15.03.2021
* 3 lições que podemos tirar da entrevista com o Harry & a Meghan! ♥

Ei, Gente! :) Na última quinta-feira, o GNT passou a entrevista que o (eterno) Príncipe Harry e Meghan concederam para a apresentadora Oprah. Não consegui assistir tudo, mas deu para tirar algumas lições. Vamos lá? Bom post. ♥

Para começar, vale a pena lembrar que ano passado o mundo recebeu a notícia de que Harry e Meghan se afastariam da Realeza e tal. E, no comecinho desse ano, parece que eles encerraram de vez. Claro, sempre tem muita especulação e para esclarecer as coisas (na medida do possível), eles toparam conversar com a Oprah.

Ah! A intenção desse post não é julgar e o meu amor por esse casal continua intacto e a admiração pela Rainha também. E quem não conseguiu assistir, recomendo dar uma olhada nesse vídeo da Foquinha, que tá bem completinho. ;-)

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. A gente nunca sabe o que está por trás de uma foto linda e repleta de sorrisos. Às vezes, nas entrelinhas tem um pedido de ajuda. Então, ao comentar, escrever uma matéria… É fundamental a gente ter empatia e saber que as palavras têm poder, seja para o bem ou para o mal. E isso serve para as pessoas famosas e anônimas.

2. O racismo tende a ser prejudicial. Especulações também. E a gente precisa evoluir e a mudança tem de ser constante. Não podemos ficar parados no tempo e também temos de entender que nada muda da noite para o dia.

3. Toda família têm problemas e com a Realeza não seria diferente, né? A diferença é que eles têm um impacto e uma visibilidade gigante. Acho que a conversa tem de ser entre eles, mas na pele da Meghan e do Harry, acho que estaria cansada de julgamentos e tal. Eles são da Família Real, mas também são de carne e osso, né?

Crédito da Imagem: BBC News

No mais, achei bem relevante o tema “saúde mental“, apesar de triste. Nem uma Duquesa está livre de passar por isso. E acredito que pedir ajudar é fundamental e dar as costas deveria ser proibido. Ainda bem que tinha o Harry e o Archie a caminho (e agora uma menininha ♥).

Fiquei feliz que eles mantém contato com a Rainha Tia Bete e também queria ser uma mosquinha para ver de perto a chamada pelo zoom entre eles. Acho que ela não é a vilã da história e para falar a verdade, não sei se existe um vilão real. Mas sei lá! Acho que tem muita coisa por trás que a gente nem imagina.

E, na minha humilde opinião, eles fizeram tudo com muito respeito, mesmo com duras revelações. E a Oprah cumpriu o seu papel muito bem! :) E vale lembrar que contos de fadas da vida real têm final feliz, mas é um processo demorado. Aliás, achei bem interessante a comparação com A Pequena Sereia.

Crédito da Imagem: TV e Famosos

Admirei ainda mais esse casal, que eu acredito que sejam companheiros e amigos acima de tudo! Parece ter muito respeito e isso é tão importante. Enfim, que eles sejam felizes, independente do caminho. Que tudo melhore e que nenhuma voz seja calada.

Ah! Decidi que, finalmente, vou assistir The Crown. Afinal, meu eterno crush (Harry) assistiu alguns episódios, então, preciso hahaha. E sempre que alguém me falar “hidratação” e “dirija com cuidado”, vou lembrar do Archie.

E vocês? Assistiram? O que acham de todo esse rolê? Podem opinar à vontade. ;-)

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Casamento Real e Fofurices!
Fan Page ♥ Instagram   


4
29.07.2020
* Coisas que me fazem feliz (e que não são coisas)! ♥

Ei, Gente! :) Esses dias eu vi um post no blog da Dona Rafinha falando sobre coisas (não materiais) que deixam ela feliz. Logo pedi autorização para escrever a minha versão! Como ando interpretando muitas situações de forma negativa, acho que fazer essa seleção vai dar um up no meu dia. Vamos lá? Bom post. ♥

– Cantar “Evidências” no karaokê com a minha avó.
– Dar comida na boca da Jeanninha (minha dog hahaha).
– Abraçar uma história literária quando a mesma chega ao fim.
– Não gosto de café, mas o cheirinho dele me traz uma sensação boa.
– Assistir TV com o namô com carinho nas costas.
– Quando passa comercial de supermercado e eu e minha irmã cantamos.
– Rever episódios de Gilmore Girls.
– Deitar na cama depois de um dia agitado.
– Dormir com barulho de chuva.
– Comentários novos no PJ e ler posts de outros blogs que inspiram.
– Bilhetinhos escritos à mão nas compras online.
– Caixa de e-mail atualizada e sem pendências.
– Escrever no caderno e decorar o meu planner.
– Ficar na rede da varanda assistindo o pôr do sol.
– Dias nublados e com chuva fraquinha.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

