15.09.2020
* PJ Leu: A adorável loja de chocolates de Paris! ♥

Ei, Gente! :) Estou conseguindo aos poucos colocar a minha vidinha literária em ordem e hoje vai rolar mais uma dica de livro \o/. Dessa vez: A adorável loja de chocolates de Paris, da Jenny Colgan, que faz parte dos Romances de hoje, da Editora Arqueiro. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: A adorável loja de chocolates de Paris | Autora: Jenny Colgan | Editora: Arqueiro
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Anna Trent é supervisora de uma fábrica de chocolates no Reino Unido, mas após um acidente, tudo muda na sua vida! Inclusive, por conta de uma antiga professora de francês, que reencontra no hospital, ela tem a chance de recomeçar em uma renomada loja de Paris. Mas com uma diferença: terá de colocar a mão na massa e fazer o doce em questão.

Além disso, vai aprender a lidar com as atuais limitações, no seu tempo. Conhecer pessoas novas, como seu colega de apartamento, pessoal do trabalho e cumprir uma missão amorosa bem complicadinha. Uma história de superação, amor e, claro, chocolate!

Opinião da Pequena: Não tem como um livro com “Paris” e “chocolate” dar errado, né? O título me ganhou, a capa também e a história não deixa a desejar.

Confesso que a sinopse que eu li criou uma expectativa diferente. Achei que teria um toque mais cômico e tal. Porém, assim como os outros da Jenny, foi uma leitura leve, doce e cheia de lições valiosas. O livro alterna com a visão da Anna e acontecimentos do passado da Claire, que a propósito me lembrou a Claire do filme “Cartas para Julieta“.

Anna é bem fofa e mais corajosa do que imagina. Eu fiquei meio confusa em algumas partes, mas o que posso dizer é que é um livro de superação, mas sem forçar a barra. Tudo bem aos poucos! Amei conhecer Paris através dos olhos dela (e matar um pouquinho a saudade de viajar) e ver a vida com a sua leveza, mesmo com as dificuldades.

Thierry é incrível, mas com algumas ressalvas. Laurent? Me conquistou, mas não 100%, digamos assim! Sami e Cath? Amigos que eu gostaria para a minha vida. Aliás, o colega de apartamento não parece lá grandes coisas, porém, em uma cena específica me ganhou por completo! O pai da protagonista? Amoroso, do jeito dele, e eu queria que tivesse aparecido mais hahaha.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

A grande missão me deixou um pouco perdida também. Nos últimos capítulos, quase tudo aconteceu muito rápido. Mas tudo se encaixou no final e tentei me focar no que era importante, de fato. E tivemos algumas surpresas, que jamais passariam na minha cabeça no começo do livro.

Por fim, quero dizer que é um livro bem amorzinho e que me ajudou, sem querer, a descobrir que a minha ansiedade estava acima do normal. Eu estava interessada na história, mas a falta de concentração não me deixava passar para a próxima página. Então, por isso a demora da resenha. ;-)

Quanto aos aprendizados: todos temos limitações, que assustam, mas a gente se adapta. Uma viagem muda o rumo de muita coisa! E há males que vem para o bem. E para ajudar na ansiedade: têm coisas que é melhor deixar para pensar quando (e se) acontecer. A partir do momento que li esse tipo de pensamento recorrente da Anna, virou mais um mantra da minha vida.

Ah! Dá vontade de comer chocolate e não sei se é psicológico, mas juro que a capa tem cheiro dessa 8ª maravilha do mundo hahaha. Têm receitas que parecem bem deliciosas nas últimas páginas e o agradecimento da Jenny é muito fofo e as observações, antes de dar início à história, também! ♥

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo e você pode comprar o livro aqui (ajuda muito o PJ)! Ah! Parabéns atrasado para a autora, que completou mais uma primavera ontem (dia 14). Muitas histórias incríveis!! ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – A padaria dos finais felizes!
Fan Page ♥ Instagram 


5
14.09.2020
* PJ Leu: Conto – Cale-se para sempre! ♥

Ei, Gente! :) A minha concentração literária está voltando aos poucos e no finde consegui até ler um conto novo: Cale-se para sempre, da Renata Lustosa (autora nacional), uma parceira querida do PJ. Então, trouxe a resenha para vocês. Vamos lá? Boa leitura!

Conto: Cale-se para sempre | Autora: Renata Lustosa
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Olívia Florence é dona de uma pequena empresa de organização de eventos chamada “Dois pombinhos”. Parece que as coisas vão melhorar com o novo casal cliente, porém, tudo muda quando o noivo dá em cima dela na maior.

