19.09.2018
* PJ Leu: Mas tem que ser mesmo para sempre? ♥

Ei, Gente! :) Vamos de dica literária hoje? Dessa vez, a resenha do mais recente livro da minha escritora gringa favorita: Mas tem que ser mesmo para sempre?, de Sophie Kinsella, publicado pela Record. Se você ama chick-lit e a Sophie, não pode deixar de ler essa história repleta de surpresas. Vamos lá? 

PJ Leu - Mas tem que ser mesmo para sempreLivro: Mas tem que ser mesmo para sempre? | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: cinco livros!

Sinopse: Juntos há dez anos, Sylvie e Dan compartilham todas as características de uma vida feliz: uma bela casa, bons empregos, duas filhas lindas, além de um relacionamento tão simbiótico que eles nem chegam a completar suas frases – um sempre termina a fala do outro.

Porém, quando os dois vão ao médico um dia, ouvem que a saúde de ambos é tão boa que provavelmente vão viver mais uns 68 anos juntos… Então, por incrível que pareça, o pânico se instala. Eles nunca imaginaram que o “até que a morte nos separe” pudesse significar sete décadas de convivência.

Em nome do casal e da sobrevivência do casamento, eles rapidamente bolam um plano para manter acesa a tal da chama da paixão. De um jeito criativo e dinâmico, para nunca ficarem no tédio. Porém, quando eles praticam o Projeto Surpresa, contratempos acontecem e alguns segredos vem à tona, o que acaba ameaçando a relação. Se tudo termina bem? Só lendo para saber. ;-)

Minha opinião: Todo casal deveria ler essa história.  Acho que os romances durariam mais, tipo, uns 68 anos hahaha. O amor seria menos descartável. Mas vamos lá… Sylvie e Dan tem tudo que um casal protagonista tem de ter no livro da Sophie: carisma, cenas e diálogos divertidos. São gente como a gente e eu adoro isso nas histórias dela. A Sylvie me lembrou um pouco a Becky (Delírios de Consumo), mas com algumas diferenças. Ela é doidinha e faz cada plano mega hilário, mas digamos que é um pouco mais pé no chão. Dan, confesso que fiquei com um pouco de raivinha, mas a gente entende no final. As gêmeas são uns amores…. E os vizinhos? Os melhores! Já a mãe dela, vive um pouco numa bolha, mas não é cruel. O pessoal do trabalho? Sra. Kendrick virou a minha ídola.

No meio da leitura, achei que as coisas teriam um outro rumo. Principalmente, com o sobrinho da chefe dela. Mas digamos que curti. Sem spoiler, juro! E Mary? Quase julguei, mas deu tudo certo! E o pai? Esse sim é cheio de surpresas. Nessa hora, a história fica meio tensa, mas é bom para ver que nem nos livros a vida é um mar de rosas. Nem mesmo com as pessoas que mais amamos no mundo. Vamos para o desfecho? Sensacional e a presença do médico, foi a melhor! E para variar, aprendi muito com o livro. Principalmente, aproveitar um dia de cada vez. Não importa se é para sempre, se é temporário, o importante é ir aos poucos, sem colocar muita pressão. Ah! E se a gente não mudar, nada muda! Às vezes, é preciso encerrar ciclos, para iniciar outros tão melhores quanto. A vida é repleta de desafios e no final, esse Projeto Surpresa do casal valeu cada susto! ;-)

Por fim, sobre a capa: achei bem fofa! O título? Até tem a ver, mas não sei, achei meio grande, mas é só um mero detalhe. Mega recomendo a leitura!

Já leu? Conta o que achou! Ainda não? Fica a dica!

Beijo, Carol. 

Para ler: PJ Leu – A luz que perdemos

Fan Page ♥ Instagram 


1
15.08.2018
* PJ Leu: A luz que perdemos! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é: A luz que perdemos, da autora Jill Santopolo. O livro, publicado pela Arqueiro (parceira do blog), é um daqueles romances que aquecem o coração, mas também fazem a gente ficar com o coração apertadinho. Enfim, sem muito spoiler, segue a resenha para vocês. Bom post! 

PJ Leu - A luz que perdemosLivro: A luz que perdemos | Editora: Arqueiro | Autora: Jill Santopolo
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: três livros!

