08.06.2020
* Wishlist literária de niver! ♥

Ei, Gente! :) Dia 17 de junho é o meu niver e aqui está a tradicional (in)direta para amigos e família: a minha wishlist literária hahaha! ♥ Vamos lá? Bom post!

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. A adorável loja de chocolates de Paris (Jenny Colgan – Arqueiro)
Sinopse:
Anna Trent é supervisora numa fábrica de chocolate. Mas isso não quer dizer que ela saiba fazer chocolate. Por isso, quando um acidente muda sua vida e Anna tem a chance de ir trabalhar numa tradicional loja em Paris, ela tem certeza de que vão descobrir que é uma fraude. Mas com um pouco de sorte, muita paciência e a ajuda dos novos amigos, o exuberante Sami e o galanteador Frédéric, Anna vai descobrir mais sobre o verdadeiro chocolate – e sobre si mesma – do que jamais sonhou.
Observação da Pequena: Como admiradora da série Romances de hoje, da Editora Arqueiro (eterna parceira do blog), eu preciso ler o livro físico e acrescentá-lo na minha linda coleção. Fora que une duas coisas que eu amo: chocolate e Paris!

2. A prometida (Kiera Cass – Seguinte)
Sinopse:
Quando o rei Jameson se declara para a Lady Hollis Brite, ela fica radiante. Afinal, a jovem cresceu no castelo de Keresken, competindo com as outras damas da nobreza pela atenção do rei, e agora finalmente poderá provar seu valor. Porém, Hollis logo percebe que estar ao lado dele significa ser um simples enfeite e ao conhecer Silas tudo fica ainda mais confuso.
Observação da Pequena: Eu devorei a série “A seleção”, escrita pela Kiera. E acho que vou amar esse livro também! Pelo menos a capa me conquistou de primeira. Não me decepcione, por favorzinho hahaha.

3. Amo(res) Verdadeiro(s) (Taylor Jenkins Reid – Paralela)
Sinopse:
Emma Blair casou com seu namorado do colegial, Jesse, quando tinha vinte anos. Juntos, eles construíram uma vida diferente das expectativas de seus pais e das pessoas de sua cidade natal, Massachusetts. Sem perder nenhuma oportunidade de viver novas aventuras, eles viajam o mundo todo, curtindo a vida ao máximo. Mas, em vez do tradicional “e viveram felizes para sempre”, uma tragédia separa os dois, no dia do seu aniversário de um ano de casamento. Ela volta para sua cidade natal e, depois de anos de luto, reencontra um velho amigo, Sam, que lhe mostra ser, sim, possível se apaixonar novamente. E quando os dois ficam noivos? Jesse é encontrado vivo.
Observação da Pequena: Eu li um livro da Taylor e fiquei apaixonada pela escrita dela. Achei o livro bem intrigante e estou louca para saber o final!

4. Minha história (Michelle Obama – Objetiva)
Sinopse:
Em suas memórias, Michelle Obama convida os leitores a conhecer seu mundo, recontando as experiências que a moldaram — da infância na região de South Side, em Chicago, e os seus anos como executiva tentando equilibrar as demandas da maternidade e do trabalho, ao período em que passou no endereço mais famoso do mundo. Com honestidade e uma inteligência aguçada, ela descreve seus triunfos e suas decepções, tanto públicas quanto privadas, e conta toda a sua história, conforme a viveu — em suas próprias palavras e em seus próprios termos. Reconfortante, sábio e revelador, Minha história traz um relato íntimo e singular, de uma mulher com alma e consistência que desafiou constantemente as expectativas — e cuja história nos inspira a fazer o mesmo.
Observação da Pequena: Já namorei muito esse livro nas livrarias e mais do que nunca acho que embarcar na história da Michelle vai me ensinar muito a transformar a minha.