Agora o que fazer? Contar para a Bianca, a noiva, e perder seus potenciais clientes ou deixar isso para lá e não falar nadinha? Sua honestidade pode prejudicar a sua empresa, que já está meio mal das pernas ou pelo contrário?

Entre essas questões, Olivia aprende boas lições. Inclusive, faz as pazes com o senhor cupido!

Opinião da Pequena: Sempre quando eu leio algo da Rê, eu lembro o motivo de eu amar tanto chick-lit. Esse conto é mais uma prova de que esse gênero traz valores que inspiram a gente no nosso dia a dia e não tem nada de “raso”.

A premissa chama a atenção. Imagina: o único cliente, que pode manter a sua empresa, dá em cima de você na maior cara de pau? É impossível não se colocar no lugar da Olívia e ter vontade de dar um murro nele (sou contra violência, mas esse vilão merece hahaha).

Adorei como a história foi conduzida e o único defeito é que acaba muito rápido! Quando a gente se toca, chega o epílogo, mas fica feliz que tudo se encaixa direitinho.

De quebra, a gente aprende lições, como a importância de ter aulas de krav magá. Que a propósito, essa parte rende boas risadas. Outra: a honestidade e a empatia valem ouro. E que o Cupido sabe das coisas e um bom partido aparece e ele tem de ter várias coisinhas, que vão além de bens materiais. Clichê, mas sempre bom lembrar.

Crédito da Imagem: Amazon / Renata Lustosa

Tomás é meu novo crush literário, mesmo com algumas ressalvas. A Olívia? Amei esse nome! Ah! E eu quero contratar a “Dois Pombinhos” quando eu me casar hahaha. ;-) Aliás, noiva Bianca, você me surpreendeu. Quer ser minha amiga? Eu,você e a Olie podemos criar um grupo no Whats hahaha.

Enfim, recomendo muito para quem anda travado nas leituras. Quer algo divertido, leve e para devorar em questões de horinhas? Cale-se para sempre é perfeito para isso.

E não sei vocês: mas contos eu acho que sempre devem virar livros, porque quero mais detalhes e tal hahaha. Tipo uma personagem, que acho que acrescentaria muito, ficou meio apagada. Mas entendo que esse tipo de leitura é desse jeito, mais direto ao ponto, digamos assim.

Quanto à capa… Tem tudo a ver com a história, inclusive, com uma cena incrível. Pelo menos, eu acho! E o título também! E adorei a diagramação e as ilustrações em algumas páginas, que fazem a diferença. ^^

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal. Quem quiser embarcar, está disponível nesse link da Amazon. No mais, podem opinar à vontade! ;-)

Beijos e boa semana,
Carol.

Post Antigo: Conto – Maldito Beijo!
Fan Page ♥  Instagram


4
27.08.2020
* Beda 27 – TBT Literário: Coisas pra fazer antes dos 30! ♥

Ei, Gente! :) O PJ Leu da semana é sobre um livro que li há um tempinho: Coisas pra fazer antes dos 30, da Lisa Lynch. Já falei algumas vezes sobre essa história, mas nunca tinha rolado um post completinho mesmo. Perguntei aqui se vocês gostariam de resenha e muitos falaram que sim. Então, esse pedido é uma ordem. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Coisas pra fazer antes dos 30  | Editora: Panda Books | Autora: Lisa Lynch
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: A jornalista Lisa Lynch tinha uma listinha de coisas para fazer aos 30 anos, como engravidar, perder peso e escrever um livro. Até aí ok, mas ela teve de acrescentar de última hora “vencer um câncer de mama“.

Durante uma brincadeira com o marido, ela descobriu um caroço na mama e teve o diagnóstico da Porcaria (como a protagonista chamou a doença). Com dias bons e outros ruins, a autora resolveu criar um blog para escrever sobre esse inconveniente, que foi transformado em um livro.

Um relato para lá de honesto e leve, na medida do possível. Que faz o leitor chorar de tanto rir (acreditem, a Lisa tem esse poder) e de chorar mesmo. Mas o mais importante: olhar a vida através de um outro ponto de vista repleto de fé e esperança.

Minha opinião: Andando pela Bienal há um tempinho (acho que em 2011, por aí), me deparei com esse livro no stand da Saraiva. A capa foi o que mais me chamou a atenção e acreditei que era um chick-lit daqueles. Mas lendo o subtítulo, vi que a história ia muito além.

A escrita da Lisa me conquistou de cara. O livro é na primeira pessoa e todos, sem exceção, dão leveza à história. Aliás, por mais que a situação fosse dolorosa, ela tinha em mente de que se não encarasse de forma leve (na medida do possível), tudo seria bem pior. E acredito que essa maneira tenha tornado tudo mais de boa, tanto para ela, quanto para família, amigos e equipe médica.

