28.05.2018
* Top 5: Livros com pegada teen! ♥

Ei, Gente! :) Quem ama embarcar em uma história YA (Young Adult)? Não sei vocês, mas eu adoro esses livros de jovens adultos. Sempre tiro uma lição, me divirto e me emociono horrores! Pensando nisso, separei cinco livros com essa pegada mais teen. Não sei ao certo se todos se encaixam nesse gênero, mas já dá para perceber a ideia. Espero que gostem das indicações. Bom post! 

Post PJ - Top 5 - YACrédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. Para todos os garotos que já amei (Jenny Han – Editora Intrínseca) 
Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu para os cinco garotos que já amou. As cartas são sinceras, ela não reprime nada. Escreve tudo o que sente, sem joguinhos. Na vida real, ela jamais diria tudo isso a eles. Até que um dia, alguém envia essas cartas aos destinatários. Resultado? A vida amorosa da protagonista vira de pernas para o ar!
Observação da Pequena: Sabe aquele livro amor? É esse! Desse gênero, é um dos meus preferidos. Ah! Tem mais dois, que ainda não consegui ler. E em julho, se eu não me engano, a Netflix vai liberar o filme inspirado nessa história literária. Para saber mais sobre o que achei do romance da Jenny, é só clicar aqui 

2. Os diários de Carrie (Candance Bushnell – Editora Record) 
Sinopse: Um livro que conta o começo de tudo da história de Carrie, aquela de Sex and The City. Sua adolescência, sua família, amigos, amores e como ela foi parar em NY. Também descobrimos como ela se tornou escritora e outros segredos.
Observação da Pequena: São dois livros que abrem os diários de Carrie, mas esse é o meu favorito. Inclusive, amo a série que teve inspirada nele. Mega recomendo, principalmente, se você é fã da icônica série Sex and The City.

3. Amy & Matthew (Cammie McGovern – Galera Record) 
Sinopse: Matthew sabia quem era Amy, mas não fazia a menor diferença! Afinal, ele também sabia quem eram várias outras pessoas e nem por isso era amigo delas. Amy vivia numa cadeira de rodas, não conseguia verbalizar com ninguém. Só com a ajuda de um computador, ela conseguia se expressar. Porém, mostrava para os outros que era feliz o tempo todo. Até o dia em que Matthew disse a Amy tudo o que pensava sobre sua eterna fachada de felicidade. Sendo assim, Amy viu que era exatamente disso que precisava. Durante um período, Amy seleciona alguns “amigos” para ter ajuda extra na escola (pegar livros, colocá-la no carro e tal). A partir daí, Amy e Matthew viram inseparáveis e ela acaba descobrindo que ele também precisa de ajuda (tanto quanto ela). E quando a relação, que começou com uma amizade, se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava e nem sabem definir, eles percebem que tudo foi dito…. exceto o que mais importava. ;-)
Observação da Pequena: É um dos livros (com essa pegada) mais intensos que já li, mas com uma escrita leve e com personagens bastante ricos. Eu amei e mega recomendo! Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

4. Confissões de uma garota excluída mal-amada e um pouco dramática (Thalita Rebouças – Editora Arqueiro) 
Sinopse: Tetê acaba de se mudar com a família toda para a casa dos avós em Copacabana (RJ), pois com a crise o pai perdeu o emprego e eles tiveram que sair do lindo apartamento na Barra da Tijuca. Resultado? Sua vida virou de cabeça para baixo! Ela perdeu sua privacidade e sua referências. A parte boa foi se livrar do antigo colégio, onde sofria bullying devido ao seu jeitinho peculiar de ser. O problema é que a nossa protagonista está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola e sem conhecer ninguém. Seus maiores medos: de ser excluída novamente, de não fazer amigos e sofrer com tudo isso! Tetê é uma garota divertida, bem-humorada e que adora cozinhar. Porém, está muito mal. Será? Acontece que uma das características dela é ser (um pouco) dramática! Afinal, no primeiro dia de aula as coisas já parecem um pouco diferentes. Ela já conheceu na prática a palavra amigo! Enfim, com o tempo, ela vai descobrir que sair da zona de conforto e enfrentar seus medos é a única maneira de ser feliz. :)

Observação da Pequena: Tetê nos representa, ao menos, em algum momento da vida. Amei essa história criada pela Thalita Rebouças e recomendo a todos, sem exceção. Solte o lado adolescente que existe em você ou relembre! Quem quiser saber mais, só clicar aqui.

