30.06.2020
* Junho: o melhor mês do mundo! ♥

Ei, Gente! :) No comecinho de junho, contei que esse mês é o meu preferido. Tem meu niver e coisas boas aconteceram, mesmo que em plena pandemia! Então, esse post vai ser totalmente para agradecer e o objetivo é não ser um reclamona de carteirinha, como volta e meia costumo ser. Vamos lá? Espero que gostem! ♥

Crédito da Imagem: Bia Pof!

1. Um dia, eu estava no aeroporto e me deparei com um livro com uma das páginas mais lindas: Malas, memórias e marshmallows, da Fernanda França. Ela é uma das minhas autoras favoritas da vida e nem nos meus sonhos mais incríveis imaginaria ser leitora beta dela. Daí, que nessa quarentena, ela e a Leila Rego (outra escritora incrível) me convidaram para ler um conto e opinar. Ver o meu nome na página de agradecimentos foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida de bookblogger! E ver que uma das ideias foi aceita, me deu um up para escrever cada vez mais. Muito obrigada, meninas! Meu mês ganhou mais cor por conta desse lindo presente. Quem quiser ler a resenha é só clicar aqui. ♥

2. Eu não tinha planos mirabolantes para comemorar o meu niver esse ano. Com a quarentena, menos ainda! Mas como contei aqui, acho que nunca me senti tão especial nessa data. Recebi tanto carinho e, até mesmo, de pessoas que eu não imaginava. Ver tantas carinhas no parabéns surpresa pelo zoom me fez amar ainda mais esse dia e quebrar o preconceito que tinha desse app. Consegui comemorar com as pessoas que mais amo, independente de ser longe ou perto. Enfim, comecei meu novo ano com o pé direito!

3. No comecinho de 2020, andava bem desanimada com a vida profissional. Aos pouquinhos, as coisas estão acontecendo! Tanto como redatora web quanto blogueira. Aliás, eu e a minha irmã (que me ajuda muito com a parte de audiência e fotos para o Insta… Muito obrigada, Lulu!!) tínhamos uma meta de chegar a 4.500 seguidores e atingimos!! Fico tão feliz, que nem sei. Não queria ter de me importar com os números, porém, eles são importantes para ter acesso a ferramentas da rede social e conseguir trabalhos rentáveis em alguns aplicativos para influenciadores. ;-) Obrigada a todos que ajudaram e que ajudam diariamente. Ah! Finalmente, saiu a Newsletter do PJ. Isso foi uma conquista gigante (se alguém quiser entrar na listinha, só me avisar). ♥

Crédito das Imagens: Pequena Jornalista

***

Eu sei que a gente anda numa fase bem tensa. Cada notícia ruim dá um desânimo. Mas acho que se a gente olhar para o lado, tem algo bom acontecendo. Nem que seja um pôr do sol, um livro emocionante ou um sorriso que ilumina (nem que seja numa foto antiga)! Tenta, quando for possível, agradecer por essas mínimas coisas! Mas olha, sei totalmente que, às vezes, na prática, a teoria é outra. Vai no seu tempo, sem cobranças e nada como um dia após o outro, né? ♥

Agora me conta: qual foi o auge de junho? No mais, podem opinar à vontade. E que julho seja incrível. Para mim e para todos! A gente merece. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Carta para 2020!
Fan Page ♥ Instagram   


6
28.04.2020
* 5 coisas que aprendi com o BBB 20! ♥

Ei, Gente! :) Hoje acordei com aquela nostalgia. Parece que foi ontem que começou a icônica edição do BBB 20 e, num passe de mágica, chegou ao fim. E eu sei que subestimamos esse tipo de programa, mas dessa vez, o reality acrescentou sim muito na vida do telespectador. Talvez, se não fosse o isolamento social, nada disso teria o menor sentido, mas independente do motivo: teve muito ensinamento e selecionei alguns para o post do dia. Então, vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Petit Abel

1. Por mais que a gente não queira, sempre estamos julgando. Seja algum participante do BBB, alguém na rua nessa quarentena ou a gente mesmo. Aliás, acho que sou a minha maior juíza. E isso rende muito assunto na terapia e quando eu tiver alguma conclusão, conto para vocês hahaha. ♥

2. Não dá para ser coerente o tempo todo. Uma hora, a gente acaba caindo em contradição. Mas sabem de uma coisa? Tá tudo bem, de verdade. Isso é mais comum do que imaginamos. É impossível ser certinho o tempo todo e ter essa noção faz parte do nosso amadurecimento.

3. Não teve um participante nessa edição que não fez alguma coisa errada. Teve uma hora que eu pensei: Meu Deus, não dá para torcer para ninguém se eu levar tudo ao pé da letra. Claro que há erros e erros, porém, não dá para exigir perfeição do próximo. Nem mesmo em um reality! ;-)

4. A gente se subestima muito. Aliás, a cada prova do líder, paredão e tananam, minha irmã me falava: você é muito parecida com a Manu. Tentei levar como um elogio, mas vi que é uma crítica construtiva. Assim como a Manu, eu preciso acreditar mais em mim, de verdade. Sem mimimi, juro!