– Pão francês quentinho e carinha feliz no copo do Starbucks.
– Comer miojo de tomate da Turma da Mônica.
– Dar check em (quase) todos os itens da lista de tarefas do dia.
– Tomar matte leão natural de copinho.
– Lavar louça escutando podcast.
– Ganhar do robô no jogo de buraco online.
– Notícias da vacina contra o covid-19.
– Assistir novela antiga com a minha mãe.
– Borboletas amarelas.
– Lembranças do meu pai.
– Ilustrações fofinhas e comédias românticas.
– Conhecer novos destinos e visitar antigos.
– Gravar tik tok e conversar com as amigas.
– Chorar de tanto rir em boa companhia.
– Quando o avião pousa e a mala aparece na esteira.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Essa é a minha versão. Alguns itens são clichês e outros nem tanto! Aliás, vou tentar olhar essa lista com mais frequência. E obrigada Raffa por compartilhar esse post, que me inspirou totalmente! Agora me contem: uma coisa (que não é coisa) e que te faz esquecer todos os problemas da vida?

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: PJ Entrevista – Ilustradora Beatriz França
Fan Page ♥ Instagram


13
30.06.2020
* Junho: o melhor mês do mundo! ♥

Ei, Gente! :) No comecinho de junho, contei que esse mês é o meu preferido. Tem meu niver e coisas boas aconteceram, mesmo que em plena pandemia! Então, esse post vai ser totalmente para agradecer e o objetivo é não ser um reclamona de carteirinha, como volta e meia costumo ser. Vamos lá? Espero que gostem! ♥

Crédito da Imagem: Bia Pof!

1. Um dia, eu estava no aeroporto e me deparei com um livro com uma das páginas mais lindas: Malas, memórias e marshmallows, da Fernanda França. Ela é uma das minhas autoras favoritas da vida e nem nos meus sonhos mais incríveis imaginaria ser leitora beta dela. Daí, que nessa quarentena, ela e a Leila Rego (outra escritora incrível) me convidaram para ler um conto e opinar. Ver o meu nome na página de agradecimentos foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida de bookblogger! E ver que uma das ideias foi aceita, me deu um up para escrever cada vez mais. Muito obrigada, meninas! Meu mês ganhou mais cor por conta desse lindo presente. Quem quiser ler a resenha é só clicar aqui. ♥

2. Eu não tinha planos mirabolantes para comemorar o meu niver esse ano. Com a quarentena, menos ainda! Mas como contei aqui, acho que nunca me senti tão especial nessa data. Recebi tanto carinho e, até mesmo, de pessoas que eu não imaginava. Ver tantas carinhas no parabéns surpresa pelo zoom me fez amar ainda mais esse dia e quebrar o preconceito que tinha desse app. Consegui comemorar com as pessoas que mais amo, independente de ser longe ou perto. Enfim, comecei meu novo ano com o pé direito!

3. No comecinho de 2020, andava bem desanimada com a vida profissional. Aos pouquinhos, as coisas estão acontecendo! Tanto como redatora web quanto blogueira. Aliás, eu e a minha irmã (que me ajuda muito com a parte de audiência e fotos para o Insta… Muito obrigada, Lulu!!) tínhamos uma meta de chegar a 4.500 seguidores e atingimos!! Fico tão feliz, que nem sei. Não queria ter de me importar com os números, porém, eles são importantes para ter acesso a ferramentas da rede social e conseguir trabalhos rentáveis em alguns aplicativos para influenciadores. ;-) Obrigada a todos que ajudaram e que ajudam diariamente. Ah! Finalmente, saiu a Newsletter do PJ. Isso foi uma conquista gigante (se alguém quiser entrar na listinha, só me avisar). ♥

Crédito das Imagens: Pequena Jornalista

***

Eu sei que a gente anda numa fase bem tensa. Cada notícia ruim dá um desânimo. Mas acho que se a gente olhar para o lado, tem algo bom acontecendo. Nem que seja um pôr do sol, um livro emocionante ou um sorriso que ilumina (nem que seja numa foto antiga)! Tenta, quando for possível, agradecer por essas mínimas coisas! Mas olha, sei totalmente que, às vezes, na prática, a teoria é outra. Vai no seu tempo, sem cobranças e nada como um dia após o outro, né? ♥

Agora me conta: qual foi o auge de junho? No mais, podem opinar à vontade. E que julho seja incrível. Para mim e para todos! A gente merece. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Carta para 2020!
Fan Page ♥ Instagram   


6
28.04.2020
* 5 coisas que aprendi com o BBB 20! ♥

Ei, Gente! :) Hoje acordei com aquela nostalgia. Parece que foi ontem que começou a icônica edição do BBB 20 e, num passe de mágica, chegou ao fim. E eu sei que subestimamos esse tipo de programa, mas dessa vez, o reality acrescentou sim muito na vida do telespectador. Talvez, se não fosse o isolamento social, nada disso teria o menor sentido, mas independente do motivo: teve muito ensinamento e selecionei alguns para o post do dia. Então, vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Petit Abel

1. Por mais que a gente não queira, sempre estamos julgando. Seja algum participante do BBB, alguém na rua nessa quarentena ou a gente mesmo. Aliás, acho que sou a minha maior juíza. E isso rende muito assunto na terapia e quando eu tiver alguma conclusão, conto para vocês hahaha. ♥

2. Não dá para ser coerente o tempo todo. Uma hora, a gente acaba caindo em contradição. Mas sabem de uma coisa? Tá tudo bem, de verdade. Isso é mais comum do que imaginamos. É impossível ser certinho o tempo todo e ter essa noção faz parte do nosso amadurecimento.

