14.05.2020
* PJ Leu: A gaiola de ouro! ♥

Ei, Gente! :) Eu acho que a quarentena combina muito com livros mais leves e divertidos. Porém, eu resolvi abrir o meu leque de leituras e pasmem!! O último livro que li foi um thriller psicológico: A gaiola de ouro, da Camilla Läckberg, publicado pela Editora Arqueiro. Vocês estão em choque? Eu também hahaha! Mas vão ficar ainda mais com essa resenha. Vamos lá? ♥

Livro: A gaiola de ouro | Editora: Arqueiro| Autor: Camilla Läckberg
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 3,5 livros

Sinopse: Jack e Faye começaram a namorar na faculdade. Ele é um garoto criado em berço de ouro. Ela é uma jovem que se esforçou para enterrar um passado sombrio.

Quando ele decide criar uma empresa, ela deixa os estudos e passa a trabalhar de dia, dedicando as noites a traçar a estratégia do novo negócio. A companhia se torna um sucesso bilionário, mas Faye fica apenas cuidando da filha em casa e sendo exibida pelo marido, que toma todas as decisões da empresa.

Um dia, Faye descobre que ele tem um caso e a bela fachada de sua vida desmorona. De uma hora para outra, ela está sozinha, emocionalmente abalada e sem nenhum centavo. Mas Jack está prestes a receber o que merece, e muito mais.

Opinião da Pequena: Quando a Editora falou do livro, fiquei com muito receio. Já que eu fico bastante impressionada com essas histórias. Mas coloquei esse desafio e depois da entrevista que rolou no Instagram com a autora, fui com tudo!

É um livro bem pesado e muito bem escrito! Por mais que as coisas me impressionassem, eu não queria parar de ler um minuto sequer. Porque bate muita curiosidade. Aos poucos entramos no universo da protagonista e conhecemos seu passado e presente e nem sonhamos com o que está prestes a acontecer. Tem muita reviravolta!

Jack é um cara nojento. Por tudo! Acho que é um dos personagens que mais me assustou, principalmente, pelo que a gente descobre no final. A Faye, por mais que dê para entender algumas atitudes, também não é a melhor pessoa da vida. Mas para dar um toque bem sutil de leveza, a gente se depara com a Chris, que é simplesmente incrível. Aliás, esse livro me deixou tensa, mas em um capítulo específico, me emocionou bastante. Quem diria, né?

É uma história que desperta todas as emoções possíveis no leitor. Uma hora a gente tem vontade de tirar a Faye da gaiola de ouro e outras não entende a necessidade de toda vingança. Ai bate uma raiva giga! E em algumas partes acha muito bem-feito para o Jack.

No mais, têm trechos que achei meio enrolação e cenas bem desnecessárias. Sobre o final: é surpreendente e o passado sombrio dela volta e acho que no próximo livro vamos entender mais e mais coisas! Sim, vai ter uma 2ª parte e a Camilla disse que a gente não espera por esperar e o que aconteceu com o Jack foi pouco. Sinistro, né? =D

Ah! Lembrou um pouco Garota Exemplar (só vi o filme, mas acho que dá pare ter ideia o que acontece no livro), mas de uma maneira ainda mais vingativa, na minha humilde opinião. E quanto à capa, a princípio a gente acha até fofinha. Mas por trás do mundo rosa, têm coisas que até papai do céu duvida!

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Se você gosta de um thriller psicológico, mega recomendo. Se não e quer se aventurar em novos gêneros, indico. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Coragem
Fan Page ♥ Instagram  


4
07.05.2020
* PJ Leu: O Diabo ataca em Wimbledon! ♥

Ei, Gente! :) Semana passada eu fiz uma enquete lá no Instagram pedindo para vocês escolherem a minha próxima leitura. E a maioria escolheu “O Diabo ataca em Wimbledon“, da autora Lauren Weisberger. É um chick-lit perfeito para essa quarentena! Então, vamos lá? Boa resenha! ♥

Conto: O Diabo ataca em Wimbledon | Editora: Record | Autor: Lauren Weisberger
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Charlie Silver é uma tenista queridinha dos americanos. Disposta a vencer, ela contrata Todd, um treinador para lá de carrasco.