5. Uma das frases mais marcantes dessa temporada e que quero praticar mais é: Eu esqueço as coisas ruins que me falaram, mas nunca esqueço as coisas boas! Ela foi dita pela Thelminha, que a propósito não era a minha favorita, mas depois conquistou um lugar na minha final perfeita. ♥

Crédito da Imagem: Petit Abel

É isso, Gente! Têm outros aprendizados e observações, mas acho que esses são os principais mesmo. :) Amei a final e pela primeira vez a gente não sabia ao certo quem iria ganhar e isso é tão legal, né? Vou morrer de saudade desse trio, totalmente imprevisível, mas admirável. Obrigada, Manu, Rafa e Thelminha (mega merecida a vitória). ♥

Ah! E não é que a vida imitou a arte? A gente aprendeu muito com eles sobre confinamento. Só espero que a final da vida aqui fora chegue o mais rápido possível e a gente não fique confinado nas nossas casas por muito tempo. No mais, parabéns a todos envolvidos (inclusive minha amiga Carol ♥). Foi incrível mesmo e muito importante.

E obrigada pela companhia Lulu (minha irmã) e namô. Agora me contem: assistiram BBB? Gostaram? Podem opinar à vontade! :)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Erika Lazary (BBB)
Fan Page ♥  Instagram


9
18.06.2019
* Lições de mais uma primavera! ♥

Ei, Gente! Ontem, dia 17 de junho, completei mais uma primavera. Para marcar esse novo ano, decidi compartilhar 5 lições que aprendi ao longo desse tempinho. Algumas, só ressaltei, outras são totalmente novas. Vamos lá? Bom post e feliz niver para mim! ;-)

IMG_8846

Pequena que vos bloga!
♥ 

1. Um dia desses, escutei um episódio de um podcast (É nóia minha) que falava sobre quantas vidas conseguimos ter dentro de uma vida. Ideal para quem deseja mudar de profissão ou algo parecido! Mas a parte que mais mexeu comigo é que é bom a gente ter aquela impressão de que sempre está faltando algo. É exatamente isso que nos move! Parece lógico, mas sempre olhei essa sensação com olhos ruins, sabem? 

2. Há séculos, eu li um texto do Paulo Coelho, falando que um dia ruim é bom para a gente dar valor ao dia bom! Afinal, se todos saíssem exatamente do jeito que gostaríamos, a vida seria meio sem sentido, sabe? Tudo tem um lado bom, até o tal dia que a gente nem deveria ter levantado. Essa lição eu resgatei e tem me ajudado bastante ultimamente!

3. Essa lição foi o meu tio que me disse recentemente e também faz total sentido: 90% dos problemas fazem parte da vida e, por mais que a gente queira, é humanamente impossível controlar todos! 5% a gente cria e os outros, não lembro exatamente. Mas a moral é: não queira não ter problema, faz parte e tudo bem! 

4. O item de agora também tem a ver com controle. Ontem, por exemplo, eu jurava que teria um dia calmo, mas não contava com a TPM que veio com tudo. Sim, no meu niver! Mas ainda bem que eu tenho uma família maravilhosa, namorado lindo e amigos incríveis. Que entendem a doidinha aqui e que, a propósito, ela sabe reconhecer quando está insuportável e cria caso à toa hahaha.

5. Que a única certeza que temos é de que vamos morrer um dia. Mas sabe qual é a outra? Que estamos vivos. AGORA! Interpretação e bons olhos são tudo na vida, né? Tenho aprendido que não posso interpretar tudo tão negativamente!

***

É isso, pessoal. :) Claro, que na prática nem tudo é tão simples. Mas não é impossível! E espero que na próxima primavera eu consiga pôr mais prática todas essas lições e que eu esteja aberta para outras que estão por vir. Sempre bom, né? Vem com tudo 33 anos (e que seja leve e feliz) No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: O que eu aprendi com 30 anos

Fan Page ♥  Instagram


0
12.06.2019
* Pequena Escritora #2: Por um amor, todos os dias! ♥

IMG_8528-12-06-19-18-51Por Carol Daixum (Texto)
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

“Desde novinha, eu sonhava com o meu príncipe encantado. Idealizava declarações, passeios e comemorações dignas de chick lit em pleno Dia dos Namorados! Aliás, já passei muito essa data sozinha. Algumas, de boa na lagoa. Outras, eu queria ter um papo reto com o tal do Santo Antônio! Detestava quando alguém me dizia que era só eu não esperar, que iria aparecer na hora certa. Nem antes, nem depois! Minha mãe, era mestre nesse discurso!

