03.02.2021
* Top 5: histórias para rir! ♥

Rir é o melhor remédio. E uma leitura, dependendo da história, faz a gente sorrir de orelha a orelha! Para diminuir o estresse ou sair de uma ressaca literária, nada melhor do que livros leves e que fazem a gente morrer de vergonha de ler na rua de tanto que ri. Então, para o post do dia, separei cinco títulos que tiveram essa função na minha vidinha. Vamos lá? ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Para começar, escolhi um livro de uma das personagens mais cômicas do universo literário: Os delírios de consumo de Becky Bloom, da Sophie Kinsella. A cada história, ela evoluiu, mas a sua essência doidinha do bem, continua intacta. É impossível não rir das trapalhadas dela e esse é um tipo de livro que não posso ler na rua, se não vou passar vergonha hahaha. Brincadeirinha! ;-)

E também temos autoras brasileiras incríveis que deixam a barriga doer de tanto rir. Por exemplo? “Adulta sim, madura nem sempre“, da Camila Fremder. Ela já é maravilhosa no Insta, mas os livros dela são uma injeção para deixar a vida menos pesada, mesmo com as coisas chatas, que qualquer ser humano acaba enfrentando. Tem uma parte que as mamães se identificam mais, porém, quem ainda não é mãe, se diverte também.

E um livro que deu um up na minha relação com a vida amorosa e me ajudou a entender melhor como lidar foi “Freud, me tira dessa“, da Laura Conrado. É impossível não se identificar com a Cat! O mais legal é que a gente chora de tanto gargalhar, mas também aprende um monte de lições valiosas.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Voltando aos autores gringos: A lista que mudou minha vida, da Olivia Beirne, é um exemplo nítido de chick-lit, que te faz sorrir, gargalhar e querer ser a melhor amiga da protagonista. Tem a parte série, mas o livro é repleto de capítulos divertidos e bem gente como a gente.

Por fim, mas não menos importante, temos a rainha do romance de época… Julia Quinn, com “Como agarrar uma herdeira“. Todas as histórias dela tem uma pitada de comédia. Mas esse é o mais divertido, juro!! E um dos meus preferidos. Não queria largar esse livro e contém páginas que deixam a vida do leitor mais engraçadinha e feliz. ^^

Agora me contem: o último livro que te fez rir muito? Ah! Todos esses que citei, vocês encontram a resenha clicando no nome de cada um. No mais, podem opinar à vontade. E essa semana, vou colocar em dia as visitas pela blogosfera, ok?

Beijos, Carol.

Post Antigo: Livros que adoçam a vida!
Fan Page ♥ Instagram  


2
28.01.2021
* Abandonar a leitura: sim ou não? ♥

Ei, Gente! :)

Esse é um dilema mega presente na vida de leitores. Aliás, que atire um marcador de livro, quem nunca passou por isso. Seja você bookaholic ou no início da sua carreira como leitor. Abandonar ou não a leitura… Eis a questão! Hahaha.

Não há uma única e exclusiva resposta. Tudo vai depender de cada situação, sabe? Mas queria compartilhar dois momentos da minha vidinha.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

A maioria deve saber do meu amor pelo livro “Menina de 20“, da Sophie Kinsella. Em contrapartida, pasmem: ele não me conquistou de primeira. A história só começou a fluir do jeitinho que eu gosto do meio para o final… Surreal, né? Acho que quase ninguém imagina isso! Existem livros que não se encaixam naquele doce amor à primeira vista. Mas isso não significa que você tenha de abandonar de cara! Deixar a leitura para lá, pode fazer com que você perca histórias incríveis e que marcam a gente para sempre.

Então, por conta dessa experiência, acho que desistir logo nos primeiros desafios, pode fazer com que você perca bons momentos literários. Em contrapartida, insistir naquilo que realmente não está rolando naquele momento, pode fazer com que a leitura vire obrigação chata e o prazer de ler vá por água abaixo.

Crédito da Imagem: Amazon

Ano passado eu tentei ler “Dedique-se de coração“, a história da Starbucks, uma marca que eu amo. Sabia que fugia do estilo de livros que estou acostumada, mas eu queria conhecer e matar todas as minhas curiosidades sobre. Nas primeiras partes, fiquei mega feliz e animada. Mas a partir do momento que eles começaram a colocar finanças no meio, o desânimo tomou total conta. Ou seja, tudo parou! Fiquei 1 mês quase sem completar nenhuma leitura.

