23.10.2017
* PJ Leu: O ódio que você semeia! ♥

Ei, Gente! Para começar a semana, uma dica literária bem diferente de tudo que já li: O ódio que você semeia, da autora Angie Thomas. O livro, que foi publicado pela Galera Record, é, sem dúvida, um dos melhores de 2017. Vamos lá? Boa resenha! ;-)

PJ Leu - O ódio que você semeia

Livro: O ódio que você semeia| Editora: Galera Record| Autora: Angie Thomas
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Starr vive entre dois mundos: o bairro pobre onde mora e o colégio particular em que estuda. Ainda assim, ela é como tantas outras meninas de 16 anos. Tem amigos, problemas com os irmãos, vai a festas e também ajuda o pai no trabalho. Até que esse equilíbrio é quebrado: Starr presencia a morte de seu melhor amigo de infância, Khalil, por um policial. Khalil estava desarmado. Starr é a única testemunha.

Não demora e a morte do amigo é manchete em todos os jornais. Alguns o chamam de bandido, outros de traficante, e que fazia parte de uma gangue. O julgamento ainda não ocorreu, mas não há quem não julgue. Seja no bairro, na escola, na TV. Até que protestos começam a tomar as ruas! Traficante? Negro. Bandido? Desarmado.

Tanto Starr quanto sua família são ameaçadas. Pela polícia e pelos chefões do tráfico local. Todos querem saber: o que realmente aconteceu naquela noite? Starr é a única pessoa que tem a resposta. Mas o que ela disser ou não, pode transformar a vida de todos que ama, do bairro, da cidade, do país. Talvez, até do mundo. Será? Aliás, ela pode colocar a si mesma em perigo.

Dizem que a justiça é cega, e é isso que Starr está prestes a descobrir!

Minha opinião: Sabe aquele livro que marca? Esse é um deles! Em poucos capítulos, a autora conseguiu me mostrar uma realidade que, até então, tinha uma vaga visão. Mas através dos olhos de Starr, consegui enxergar o que estava bem debaixo do meu nariz. Sim, porque essa realidade faz parte da rotina diária de tantas pessoas. Do mundo afora! Talvez em alguns lugares, a justiça seja completamente cega. Talvez em outros, a mudança esteja por um triz. Talvez, essa rotina jamais se transforme. Mas pessoas como a nossa protagonista, podem e fazem toda a diferença.

A gente tem mania de julgar o outro por estereótipos, que não fazem o menor sentido. Temos que tentar ao máximo parar de generalizar (e eu me incluo nessa!). Não é que a mudança tenha que acontecer da noite para o dia, mas ela precisa acontecer. Nem que seja aos poucos. E esse livro me mostrou isso. Não sou a favor do crime e de quem segue esse caminho. Acredito que tenham outras saídas, talvez mais difíceis, mas que resultem em uma consciência tranquila e um mundo melhor. Entretanto, com esse livro vi que o desespero fala muito mais alto! Não justifica, mas me fez olhar para esse assunto com outros olhos. Com essa história, vi que a impunidade é uma das coisas mais erradas nesse mundo e que a gente tem que parar com esses achismos. Dos dois lados! Não cabe a gente julgar o que não sabe de fato! Nessa guerra, realmente ninguém sai ganhando.

Essas foram as minhas conclusões, mas vale embarcar na leitura para tirar a sua. ;-) Fora isso, amei a escrita da autora e acho que é o tipo de história que é tapa na cara da sociedade. Cada capítulo me prendeu e não queria abandonar o livro por nada nesse mundo. Está na minha lista de favorito e olhem que nem é o meu gênero preferido. Em relação aos personagens, destaque para a Starr (óbvio), Tio Carlos e Chris. Todos me ensinaram muito! Sobre a capa e o título: tudo a ver e quando você termina a leitura, acaba fazendo ainda mais o link.

Ah! Fiquei bem feliz que vai ter adaptação para os cinemas. Claro, que o livro quase sempre é melhor. Mas é o tipo de obra que todo mundo precisa conhecer! E, adivinhem: quando estava lendo, pensei na atriz que fez Tudo e Todas as Coisas para a personagem principal e tcharan: acertei em cheio!

