07.06.2017
* PJ Entrevista: Patricia Leda, do Sublinhando! ♥

Hoje é um dia daqueles que dá orgulhinho, gente!  Entrevistei para o PJ, a Paty, dona do Instagram Sublinhando! Quem me segue por lá, sabe que sou fã das ilustrações dela e tenho vontade de compartilhar tudinho. Ela traduz em “traços” muita coisa que penso! Também é apaixonada por livros, papelarias, séries, coisas fofas e arrasa nos Insta Stories. Daí, quando ela topou responder algumas perguntinhas para o blog, fiquei bem feliz. Então, com vocês: um pouco sobre o Sublinhando e quem está por trás dele. Espero que gostem. Nem preciso falar que eu amei, né? ;-)

PJ Entrevista - Sublinhando - 1PJ Entrevista: Patricia Leda, do Sublinhando! 

1. O que te levou a fazer ilustrações tão fofas? Aliás, conte um pouco sobre a sua trajetória.
R: Acho que sempre gostei de coisas fofinhas, e como eu tento passar um pouco de tudo que eu gosto nas minhas ilustrações, elas acabam saindo fofas hahaha. Sobre a minha trajetória: me formei em publicidade, trabalhei em agência na área de criação, e criei o Sublinhando quando ainda estava na faculdade. Ele surgiu porque tenho essa mania de não conseguir ficar parada, na época eu fazia faculdade (como já falei) e trabalhava também. Mas tinha um tempinho livre que queria que fosse um horário do meu dia mais produtivo, aí tive a ideia de criar o Sublinhando. Na época (e até hoje), me encantava muito por tipografia, lettering, sem nem saber direito o que era e qual a diferença entre eles. Gostava muito de ler também e resolvi unir esses dois mundos, assim surgiu o Sublinhando (: Ele existe desde 2013 (dá pra acreditar?) e hoje acredito que meu processo tanto de criação quanto de ilustração mudaram muito.

2. Alguma curiosidade do Sublinhando?
R: Se tivesse alguma curiosidade legal pra contar eu revelaria aqui, mas não tenho nenhum segredo cabuloso hahaha. Mas tem uma coisa legal, que não é curiosidade e sim uma novidade, posso adiantar que vem aí uma parceria muito incrível de produtinhos MUITO legais. Acho que quem acompanha o Sublinhando vai pirar hahaha!

PJ Entrevista - Sublinhando - 7

3. Por que “Sublinhando”?
R: Porque eu tentei outros mil nomes e todos já existiam no Instagram kkk. Esse foi um dos motivos, mas rolou um brainstorm infinito até chegar em Sublinhando! Tentei de tudo: entre linhas, sobre livros, leitura… Nomes que hoje vejo e percebo que Sublinhando tem muito mais personalidade! (: E a ideia por trás do nome, é exatamente o que é o sublinhando, eu sublinho trechos de livro e transformo eles em imagens.

4. Agora seus seguidores contam também com um novo estilo de ilustração. Tem algum motivo especial para ter mudado?
R: Acho que mudanças são sempre bem-vindas, já tinha um tempo que eu vinha enjoando do meu estilo de ilustração e queria algo que combinasse e passasse mais do que eu sou hoje. Eu estou amando essas novas ilustras, acho que me encontrei nelas. (:

PJ Entrevista - Sublinhando - 6

5. Qual conselho daria para quem quer se aventurar nesse meio?
R: Comece! Apenas isso, dê o primeiro passo. Eu já adiei muita coisa na vida e percebi que as coisas dão certo quando a gente vai lá e faz! Basta a gente acreditar e colocar nossa energia naquilo. Nada de ficar enrolando e esperando o momento perfeito pra fazer. Se você quer criar um Instagram voltado só pra sua arte, ou se você quer começar a desenhar… O segredo é não ter medo e fazer! No começo, eu tinha muito medo de pegar no lápis, queria que meus desenhos saíssem perfeitos logos no primeiro rascunho. Mas descobri que a borracha é minha melhor amiga, você pode apagar mil vezes, recomeçar. O que não pode é ter medo de errar! Foi nessas, que achei meu estilo próprio de ilustração, onde eu começava no papel, digitalizava e ajustava o que não gostava e aprimorava o desenho tudo no computador. (:

6. Como leitora: escolha três livros que salvaria de um incêndio na sua biblioteca?
R: Hahaha! Que pergunta do mal, mas vamos lá, salvaria: O Diário de Suzana para Nicolas (James Patterson), Girlboss (Sophia Amoruso) e Prometo Falhar (Pedro Chagas Freitas).