Sinopse: Na manhã do dia 11 de setembro de 2001, Lucy e Gabe se conhecem na faculdade. Isso! No mesmo instante, que dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Quando notam que Nova York inteira arde em chamas, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo. Principalmente, Gabe. Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York. Treze anos se passaram e muita coisa mudou, inclusive, ambos conheceram novas pessoas, como ela que conheceu Darren. Mas o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejos, ciúmes, traições e, claro: amor. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro. Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?

Minha opinião: Para quem ama Dani Atkins, autora de “Nossa Música” e outros livros, vai amar esse. Segue bem o estilo dela, sabem? De encontros, desencontros, desejos, amor e por aí vai. Foi uma história que me prendeu desde o início, mas confesso que esperava uma coisa mais diferentona e que o 11 de setembro tivesse mais presente, de fato. Mas adorei e, como de costume, tirei algumas lições importantes. Primeiro, que é sempre bom tentar fazer a diferença no mundo, por mais que pareça indiferente para muitos e que isso signifique escolhas dolorosas. Porém, se der, tente colocar na balança e, se possível, tentar conciliar a maioria dos sonhos e vontades. Pelo menos, a maioria. Segundo, que pela primeira vez, eu acho, não consegui ser #teamGabe e nem #teamDarren, os dois amores de Lucy. Entendi que os dois possuem qualidades maravilhosas, em contrapartida, os defeitos estão ali e tiram, até mesmo o leitor, do sério. Então suspirei e tive raiva de ambos! E acho que é assim na vida real, né? Ninguém é mocinho ou quase “vilão” por completo!

Em relação à escrita da autora: curti e muito! Com certeza, se for para as telonas do cinema (se eu não me engano, a história foi vendida), eu assisto! Adorei os filhos, as amigas e o irmão de Lucy. Quanto ao final, já dá para imaginar um pouco, mas a gente sempre fica na expectativa de como a autora vai construí-lo. Não amei, mas também não me decepcionei. Algumas coisas ficaram no ar, entretanto, é bom para que a gente use a imaginação! E o que eu mais amei? A capa! Entrou para as minhas favoritas!

É isso. Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! 

Beijos, Carol.

Para ler: Nossa Música 

Fan Page ♥ Instagram 


2
23.07.2018
* PJ Leu: Me poupe! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é Me Poupe, escrito pela Nathalia Arcuri. O livro, publicado pela Sextante (parceira do blog), é um guia eficiente e de linguagem fácil para nunca mais faltar dinheiro no nosso bolso. Ótimo para quem deseja entender mais sobre finanças, mas sem mergulhar naquele mundo de termos que confundem a nossa cabeça. Vamos lá? Boa resenha para vocês! 

PJ Leu - Me poupeLivro: Me Poupe| Editora: Sextante | Autor: Nathalia Arcuri
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: cinco livros!

Sinopse: Sabem aquelas dúvidas financeiras, que surgem na nossa cabeça, e muitas vezes, recebemos respostas que nos enrolam ainda mais? O livro “Me Poupe”, tem por objetivo esclarecê-las, de forma simples e direta, sem enrolação. Através da sua experiência, a criadora do maior canal de finanças no Youtube, Nathalia Arcuri, tem por objetivo nos auxiliar na hora de economizar no dia a dia, explicar como poupar, mesmo ganhando pouco. Além de contar também quais são os melhores e piores investimentos, entre outras questões. É tipo uma luz no fim do túnel, ainda mais para quem não tem ideia do que significa previdência privada, tesouro direto e por aí vai. Um livro divertido e que mostra que esse tema não precisa ser tabu, nem sinônimo de taquicardia. ;-)

Minha opinião: Uma amiga sempre me falou da Nathalia e como ela a ajudou a entender melhor dos assuntos sobre finanças. Mas, até o dia do encontro de blogueiros da Arqueiro/Sextante, não sabia muita coisa além. Quando eu vi que ia lançar o livro e, de quebra, queria dar uma mudada na minha vida financeira, resolvi que seria uma das minhas próximas leituras. Fui no lançamento dela no Rio, devorei o livro e posso dizer que esclareceu muita coisa. Não é que ela vá fazer todo o trabalho pelo leitor, mas vai dar as coordenadas para a gente aprender a pescar o peixe.