5. À procura de Audrey (Sophie Kinsella – Galera Record) 
Sinopse: Audrey é uma adolescente de 14 anos, que tem uma vida comum. Até que um dia, começa a sofrer bullying no colégio. O que parecia ser só uma implicância “inocente”, acaba mudando radicalmente a rotina da nossa protagonista. Resultado? Ela não consegue mais voltar ao colégio, sente pânico quando tem que encarar alguém desconhecido e se esconde atrás de um óculos escuros, faça chuva ou faça sol. Seu diagnóstico: transtorno de ansiedade social e generalizada, além de episódios depressivos. Mas aos poucos, Audrey começa a se recuperar com a ajuda da Dra. Sarah, que passa desafios como gravar um documentários e ir até o Starbucks. Ela também conta com uma ajudinha extra do amigo do seu irmão: o Linus. O que era uma conversa fora dos “padrões” vira uma relação incrível, que afeta todos da história.
Observação da Pequena: Não é o meu livro favorito da vida, mas é Sophie Kinsella, né? Então, não poderia ficar de fora desse Top 5. Além disso, tem umas lições bem bacanas. Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

***

É isso, gente!  Claro, que a lista vai além. Quem tiver mais indicações, é só acrescentar nos comentários. E quem já leu algum desses, conta o que achou. ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Top 3 – livros caninos!

Fan Page ♥ Instagram   


0
03.05.2018
* PJ Leu: Mais lindo que a lua! ♥

O Beda não deu muito certo no finalzinho, mas juro que tentei ao máximo. Por conta de alguns imprevistos, não consegui atualizar. Mas de volta à programação normal. :) E para começar esse mês, tem uma dica literária: Mais lindo que a lua, da Julia Quinn O livro, que foi publicado pela Arqueiro (parceira do blog), é aquele romance de época típico da autora. Vamos lá? Boa resenha!

PJ Leu - Mais lindo que a luaLivro: Mais lindo que a lua| Editora: Arqueiro | Autora: Julia Quinn
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota: três livros! 

Sinopse: Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.

Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixava sem fôlego. E ela também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas não pensa em dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu a lua e depois despedaçou suas esperanças! Então, Robert lhe oferece um emprego a filha do vigário: ser sua amante, mas claro que ela não aceita. Porém, ele promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer!

A pergunta que fica no ar: será que depois de tantas mágoas, os dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas? Tchan Tchan…

Minha opinião: Vamos começar pela capa e pelo título? Os dois merecem pontinhos a mais, afinal, fazem jus à história! Quanto à leitura: curti, mas confesso que esperava um pouco mais! No comecinho, me prendeu, no meio deu uma derrapada e, no final, abracei o livro! É um romance de época bem característico da Julia Quinn. Com capítulos de arrancar suspiros, alguns (um pouquinho) picantes, outros revoltantes. Mas autora escreveu do jeitinho que eu gosto: fazendo a gente se sentir bem próximo de tudo. Impossível não se envolver!

O casal protagonista me estressou e os dois (principalmente ele) tiveram atitudes que virei a cara. Cabeça dura poderia ser o sobrenome do Robert e da Victoria! Mas no final, eles conseguiram arrancar algumas lágrimas da pequena que vos bloga. Quanto ao desfecho de algumas páginas, parecia que autora fez meio que com pressa e isso me incomodou um pouco. Porém, vale ter a sua percepção e me contar depois! Amei muito a tia do Robert e a sua teoria de que uma mulher sensata não nega chocolate. A prima dele também é um amor e acho que ela merece um livro só dela. Na verdade, as duas! São as minhas preferidas do livro: sim ou com certeza?

E vamos às lições que aprendi? Algumas pessoas merecem sim uma segunda chance e, nem tudo, é o que parece. Por mais que você tenha “certeza”! E a lua? Nossa, essa merece toda a nossa admiração! Amei o destaque que ela recebeu e o significado dela na história. Enfim, é isso. Essa leitura teve um pouco de critica, mas recomendo. Afinal, romance de época vindo da Julia Quinn, a gente abraça de qualquer maneira! Ah! E esse é o primeiro livro da série Irmãs Lyndon. O segundo “Mais forte que o sol”, chega às livrarias no dia 7 de maio!

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! 

Beijos, Carol.

Para ler: Coragem

Fan Page ♥ Instagram  


2
12.04.2018
* {Beda 12} – PJ Leu: Coragem! ♥

E a indicação literária da semana é Coragem, da autora Rose McGowan. O livro, publicado pela editora Harper Collins (parceira do blog), conta a história da autora e como o lado negro de Hollywood a acompanhou por um bom tempo. Não é uma leitura leve, mas bem necessária. Vamos lá? Boa resenha! :’)

PJ Leu - CoragemLivro: Coragem | Editora: Harper Collins | Autora: Rose McGowan
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota: cinco livros! 