Era incrível uma pessoa pensar que dane-se se o câncer vai levar o cabelo dela, o estilo ainda continua com tudo. Ela ainda queria ir numa cafeteria onde falassem o nome dela e não que fosse só mais um cliente. E, sim, é importante tratar bem os seus médicos, afinal, eles que vão salvar a sua vida. Em contrapartida, a protagonista e autora tinha os seus momentos mais isolada, efeito da Porcaria. Seja depois de uma sessão de quimioterapia ou de ver o seu pai sofrendo com tudo isso.

Falando neles, o pai dela é um dos meus favoritos, depois da Lisa. Ele é amoroso e tem os melhores conselhos (nunca durma brigado, se for possível) e o marido incrível mesmo, que fez toda a diferença nessa trajetória. O irmão foi na onda dela e tornou tudo mais tranquilo. E o que dizer do Dr. Parafusos frouxos? Aliás, como não amar esses apelidos?

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Enfim, é um livro que vai muito além do câncer de mama. Ele fala sobre a importância da família, dos amigos. Aborda sobre ansiedade, entre outros temas que colaboram com todos, independente se você está passando por uma situação semelhante ou não. Na época, eu lembro que comentei com a minha psicóloga sobre o livro e ela acabou recomendando aos pacientes que passavam por isso e tal. Acredito que realmente, esse relato honesto, sincero e, até mesmo, divertido, faça a diferença na vida de muitos leitores.

Eu li há séculos e talvez por esse motivo, não lembre de tudo tim tim por tim tim. Então, desculpem se esqueci de comentar algo importante. Mas reler as anotações me ajudou e me deu vontade de ler novamente.

Ah! Eu soube que ela não está mais aqui com a gente. :( Deu um aperto no coração, mas sou muito grata por tantas lições valiosas. São capítulos que mostram que, independente do que aconteça, é possível transformar um limão em uma limonada. Claro, tudo no seu tempo. Obrigada de coração, Lisa. Recomendo muito a leitura! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: 5 coisas que ninguém te conta sobre câncer de mama
Fan Page ♥ Instagram 


6
14.08.2020
* Beda 14 – PJ Leu: Amor(es) Verdadeiro(s)! ♥

Ei, Gente! :) E o PJ Leu da vez é Amor(es) Verdadeiro(s), da autora Taylor Jenkins Reid. Um romance que me encheu de expectativa e eu não vou falar muito agora para não dar spoiler da resenha. Então, vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro:Amor(es) Verdadeiro(s) | Editora: Paralela | Autora: Taylor Jenkins Reid
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 2 livros

Sinopse: No dia do aniversário de um ano de seu casamento, Emma recebe uma notícia de que o helicóptero em que Jesse (seu marido) estava caiu. Apesar de não encontrarem o seu corpo, ele é declarado como morto.

Anos se passam e ela resolve dar uma nova chance ao amor. Logo seu coração bate pelo amigo de adolescência, o Sam. Uma nova vida começa e uma Emma também.

Mas tudo muda novamente quando uma ligação inesperada toca: é Jesse, que foi encontrado e está de volta. Agora ela terá de descobrir o que fazer quando a vida te oferece dois amores!

Opinião da Pequena: Sabe aquele livro que você está louca para devorar? Essa era a minha expectativa! Porém, a partir do momento em que Jesse volta, a leitura desandou e, na maioria das páginas, eu só consegui sentir raiva dos personagens e a todo momento pensava em abandonar a história.

Mas calma! Não é que o livro seja ruim. Pelo contrário! A premissa é muito boa e faz o leitor pensar o que faria no lugar da Emma, do Jesse e Sam. Todos os sentimentos são compreensíveis e eu não queria estar na pele deles. A escrita da Taylor é incrível e continuo querendo ler os livros dela.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
♥ 

Só que apesar disso tudo, os personagens centrais não me cativaram. Sem querer julgar, mas já julgando, a sensação que eu tive era de que tudo virou meio que uma competição para alguns dos envolvidos. Por mais que não fosse a intenção! E algumas atitudes me decepcionaram e virou um bololô, que nem sei explicar.

A parte boa é que a leitura rende quotes incríveis e que fazem a gente refletir. Tipo as atitudes dos nossos pais e a relação com outros familiares. Aliás, a irmã da Emma, que deu o start do x da questão e o que foi maravilhoso na minha opinião. Também aprendemos que as pessoas mudam e algumas simplesmente não se encaixam mais e que tá tudo bem. Um término não significa que outra história não possa começar e não invalida todo o amor que você sentiu.

Li em uma resenha pela blogosfera que não há vilão nessa história. E não deixa de ser verdade. Só queria que o caminho tivesse sido diferente, sabem? Ainda bem que o final foi como imaginei, mas como eu estava meio cansada da leitura, nem consegui sentir tanta emoção. Apesar de ter quase caído umas lágrimas em alguns trechos dos últimos capítulos.

