27.05.2016
* PJ Leu: Uma noite com Audrey Hepburn! ♥

Oi, Gente! E a segunda dica literária da semana é Uma Noite com Audrey Hepburn, da autora Lucy Holliday. Se você é fã da eterna Bonequinha de Luxo mega recomendo e se você gosta dos livros da Sophie Kinsella também. Quando fiquei bisbilhotando na livraria, a indicação era para os leitores da Sophie e eles acertaram em cheio. Enfim, vamos lá? Boa leitura! Ah! Um aviso: a resenha pode conter um pouquinho de spoiler, mas nada que entregue muito. ;-)

download (1)Crédito da Imagem: Saraiva 

Sinopse: A história gira em torno da atriz Libby Lomax, uma maníaca por filmes clássicos de Hollywood e que não vê muita graça na sua vida. Sua mãe vive tentando arrumar trabalhos para ela atuar, porém tudo vira de cabeça para baixo quando ela é expulsa do set de filmagens de uma série na frente do elenco todo, incluindo o maravilhoso ator Dillon O’Hara.

Para tentar relaxar e esquecer esse dia, ela decide ir para o seu minúsculo apartamento, se jogar no sofá e assistir pela milésima vez o seu filme preferido: Bonequinha de Luxo. O que era para ser uma “sessão” sozinha, ela acaba se surpreendendo com a presença de uma “ídola” em carne e osso. Isso mesmo! Audrey Hepburn aparece no sofá da Libby, com o seu clássico vestido preto, cigarrilha e óculos escuros.  As duas acabam virando amigas e Audrey dá conselhos valiosos para a nossa protagonista. Dentre tantas conversas, Libby aprende a lição mais importante: mesmo com uma ajudinha mágica da sua atriz favorita, dar a volta por cima só depende dela. 

Minha opinião: Acreditam que eu nunca assisti Bonequinha de Luxo? Inacreditável, eu sei. Mas se eu que não conheço muito da vida da Audrey, me apaixonei pela história e me emocionei a cada página (principalmente no final), se você é fã vai adorar mais ainda.  A escrita é doce, leve e muito divertida. De soltar gargalhadas no meio da rua hahaha. Amei como a história flui e a Libby é uma daquelas personagens gente como a gente! Aliás, todos do livro são encantadores e engraçados (inclusive, a mãe e a irmã maluca hahaha). Queria receber a visita de cada um aqui em casa. Menos o pai da Libby, mas ele é um pobre coitado…. Enfim! E o que falar da Audrey? Acredito que a autora tenha pesquisado cada detalhe da vida da Bonequinha de Luxo para escrever o livro. O resultado ficou incrível e imaginei cada cena das duas conversando no sofá. 

O Dillon (que sempre lembro do cantor Felipe Dylon huahuahua) é o tipo do cara que eu me apaixonaria na vida real, mas o irmão da melhor amiga, o Olly, também é de arrancar suspiros. Falando nisso, um desabafo: autores parem de criar triângulos amorosos, por favor!!! Não gosto de ter que me decidir entre “brigadeiro” e “pudim”. Dá para entender, gente?? ;-) Voltando… Adorei as cenas da Audrey lidando com as coisas do mundo atual, tipo: Ipad, Google… Excelente sacada da autora! Ah! Sabem outro personagem que me conquistou? O Bogdan e espero do fundo do coração que ele tenha mais destaque no próximo livro. Isso mesmo!! Essa história é uma trilogia e no próximo livro vamos ter a companhia da Marilyn Monroe. 

13043674_472878476237615_6268303360079865719_nMomento Pequena Leitora! 

Ah! Não sei se a Audrey do livro é fruto da imaginação da Libby ou se realmente é o espírito da bonequinha de luxo ajudando uma fã perdida. Mas independente do que seja, ajudou não só a protagonista como a pequena jornalista que vos bloga. Essa história traz lições valiosas! Da vida amorosa e do nosso “eu” interno. Aliás, se você está na dúvida de qual caminho seguir na vida profissional, Uma Noite com Audrey Hepburn é uma ótima pedida também.