Nesse caso, cheguei à conclusão, de que era melhor deixar para lá. Pelo menos, por agora. Afinal, tava me atrapalhando mais do que enriquecendo meu lado leitora.

Crédito da Imagem: Amazon

Então, se esse dilema está tomando conta do seu dia a dia, veja a razão por trás e se tá valendo a pena a insistência. E qual é a situação? Seja sincero e pronto! Talvez, seja uma leitura para um outro momento ou simplesmente não seja para você. E, ok, sabe? Não tem problema! Há tantos livros incríveis por aí. Dê uma chance ou uma nova chance. Se é que me entendem. ;-)

***

E aí? Me conta sua opinião, que eu vou adorar saber! Tem alguma dica para resolver essa questão? Compartilha.

Ah! O livro da primeira foto eu não abandonei, mas apesar de amar o filme, às vezes, tenho a sensação de que posso querer abandonar. Mas vou tentar não pensar nisso e me arriscar. Não posso desistir antes de começar, né? hahaha

E, gente, vale lembrar que tudo depende da situação. O foco desse post é mais para aquelas leituras por livre escolha, ok?

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Coisas que me fazem feliz
Fan Page ♥ Instagram


4
13.01.2021
* Teorias Literárias: Eu escolho o livro ou ele me escolhe? ♥

Ei, Gente! :) Eu tenho uma teoria: o livro que me escolhe e não o contrário. Claro, que eu gosto de estipular mais ou menos qual quero embarcar e tal. Em contrapartida, acredito que exista o livro certo no momento certo e a leitura que não caiu como uma luva hahaha. Muito confuso? Vamos lá, que eu explico!

Era um domingo e eu não tinha nada em mãos para ler. Daí, fui dar uma olhadinha na minha estante de não lidos e lá estava ele: O melhor lugar do mundo é aqui. Lembro que esse livro eu tinha comprado há um tempinho e acabou caindo no esquecimento. Mas nesse dia, ele simplesmente me olhou e falou “leia-me” hahaha. Brincadeirinha, porém, foi mais ou menos essa sensação.

Não deu outra. Devorei a história em um dia e ainda consegui fazer com que a minha mãe e outras amigas embarcassem na mesma. O livro rodou muito e nem tenho mais na minha estante! Acho que era meio que a minha missão ler, mexer comigo e querer espalhar essa leitura por aí!

Crédito da Imagem: Amazon

Talvez, se eu tivesse lido naquele instante que comprei, o impacto não tivesse sido grandioso! Mas em qual ponto eu quero chegar? Simples, não acho que a gente tenha de comprar por impulso todos os livros que desejamos (eu queria, mas a conta chega hahaha). Porém, se aquele título você comprou e só leu depois de alguns meses ou anos, acredite: ele não está ali por acaso.

Sim, a gente escolhe qual comprar e tal. Mas saiba que o livro também tem esse poder, dentre tantos outros. Ele sabe escolher direitinho o seu leitor! Embarcar em uma história tem o momento certo. Acredite! Óbvio que têm escolhas que poderiam ter sido feitas em outra época. Entretanto, na maioria das vezes, juro que essa teoria funciona. ;-)

Enfim, teorias literárias da Pequena Jornalista que vos bloga hahaha. Mas já li muitos livros depois de décadas na minha pilha de não lidos. Já li com outros olhos em uma outra fase que calhou melhor do que na anterior. E alguns que não eram para mim mesmo e serviu para eu chegar a essa conclusão e até doar para outras pessoas.

Eu e alguns livros que comprei e ainda não li. =D
Dois eu li e amei, um abandonei e o outro tá lá na pilha para ler.