A leitura flui que é uma beleza e arranca algumas gargalhadas. Os exercícios que encontramos no livro são rápidos e nos fazem refletir sobre onde podemos melhorar. Gostei muito porque não é um livro que enrola, vai direto ao ponto, mas deixando você livre para fazer as suas escolhas. Achei bem pé no chão e não me deu a sensação de que é impossível fazer o que ela diz. De tudo que ela ensina, o que eu mais gostei foi que antes de gastar algo, é bom colocar a cabeça para pensar: para comprar isso daqui, precisei de tantas horas de trabalho. Vale a pena? Também curti que o objetivo final não é guardar uma montanha de dinheiro, mas sim atingir sonhos, metas, que precisam desse lado financeiro.

Também mudou um pouco a minha percepção sobre pessoas “pão-duras” e acho que tudo vai depender do objetivo de cada um. Para alcançar metinhas, metas e metonas, é importante abrir mão de algumas coisas supérfluas. É preciso valorizar o dinheiro, mesmo que ele seja, aparentemente, pouco. Mas também não é deixar de lado o hoje. Tudo tem de ser feito, na medida certa. Claro, que na prática, acho que vai levar um tempinho, mas vi que não é  uma tarefa impossível. Enfim, muito obrigada pela ajuda, Nath! ♥ 

Então, recomendo muito a leitura para quem deseja dar uma turbinada na vida financeira. Vá com a mente aberta! E se você gosta do assunto, mas já é mais expert, vale, porque informação nunca é demais!

Beijos, Carol.

Para ler: A sutil arte de ligar o f*da-se!

Fan Page ♥ Instagram  


1
05.07.2018
* PJ Leu: A sutil arte de ligar o f*da-se! ♥

Ei, Gente! E hoje vai rolar mais uma dica literária: A sutil arte de ligar o foda-se, do autor Mark Manson. Esse livro, que foi publicado pela Intrínseca, é uma ótima leitura para quem deseja levar uma vida melhor. Enfim, vamos lá? Boa resenha! ;-)

PJ Leu - A sutil arte de ligar o fodaseLivro: A sutil arte de ligar o foda-se| Editora: Intrínseca | Autor: Mark Manson
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: três livros!

Sinopse: Depois de décadas ouvindo que o segredo para uma vida feliz é pensar positivo, chegou a hora de tentar um caminho que parece ir contra tudo o que você já leu. Que tal experimentar um novo olhar, mais coerente com a realidade e consciente de seus limites? Não espere milagres, mas esta sutil arte pode iluminar o seu caminho, se você estiver disposto a isso. Porque o verdadeiro segredo não é fazer uma limonada com os limões que a vida nos dá, mas conviver numa boa com a úlcera no estômago que vem em seguida.

Sabemos que somos cheios de falhas e limitações, mas não adianta fingir não vê-las. O melhor é reconhecê-las e aprender a aceitá-las. Uma vez que abraçamos nossos medos, defeitos e incertezas, uma vez que paramos de fugir e começamos a confrontar as verdades mais dolorosas, nos abrimos para encontrar coragem, perseverança e e entusiasmo.

Um livro que é o primeiro passo para descobrirmos o que realmente importa em sua vida e o resto, a gente já sabe: f*da-se.

Minha opinião: Quando eu comprei esse livro, esperava uma coisa totalmente diferente. Um título desses me dá ideia de que vou aprender muito e rir na mesma intensidade. Aprendi, mas não foi um livro divertido que imaginei, pelo contrário: demorei para terminar. Então, menos um pontinho para o nome, que, na minha humilde opinião, não bate muito com o conteúdo. Mas, calma, isso não significa que eu detestei, ok? É uma leitura repleta de lições valiosas, que fazem a gente querer encarar a vida de uma outra maneira. Mas de uma forma mais realista, sem tapar o sol com a peneira. É um livro que dá uns tapas necessários na nossa cara!

