16.08.2017
* {Beda 16} – PJ Leu: Minha vida não tão perfeita! ♥

E a dica literária do dia é Minha vida não tão perfeita, da autora queridinha (por mim) Sophie Kinsella. O livro, que foi publicado pela Record, fala sobre um tema bem atual: afinal, será que a vida daquela pessoa é tão maravilhosa quanto imaginamos? Espero que gostem e boa resenha! 

PJ Leu - Minha vida não tão perfeitaLivro: Minha vida não tão perfeita | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Cat Brenner tem uma vida perfeita! Ela mora em um flat em Londres, tem um emprego glamouroso e um perfil mara no Instagram. Mas ela não conta a real que está por trás disso tudo. Por exemplo? Ela até mora em um flat, mas em um quartinho minúsculo com pessoas bem peculiares. Seu trabalho na agência de publicidade é burocrático e nem tão legal. E o dia a dia que ela compartilha em ser perfil, não reflete exatamente a realidade. Ah! Outro detalhe: seu nome verdadeiro é Katie.

Porém, um dia, seus sonhos se tornarão realidade, né? Bom… A vida dela vira de cabeça para baixo, quando a chefe Demeter, bem-sucedida, a demite. Daí, ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset, sua cidade natal. Enquanto busca um emprego, Cat (ou Katie) decide ajudar o pai e a madrasta no novo negócio deles: transformar uma fazenda em um glamping (camping de luxo).

Só que é justamente nesse local, que a nossa protagonista tem a oportunidade de ficar cara a cara com a sua ex-chefe. Será que ela vai finalmente colocar a megera no seu devido lugar ou mudar de opinião? Afinal, ter uma vida (não tão) perfeita assim é ruim? *mistério* ;-)

Minha opinião:  O que falar desse livro? É aquele tipo de leitura leve, divertida e que carrega muitas verdades atuais. Tipo? A parte que a gente não conta por trás das fotos “perfeitas” e como julgamos as pessoas de forma errada. Às vezes aquela chefe, nem é tudo o que aparenta e pode surpreender se dermos uma chance. Nem toda atitude é por mal. Mas ainda bem que vem a vida e mostra a realidade para a gente.

Gostei muito da forma como a autora contou a história e dos personagens que ela inventou. A Katie é uma comédia e bem gente como a gente! Me lembrou um pouco a Becky Bloom e dá para ver direitinho a evolução dela no decorrer dos capítulos. A Demeter é surpreendente, o pai e a madrasta são as melhores pessoas. O Alex? De arrancar suspiros! As amigas do trabalho? Prefiro não comentar para não dar spoiler.

O final me pegou de surpresa, mas achei bem criativo. Aliás, cada página te prende. Por maior que seja a história, é o tipo de livro que a gente devora em poucos dias e abraça quando chega ao fim.  E como sempre: tirei lições bem valiosas. A proposta do livro, pelo que eu entendi, não é mostrar que você não pode tirar foto de tal coisa e postar, mas acho que é ser um pouco mais verdadeiro. Não viver tanto de aparência! A vida pode ser boa, claro, porém contratempos acontecem com todo mundo e tudo bem.

Enfim, amei. Já li muitos livros da autora, mas esse ganhou um lugarzinho especial no meu topo dos preferidos.  Destaque também para a capa e o título. Eles têm tudo a ver com a trama.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo!

Beijos, Carol.

 Para ler: Nossa música 

Fan Page ♥ Instagram 


2
04.08.2017
* {Beda 4} – PJ Leu: Nossa música! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Nossa Música, da autora Dani Atkins. O livro, que foi publicado pela editora Arqueiro (parceira do blog), é um daqueles romances que faz a gente suspirar e derramar algumas lágrimas. Vamos lá? Boa resenha! ;’)

PJ Leu - Nossa músicaLivro: Nossa Música | Editora: Arqueiro | Autora: Dani Atkins
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte. Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.

Minha opinião: Vamos começar pela capa? Simples e linda! O título tem tudo a ver com a história. Então, já começou bem. O livro? A linguagem é leve e o jeito como a Dani contou, mexeu bem lá no fundinho do meu coração. Ela tratou de assuntos bem delicados e importantes, como a doação de órgãos, de uma maneira fofinha (digamos assim). Eu acho que nunca tinha lido um livro que abordasse esse tema. Pontinho extra!

Tive um mix de sensações com essa leitura. Fiquei com raiva, perdoei,  suspirei e por aí vai. Aliás, algumas atitudes permitem as piores conclusões. Porém, é aí que entra uma das lições: nem tudo é o que parece ser! Às vezes, julgamos bem errado. Mas claro que o destino e algumas palavras poderiam ter colaborado um pouco. Entretanto, a vida funciona desse jeito, né? ;p

Não é aquele tipo de livro que tem mistério. Se você ler nas entrelinhas, no meio já dá para sacar o que vai acontecer. É bem previsível, eu diria. Mas de forma alguma deixa de prender. Confesso que eu torci para ter um final diferente, mas mais uma vez: a vida não segue sempre o que a gente deseja. Quase nunca (e tudo bem). Esses finais acabam nos ensinando muito mais e muitas coisas acabam se encaixando.