Sinopse: Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia. Mas o que seria um sonho, virou logo um inferno pessoal e, com o tempo, ela se reemergiu como um ícone feminista ao expor verdades sobre a indústria hollywoodiana. Mas sua história começou muito antes: aos 13 fugiu de casa e viveu de forma instável, morando e saindo das ruas. Até que foi descoberta por Hollywood, viu seu estrelato se tornar um verdadeiro pesadelo de exposição e sexualização constantes. Um mercado machista a tornou, sem consentimento, em apenas um produto, excluindo sua identidade e imagem, tudo em nome do lucro. Mas o que essa seita não esperava, aconteceu: ela não ficou calada e voltou expondo as verdades, incluindo os crimes cometidos por Harvey Weinstein, um produtor cinematográfico, que tem coleções de denúncias de assédios sexuais. Um livro de memórias, em forma de manifesto honesto e sem censura alguma!

Minha opinião: Como disse no começo desse post é uma leitura bem pesada, mas necessária. Não acompanhava os filmes e nem o seriado Charmed dos quais a Rose fez parte, mas sabia por alto do que se tratava. E, assim como eu, imagino que muita gente não saiba desse lado negro de Hollywood. A gente imagina uma vida cheia de glamour, privilégios, entre outras coisas… Mas por trás das câmeras: é tanta barbaridade, que meu Deus. Claro que não dá para generalizar. Mas quem toma atitudes como essas, que a autora contou, que acha que tem o rei na barriga e vai sair impune: precisa sim pagar por todos os crimes. Sem dó, nem piedade. Sem privilégios! Sem achar que um acordo vai calar a vítima e pronto. Por isso, Rose merece todo o nosso apoio. Não só ela, mas todos que passam por isso diariamente! Fico feliz que ela tenha dado esse start e que pessoas, anônimas ou não, estejam denunciando cada vez mais. Se acha que isso não passa de mimimi: por favor, leia esse livro! De coração aberto, dando apoio mesmo. O que ela passou e muitas passam não pode acontecer. Nem antes, nem agora, nem nunca!

Não é fácil esse livro. Quando a gente acha que pode ficar um pouco menos pesado… Pronto, vem a autora com uma história de machucar a alma, sabe? O capítulo do estupro é arrebatador. Impossível não se sentir a dor dela. Sem falar das outras partes, como a infância, a estrutura familiar, entre outros assuntos colocados nas páginas de forma tão sincera. Enfim, muitas vezes pensei: por que estou lendo esse livro? Mas ao final, tive a resposta: feminismo é apoiar, dar voz e lutar! É querer igualdade, afinal, ninguém precisa diminuir ninguém. Enfim, é abordar sobre esses assuntos, sem desistir, por mais que o mundo, às vezes, diga o oposto. E você não precisa ser mulher para apoiar esse movimento. É uma luta que beneficia a todos! Aliás, o tema vai além de assédio sexual, ok?

“Coragem” foge do meu gênero literário preferido, mas foi fundamental para entender mais sobre o assunto. Rose plantou uma sementinha (a mais) bem forte em mim e, acredito, que em todos que leiam essa história. Lições valiosas, capítulos tristes, mas com uma mensagem importante para o leitor. Então, não poderia ser diferente: recomendo e muito essa leitura! 

Beijos, Carol.

Para ler: Um dia ainda vamos rir de tudo isso

Fan Page ♥ Instagram  


2
02.04.2018
* {Beda 2} – PJ Leu: Um dia ainda vamos rir de tudo isso! ♥

Ei, Gente! :) E a primeira dica literária da semana é: Um dia ainda vamos rir de tudo isso, da autora Ruth Manus. O livro, publicado pela Editora Sextante (parceira do blog), é repleto de crônicas divertidas, leves e cheia de lições. Vamos lá? Boa resenha para vocês! 

PJ Leu - Um dia ainda vamos rir de tudo issoLivro: Um dia ainda vamos rir de tudo isso | Editora: Sextante | Autora: Ruth Manus
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota: cinco livros! 

Sinopse: Um dia ainda vamos rir de tudo isso é uma coletânea de crônicas escritas pela advogada e professora de Direito do Trabalho e Direito Internacional: Ruth Manus. Textos que já foram publicados no blog do Estadão, em sua coluna no Estado de S. Paulo e no jornal Observador, de Lisboa. E alguns são inéditos! Fala de tudo um pouco, desde assuntos banais, temas sobre machismo, padrões estéticos, família, Portugal, amor, amizade e muito mais. Textos que nos dão a certeza de que sim: um dia ainda vamos rir de tudo isso e levar aprendizados para a vida toda!