É isso, gente. Recomendo. MUITO!  No mais, podem opinar à vontade!

Beijos, Carol.

Para ler: Meus dias com você!

Fan Page ♥ Instagram 


3
14.10.2017
* PJ Leu: Meus dias com você! ♥

Ei, Gente! :) Como não consegui postar na quarta, vai ter post em pleno sábado sim \o/. Uma resenha literária para vocês: Meus dias com você, da autora Clare Swatman. O livro, que foi publicado pela Editora Arqueiro (parceira do blog), tem uma das capas mais lindas e uma história que faz a gente refletir muito sobre destino. Vamos lá? 

Meusdiascomvoce_CapaWEB (1)Livro: Meus dias com você | Editora: Arqueiro | Autora: Clare Swatman
Crédito da imagem: Editora Arqueiro

Sinopse: Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho. Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?

Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade. A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

Minha opinião: Um livro que não tem o vilão e nem o bonzinho. O passado vem à tona e a cada capítulo, a autora responde perguntas da sinopse. Me envolvi com a história, desde o começo e torci para um final feliz. Se ele apareceu? Digamos, que sim. O destino de cada um está traçado, às vezes, não cabe a gente mudá-lo. Às vezes, sim. Na verdade, o que eu senti com essa leitura é que nada é por acaso. Não temos o poder de mudar o teor da história, mas temos sim a possibilidade de torná-la mais feliz e, sendo assim, de alguma forma mudá-la. Meio confuso, eu sei. Mas acho que deu para entender hahaha. Porém, sem mais detalhes, prometo!

Nesse livro, a autora fala também sobre uma questão bem importante em casamentos: infertilidade e todo esse processo. Acho que para casais que passam por isso, a história de Zoe e Ed pode ajudar muito. Não faz milagre, mas acredito que possa ser aquela alerta de realidade, sabem? #ficadica ;-)

Fora isso, destaque para a capa, que traduz direitinho “Meus dias com você”.  Não é o meu livro preferido da vida, mas me fez abraçá-lo bem forte no final. Obrigada, Clare!

No mais, podem opinar à vontade! ^^

Beijos, Carol.

Para ler: Na minha onda

Fan Page ♥ Instagram 


0
13.10.2017
* PJ Leu: Na minha onda! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária do dia é Na minha onda, da autora Laura Conrado. O livro, que foi publicado pela Globo Alt, é o recente romance dela e você é capaz de devorar em menos de 24 horas. Vamos lá? Boa resenha! ;-)

PJ Leu - Na minha ondaLivro: Na minha onda | Editora: Globo Alt | Autora: Laura Conrado
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Vitória é uma cantora talentosa que esteve no topo do sucesso há cinco anos. Mas agora ela está arrasada, pois ficou desempregada, voltou a morar com os pais e ainda tem que aceitar o triunfo de Carol Laine, sua amiga de infância e antiga dupla musical, que seguiu a carreira solo e está se tornando uma das mais comentadas artistas da Bahia.

Porém, mesmo Vitória tentando se esconder a todo custo, Carol Laine a procura com um convite: ela quer que as duas voltem a trabalhar juntas e que ela participe de um reality show sobre sua vida. Isso significa, também, estar mais próxima de Lucas, o primo (gato!!) e assessor de Carol, por quem Vitória mantém uma paixão secreta há anos.

Mesmo parecendo uma proposta irrecusável, é difícil engolir a mágoa, fica à sombra de Carol Laine e ainda encarar os reveses da fama, como a exigência de estar sempre linda e em forma, as fofocas da imprensa, a perseguição de um fã maníaco e misterioso e a dúvida sobre as amizades serem apenas por interesse.

Em meio a tantos sentimentos conflitantes, Vitória terá de responder: vale a pena voltar a um mundo em que o ego das pessoas parece controlar tudo?

Minha opinião: Na verdade, tinha lido em alguns dias até a 73ª página, mas com a correria do dia a dia, dei uma paradinha. Mas quando voltei a ler: bum! Em menos de 24 horas, devorei o livro. A história prende em um nível hard, gente! Tem uma pegada meio de investigação misturada com comédia e romance. Quando peguei o ritmo, foi impossível parar.

