13.10.2017
* PJ Leu: Na minha onda! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária do dia é Na minha onda, da autora Laura Conrado. O livro, que foi publicado pela Globo Alt, é o recente romance dela e você é capaz de devorar em menos de 24 horas. Vamos lá? Boa resenha! ;-)

PJ Leu - Na minha ondaLivro: Na minha onda | Editora: Globo Alt | Autora: Laura Conrado
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Vitória é uma cantora talentosa que esteve no topo do sucesso há cinco anos. Mas agora ela está arrasada, pois ficou desempregada, voltou a morar com os pais e ainda tem que aceitar o triunfo de Carol Laine, sua amiga de infância e antiga dupla musical, que seguiu a carreira solo e está se tornando uma das mais comentadas artistas da Bahia.

Porém, mesmo Vitória tentando se esconder a todo custo, Carol Laine a procura com um convite: ela quer que as duas voltem a trabalhar juntas e que ela participe de um reality show sobre sua vida. Isso significa, também, estar mais próxima de Lucas, o primo (gato!!) e assessor de Carol, por quem Vitória mantém uma paixão secreta há anos.

Mesmo parecendo uma proposta irrecusável, é difícil engolir a mágoa, fica à sombra de Carol Laine e ainda encarar os reveses da fama, como a exigência de estar sempre linda e em forma, as fofocas da imprensa, a perseguição de um fã maníaco e misterioso e a dúvida sobre as amizades serem apenas por interesse.

Em meio a tantos sentimentos conflitantes, Vitória terá de responder: vale a pena voltar a um mundo em que o ego das pessoas parece controlar tudo?

Minha opinião: Na verdade, tinha lido em alguns dias até a 73ª página, mas com a correria do dia a dia, dei uma paradinha. Mas quando voltei a ler: bum! Em menos de 24 horas, devorei o livro. A história prende em um nível hard, gente! Tem uma pegada meio de investigação misturada com comédia e romance. Quando peguei o ritmo, foi impossível parar.

A Vitória é hilária e bem gente como a gente. Tem os mais variados sentimentos, que conhecemos sem hipocrisia. E como esse mundo da fama, pode ser cruel, né? Entretanto, tudo depende de como lidamos e acho que cada história tem o seu aprendizado. Nossa protagonista aprende muito no decorrer do livro e a gente também. Aprendemos sobre amizade, família, amores e como nem sempre é a primeira impressão que importa. Aliás, às vezes, nem tudo é o que parece ser. Tem gente que tem o poder de enganar e outras pessoas podem esconder as suas melhores intenções.

No meio de alguns capítulos, fiquei com coração na mão. Com medo de estar enganada sobre tudo. Mas, no final, agradeci de joelhos à autora e suspirei aliviada hahaha. Porém, sem spoiler. Prometo! No mais, amei o livro, o enredo e li cada página com o sotaque da Bahia (principalmente nas partes da Vitória). A propósito, é uma ótima forma de conhecer esse lugar, nem que seja um pouco. E conhecer alguns artistas desse canto do Brasil. Todos os personagens são incríveis, alguns dão raiva em nível hard também, mas outros nos conquistam aos poucos ou desde o começo.

Por fim, a capa é linda. Adorei! Tanto ela quanto o título, tem tudo a ver com a história. E, como vocês sabem, quando isso acontece: tem pontinho extra! 

***

É isso, pessoal. :) Obrigada por mais um livro lindo, Laura. Sou sua fã! Aliás, ainda esse mês vai rolar uma mini entrevista com a Laura, que fiz em plena Bienal do Livro do RJ. Enfim, quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Minha vida não tão perfeita

Fan Page ♥ Instagram 


0
14.09.2017
* PJ Leu: Tudo e todas as coisas! ♥

Ei, Gente! Andei sumida, eu sei. A vida está bem corrida, mas estou tentando colocar tudo em ordem. Enquanto isso, tem dica literária no post do dia. Dessa vez: Tudo e todas as coisas, da autora Nicola Yoon. Recebi esse livro da Arqueiro (parceira do blog) e já posso adiantar que  amei tanto quanto o filme. Então, boa resenha para vocês! ;-)

Tudoetodasascoisas_CapaWEBLivro: Tudo e todas as coisas | Editora: Arqueiro | Autora: Nicola Yoon
Crédito da imagem: Arqueiro 

Sinopse: Um romance que conta a história da Madeline, uma adolescente que tem uma doença rara. Isso significa que ela é basicamente alérgica ao mundo. Há 17 anos, nossa protagonista não coloca o pé para fora de casa. As únicas pessoas que ela tem contato direto são: a mãe e a enfermeira Carla. Mas tudo muda quando um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Madeline olha pela janela e dá de cara com um cara alto, magro e, aparentemente, ama preto. Seu nome? Olly. O significado? Ele irá provocar uma mudança na vida dela e ela na dele. Se isso será uma catástrofe? Ninguém sabe, mas imagina… ;-)

Minha opinião: O que falar desse livro, gente? É o tipo de história que você abraça bem forte no final e se apaixona por cada capítulo. Devorei esse livro em menos de uma semana e fiquei com vontade de saber mais e mais. Assisti ao filme primeiro, mas mesmo assim ler não perdeu a graça. Vale muito a pena, principalmente para tirar algumas dúvidas e entender melhor outras questões.