Nossa música não é uma história que vai te deixar sorrindo de orelha a orelha, porém vai ensinar lições valiosas e com personagens que cativam (mas alguns dão raiva haha e destaque para o Max e Joe). O final dá uma dorzinha no coração, mas faz a gente ver algumas situações através de uma outra perspectiva. E sempre reforçando a importância da família, dos amigos e mostrando como a vida realmente é frágil. Em questões de segundos, tudo pode mudar.

É isso. Quem já leu, conta o que achou. Ainda não? Recomendo muito! 

Beijos, Carol.

Para ler: A história de nós dois (Dani Atkins)

Fan Page ♥ Instagram 


1
12.07.2017
* PJ Leu: Dois a dois! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Dois a dois, do autor Nicholas Sparks O livro, que foi publicado pela editora Arqueiro (parceira do blog), é de arrancar suspiros e, claro, lágrimas. Mas vale cada página! Boa resenha e segurem o choro hahaha! ;-)

unnamedLivro: Dois a dois | Editora: Arqueiro | Autor: Nicholas Sparks
Crédito da imagem: Arqueiro

Sinopse: Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos. Em questão de meses, Russell perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.

Minha opinião: É o meu primeiro livro do Nicholas Sparks. E meu Deus: por que não entrei nesse universo antes? A escrita dele é tão boa, que não dá vontade de parar um segundo. É o típico livro que te prende do início ao fim!  A cada capítulo, bate aquela curiosidade de saber o que acontece nas próximas páginas. Ok, que às vezes eu acho que esse autor não tem muita piedade dos leitores, porque é cada lágrima que escorre. Mas isso é um mero detalhe hahaha!

Amei a trama e como o autor desenvolveu a história. Tudo vai se encaixando, sem deixar furos! O livro despertou as mais variadas sensações. Desde suspiro até “como existe um ser que faz isso?”. Fiquei com muita raiva da mulher dele! Mas acho que se ela não tivesse feito o que fez, Russ não teria aprendido tanto. Principalmente, a dor e a delícia de ser pai! Aliás, London é encantadora. E o pai dela, mais ainda. Ele é aquele tipo de pessoa que não tem noção da força que tem, mas ainda bem que a família e uma amiga em especial está ali para lembrá-lo disso todos os dias.

A irmã de Russ tem um papel importantíssimo na história. Se todas as pessoas tivessem um terço do amor e carinho que ela carrega e distribui, o mundo seria um lugar bem melhor! Acho que de todos os conselhos que ela deu para ele, só um não concordei. Os outros me fizeram refletir bastante! Russ teve o azar de encontrar gente que não tem um pingo de caráter, mas em compensação tem uma família de ouro. E isso: não tem preço!

Um livro que te faz pensar o real valor da família e da vida. E o verdadeiro amor e todas as suas formas! Destaque também para a capa. Podem acreditar, não é só mais uma capa. Tem toda uma história (linda, por sinal) por trás. Aliás, é uma das minhas partes favoritas! :’) Espero do fundo do meu coração que essa história vá para as telinhas. Merece! Enfim, sem dúvida, entrou para o hall dos meus livros favoritos e ocupa um lugar bem especial na minha vidinha de leitora.

unnamed (1)Crédito da imagem: Instagram @artiscando! 

Recomendo. MUITO! 

É isso, gente! Podem opinar à vontade!

Beijos, Carol.

Última resenha: A pequena livraria dos corações solitários

Fan Page ♥ Instagram 


12
04.07.2017
* PJ Leu: A pequena livraria dos corações solitários! ♥

Ei, Gente! E a resenha literária da semana é: A pequena livraria dos corações solitários, primeiro romance da autora Annie Darling. Vamos lá? Bom post! 

downloadLivro: A pequena livraria dos corações solitários | Editora: Verus | Autora: Annie Darling
Crédito da imagem: Saraiva

Sinopse: Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. E não bastava ter herdado um negócio falido, a nossa protagonista ainda tem de lidar com a atenção indesejada do neto de sua eterna chefe: Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro.

Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria de seus sonhos. Porém, Sebastian não a deixa trabalhar em paz. Enquanto (quase) todos lutam para salvar a amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian. Aliás, Posy começou a ter fantasias um tanto ardentes com ele… Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, a protagonista vai conseguir finalmente o seu “felizes para sempre”.

Minha opinião: A história começa de um jeito bem triste, mas ao mesmo tempo emocionante. Lavinia tinha o dom das palavras e me fez chorar com a carta do início! Daí até um certo momento, a leitura fluiu muito bem. Só que no decorrer do tempo, senti falta de um ingrediente a mais, sabe? Aquele que te prende até o fim. :( Mas não abandonei a leitura. Fiquei meio assim, porque só no final a história começou a ficar boa de novo.  Mas acontece, né?

Achei que os protagonistas iam me conquistar de cara. No começo, aconteceu isso mesmo! Porém, no decorrer das páginas, me irritei com os dois. Depois, minha relação com eles melhorou hahaha. Amei o irmão da Posy e os funcionários da livraria. Acho que eles mereciam mais destaque. Se eu não me engano, vai ter continuação esse livro e espero que eles tenham mais!