A Vitória é hilária e bem gente como a gente. Tem os mais variados sentimentos, que conhecemos sem hipocrisia. E como esse mundo da fama, pode ser cruel, né? Entretanto, tudo depende de como lidamos e acho que cada história tem o seu aprendizado. Nossa protagonista aprende muito no decorrer do livro e a gente também. Aprendemos sobre amizade, família, amores e como nem sempre é a primeira impressão que importa. Aliás, às vezes, nem tudo é o que parece ser. Tem gente que tem o poder de enganar e outras pessoas podem esconder as suas melhores intenções.

No meio de alguns capítulos, fiquei com coração na mão. Com medo de estar enganada sobre tudo. Mas, no final, agradeci de joelhos à autora e suspirei aliviada hahaha. Porém, sem spoiler. Prometo! No mais, amei o livro, o enredo e li cada página com o sotaque da Bahia (principalmente nas partes da Vitória). A propósito, é uma ótima forma de conhecer esse lugar, nem que seja um pouco. E conhecer alguns artistas desse canto do Brasil. Todos os personagens são incríveis, alguns dão raiva em nível hard também, mas outros nos conquistam aos poucos ou desde o começo.

Por fim, a capa é linda. Adorei! Tanto ela quanto o título, tem tudo a ver com a história. E, como vocês sabem, quando isso acontece: tem pontinho extra! 

***

É isso, pessoal. :) Obrigada por mais um livro lindo, Laura. Sou sua fã! Aliás, ainda esse mês vai rolar uma mini entrevista com a Laura, que fiz em plena Bienal do Livro do RJ. Enfim, quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Minha vida não tão perfeita

Fan Page ♥ Instagram 


0
14.09.2017
* PJ Leu: Tudo e todas as coisas! ♥

Ei, Gente! Andei sumida, eu sei. A vida está bem corrida, mas estou tentando colocar tudo em ordem. Enquanto isso, tem dica literária no post do dia. Dessa vez: Tudo e todas as coisas, da autora Nicola Yoon. Recebi esse livro da Arqueiro (parceira do blog) e já posso adiantar que  amei tanto quanto o filme. Então, boa resenha para vocês! ;-)

Tudoetodasascoisas_CapaWEBLivro: Tudo e todas as coisas | Editora: Arqueiro | Autora: Nicola Yoon
Crédito da imagem: Arqueiro 

Sinopse: Um romance que conta a história da Madeline, uma adolescente que tem uma doença rara. Isso significa que ela é basicamente alérgica ao mundo. Há 17 anos, nossa protagonista não coloca o pé para fora de casa. As únicas pessoas que ela tem contato direto são: a mãe e a enfermeira Carla. Mas tudo muda quando um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Madeline olha pela janela e dá de cara com um cara alto, magro e, aparentemente, ama preto. Seu nome? Olly. O significado? Ele irá provocar uma mudança na vida dela e ela na dele. Se isso será uma catástrofe? Ninguém sabe, mas imagina… ;-)

Minha opinião: O que falar desse livro, gente? É o tipo de história que você abraça bem forte no final e se apaixona por cada capítulo. Devorei esse livro em menos de uma semana e fiquei com vontade de saber mais e mais. Assisti ao filme primeiro, mas mesmo assim ler não perdeu a graça. Vale muito a pena, principalmente para tirar algumas dúvidas e entender melhor outras questões.

Os personagens cativam o leitor desde a primeira página. Principalmente, o casal protagonista. Olly definitivamente é o meu crush literário atual! Madeline é forte e tem o poder de inspirar muita gente. Bom, pelo menos inspirou. Dá um aperto saber da doença, mas a autora desenvolveu a história de um jeito que dá para sentir várias coisas ao mesmo tempo. Desde suspiros apaixonantes até medo!