Os personagens cativam o leitor desde a primeira página. Principalmente, o casal protagonista. Olly definitivamente é o meu crush literário atual! Madeline é forte e tem o poder de inspirar muita gente. Bom, pelo menos inspirou. Dá um aperto saber da doença, mas a autora desenvolveu a história de um jeito que dá para sentir várias coisas ao mesmo tempo. Desde suspiros apaixonantes até medo!

A leitura é leve, emocionante e prende. As ilustrações dão um toque a mais e fazem toda a diferença! Sobre a mãe dela: me deu raiva, mas acho que não cabe a gente julgar as atitudes, sabem? Tudo bem que toda ação tem uma reação, entretanto, acredito que ela mereça uma segunda chance. Mas não pode sair totalmente impune. Tem que ter a consciência do que fez, sem dúvida! Acho que foi um dos aprendizados. Julgar menos, porém seguir a vida é o principal.

Achei o livro bem mais realista do que filme. Mas preciso dizer que não imagino outros atores interpretando os papeis principais! Adorei as menções ao livro O Pequeno Príncipe. É um detalhe que também faz toda a diferença.

É isso, pessoal. Quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Recomendo e MUITO! 

Beijos, Carol.

Vale a leitura: Para assistir – Tudo e todas as coisas!

Fan Page ♥ Instagram


2
16.08.2017
* {Beda 16} – PJ Leu: Minha vida não tão perfeita! ♥

E a dica literária do dia é Minha vida não tão perfeita, da autora queridinha (por mim) Sophie Kinsella. O livro, que foi publicado pela Record, fala sobre um tema bem atual: afinal, será que a vida daquela pessoa é tão maravilhosa quanto imaginamos? Espero que gostem e boa resenha! 

PJ Leu - Minha vida não tão perfeitaLivro: Minha vida não tão perfeita | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Cat Brenner tem uma vida perfeita! Ela mora em um flat em Londres, tem um emprego glamouroso e um perfil mara no Instagram. Mas ela não conta a real que está por trás disso tudo. Por exemplo? Ela até mora em um flat, mas em um quartinho minúsculo com pessoas bem peculiares. Seu trabalho na agência de publicidade é burocrático e nem tão legal. E o dia a dia que ela compartilha em ser perfil, não reflete exatamente a realidade. Ah! Outro detalhe: seu nome verdadeiro é Katie.

Porém, um dia, seus sonhos se tornarão realidade, né? Bom… A vida dela vira de cabeça para baixo, quando a chefe Demeter, bem-sucedida, a demite. Daí, ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset, sua cidade natal. Enquanto busca um emprego, Cat (ou Katie) decide ajudar o pai e a madrasta no novo negócio deles: transformar uma fazenda em um glamping (camping de luxo).

Só que é justamente nesse local, que a nossa protagonista tem a oportunidade de ficar cara a cara com a sua ex-chefe. Será que ela vai finalmente colocar a megera no seu devido lugar ou mudar de opinião? Afinal, ter uma vida (não tão) perfeita assim é ruim? *mistério* ;-)

Minha opinião:  O que falar desse livro? É aquele tipo de leitura leve, divertida e que carrega muitas verdades atuais. Tipo? A parte que a gente não conta por trás das fotos “perfeitas” e como julgamos as pessoas de forma errada. Às vezes aquela chefe, nem é tudo o que aparenta e pode surpreender se dermos uma chance. Nem toda atitude é por mal. Mas ainda bem que vem a vida e mostra a realidade para a gente.

Gostei muito da forma como a autora contou a história e dos personagens que ela inventou. A Katie é uma comédia e bem gente como a gente! Me lembrou um pouco a Becky Bloom e dá para ver direitinho a evolução dela no decorrer dos capítulos. A Demeter é surpreendente, o pai e a madrasta são as melhores pessoas. O Alex? De arrancar suspiros! As amigas do trabalho? Prefiro não comentar para não dar spoiler.

O final me pegou de surpresa, mas achei bem criativo. Aliás, cada página te prende. Por maior que seja a história, é o tipo de livro que a gente devora em poucos dias e abraça quando chega ao fim.  E como sempre: tirei lições bem valiosas. A proposta do livro, pelo que eu entendi, não é mostrar que você não pode tirar foto de tal coisa e postar, mas acho que é ser um pouco mais verdadeiro. Não viver tanto de aparência! A vida pode ser boa, claro, porém contratempos acontecem com todo mundo e tudo bem.

Enfim, amei. Já li muitos livros da autora, mas esse ganhou um lugarzinho especial no meu topo dos preferidos.  Destaque também para a capa e o título. Eles têm tudo a ver com a trama.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo!

Beijos, Carol.