3. Não teve um participante nessa edição que não fez alguma coisa errada. Teve uma hora que eu pensei: Meu Deus, não dá para torcer para ninguém se eu levar tudo ao pé da letra. Claro que há erros e erros, porém, não dá para exigir perfeição do próximo. Nem mesmo em um reality! ;-)

4. A gente se subestima muito. Aliás, a cada prova do líder, paredão e tananam, minha irmã me falava: você é muito parecida com a Manu. Tentei levar como um elogio, mas vi que é uma crítica construtiva. Assim como a Manu, eu preciso acreditar mais em mim, de verdade. Sem mimimi, juro!

5. Uma das frases mais marcantes dessa temporada e que quero praticar mais é: Eu esqueço as coisas ruins que me falaram, mas nunca esqueço as coisas boas! Ela foi dita pela Thelminha, que a propósito não era a minha favorita, mas depois conquistou um lugar na minha final perfeita. ♥

Crédito da Imagem: Petit Abel

É isso, Gente! Têm outros aprendizados e observações, mas acho que esses são os principais mesmo. :) Amei a final e pela primeira vez a gente não sabia ao certo quem iria ganhar e isso é tão legal, né? Vou morrer de saudade desse trio, totalmente imprevisível, mas admirável. Obrigada, Manu, Rafa e Thelminha (mega merecida a vitória). ♥

Ah! E não é que a vida imitou a arte? A gente aprendeu muito com eles sobre confinamento. Só espero que a final da vida aqui fora chegue o mais rápido possível e a gente não fique confinado nas nossas casas por muito tempo. No mais, parabéns a todos envolvidos (inclusive minha amiga Carol ♥). Foi incrível mesmo e muito importante.

E obrigada pela companhia Lulu (minha irmã) e namô. Agora me contem: assistiram BBB? Gostaram? Podem opinar à vontade! :)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Erika Lazary (BBB)
Fan Page ♥  Instagram


9
18.06.2019
* Lições de mais uma primavera! ♥

Ei, Gente! Ontem, dia 17 de junho, completei mais uma primavera. Para marcar esse novo ano, decidi compartilhar 5 lições que aprendi ao longo desse tempinho. Algumas, só ressaltei, outras são totalmente novas. Vamos lá? Bom post e feliz niver para mim! ;-)

IMG_8846

Pequena que vos bloga!
♥ 

1. Um dia desses, escutei um episódio de um podcast (É nóia minha) que falava sobre quantas vidas conseguimos ter dentro de uma vida. Ideal para quem deseja mudar de profissão ou algo parecido! Mas a parte que mais mexeu comigo é que é bom a gente ter aquela impressão de que sempre está faltando algo. É exatamente isso que nos move! Parece lógico, mas sempre olhei essa sensação com olhos ruins, sabem? 

2. Há séculos, eu li um texto do Paulo Coelho, falando que um dia ruim é bom para a gente dar valor ao dia bom! Afinal, se todos saíssem exatamente do jeito que gostaríamos, a vida seria meio sem sentido, sabe? Tudo tem um lado bom, até o tal dia que a gente nem deveria ter levantado. Essa lição eu resgatei e tem me ajudado bastante ultimamente!

3. Essa lição foi o meu tio que me disse recentemente e também faz total sentido: 90% dos problemas fazem parte da vida e, por mais que a gente queira, é humanamente impossível controlar todos! 5% a gente cria e os outros, não lembro exatamente. Mas a moral é: não queira não ter problema, faz parte e tudo bem! 

4. O item de agora também tem a ver com controle. Ontem, por exemplo, eu jurava que teria um dia calmo, mas não contava com a TPM que veio com tudo. Sim, no meu niver! Mas ainda bem que eu tenho uma família maravilhosa, namorado lindo e amigos incríveis. Que entendem a doidinha aqui e que, a propósito, ela sabe reconhecer quando está insuportável e cria caso à toa hahaha.

5. Que a única certeza que temos é de que vamos morrer um dia. Mas sabe qual é a outra? Que estamos vivos. AGORA! Interpretação e bons olhos são tudo na vida, né? Tenho aprendido que não posso interpretar tudo tão negativamente!

***

É isso, pessoal. :) Claro, que na prática nem tudo é tão simples. Mas não é impossível! E espero que na próxima primavera eu consiga pôr mais prática todas essas lições e que eu esteja aberta para outras que estão por vir. Sempre bom, né? Vem com tudo 33 anos (e que seja leve e feliz) No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: O que eu aprendi com 30 anos

Fan Page ♥  Instagram


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021