Então, sob nova direção, a menina boa já era e dá lugar a “Princesa Guerreira”. Logo, ela se vê em um mundo de estilistas famosos, festas exclusivas e, até mesmo, encontros com a realeza hollywoodiana.

Revistas e blogs de fofoca seguem a nossa protagonista freneticamente em suas viagens pelo mundo. Mas afinal, será que vale tudo para vencer os jogos a qualquer custo?

Opinião da Pequena: Eu amo chick-lit e a Lauren Weisberger. Adoro que a gente já sabe quando um livro é dela! Os sapatinhos “O Diabo veste Prada” na capa não enganam hahaha.

Agora vamos ao que interessa: achei que pudesse cair na mesmice e por mais que seja uma história mega clichê, a forma como foi construída fez toda a diferença. Eu não chorei de rir, mas foi um livro que deixou a vida bem mais leve, pelo menos, durante o fim de semana.

Eu adorei cada capítulo e não queria parar uma hora sequer. Achei hilário que a gente encontrou alguns famosos no livro, inclusive da realeza britânica. E eu mega me identifiquei com o amor dela por Irmãos à obra! Amo quando histórias têm um toque da nossa realidade hahaha.

Quanto aos personagens: a gente sente uma leve raivinha em alguns momentos pela Charlie. Mas ela é bem determinada e quando é para dar um basta, vai com tudo. É uma protagonista que inspira. O Dan me conquistou a primeira partida e o irmão dela é simplesmente maravilhoso e tem o melhor desfecho.

Sobre o pai, fiquei meio assim com o final, mas a conversa entre ele e a filha é a que mais me emocionou real. Em relação ao treinador, ele não chega aos pés da Miranda Prestley, mas desperta um ranço igualmente. Porém, muitas coisas serviram para o crescimento da Charlie. E mesmo com algumas ressalvas, acho que a antiga treinadora é uma querida. E a propósito, ela também ensinou muito a nossa protagonista! Piper é a melhor amiga e pessoa da vida.

No mais, é um chick-lit que rende muitos aprendizados. Principalmente, sobre cobranças. Todo mundo erra e atire a primeira bola de tênis quem nunca errou. E talvez a gente não ganhe todos os jogos da vida, mas na maioria, outros fatores valem mais do que um match point.

Aliás, pessoal estou quase uma tenista depois dessa leitura hahaha. E não é que bateu saudade da infância, quando eu ia assistir a minha mãe jogar tênis? E queria enaltecer essa profissão, não tinha a menor ideia do trabalho que era.

A pequena que vos bloga em um dos momentos
“aguardando mamy’s terminar a aula de tênis”

Enfim, foi um dos melhores livros desse ano. Obrigada de verdade, Lauren!

***

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – A vingança veste Prada
Fan Page ♥ Instagram


6
01.05.2020
* PJ Leu: Notre-Dame – A história de uma catedral! ♥

Ei, Gente! :) Para começar esse mês, resolvi postar a minha última leitura de abril, que na verdade finalizei hoje mesmo hahaha. O nome é Notre-Dame, do autor Ken Follett, livro publicado pela editora Arqueiro (eterna parceira do blog). Vamos lá? Boa resenha! ♥

Conto: Notre-Dame | Editora: Arqueiro | Autor: Ken Follett
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Em abril de 2019, um incêndio quase destruiu uma das maiores catedrais do mundo. Sendo assim, Ken Follett resolveu descrever em Notre-Dame as emoções que sentiu ao saber do ocorrido. Aliás, nesse livro, o autor reflete sobre o papel que a catedral desempenhou ao longo do tempo e revela a influência que a mesma tem em outras ao redor do mundo.