5. Todo mundo que vale a pena conhecer (Lauren Weisberger – Record)
Sinopse:
Bette Robinson mora em um cubículo, tem um emprego “semiescravidão” em um banco de Manhattan e um chefe detestável. Cansada de ter uma vida entediada aos 27 anos, ela resolve agir impulsivamente e pedir demissão. Com influencia de um tio colunista social, consegue um emprego dos sonhos em uma das maiores agências de eventos de Nova York. Agora sua principal função é ir a boates frequentadas por celebridades. A badalação de Manhattan vai dar um novo rumo à vida da jovem, de uma hora para outra ela está nas colunas de fofoca, arruma um namoro de reputação duvidosa e sua vida pessoal vira um desastre.
Observação da Pequena: Esse é um livro que está na minha listinha há séculos! Adoro a escrita da autora e acho que esse não vai me decepcionar. Assim espero. ♥

***

Muito cara de pau essa Pequena, né? ;-) Mas é tudo uma brincadeirinha, com um fundinho de verdade hahaha.

Aliás, foi bem difícil selecionar apenas 5 livros. Quando eu me toquei, queria todos e mais um pouco! Muitos ficaram de fora e outros eu vi que dava para ler pelo Kindle Unlimited. Ainda bem!

É isso, pessoal. Me contem se já leram algum ou se acrescentaram na listinha de desejo de vocês também! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Wishlist de Niver – 33 primaveras!
Fan Page ♥ Instagram   


8
05.06.2020
* TAG Literária: Eu nunca! ♥

Ei, Gente! :) Essa semana assisti uns dois vídeos no Youtube com aquela brincadeira “Eu nunca” e aqui em casa, rolou um no Tik Tok na versão Pet. Daí, eu pesquisei e vi que tinha a literária também. Então, resolvi responder essa TAG no post do dia. Vamos lá? ♥

1. “Eu nunca li isso” (Um livro que você não leu, mas que aparentemente todo mundo já):
R: Os livros “Cinquenta tons de cinza“. Não tenho nada contra, mas é que o gênero literário não faz muito o meu estilo de livros.

2. “Eu nunca li algo tão maravilhoso” (O seu livro favorito):
R: Tenho alguns na minha listinha, mas um que eu li tem um tempinho e que é um amor de livro (e nunca vi resenha dele) é “Não se esqueça de Paris“.

3. “Eu nunca imaginei que conseguiria terminar isso” (Um livro ou uma série que você não curtiu, mas foi até o fim):
R:Antes de partir”… Foi um pouco decepcionante para mim! :(

4. “Eu nunca vou terminar isso” (Um livro ou uma série que você abandonou):
R: Tentei começar uma vez “Melancia“, mas desisti no meio do caminho. Porém, tenho vontade de começar novamente e ir até o fim!

5. “Eu nunca vou me arrepender de ter lido isso” (Um livro que você leu por recomendação de alguém e acabou gostando):
R: Estou tentando dar respostas de livros que não apareceram em outras TAGs que respondi, mas o único que vem na minha cabeça é a série “A Seleção“.

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

6. “Eu nunca faria isso” (Um personagem que tomou alguma decisão ou fez coisas que você não concorda/faria):
R: É difícil julgar, mas acho que não faria muita coisa que a Faye (do livro “A Gaiola de Ouro“) fez.

7. “Eu nunca quero ter que admitir que li isso” (Um livro que você tem vergonha de ter lido ou de ler em locais públicos):
R: Eu sou uma eterna adolescente de 15 anos assumida. Mas alguns eu fico no meu pensamento “tomara que ninguém veja a capa”. Tenho 33 anos e quanto estou lendo aquela bem teen, bate uma leve timidez. Por exemplo, agora estou lendo “Como quase namorei Robert Pattinson” hahaha!

8. “Eu nunca li algo tão fofo” (Um livro que tocou seu coração):
R: São tantos, mas vou falar de um que li resenha hoje e tem um tempinho que não o menciono aqui no blog…. “Teto para dois”! Vale cada página.

9. “Eu nunca ri tanto” (Um livro que te fez rir alto):
R: Como não pode faltar livro da diva Sophie Kinsella, tem um que rendeu boas gargalhadas também…. “Fiquei com o seu número“!

10. “Eu nunca teria sobrevivido minha infância sem ter lido esse livro” (Um livro favorito da sua infância):
R: Eu não lembro o nome do livro, mas sei que quando eu era criança, eu amava uma história que tinha um cachorrinho, uma minhoca. Já tentei caçar nas livrarias, Google, mas não acho o dito cujo. E mamys não lembra. Aí, às vezes, rola aquele pensamento se não foi fruto da minha imaginação hahaha!

