que rolou arrancou alguns suspiros, mas no decorrer das páginas me decepcionou um pouco. Por incrível que pareça, desejei um outro desfecho. E por falar nessa palavrinha, adorei o final da Amber, a melhor amiga da Evie. Aliás, todo mundo merece uma amiga como ela! E destaque para a relação da nossa protagonista com o seu enteado Saul, que a propósito mostra que algumas coisas não precisam ter fim. Por mais que eu ache que na realidade não funciona bem assim, acho que casou maravilhosamente com a história!

E preciso falar: as autoras dessa série amam a Cornualha, né? Fiquei bem curiosa com esse destino hahaha! =) E como eu queria que esse café virasse realidade e uma dose de moradores fofos como os do livro! No mais, o fim foi bem fofinho e mesmo com algumas explicações corriqueiras, eu recomendo!

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Girlboss

Fan Page ♥ Instagram 


1

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021