A leitura é leve, emocionante e prende. As ilustrações dão um toque a mais e fazem toda a diferença! Sobre a mãe dela: me deu raiva, mas acho que não cabe a gente julgar as atitudes, sabem? Tudo bem que toda ação tem uma reação, entretanto, acredito que ela mereça uma segunda chance. Mas não pode sair totalmente impune. Tem que ter a consciência do que fez, sem dúvida! Acho que foi um dos aprendizados. Julgar menos, porém seguir a vida é o principal.

Achei o livro bem mais realista do que filme. Mas preciso dizer que não imagino outros atores interpretando os papeis principais! Adorei as menções ao livro O Pequeno Príncipe. É um detalhe que também faz toda a diferença.

É isso, pessoal. Quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Recomendo e MUITO! 

Beijos, Carol.

Vale a leitura: Para assistir – Tudo e todas as coisas!

Fan Page ♥ Instagram


2
16.08.2017
* {Beda 16} – PJ Leu: Minha vida não tão perfeita! ♥

E a dica literária do dia é Minha vida não tão perfeita, da autora queridinha (por mim) Sophie Kinsella. O livro, que foi publicado pela Record, fala sobre um tema bem atual: afinal, será que a vida daquela pessoa é tão maravilhosa quanto imaginamos? Espero que gostem e boa resenha! 

PJ Leu - Minha vida não tão perfeitaLivro: Minha vida não tão perfeita | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Cat Brenner tem uma vida perfeita! Ela mora em um flat em Londres, tem um emprego glamouroso e um perfil mara no Instagram. Mas ela não conta a real que está por trás disso tudo. Por exemplo? Ela até mora em um flat, mas em um quartinho minúsculo com pessoas bem peculiares. Seu trabalho na agência de publicidade é burocrático e nem tão legal. E o dia a dia que ela compartilha em ser perfil, não reflete exatamente a realidade. Ah! Outro detalhe: seu nome verdadeiro é Katie.

Porém, um dia, seus sonhos se tornarão realidade, né? Bom… A vida dela vira de cabeça para baixo, quando a chefe Demeter, bem-sucedida, a demite. Daí, ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset, sua cidade natal. Enquanto busca um emprego, Cat (ou Katie) decide ajudar o pai e a madrasta no novo negócio deles: transformar uma fazenda em um glamping (camping de luxo).

Só que é justamente nesse local, que a nossa protagonista tem a oportunidade de ficar cara a cara com a sua ex-chefe. Será que ela vai finalmente colocar a megera no seu devido lugar ou mudar de opinião? Afinal, ter uma vida (não tão) perfeita assim é ruim? *mistério* ;-)

Minha opinião:  O que falar desse livro? É aquele tipo de leitura leve, divertida e que carrega muitas verdades atuais. Tipo? A parte que a gente não conta por trás das fotos “perfeitas” e como julgamos as pessoas de forma errada. Às vezes aquela chefe, nem é tudo o que aparenta e pode surpreender se dermos uma chance. Nem toda atitude é por mal. Mas ainda bem que vem a vida e mostra a realidade para a gente.

Gostei muito da forma como a autora contou a história e dos personagens que ela inventou. A Katie é uma comédia e bem gente como a gente! Me lembrou um pouco a Becky Bloom e dá para ver direitinho a evolução dela no decorrer dos capítulos. A Demeter é surpreendente, o pai e a madrasta são as melhores pessoas. O Alex? De arrancar suspiros! As amigas do trabalho? Prefiro não comentar para não dar spoiler.

O final me pegou de surpresa, mas achei bem criativo. Aliás, cada página te prende. Por maior que seja a história, é o tipo de livro que a gente devora em poucos dias e abraça quando chega ao fim.  E como sempre: tirei lições bem valiosas. A proposta do livro, pelo que eu entendi, não é mostrar que você não pode tirar foto de tal coisa e postar, mas acho que é ser um pouco mais verdadeiro. Não viver tanto de aparência! A vida pode ser boa, claro, porém contratempos acontecem com todo mundo e tudo bem.

Enfim, amei. Já li muitos livros da autora, mas esse ganhou um lugarzinho especial no meu topo dos preferidos.  Destaque também para a capa e o título. Eles têm tudo a ver com a trama.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo!

Beijos, Carol.

 Para ler: Nossa música 

Fan Page ♥ Instagram 


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018