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

É isso, pessoal. A maioria dos livros (que eu li) tem resenha no blog. Só buscar na caixinha de pesquisa, ok? :) Ah! Quem quiser responder, fique à vontade. E eu vi essa TAG no blog Livro Lab.

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: PJ Leu – Não se esqueça de Paris
Fan Page ♥ Instagram    


15
26.05.2020
* Top 5: livros que nunca imaginei ler e li! ♥

Ei, Gente! :) Se tem uma coisa que tenho feito durante a quarentena é sair da zona de conforto. Apesar de dar preferência a leituras mais leves, li alguns livros que nunca imaginei embarcar. Pensando nisso, trouxe cinco histórias literárias (a maioria não é recente) que se encaixam nesse perfil. Vamos lá? ♥

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. A menina que roubava livros (Markus Zusak – Editora Intrínseca)
Sinopse:
Horas depois de ver seu irmão morrer nos braços de sua mãe, que era comunista, Liesel Meminger é adotada por Hans e Rosa Hubermann. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala “O Manual do Coveiro”, livro que o rapaz que enterrou o seu irmão deixou cair na neve. Foi o primeiro dos vários livros que Liesel roubaria. O começo de uma carreira brilhante! Através dos livros, Liesel descobre um mundo diferente do cenário triste de uma guerra, que transformava a Alemanha diariamente. Ela descobre o real significado do amor, da amizade e da lealdade. E as palavras que Liesel encontrou nessas páginas seriam mais tarde aplicadas ao contexto da sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, pai adotivo mais amável do mundo, e Max Vandenburg (o judeu do porão), Rudy Steiner e a Morte, que a propósito é a narradora do livro, que testemunhou a dor e a poesia da época em que Liesel teve sua vida salva diariamente pelas palavras.
Observação da Pequena: Quem acompanha o blog há séculos sabe que esse livre foge totalmente do gênero literário que eu amo. Mas por conta de uma desilusão amorosa, decidi na época que embarcaria em outros livros e esse foi o escolhido! Nunca foi tão bom sair da minha zona de conforto, gente! Quem quiser saber mais, tem um post completinho aqui.

2. Divergente (Veronica Roth – Editora Rocco)
Sinopse:
Uma versão futurista da cidade de Chicago, a sociedade se divide em cinco facções dedicadas ao cultivo de uma virtude – a Abnegação, a Amizade, a Audácia, a Franqueza e a Erudição. Aos dezesseis anos, numa grande cerimônia de iniciação, os jovens são submetidos a um teste de aptidão e devem escolher a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas. Para Beatrice, a difícil decisão é entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é – não pode ter os dois. Então, faz uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma.
Observação da Pequena: Como eu soube que os atores do filme eram os protagonistas da história “A culpa é das estrelas”, decidi assistir no cinema. E me apaixonei tanto, que assim que sai do cine, fui correndo na livraria. Jamais imaginei gostar dessa distopia, mas amei e devorei em poucos dias o livro. Só não animei em ler os outros!

3. Todo mundo tem um anjo da guarda (Pedro Siqueira – Editora Sextante)
Sinopse:
Neste livro, o autor conta sobre esse universo dos anjos! Ele mostra uma visão geral das criaturas celestes, explica que é possível ver nossos anjos da guarda e,  até mesmo, saber seus nomes. E não para por aí: Pedro explica como podemos nos comunicar com eles para estreitar os laços com Deus.
Observação da Pequena: Eu não tenho intimidade com livros religiosos. No comecinho, não sabia se tinha feito a melhor escolha para sair da minha zona de conforto. Mas depois a leitura fluiu e, independente, da sua religião as mensagens são incríveis e dão paz! Falei mais sobre aqui.