Resumindo: a capa não é só linda por fora, como o conteúdo prende do início ao fim. Eu só demorei para terminar, por falta de tempo mesmo. Adoraria que a história fosse parar nos cinemas. :) Enfim, mega recomendo a leitura! Ah! Já leu? Conta o que achou!

Beijos, Carol.

P.S: Quem ainda não respondeu a pesquisa de público do PJ, clique aqui. Juro que não é demorada! Quem já respondeu, muito obrigada!! 

Fan Page ♥  Instagram


4
23.05.2016
* PJ Leu: A mais pura verdade! ♥

Ano passado contei aqui no blog sobre os primeiros capítulos do livro “A mais pura verdade“, do autor Dan Gemeinhart, que a editora Novo Conceito me enviou. Daí, depois eles me mandaram a edição completa, porém só consegui ler esse ano. Mas antes tarde do que nunca, né? ;-)

Post PJ - A mais pura verdade

Sinopse: Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau, uma melhor amiga Jess, gosta de escrever haicais em seu caderno, fotografar e tem um sonho: escalar uma montanha. Até aí, tudo bem. Porém, nosso protagonista tem uma doença séria, que envolve hospital, remédios, entre outros tratamentos. Por sinal, algumas pessoas que a tem, nunca melhoram. Com esse turbilhão de coisas, Mark decide partir para uma grande aventura, que tem a ver com alcançar o topo do Monte Rainier. Sozinho, ou melhor, com as suas únicas companhias: seu cachorro, caderno, máquina fotográfica e mochila. :’)

Minha opinião: Se eu pudesse definir esse livro, usaria apenas uma palavra: angustiante! Nos primeiros capítulos, achei que ia amar a leitura… Ledo engano, gente! A história chama a atenção, mas o jeito que ela flui me desanimou. Pensei que ia me apaixonar pelo protagonista, porém mais uma vez errei. Sei que é uma criança passando por um problema muito sério e injusto, mas cadê o amor desse menino? Pelos pais, pela melhor amiga e pelo Beau! Levar um bichinho indefeso para uma aventura maluca dessa? Muita sacanagem. Entendo a confusão na cabeça dele e a injustiça, mas sei lá. =( Também achei os pais e a amiga bem parados! Tipo, é o FILHO deles e MELHOR AMIGO da Jess sumido. Ficar parado, sem fazer nada? Só esperando? Eu acho que não aguentaria, por mais que a polícia falasse que é melhor assim e tal. Iria até Marte, se fosse possível. Mas ficar em casa, seria minha última opção. Talvez eu esteja sendo injusta com eles, mas eu, Carol, não iria conseguir.

Mas calma que tem ponto positivo também, gente! haha. ;) O Beau é um dos melhores personagens caninos que já vi. Ele mostrou que realmente cachorro é o melhor amigo do homem e que seu amor é incondicional.  A divisão dos capítulos é bem diferente. Tipo entre os capítulos 1 e 2, tem “1 e 1/2”. A capa traduz o livro. Realmente quem a fez, leu e entendeu a história. Não fez uma capa por fazer. E por mais que a leitura não tenha me agradado, dá para anotar várias lições no caderno e tentar praticá-las no dia a dia. Tipo, por mais que eu ache bem sem noção a atitude do Mark, ele mostra que na vida a gente não pode desistir tão fácil. Tudo bem que há situações e situações, mas é um bom exemplo para arriscarmos mais no nosso dia a dia.

Enfim, não é o meu livro preferido, mas se você tem interesse, acho que vale a leitura para formar a sua opinião. ;-)

Beijos, Carol.

P.S: Quem ainda não respondeu a pesquisa de público do PJ, clique aqui. Juro que não é demorada! Quem já respondeu, muito obrigada!! 

Fan Page ♥  Instagram 


1
12.04.2016
* PJ Leu: 11 Contos e 1 Fábula! ♥

E a dica literária da semana é de uma autora nacional mega querida: a Bruna Karyne. Em 2013, ela lançou o seu primeiro livro “11 Contos e 1 Fábula“. Na última Bienal do Livro do RJ, finalmente a conheci e levei para casa o seu “filho”. Então, segue um pouco sobre e o que eu achei. ;-)

bf663e31-8855-4099-bf6a-bd09c4606bc1Editora: Livre Expressão

Sinopse: Uma miscelânea de narrativas psicológicas e atuais é a base de um livro que combina reflexões e dinamismo em um universo distópico e juvenil. Da maternidade à infância, o amor à vida é exposto sob diferente perspectivas: a força de um sonho, a persistência de uma amizade capaz de superar a distância ou o horror de uma inveja mortal. As decepções que tanto nos ultrajam ao longo da vida se materializam como uma verdade realmente perturbadora em uma coleção de histórias que criticam tanto a nossa indiferença em relação aos problemas do cotidiano quanto a nossa submissão frente à imponência de um futuro imprevisível.