Hoje, o clichê que tanto escutei, é um dos que eu mais acredito. Acho que talvez, se eu tivesse encontrado antes, não daria certo! Afinal, o amor é lindo, mas vai além dessa data. É preciso um monte de coisinhas para sustentar um relacionamento. Tem de ter companheirismo. Paciência! Entender, que o outro é diferente de você e tudo bem! Opiniões distintas fazem parte e nem tudo são flores. Até mesmo, o Dia dos Namorados, que a propósito quase ninguém conta, mas: fica tudo cheio. O trânsito insuportável e cinema, nem pensar. Se a gente não tiver cuidado, o estresse pode tomar conta. Ano passado, minha primeira comemoração “12 de junho” com o meu namorado, foi incrível, mas sabia que a gente teve de jantar às 17h, porque os outros horários estavam lotados? Surreal. Claro, que foi maravilhoso, mas por ser a primeira vez e tal. Então, ter foco apenas nesse detalhe, pode ser um caminho bem perigoso.

Falando nisso, saiba que entrar em um relação é: estar perto, porém, dar espaço quando necessário! É amar, até mesmo, as imperfeições (Na medida certa, claro). É dividir o dia, é perguntar como foi o trabalho. É fazer planos! É ceder. É conversar, coisas sérias e discutir se a Rainha Elizabeth assiste Netflix ou não. É saber que têm dias perfeitos e outros que o clima fica meio chato, mas que depois volta tudo ao normal. É rir! É tirar foto. É pegar a mania do outro. É aprender muito. Todos os dias! É conseguir ser você, em uma versão mais leve e ainda mais feliz! É fazer quase tudo junto, mas sem perder a individualidade. É saber que aquela pessoa tem uma TPM daquelas e que o outro talvez ronque um pouquinho hahaha.

Então, se você não tem ninguém, por enquanto, seja por opção ou não, relaxa. Parece clichê, eu sei. Mas um dia vem! Talvez não no cavalo branco, porém, na forma real, viu? Mas é justamente isso que torna tudo mágico. E quando ele chegar, eu espero, do fundo do meu coração, que seja um amor de todos os dias e não só nessas datas comemorativas. Por que amor é isso! Ah! E aproveita. Namorar é maravilhoso, mas estar na sua própria companhia e curtir é fundamental.”

***

Um feliz Dia dos Namorados para todos os casais apaixonados! E um beijo especial para o meu namô, que torna tudo mais leve e divertido, até nos dias mais complicados. Obrigada por me ensinar tudo e muito mais. Te amo, todos os dias. ♥♥♥ E para quem está sem boy magia e tal, aproveita muito o dia também, viu? Você merece!!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Felicidade

Fan Page ♥ Instagram   


1
16.05.2019
* Pequena Escritora #1: Felicidade! ♥

PJ - Frase MaioPor Carol Daixum (Texto)
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

“Quem nunca confundiu felicidade com ausência de problemas? A pequena que vos bloga? Inúmeras! E, com certeza, você, inconscientemente, também! Mas tá tudo bem, viu? Acho que isso é o normal do ser humano mesmo. Ser feliz, muitas vezes, parece impossível por conta desse pensamento. Felicidade tem de ser, obviamente, um caminho sem uma pedra sequer.  E aí dela se aparecer!

E quem nunca sentiu que estava tudo “perfeito”, mas sei lá…. Faltava algo? Eu, mais uma vez, inúmeras. E mais uma vez: você também! E acho que essa sensação é a prova de que, mais uma vez, a felicidade nada tem a ver com a ausência de problemas.  Ah! E também tem aquela história: se eu tiver tal coisa, aí sim… Vou ser 100% feliz. Mas e aí: você ou eu conto a verdade? Depositar a felicidade em algo ou alguém é uma atitude que nada ajuda nessa busca que, de fato, será eterna se pensar assim!

Ser feliz, por mais clichê que soe, é prestar atenção nos mínimos detalhes diante de tudo. Mesmo que o mundo esteja desabando por trás das cortinas ou não! É olhar o bonito, por trás de tanta coisa “blergh”, por exemplo. Essa palavra que tanto prezamos e desejamos, muitas vezes está lá, estampada na nossa cara. E a moral desse texto? Depois de refletir muito, cheguei a uma conclusão temporária: felicidade, na real, tem a ver com espontaneidade. Quando você se toca, ela está: linda, leve e solta para você. E se quiser prendê-la, basta querer. Vai aos poucos, sem pretensão rígida. Só vai, que ela vem, viu?

***

Pessoal, como contei no começo da semana, estou tentando mudar o rumo do meu sonho de escrever livros, que na real estava paradinho. Daí, uma das dicas que eu li (e adaptei), foi começar a escrever no blog. Já fiz isso algumas vezes, mas acabei deixando esse tipo de post para lá. Enfim, é um teste! Podem opinar à vontade, ok? Inclusive, sobre o tema!  Lembrando que todos esses pensamentos, me ajudam muito também. E sei o quanto a teoria é difícil na prática. Então, de forma alguma, quero dizer que tudo é fácil. Mas vale a gente tentar, né? ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: Amanhã

Fan Page ♥ Instagram   


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020