Crédito das Imagens: Amazon e Arqueiro
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

4. Coragem (Rose McGowan – Editora Harper Collins)
Sinopse:
Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia. Mas o que seria um sonho, virou logo um inferno pessoal e, com o tempo, ela se reemergiu como um ícone feminista ao expor verdades sobre a indústria hollywoodiana. Mas sua história começou muito antes: aos 13 fugiu de casa e viveu de forma instável, morando e saindo das ruas. Até que foi descoberta por Hollywood, viu seu estrelato se tornar um verdadeiro pesadelo de exposição e sexualização constantes. Um mercado machista a tornou, sem consentimento, em apenas um produto, excluindo sua identidade e imagem, tudo em nome do lucro. Mas o que essa seita não esperava, aconteceu: ela não ficou calada e voltou expondo as verdades, incluindo os crimes cometidos por Harvey Weinstein, um produtor cinematográfico, que tem coleções de denúncias de assédios sexuais. Um livro de memórias, em forma de manifesto honesto e sem censura alguma!
Observação da Pequena: É uma leitura extremamente necessária e que ensina muito. Mas é um livro pesado e que marca. Não é que não valha a pena sair da zona de conforto com ele, porém, é sempre uma história que vou lembrar de um jeito bem triste. Quem quiser saber um pouco mais, é só clicar aqui.

5. A Gaiola de Ouro (Camilla Läckberg – Editora Arqueiro)
Sinopse:
Jack e Faye começaram a namorar na faculdade. Ele é um garoto criado em berço de ouro. Ela é uma jovem que se esforçou para enterrar um passado sombrio. Quando ele decide criar uma empresa, ela deixa os estudos e passa a trabalhar de dia, dedicando as noites a traçar a estratégia do novo negócio. A companhia se torna um sucesso bilionário, mas Faye fica apenas cuidando da filha em casa e sendo exibida pelo marido, que toma todas as decisões da empresa. Um dia, Faye descobre que ele tem um caso e a bela fachada de sua vida desmorona. De uma hora para outra, ela está sozinha, emocionalmente abalada e sem nenhum centavo. Mas Jack está prestes a receber o que merece, e muito mais.
Observação da Pequena: Esse foi o que me tirou da zona de conforto nessa quarentena. Logo eu que sempre indico leituras leves! Mas mesmo sendo uma história mega pesada, a escrita te prende do início ao fim. Não quero ler um thriller psicológico tão cedo, mas gostei de ter riscado esse desafio de leituras. Para mais informações, corre nesse post. ♥

***

Moral da história: acho importante lermos o que amamos. Mas se arriscar e sair da zona de conforto pode render aprendizados, experiências diferentes e, até mesmo, livros que entram para a sua lista de favoritos da vida (no meu caso: A menina que roubava livros).

Então, leia o que te agrada. Em contrapartida, não há problema algum aceitar desafios literários. ;-) Agora me conta: qual livro te fez sair do mesmo? No mais, podem opinar à vontade! ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: Top 5 – Distopias
Fan Page ♥ Instagram  


9
23.04.2020
* 10 fatos sobre a pequena leitora que vos bloga! ♥

Ei, Gente! :) Sabia que hoje é o Dia Mundial do Livro? Já expliquei nesse post uma das tradições mais legais sobre essa data. Daí, hoje eu resolvi contar sobre 10 fatos que talvez você não saiba sobre a pequena leitora que vos bloga! ♥

Pequena Leitora ♥

1. Têm alguns clássicos que eu nunca embarquei. Tipo? Jane Austen e O Pequeno Príncipe (mas sei por alto do que se tratam). E o primeiro livro que marcou foi “Depois daquela viagem”.

2. O pai da minha irmã, o Tio Dalmo, foi uma das pessoas que mais me incentivou a ler. Toda semana eu tinha que pegar um livro na biblioteca. E a minha mãe que me deu um combo cheio de livros da Sophie Kinsella. Então, o meu amor por essa autora é culpa da mamys hahaha.

3. A primeira resenha que fiz no PJ foi “Menina de 20”, que a propósito é o meu livro favorito da Sophie Kinsella. Não ficou mil maravilhas, mas ficou bonitinho hahaha. E em 2014 que o blog virou oficialmente “literário”.

4. O primeiro livro que esqueci por aí foi “Eleanor & Park”, no aeroporto internacional do Rio de Janeiro. Desde então, rolam vários esquecidos da pequena por aí hahaha.