E agora me contem: teve algum livro que você falou “ele me escolheu, meu Deus”? Ou eu tô sozinha nessa? hahaha ;-) No mais, podem opinar à vontade. ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Por que eu leio chick-lit?
Fan Page ♥ Instagram 


4
10.12.2020
* Marcadores de lojas! ♥

Ei, Gente! :) Eu amo receber mimos e quando eu compro algo e vem um, fico tão feliz. E quando é marcador de livro, melhor ainda. Muitas lojinhas online que eu comprei, enviaram junto esse item indispensável para qualquer leitor. Então, decidi mostrar quatro que eu morro de peninha de usar e se eu uso é com todo o cuidado do mundo. Vamos lá? ♥

Crédito das Imagens e Montagem: Pequena Jornalista

Para começar, tem esse da Meg & Meg, com uma estampa meio animal print e um fundo rosinha. Já usei algumas vezes e morro de medo de amassar hahaha! Mas valeu bem a pena e, atualmente, ele está decorando a minha estante de livros.

O segundo é o da Banca do Bem, que veio com o planner “Desenhe seu amanhã”, que recebi deles ano passado. Tem um ar bem artesanal e confesso que não tive coragem de usar. É um dos meus favoritos! ♥

Crédito das Imagens e Montagem: Pequena Jornalista

Marcador com frases e ilustrações lindas também são bem-vindas nessa mini coleção. Eu achei lindo esse da loja Adoro ETC e a versão é meio mini, se compararmos com os outros. E a frase que aparece é “O melhor está por vir“. E com uma oncinha estampada!

Por fim, mas não menos importante: a Bee Mine sempre envia cada um mais lindo do que o outro e tá mudando constantemente. Esse do doguinho é a coisa mais fofa. E a frase bem motivacional: Your direction is more important than your speed (Sua direção é mais importante do que a sua velocidade, algo assim a tradução).

Esses dois últimos, ainda não usei. Mas vou usar em breve e com um cuidado daqueles! Sei lá, deixa a leitura melhor, né? ♥

***

É isso, pessoal. E vocês? Gostam desse tipo de mimo? Me contem sobre um marcador que amam. :) No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: Marcadores da Bienal do Livro
Fan Page ♥ Instagram 


7
08.12.2020
* 5 autoras que eu conheci esse ano! ♥

Ei, Gente! :) 2020 foi um ano que conheci novas autoras, que escreveram livros que me surpreenderam. Algumas, eu já tinha escutado falar. Outras, ainda não. Mas todas entraram na minha listinha de quero ler mais e mais. Então, vamos conhecer também? ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Para começar: Maria Ferreira, do Impressões de Maria, que escreveu um dos contos do livro nacional “Vozes Negras“. Amei a escrita de todas, mas a dela foi uma das que mais chamou a minha atenção, pela leveza das palavras. Quero ler outras histórias criadas por ela, sem dúvida.

Outra autora brasileira, que inclusive foi parceira do PJ esse ano, é a Gleice Couto. Li “Off-line” no comecinho de 2020 e mal sabia que seria mega útil para esse ano todo e para a vida mesmo. Escrita leve e que prende do início ao fim! Temas importantíssimos e que fazem a gente se identificar, como ansiedade e tal. Louca para embarcar em “Pra sempre Natal”.

E tem a Leila Rego também! Através da Fernanda França, consegui finalmente embarcar em algumas histórias. Foram dois contos: “O outro lado da muralha” e “Um filme de nós dois“. A escrita segue bem o estilo que eu gosto e flui que é uma beleza! Quero ler os outros livros de chick-lit dela, que acho que vou amar ainda mais.

Crédito das Imagens: Insta de cada autora
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

E agora duas autoras gringas: a Reshma Saujani, que escreveu “Corajosa sim, perfeita não“. Foi a primeira leitura desse ano e sério como ajudou no meu perfeccionismo, gente! Quero ler até a lista de mercado dela hahaha. Plantou várias sementinhas esse livro e, aos poucos, estou conseguindo colocar na prática.

Por fim, mas não menos importante, temos a Olivia Beirne. Ela escreveu “A lista que mudou minha vida” e entrou para a minha listinha de favoritos desse ano. É um chick-lit que mostra como sair da zona de conforto de forma divertida e leve! Acho que ela tem um outro também, mas não sei se ainda tem aqui no Brasil. Traz também, Faro Editorial. Por favorzinho! ♥

Crédito das Imagens: Insta de cada autora
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

É isso, gente! Já conheciam? No mais, podem opinar à vontade. :) E me contem uma autora que conheceram esse ano e querem ler tudo que ela escreve. ^^

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Autora Leila Rego
Fan Page ♥ Instagram 


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021