Minha Opinião: Achei o livro bem pesadinho, mas no sentido da escrita não ser tão leve, sabem? E quem acompanha o blog sabe que gosto de livros com uma escrita mais suave. Mas isso não é uma crítica não, viu gente? É só questão de gosto mesmo. A Bruna escreve muitíssimo bem e prende o leitor. O que mais me deixou de queixo caído foi o fato dela ter escrito esse livro com apenas 13 anos e de um jeito bem intenso. Acho que se eu pudesse definir a escrita dela seria essa: intensa. O conto que eu mais gostei foi o 1º, o “Aniversário de 50 anos“.  O conto “Anjo Negro” é o mais pesado na minha humilde opinião. Fala de inveja de uma forma bem tensa… Claro, não poderia ser diferente, mas queria um final mais tranquilo, sabem? A crônica “Vida Morta” e a fábula merecem destaque também. Ah! Não poderia deixar de falar da capa. É uma das minhas preferidas!

Se você curte livros mais intensos, vale a leitura. Caso não, que tal fugir do óbvio e arriscar um novo gênero? ;-)

Beijos, Carol.

P.S: Quem ainda não respondeu a pesquisa de público do PJ, clique aqui. Juro que não é demorada! Quem já respondeu, muito obrigada!! ;-) 

Fan Page ♥  Instagram 


1
08.04.2016
* PJ Leu: Becky Bloom em Hollywood! ♥

E a dica literária da semana é mais uma aventura da Becky Bloom. Dessa vez, a consumista número 1 do mundo literário apronta todas em Hollywood. Já dá para imaginar, né? Ah! Para quem não sabe, esse livro “Becky Bloom em Hollywood” é o 7º livro da série e é da autora Sophie Kinsella. Bom post! 

bee22a47-9e83-446e-8114-26842b723db4Livro: Becky Bloom em Hollywood
Editora: Record 

Sinopse: A consumista mais querida do mundo literário está de malas prontas (junto com a filha Minnie) para acompanhar Luke, seu marido, no novo trabalho dele em Los Angeles (que a propósito é trabalhar como relações públicas da atriz Sage Seymour). Becky mal consegue acreditar que vai morar na capital do cinema, esbarrar em milhares de famosos andando “por aí” e, claro, realizar o seu sonho de ser produtora de moda da Sage. Porém, não demora muito para a nossa protagonista se meter em confusões. Por exemplo, trabalhar como produtora de moda de uma das maiores inimigas de Sage. O que pode render conflitos com Luke. Problemas na família também surgem: seu pai vai para LA para resolver um mistério que ninguém imagina o que seja. Ah! Sua melhor amiga, a Suze, está com problemas com o marido e, de quebra, fica amiga da arqui-inimiga da Becky, a Alicia, uma antiga rival que está morando na mesma cidade que ela. Ah! Nossa protagonista também inventa de convidar a sogra para conversar com o filho, sem ele saber, óbvio. Enfim, muitas confusões e atrapalhadas bem do jeitinho “Becky Bloom” de ser! ;-)

Minha opinião: A Becky continua hilária e armando as maiores confusões, que rende dor de cabeça para ela e ótimas risadas para a gente hahaha. Às vezes, dá uma vontade de sacudi-la. Acho que depois de tantas histórias, ela tinha que ter amadurecido mais, porém a gente sabe que talvez se isso acontecesse já era a graça da história. Mas sabem uma coisa que eu gosto? Ela é uma eterna sonhadora e não tem limites quando o assunto é sonhar. E isso é bem legal. Ela vai té o fim quando cisma com algo. Ok. Talvez pelo caminho mais confuso, entretanto acho que no fundo ela gosta de uma adrenalina hahaha.