Opinião da Pequena: Quando o pessoal do marketing da Arqueiro enviou o e-book para a gente ler, não sabia ao certo se a leitura me agradaria. Mas resolvi sair da minha zona de conforto e aceitei embarcar. :)

Ken Follet fala sobre um dos pontos turísticos mais incríveis de Paris e transmite uma paixão pelo assunto, que é quase impossível não se envolver. É triste saber tudo o que aconteceu. Mas em uma das matérias que vi sobre a Pandemia que estamos vivendo, eu fiquei muito feliz quando vi que um padre ou bispo (não sei ao certo), estava celebrando uma missa lá dentro (sem os fiéis, claro). Depois de tudo que a Catedral passou, ver aquela cena me deu esperança.

Enfim, gostei da escrita do autor e como o livro é rico em detalhes históricos. Por exemplo, ela levou quase 100 anos para ser construída e eu não fazia a menor ideia de que a Notre-Dame é a quinta igreja erguida naquele local. Entre outros fatos que a gente fica sabendo em cada capítulo. Ou seja, a gente enriquece bastante com a leitura.

Adorei que tem uma parte do original da história criada pelo Victor Hugo, mas que só conhecia pelos olhos da Disney: O corcunda de Notre Dame. A gente também tem a oportunidade de ler alguns trechos do livro “Os pilares da Terra” e conhecer um pouquinho do próximo do Ken (a íntima hahaha): O Crepúsculo e a Aurora.

Então, se você é apaixonado por catedrais, independente da religião, e sempre faz questão de acrescentar no seu roteiro esse tipo de lugar para visitar, acho que essa breve história (sim, o livro é bem curtinho) vai te agradar bastante. E, por mais que não seja o meu livro favorito da vida, surpreendentemente, me agradou. ♥

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo. Falando nisso, ele está disponível aqui.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Depois daquela montanha
Fan Page ♥ Instagram


14
29.04.2020
* PJ Leu: Conto – O outro lado da muralha! ♥

Ei, Gente! :) Li mais um conto nessa quarentena e, é claro, trouxe a resenha para vocês. Dessa vez: O outro lado da muralha, escrito pela Leila Rego. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Conto: O outro lado da muralha | Editora: Amazon | Autora: Leila Rego
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4,5 livros

Sinopse: Kryptós é a cidade dos inventores e afins. Muitas lendas circulam por lá e aqueles que tentam desvendá-las são repreendidos pelos soldados de Mombi. Bob Cabeça Pensante é um cientista e seu trabalho é criar tudo o que Mombi pede. Ele vive com a família e é cercado de privilégios, até que uma saída com o seu cachorro muda tudo. Finalmente, descobre que uma das lendas de Kryptós é verdadeira.

Opinião da Pequena: O conto foi o meu primeiro contato com a autora. Acho que vou gostar mais dos livros dela de romance, mas mesmo sendo mais fantasia essa história, me fez ler do início ao fim. :)

Confesso que fiquei meio perdida em algumas partes. Eu não sou uma leitora que sempre consegue captar o que está acontecendo de primeira, ainda mais quando é um gênero que não estou acostumada a embarcar. Talvez por isso eu tenha demorado mais para finalizar.

Adorei o Bob e Mombi é uma personagem que põe medo. Sua mulher e seu filho são incríveis e o Mozart também. Aliás, não acho que tenha sido por acaso ele ter levado o nosso protagonista a um local totalmente proibido em Kryptós. Falando nisso, nunca um passeio foi tão divisor de águas. Ainda bem!

E por mais imaginária que seja, essa história me fez pensar muito no momento atual que estamos passando. Aí bateu uma tristeza! Em contrapartida, me ensinou muito a acreditar nos nossos ideais. ♥

Ah! Não sei se o conto vai virar livro, mas quem sabe. Não teve o meu desfecho ideal (na minha cabecinha de literata hahaha), mas se entrelaçou com um dos meus personagens favoritos do Mágico de Oz: o espantalho.