E falando em lado bom do livro… É incrível olhar a paixão da Emma que surge aos poucos pelo mundo literário. Isso pode ser um incentivo para quem tem preguiça de ler e cisma que não gosta dessa atividade. Aliás, a Livraria Blair está na minha listinha de livrarias fictícias que eu queria visitar. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Enfim, a leitura não funcionou muito comigo. Mas eu jamais falaria para tirá-lo da listinha. Cada livro bate de um jeito em cada leitor. Sempre é válido tirar a sua conclusão, viu? Quem sabe, apesar de eu não ter o costume de embarcar em histórias repetidas, faça mais sentido para mim no futuro.

Então, sim: eu recomendo a todos! Só não cria MUITO EXPECTATIVA. Caso você tenha. ;-) No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Em Outra vida, talvez?
Fan Page ♥ Instagram 


6
21.07.2020
* PJ Leu: Minha história! ♥

Ei, Gente! :) Não consegui atualizar o blog nem na sexta e segunda. Mas para compensar, vai rolar no post no próximo finde, combinado? E para o dia de hoje, separei uma resenha bem especial: Minha história, da Michelle Obama. Boa leitura! ♥

Livro: Minha história | Editora: Objetiva | Autoras: Michelle Obama
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Através desse livro de memórias, Michelle Obama nos convida para conhecer a sua vida antes e depois de ser a primeira-dama dos EUA. De forma envolvente, o leitor embarca na sua infância em Chicago, invade o jantar romântico entre ela e o Barack e sabe detalhes do endereço mais famoso do mundo: a casa branca.

Uma história sincera, reconfortante e para lá de sábia de uma das mulheres que realmente fez e faz a diferença.

Opinião da Pequena: Para começar, queria dizer que nunca imaginei que um presidente se tornaria o meu crush literário hahaha.

Agora que desabafei, posso dizer que essa biografia é inspiração pura! Escrito na primeira pessoa, Michelle Obama separa o livro em três partes: a história dela, deles e uma etapa maior ainda. A que eu mais gostei? Fiquei feliz em matar a curiosidade sobre como é encontrar a Rainha e viver na Casa Branca… Porém, conhecer um pouco da sua infância, o começo do relacionamento com o Obama foi o que mostrou que eles são gente como a gente e que nada aconteceu por acaso.

A relação dela com o pai mexeu muito comigo. Aliás, acho que foi uma das partes que mais chorei nesse livro. Sr. Fraser me senti acolhida e lembrei muito do meu pai como nunca tinha acontecido. Obrigada de coração! A história com uma amiga em especial também trouxe mensagens de que a vida passa muito rápido e tudo bem não ter respostas imediatas para tudo! E tenho que concordar que o Craig realmente é um dos melhores irmãos da vida. :)

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Barack é um galanteador. Mas não no sentido ruim e a gente compreende totalmente porque a Michelle se apaixonou por ele! Adorei a cumplicidade dos dois nos bons e não tão bons momentos. Como ele pede ela em casamento é incrível e aqueceu o meu coração. O papel de pais também não fica atrás. Não tinha ideia da importância do 4 de Julho para eles e por trás das câmeras, percebi o significado real da palavra família.

Imagino que a vida pública não seja fácil. E acho que a Michelle fez do limão uma limonada. Com erros e acertos! Mostrou o seu lado girl power, mas não escondeu as vulnerabilidades (pelo menos para o leitor). Ah! Assim como ela, também não sou fã de política. Mas entendi com mais precisão a importância de fazer a nossa parte. Também sempre temos de entender o contexto da história e não sair por aí falando o que bem entender. Aliás, hoje em dia, vou dar mais valor na hora de fazer um pão para mim.

No mais, não é uma leitura que eu devorei. A escrita dela é bem boa, mas por ser meio extenso… No final, confesso que me cansou um pouquinho e já não aguentava mais ler. Porém, na última página abracei o livro e lembrei o quanto essa história fez a diferença. Tanto na minha vida, quanto na dos outros. Principalmente, o público que é a minoria. Ter uma família afro-americana na história da presidência dos EUA traz um significado que faltam palavras para definir.

Enfim, é um livro que indico para todos e acredito que vá trazer esperança até nos dias mais difíceis. Destaque para algumas fotos que ilustram Minha história. Queria ver o álbum completo dessa família e dos bastidores.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo muito!
Ah! Quer ajudar o blog? Compra o livro por aqui. :)
E obrigada amiga Clary pelo presente! ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Corajosa sim, perfeita não!
Fan Page ♥ Instagram  


5

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020