5. Não sou do tipo de leitora que devora em poucos dias (só às vezes) o livro e não consigo ler dois ao mesmo tempo. Ah! E eu não sou do tipo que relê uma história, mas acho que embarcaria novamente no livro “O melhor lugar do mundo é aqui”.

Crédito da Imagem: Pinterest ♥

6. Sou do team livro físico, mas na última Bienal comprei um Kindle e estou começando a gostar e ver os benefícios. Mas nada substitui tocar no papel, ir na livraria e ter uma estante repleta de histórias.

7. Sou bem medrosa, então passo longe de livros de terror e suspense pesadão. Mas confesso que, às vezes, bate umas curiosidades… Porém, sei que a noite não vou conseguir dormir, aí deixo para lá hahaha.

8. Meu gênero favorito da vida: chick-lit. Aliás, as minhas autoras favoritas são Sophie Kinsella e Fernanda França. E eu sou apaixonada por “A menina que roubava livros” e não empresto por nada nesse mundo.

9. A primeira pessoa que topou responder as perguntinhas literárias do PJ foi a Teca Machado, que também é book blogger. E, desde então, muitas entrevistas rolaram no bloguinho.

10. Há séculos fiz uma conta no Skoob, mas nem dei bola. Daí, semana passada, fiz uma nova e eu finalmente montei a minha estante, que particularmente está linda hahaha. E, descobri que desde 2002 eu li 213 livros! Aliás, quem quiser, me segue lá: Skoob da Pequena.

Reprodução Skoob ♥

É isso, gente! :) Agora me contem algum fato literário curioso sobre vocês! No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Dia Mundial do Livro 2018
Fan Page ♥  Instagram


12
16.04.2020
* Li e agora? 3 destinos para livros que você já leu! ♥

Ei, Gente! :) Uma curiosidade sobre a pequena leitora que vos bloga: eu não tenho apego pelos livros que já li. Ok, têm algumas exceções, como a coleção da Sophie Kinsella, entre outros. Mas isso é um mero detalhe hahaha.

Voltando ao assunto… Sempre que termino uma história, vejo um destino para ela, que não seja ficar presa na estante. Pensando nisso, separei três ideias para vocês. Vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. Troca no Skoob
Observação da Pequena: Outra curiosidade minha…. Eu não tenho conta no Skoob hahaha. Mas até o fim dessa quarentena, eu faço. :) Mas sei que rolam trocas por lá, então, essa rede social é um ótimo destino para os livros que você não quer mais. E, de quebra, receber novas histórias no conforto de seu lar doce lar. Não sei exatamente como funciona, porém, até o momento, só escutei falar bem dessa “modalidade” do site. Quando rolar comigo, conto. Então, fica a dica.

2. Doar
Observação da Pequena: Nesses dias em casa, que tal fazer uma limpa na sua estante e separar alguns para doação? Seja para um Biblioteca, Instituição, Escolas, entre outros locais. Ano passado fiz isso e tenho certeza de que vai transformar a vida de muitos leitores. Assim espero! Outra opção nessa parte é doar para amigos, que amam leitura. Isso se chama amizade verdadeira hahaha.

3. Esquecer por aí
Observação da Pequena: Gente! Uma das coisas que mais me deixa feliz é esquecer um livro em qualquer lugar com um bilhetinho. :) Juro. Claro que nessa quarentena não rola, mas quando tudo acabar, vou deixar até mais de dois livros por dia em cada canto que eu passar. Não custa nada e acredito que deixa o dia mais feliz do felizardo que encontrou. Mas a ideia é que esse “esquecido” rode vários lugares. :)

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
** Depois conto sobre essa ação do PJ: #esquecidosdapequena. ;-)

***

É isso, pessoal. Também existem outros destinos e você fica à vontade para fazer a sua escolha.

Ah! Já tentei vender, mas comigo não deu muito certo. Principalmente, por conta do frete. Mas vale a tentativa. ^^ E usar alguns para decorar a prateleira ou o quarto, não tem problema. Vai do gosto de cada um. Afinal, quem não deseja ter uma biblioteca estilo A Bela e a Fera, né? hahaha. :)

Tem outra dica? Acrescenta nos comentários. No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Quero começar a ler… E agora?
Fan Page ♥  Instagram


11

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020