A história flui de uma maneira leve e engraçada, bem do jeito que a Sophie Kinsella sabe fazer. Porém, acho que ela poderia ter ido mais direto ao ponto, sabem? Algumas partes não achei tão necessárias. Fora isso, amei os seguranças da Becky e suas neuroses haha. O pai da Becky tá bem maluquinho nesse livro e muito misterioso. Fiquei com pena da mãe! Ah! Eu esperava mais da Minnie nesse livro, mas sei lá. É fofa, mas de um jeito que não cativou muito (pelo menos pra mim). O Luke meio frio, porém sempre acaba surpreendendo de uma forma positiva no final. Fiquei muito curiosa para saber o desfecho de algumas partes da história e feliz por saber que vai ter continuação! Às vezes, a leitura fica um pouco cansativa, mas é sempre bom ler as confusões da Becky. Não tem jeito, ela é uma das minhas personagens literárias preferidas. 

328655bb-ee38-45ec-a890-86ddc29cd7d5Autógrafo que eu consegui na última Bienal do Livro (RJ). 

É isso, pessoal. Quem já leu, conta aí o que achou (mas sem spoiler haha). Para ler as outras resenhas da série, clique aqui e aqui.

Beijos, Carol.

P.S: Quem ainda não respondeu a pesquisa de público do PJ, clique aqui. Juro que não é demorada! Quem já respondeu, muito obrigada!! ;-) 

Fan Page ♥  Instagram 

 


2
29.03.2016
* PJ Leu: Para todos os garotos que já amei! ♥

A dica literária da semana é: “Para todos os garotos que já amei“, da autora Jenny Han, publicada pela editora Intrínseca.  Um romance teen que lembrou muito a minha adolescência. Vamos lá? :)

Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu para os cinco garotos que já amou. As cartas são sinceras, ela não reprime nada. Escreve tudo o que sente, sem joguinhos. Na vida real, ela jamais diria tudo isso a eles. Até que um dia, alguém envia essas cartas aos destinatários. Resultado? A vida amorosa da protagonista vira de pernas para o ar!

12508880_439122386279891_1355372955157769341_nAgradecimento: Luisa. Obrigada, eterna chefinha. Acertou em cheio no presente literário. ;-)

Minha opinião: Um dos livros mais fofos que já li na vida. Através da escrita, a romântica Lara Jean (tem nome melhor??? )  dá um “fim” nos seus casos amorosos. Escrever realmente é uma excelente terapia nesses casos. Tudo bem que dá uma tensão quando os caras recebem as cartas, principalmente, o cunhado dela (que na minha humilde opinião é um babaquinha). A Kitty, irmã mais nova, é hilária. Uma das minhas personagens preferidas e lembra muito a minha irmã. Ela dá o toque cômico na história. Margot, a irmã mais velha, me irritou profundamente. Muito chata para o meu gosto e ainda bem que ela foi estudar em outro lugar. Só assim para a Lara Jean  amadurecer! Acho que ela ama a família e tal, mas se acha muito o último biscoito do pacote. Peter é a melhor coisa do livro também! Adoro esses planinhos que fogem do controle dos personagens!

Fora isso, a leitura é deliciosa. A escrita da autora é incrível e, com certeza, ela escolheu a profissão certa.  A capa do livro é linda. Geralmente, não gosto de pessoas reais em capas, mas essa eu adorei e queria ter um mural de fotos assim no meu quarto. O livro é bem teen, mas faz a gente lembrar de uma das melhores épocas da vida. A gente sofre com amores que não deram certo ou que nem mesmo aconteceram, mas as lembranças que ficam são tão boas. Ansiosa pela continuação! Assim que eu ler “P.S: ainda amo você“, conto para vocês. ;-)

Já embarcou na leitura? Conta o que achou. Se não, mega recomendo! 

Beijos, Carol. 

Ah! Hoje é dia de Carolices & Julianices lá no blog da Juju. Sobre mentiras que contamos… Clique aqui. ;-)

P.S: Quem ainda não respondeu a pesquisa de público do PJ, clique aqui. Juro que não é demorada! Quem já respondeu, muito obrigada!! 

Fan Page ♥  Instagram 


10

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021