PJ Entrevista - Sublinhando - 4

 7. Manias inusitadas que não te largam (como leitora e artista)? 
R: Como leitora: sempre que leio tem um lápis ali comigo, sou dessas que rabiscam o livro todo. E como artista: não sei se tenho alguma. :P

8. Livro que está lendo agora? 
R: Um Menino em Um Milhão (Monica Wood).

PJ Entrevista - Sublinhando - 5

9. Arte que está criando agora? 
R: No momento, estou editando vídeo para o canal do Sublinhando hahaha! As artes dessa semana já estão todas feitinhas *orgulho* (primeira vez que consigo me planejar tão bem).

10. Vejo que você vai muito em papelaria. Tem como indicar as suas papelarias preferidas de SP? :)
R: Vou MUITO! Eu amo as do bairro Liberdade, porque meu foco com papelaria são coisas fofas e diferentes. Não sou muito fascinada em material artístico (só tenho um amor de outro mundo por copics), então as que tem lá que eu conheço e vou sempre são: a Lucky Cat, a Haikai (que tem copic <3) e a Fancy Goods. E acho que são essas! Eu gosto de navegar em lojas online de papelaria, que geralmente tem produtinho artesanal ou importado que você não encontra em loja física. Eu AMO de paixão os produtinhos da @cataventorj.

***

Tem como não amar essa entrevista, gente? Muito obrigada, Paty (a íntima hahaha)! Pela atenção e por me inspirar (e acredito que muita gente também) tanto com a sua arte. Continue com esse trabalho lindo and fofo. Ah! Quer conhecer mais o Sublinhando? Segue aqui, aqui e aqui. E essa semana, a artista divulgou o seu (novo) canal do Youtube: aqui ó! ;-) E, por fim, mais uma ilustra que eu amo e mega me identifico hahaha.

PJ Entrevista - Sublinhando - 2Crédito das imagens: Instagram Sublinhando! 

E podem opinar à vontade. Se já conheciam o trabalho dela e tal. ;-)

Beijos, Carol.

Entrevista: Ilustradora Beatriz França 

Fan Page ♥  Instagram


6
23.05.2017
* Radar PJ: Mais livros para a nossa listinha! ♥

Ei, Gente! Coração de leitor é que nem coração de mãe, né? Sempre cabe mais um livro! Pensando nisso, separei três histórias para a gente acrescentar na pilha “não lidos”. A maioria é chick-lit, mas também tem um romance! Aliás, um deles já lançou tem um tempinho, mas tem capa nova (versão filme). Enfim, peguem caneta, papel e bom post. ;-)

Radar PJCrédito das Imagens: Saraiva e Arqueiro 
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. Na minha onda (Laura Conrado – Editora Globo Alt)
Sinopse: Vitória é uma cantora talentosa que esteve no topo do sucesso há cinco anos. Mas agora ela está arrasada: ficou desempregada, voltou a morar com os pais e ainda tem que aceitar o triunfo de Carol Laine, sua amiga de infância e antiga companheira musical, que seguiu em carreira solo e está se tornando uma das mais comentadas artistas da Bahia. Porém, mesmo Vitória tentando se esconder a todo custo, Carol Laine a procura com um convite: ela quer que as duas voltem a trabalhar juntas e que ela participe de um reality show sobre sua vida. Isso significa, também, estar mais próxima de Lucas, o primo e assessor de Carol, por quem Vitória mantém uma paixão secreta há anos. Mesmo parecendo uma proposta irrecusável, é difícil engolir a mágoa, ficar à sombra de Carol Laine e ainda encarar os reveses da fama. Em meio a tantos sentimentos conflitantes, Vitória terá que pensar se vale a pena voltar a esse mundo, onde o ego das pessoas parece controlar tudo.
Observação da Pequena: Amei essa capa e estou ansiosa para ler mais uma história da Laura. Ah! A gente encontra nas livrarias no início de junho, mas já está na pré-venda. ;-)