Minha opinião: Não conhecia a Ruth antes de saber do lançamento do livro. E meu Deus: por quê? Os textos envolvem e nos fazem pensar muito. Desde os assuntos mais banais, até os mais sérios, como machismo e outras situações tão fortes que passamos em pleno século XXI. Alguns a gente tem um carinho especial, como a crônica que ela fala da sua enteada Francisca e seu lado madrasta, que de “má” não tem nada. Outros, a gente lê e olha por um outro ponto de vista, até então, não visto. Como cortar relações por questões políticas! Aliás, aprendi tanto com esse livro, que vou mostrar dez lições que tirei com ele:

1. Ver simplicidade em um simples picolé de uva;
2. Os trinta e poucos anos não são o fim da vida; 
3.  Sucesso e realização pessoal são duas coisas distintas;
4. Luto? Só se for na sua forma verbal;  
5. Zona de conforto: de segura, não tem nada;
6. Machismo reprende tanto mulheres quanto homens;
7. Puxar o autoclismo é dar descarga em português, de Portugal;
8. Aliás, preciso colocar Portugal no meu próximo roteiro europeu;
9. Ajudar com o imposto de renda pode significar um “eu te amo”;
10. Dormir junto: a pior e melhor coisa que já inventaram. 

Fora isso, amei como ela nominou os capítulos com nomes de obras de autores famosos, como Gabriel García Márquez, Clarice Lispector, entre outros. Bem criativa a ideia! Também adorei a sua escrita e como ela prende. Até mesmo nos textos que não nos identificamos muito! É um livro para ser devorado em poucos dias, mas também para ser guardado sempre na estante de histórias que podemos reler uma, duas ou mais vezes. A única coisa que não entendi muito bem foi o nome do livro e a capa. Talvez eu tenha perdido alguma coisa nas entrelinhas ou um trecho de alguma crônica. Eu, até acho, que se a gente refletir bem tem a ver esse nome sim. Mas eu queria uma explicação mais na cara, sabem? Mas se alguém entendeu melhor, expliquem, por favor! Enfim… Espero que tenha uma continuação! Parabéns, Ruth. E obrigada por ter me ensinado tanto em 200 e poucas páginas. Que venham muito mais! 

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo!

Beijos, Carol.

Para ler: Fazendo as pazes com o corpo

Fan Page ♥ Instagram  


1
20.03.2018
* PJ Leu: Um beijo à meia-noite! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária do dia é Um beijo à meia-noite, da autora Eloisa James. O livro, que foi publicado pela editora Arqueiro (parceira do blog), é uma releitura de um clássico infantil: Cinderela. Para quem ama conto de fadas, é uma ótima pedida. Vamos lá? Boa resenha para vocês! 

PJ Leu - Um beijo à meia noiteLivro: Um beijo à meia-noite | Editora: Arqueiro | Autora: Eloisa James
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível e irritante. A atração entre eles é imediata, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo.

Minha opinião: Cinderela é uma das histórias que mais gosto da Disney e embarcar em uma releitura desse conto de fadas foi uma das escolhas mais certeiras desse ano no aspecto literário. A leitura não fluiu de primeira, mas quando foi: não quis largar e só larguei porque o trabalho me chamava e a vida social também hahaha. Um beijo à meia-noite tem um monte de referência à história original, como se espera, mas tem o seu toque único, sabem? Quando eu falar desse livro, vou lembrar dele por si só. Os personagens clássicos estão na pele de novas “pessoas”, que me conquistaram tanto quanto. Principalmente a madrinha! Henry é uma das minhas personagens favoritas. Quando ela surgiu na história, tudo ficou mais divertido! Gostei dos conselhos dela e da forma como olha para a vida. Prestem atenção nela! O príncipe Gabriel é de suspirar e a “Cinderela” é bem girl power. Os diálogos entre os dois são instigantes! Ah! Adorei a cara nova que ela deu para a irmã da Kate e os cachorrinhos. Ah! Wick também merece destaque!

O epílogo é o melhor. Gostei da visão da autora, da escrita dela e como construiu cada capítulo. Nada muito mimimi, sem enrolação e direto ao ponto! Embora, em alguns momentos eu tenha ficado um pouco confusa. É tanto personagem, tanta menção de outras coisas que aconteceram no passado e tal em uma só página, que acabei me perdendo. Então, em algumas partes: eu boiei totalmente. Mas acho que nada de muito importante. E sabe o sapatinho de cristal que aparece na capa? Tem um outro rumo, que é legal também! Digamos que esse livro é um conto de fadas adulto, mas sem perder a magia da nossa infância, que é fundamental. Fiquei com medo do fim, mas foi surpreendente, de forma positiva. Enfim, se você gosta da história da Cinderela, vale a pena embarcar nessa leitura. Lembrando que esse livro faz parte de uma série, com outros contos, como A Bela e a Fera, que a Eloisa James escreveu.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! 

Beijos, Carol.

Para ler: Sonhos em Flor 

Fan Page ♥  Instagram


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018