 Para ler: Nossa música 

Fan Page ♥ Instagram 


4
04.08.2017
* {Beda 4} – PJ Leu: Nossa música! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Nossa Música, da autora Dani Atkins. O livro, que foi publicado pela editora Arqueiro (parceira do blog), é um daqueles romances que faz a gente suspirar e derramar algumas lágrimas. Vamos lá? Boa resenha! ;’)

PJ Leu - Nossa músicaLivro: Nossa Música | Editora: Arqueiro | Autora: Dani Atkins
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte. Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.

Minha opinião: Vamos começar pela capa? Simples e linda! O título tem tudo a ver com a história. Então, já começou bem. O livro? A linguagem é leve e o jeito como a Dani contou, mexeu bem lá no fundinho do meu coração. Ela tratou de assuntos bem delicados e importantes, como a doação de órgãos, de uma maneira fofinha (digamos assim). Eu acho que nunca tinha lido um livro que abordasse esse tema. Pontinho extra!

Tive um mix de sensações com essa leitura. Fiquei com raiva, perdoei,  suspirei e por aí vai. Aliás, algumas atitudes permitem as piores conclusões. Porém, é aí que entra uma das lições: nem tudo é o que parece ser! Às vezes, julgamos bem errado. Mas claro que o destino e algumas palavras poderiam ter colaborado um pouco. Entretanto, a vida funciona desse jeito, né? ;p

Não é aquele tipo de livro que tem mistério. Se você ler nas entrelinhas, no meio já dá para sacar o que vai acontecer. É bem previsível, eu diria. Mas de forma alguma deixa de prender. Confesso que eu torci para ter um final diferente, mas mais uma vez: a vida não segue sempre o que a gente deseja. Quase nunca (e tudo bem). Esses finais acabam nos ensinando muito mais e muitas coisas acabam se encaixando.

Nossa música não é uma história que vai te deixar sorrindo de orelha a orelha, porém vai ensinar lições valiosas e com personagens que cativam (mas alguns dão raiva haha e destaque para o Max e Joe). O final dá uma dorzinha no coração, mas faz a gente ver algumas situações através de uma outra perspectiva. E sempre reforçando a importância da família, dos amigos e mostrando como a vida realmente é frágil. Em questões de segundos, tudo pode mudar.

É isso. Quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Recomendo muito! 

Beijos, Carol.

Para ler: A história de nós dois (Dani Atkins)

Fan Page ♥ Instagram 


1
12.07.2017
* PJ Leu: Dois a dois! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Dois a dois, do autor Nicholas Sparks O livro, que foi publicado pela editora Arqueiro (parceira do blog), é de arrancar suspiros e, claro, lágrimas. Mas vale cada página! Boa resenha e segurem o choro hahaha! ;-)

unnamedLivro: Dois a dois | Editora: Arqueiro | Autor: Nicholas Sparks
Crédito da imagem: Arqueiro

Sinopse: Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos. Em questão de meses, Russell perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.

Minha opinião: É o meu primeiro livro do Nicholas Sparks. E meu Deus: por que não entrei nesse universo antes? A escrita dele é tão boa, que não dá vontade de parar um segundo. É o típico livro que te prende do início ao fim!  A cada capítulo, bate aquela curiosidade de saber o que acontece nas próximas páginas. Ok, que às vezes eu acho que esse autor não tem muita piedade dos leitores, porque é cada lágrima que escorre. Mas isso é um mero detalhe hahaha!

Amei a trama e como o autor desenvolveu a história. Tudo vai se encaixando, sem deixar furos! O livro despertou as mais variadas sensações. Desde suspiro até “como existe um ser que faz isso?”. Fiquei com muita raiva da mulher dele! Mas acho que se ela não tivesse feito o que fez, Russ não teria aprendido tanto. Principalmente, a dor e a delícia de ser pai! Aliás, London é encantadora. E o pai dela, mais ainda. Ele é aquele tipo de pessoa que não tem noção da força que tem, mas ainda bem que a família e uma amiga em especial está ali para lembrá-lo disso todos os dias.

A irmã de Russ tem um papel importantíssimo na história. Se todas as pessoas tivessem um terço do amor e carinho que ela carrega e distribui, o mundo seria um lugar bem melhor! Acho que de todos os conselhos que ela deu para ele, só um não concordei. Os outros me fizeram refletir bastante! Russ teve o azar de encontrar gente que não tem um pingo de caráter, mas em compensação tem uma família de ouro. E isso: não tem preço!

Um livro que te faz pensar o real valor da família e da vida. E o verdadeiro amor e todas as suas formas! Destaque também para a capa. Podem acreditar, não é só mais uma capa. Tem toda uma história (linda, por sinal) por trás. Aliás, é uma das minhas partes favoritas! :’) Espero do fundo do meu coração que essa história vá para as telinhas. Merece! Enfim, sem dúvida, entrou para o hall dos meus livros favoritos e ocupa um lugar bem especial na minha vidinha de leitora.

unnamed (1)Crédito da imagem: Instagram @artiscando! 

Recomendo. MUITO! 

É isso, gente! Podem opinar à vontade!

Beijos, Carol.

Última resenha: A pequena livraria dos corações solitários

Fan Page ♥ Instagram 


13

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018