Dentre tantas anotações para praticar, duas eu quero levar para a vida: a primeira é sobre culpa e responsabilidade. Por exemplo, uma doença pegou você de surpresa? Provavelmente, a culpa não é sua, mas a responsabilidade pertence totalmente a você! Ou seja, você é responsável pela forma que decidir encarar essa situação. É meio lógico, mas lendo isso nesse livro, bateu de um jeito diferente, sabem? E a outra: sabe aquela mania da gente esperar a tal da inspiração para fazer tal coisa? Mark nos mostra que não precisa funcionar assim. Muitas vezes, você deseja escrever um livro, porém, nunca está inspirado. Mas sabe qual é a melhor atitude? Pegar o computador e começar a escrever.  Resumindo: não espere a inspiração chegar para agir. Faça o oposto e pronto!

Enfim, por mais que não seja uma leitura divertida, vale a pena. Destaque para o capítulo que fala sobre a morte de um amigo, que acredito que seja do autor mesmo (agora não lembro desse detalhe) e algumas páginas que mencionam uma rica história de Pablo Picasso. No mais: já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Procurando Gobi

Fan Page ♥ Instagram  


2
03.07.2018
* PJ Leu: Procurando Gobi! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é para quem ama ler histórias de cachorros: Procurando Gobi, de Dion Leonard. O livro, que foi publicado pela Harper Collins (parceira do blog), é uma história um relato real de uma cachorrinha, que foi capaz de mudar a vida de um maratonista. Vamos lá? Boa resenha para vocês! 

PJ Leu - Procurando Gobi - PJLivro: Procurando Gobi | Editora: Harper Collins | Autor: Dion Leonard
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: três livros!

Sinopse: Procurando Gobi é um relato emocionante e intenso de Dion Leonard, um ultramaratonista experiente que se depara com uma cachorrinho perdida, enquanto percorria 250 quilômetros pelo Deserto de Gobi, enfrentando condições nada fáceis de serem encaradas. A adorável filhotinha, que foi batizada de Gobi, correu lado a lado de Dion, durante tempestades de areia, entre outras situações extremas, como dunas imensas e vilarejos remotos. Sua determinação e coragem, chamaram a atenção dele, que a cada dia que passava, ficou mais apegado a ela. Inclusive, um plano surgiu em sua mente: cuidar dela após a corrida também, porém, esse objetivo não seria tão fácil assim. Afinal, obstáculos surgiram e uma corrida contra o tempo foi instalada!

Minha opinião: Livro de cachorro sempre me dá a sensação de que o final não vai ser feliz, mas essa história literária quebrou esse paradigma, mesmo com capítulos que apertam o nosso coração. Sério, é impossível não se apaixonar pela Gobi e se imaginar na pele de Dion. Cachorros são bichinhos que realmente mudam a nossa vida para a melhor e a vontade de protegê-los é surreal. Mas muito mais do que isso, Procurando Gobi, me ensinou lições valiosas sobre pré-conceitos que temos. Por exemplo, sabe aquele clichê, que até tem fundamento, mas que muitas vezes, não é a realidade atual? Na China, a gente meio que associa a consumo de carne de cachorro e tal, mas lendo esse livro conhecemos um outro lado da moeda, que a propósito, é inspirador. Fiquei feliz em saber que muitos cidadãos cuidam desses animais com carinho e atenção, sem nem cogitar esse possível consumo.

Também é incrível como pessoas, por mais que tenham costumes diferentes, são solícitos. Por ser um história real, fiquei aliviada em saber que sim: há muita gente ruim nesse mundo, mas também a quantidade de pessoas do bem são incontáveis. Obrigada, Dion, por contar detalhadamente cada passo ao lado da Gobi. Queria ter conhecido essa história antes para ajudar vocês nessa busca linda e com um final feliz (desculpa o mini spoiler)! Algumas coisas, ficam meio soltas, mas acho que nem o autor tem explicação e tudo bem. Aliás, quem tem, infelizmente, não fala. O importante é que essa amizade e esse amor sejam eternos, independente do local onde estejam, seja numa prova de 250 quilômetros em pleno deserto ou em um lar doce lar.

Enfim, uma leitura fácil e que conquista a gente a cada página, mesmo que em algumas, o nosso coração salte pela boca. Recomendo! 

Beijos, Carol.

Para ler: PJ Leu – Estúpida, eu?

Fan Page ♥ Instagram  


2

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018