No mais, amei a capa do conto e diz muito sobre ele. E como já contei algumas vezes, isso ganha pontos extras. Enfim, recomendo se você quer ler algo que não seja clichê e que saia da sua zona de conforto. Faz bem derrubar algumas muralhas. ;-)

É isso, pessoal. Podem opinar à vontade! E quem quiser embarcar nesse conto, é só clicar aqui.

Beijos, Carol.

P.S: esse post é uma parceria, mas a opinião é sincera e de coração! ^^

Post Antigo: PJ Entrevista – Leila Rego
Fan Page ♥  Instagram


8
24.04.2020
* PJ Leu: Conto – Segredos do meu coração! ♥

Ei, Gente! :) Nunca fui muito de ler conto, mas só essa semana já li dois. Acho que está fluindo melhor nessa quarentena, vai saber hahaha. Então, para o post do dia trouxe uma nova resenha literária: Segredos do meu coração, da autora Fernanda França! Vamos lá? Boa leitura. ♥

Conto: Segredos do meu coração | Editora: Amazon | Autora: Fernanda França
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Oz é tudo o que Hermes Timoteo conhece do mundo. Ele trabalha como lenhador, embora sua paixão seja realizar esculturas em madeira. Allegra nasceu e mora em Saul, um pequeno lugar escondido por magia onde se encontram os curandeiros que atendem todos os habitantes de Oz. Em uma de suas viagens, os dois se conhecem e o improvável acontece.

Opinião da Pequena: A Fernanda França é a minha escritora brasileira favorita. Amo a escrita dela e como as suas histórias são conduzidas. Sempre me ensinam e marcam a minha vida de leitora! E eu estava com uma saudade de ler algo escrito por ela.

Então, quando soube desse conto, coloquei na minha listinha de próximas leituras. Porém, confesso que fiquei com um pouco de receio, afinal, dessa vez, ela saiu da sua zona de conforto e se instalou em outro tipo de gênero. Mas logo na primeira página, vi que a sua essência permanecia intacta. :)

É um conto bem curtinho, porém, intenso. Não devorei em um dia, como o último que postei aqui. Mas absorvi cada batida do coração do protagonista Tim (Hermes Timoteo). Aliás, para quem ama O Mágico de Oz, vai adorar essa versão do Universo antes de Oz, que conta com um dos personagens mais icônicos: o Homem de Lata. Também tem bruxa e tal! ;-)

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

No mais, é fantasia e fez total sentido para mim cada parte desse conto. Tirei lições, como: o amor incondicional realmente é um dos mais bonitos, mesmo que as algumas escolhas não favoreçam a todos, digamos assim. E amei o conceito de felicidade da Allegra e como a mesma vive seus dias. Inspira a gente, até mesmo, em tempos de isolamento social.

Destaque para a avó da Alegra e as irmãs do Tim. Aliás, a história do relógio é sensacional e rende um dos melhores trechos desse conto. Nosso protagonista também é inspirador e, a propósito, ele é a prova literária de como o amor pode mudar a gente por completo e no melhor sentido da palavra.

O final dá uma dó, mas ao mesmo tempo, traz esperanças. Enfim, o desfecho é feito com chave de ouro, ou melhor, com um sapatinho vermelho icônico! ;-) E eu vou parar por aqui, porque não quero dar spoiler.

Ah! Não sei ao certo se vai virar livro, mas queria dizer que adoraria que virasse. Aliás, contos estão tendo esse efeito em mim. Quero que tudo vire um milhão de páginas hahaha.

***

É isso, pessoal. Quem já leu, me conta. Quem ainda não, fica a dica! ♥

Ah! A Fernanda França lançou essa história no mesmo tempo que a Leila Rego lançou “O outro lado da muralha”, que também acontece antes de Oz. E acho que vou embarcar nesse conto no finde e semana que vem conto para vocês. Quem quiser ler os dois, é só clicar aqui e aqui. ;-)

Beijos, Carol.

P.S: esse post é uma parceria, mas a opinião é sincera e de coração! ^^

Post Antigo: PJ Leu – O pulo da gata
Fan Page ♥  Instagram 


15

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021