A escrita da autora é leve, do jeitinho que eu gosto. Mas acho que a forma como ela conduziu, que pecou um pouco! Algumas coisas são bem interessantes e me identifiquei. Tipo, eu adoraria ter a livraria dos sonhos da Posy. Tudo a ver comigo! Mas outras eu não curti muito não. Algumas falas do Sebastian, por exemplo. Mesmo assim, o livro teve um efeito que eu amo: me presenteou com lições valiosas. Por exemplo, não é porque a pessoa não demonstra o amor dela da maneira que você imagina, que ela não ama. Quase tudo tem uma explicação e não cabe a gente julgar. Ah! E nunca comprem pen drives iguais. Isso pode render uma consequência bem tensa, ou não… (quem embarcar nesse livro, vai entender hahaha).

Enfim, não é a melhor história da vida. Mas com certeza é a capa mais linda que eu já vi. Só tentem não julgar o livro pela capa, ok? Isso pode trazer uma expectativa alta. E vale deixar bem claro que toda leitura é válida. Cada um tem o direito de tirar a própria conclusão! Então, não é porque eu não gostei, que você vai ter a mesma opinião. ;-)

Podem opinar à vontade, ok?

Beijos, Carol.

Última resenha: Uma noite com Marilyn Monroe 

Fan Page ♥ Instagram 


5
13.06.2017
* PJ Leu: Uma noite com Marilyn Monroe! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Uma noite com Marilyn Monroe. O livro, que foi publicado pela editora Harper Collins, é o segundo da trilogia “Uma noite com…”, da autora Lucy Holliday. Boa resenha! :)

PJ Leu - Uma noite com Marilyn MonroeLivro: Uma noite com Marilyn Monroe | Editora: Harper Collins | Autora: Lucy Holliday
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Os últimos meses passaram como um furacão pela vida de Libby Lomax. Depois das confusões em que a atriz não tão bem-sucedida se meteu com a ajuda da diva Audrey Hepburn, ela namorou o cara mais gato do planeta, o Dillon O’Hara, e parece ter encontrado uma alternativa profissional melhor que a outra.

Porém, seu otimismo tem prazo de validade. Principalmente, no quesito vida amorosa! Ela logo percebe que ele não é, nem de longe, o namorado perfeito. Daí, é obrigada colocar os pés no chão. Então, mergulha de cabeça em um relacionamento novo e, além disso, está determinada a se dedicar mais a Olly, seu melhor amigo, antes da inauguração do novo restaurante dele.

Apesar das boas intenções, nossa protagonista acaba se distraindo quando um Dillon arrependido volta à cena. Daí, quando outra convidada inesperada – Marilyn Monroe – aparece, ela está disposta a qualquer coisa para fazer tudo voltar ao normal. O problema é que Olly parece ter encontrado outra pessoa para o cargo de “melhor amiga” e, de repente, Libby se vê prestes a perder algo que significa muito.

Agora a pergunta que não quer calar: será que Marilyn pode ser a chave para finalmente colocar a vida de Libby nos eixos? ;-)

Minha opinião: Li algumas resenhas falando que esse livro não era tão legal quanto o primeiro. Daí, fiquei com as expectativas bem baixas. Mas me surpreendi positivamente, gente!  É uma leitura leve e bem divertida. Do jeitinho que eu amo! Claro, achei o primeiro bem melhor, mas acho que isso aconteceu por eu me identificar mais com a Audrey, sabem? Aliás, conheci um lado da Marilyn, que não fazia ideia.

A Libby é uma comédia, gente. O tipo de personagem que eu queria ser amiga! Não acho que ela tenha amadurecido muito não, mas continua com a essência dela intacta. E isso é bem importante também. Torci muito para um carinha. Mesmo com os milhões de defeitos! Acho que quando as pessoas querem mudar, elas acabam conseguindo, mesmo sendo uma tarefa bem difícil. Só não vou falar quem é, para não dar spoiler. ;-)

Os diálogos com a convidada inesperada são bem legais. Divertidos e fazem a gente refletir. Porém, acho que há uma troca de papéis. Não é a Marilyn que faz o papel de conselheira, digamos assim, é a Libby que ajuda mais. E eu queria que tivesse sido diferente. Como no primeiro! Ah! Para variar um pouco, tirei lições valiosas. Tipo? Às vezes, parece que o mundo está todo errado. E que você está completamente sozinha! Mas é só a gente mudar um pouco o nosso olhar, que tudo melhora. Mesmo com a vida agitada, cada um seguindo um caminho diferente e tal, as pessoas que importam sempre vão estar com a gente.

Enfim, no geral curti muito. A autora soube me prender do início ao fim. É o tipo de leitura que fico imaginando cada cena e detalhe. Ansiosa para ler o terceiro e espero que tudo se encaixe.

**

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! ^^

Beijos, Carol.

Confira a resenha do primeiro da trilogia: Uma noite com Audrey Hepburn

Fan Page ♥ Instagram


10

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017