2. Minha vida não tão perfeita (Sophie Kinsella – Grupo Editorial Record) 
Sinopse: Cat Brenner tem uma vida perfeita: mora num flat em Londres, tem um emprego glamoroso e um perfil supercool no Instagram. Ah, ok… Não é bem assim… Seu flat tem um quarto minúsculo, seu trabalho numa agência de publicidade é burocrático e chato, e a vida que compartilha no Instagram não reflete exatamente a realidade. E seu nome verdadeiro nem é Cat, é Katie. Mas um dia seus sonhos se tornarão realidade. Bom, é nisso que ela acredita até que, de repente, sua vida (não tão) perfeita desmorona. Demeter, sua chefe bem-sucedida, a demite. Tudo o que Katie sempre sonhou vai por água abaixo, e ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset. Em sua cidadezinha natal, ela decide ajudar o pai e a madrasta com a nova empreitada do casal: os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo e estão muito empolgados com o novo negócio, mas não sabem muito bem por onde começar. E não é justamente lá que o destino coloca Katie e sua ex-chefe cara a cara de novo? Demeter e a família vão passar as férias no glamping, e Katie tem a chance de, enfim, colocar aquela megera no seu devido lugar. Mas será que ela deve mesmo se vingar da mulher que arruinou sua vida? Ou apenas tentar recuperar seu emprego? Demeter – a executiva que tem tudo a seus pés – possui mesmo uma vida perfeita ou, quem sabe, as duas têm mais em comum do que imaginam? Porque, pensando bem, o que há de errado em ter uma vida (não tão) perfeita?
Observação da Pequena: É da Sophie Kinsella (a minha autora gringa preferida)? Eu já estou lendo! Amo todas as suas histórias e nem acreditei quando vi que finalmente a editora Record ia lançar esse livro!!  Se eu não me engano, a gente encontra nas livrarias a partir do dia 31 de maio. ;-)

3. Tudo e todas as coisas (Nicola Yoon – Editora Arqueiro) 
Sinopse: “A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto! Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.”
Observação da Pequena: A história já é conhecida, mas a Arqueiro lançou a capa “versão filme” e com fotos da produção cinematográfica. A propósito, podemos assistir nas telonas a partir de junho).  ;-)

***

É isso, gente! Podem opinar à vontade. 

Beijos, Carol

Fan Page ♥  Instagram


4
17.05.2017
* Julgando (três) livros pela capa! ♥

Ei, Gente! Não me julguem, mas selecionei três livros para o post de hoje que acabaram chamando a minha atenção pela capa Sei que não é o mais certo, mas sou tão apaixonada por capas, que não teve jeito hahaha. Elas estão aqui pela simplicidade e detalhes fofos, que, na minha humilde opinião, fazem toda a diferença. Ah! Tem a sinopse de cada livro. Bom post! ;-)

Capas - PJCrédito das imagens: Saraiva (1 e 2) e Cantinho da Leitura (3)
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. Antes de partir (Collen Oakley – Bertrand Brasil)
Sinopse: Um romance emocionante sobre vida, morte e amor feito tanto para os leitores que gostam de rir quanto para os que preferem chorar. Na véspera do que esperava ser uma triunfante comemoração de três anos livre do câncer, Daisy, 27 anos, sofre um golpe devastador: seu médico lhe diz que a doença está de volta, desta vez ainda mais agressiva. Tendo apenas de quatro a seis meses de vida, ela está apavorada com o que será de seu marido, Jack, quando não estiver mais lá para cuidar dele. Esse medo tira seu sono, até que uma solução lhe vem à mente: ela precisa encontrar outra mulher para ele. Com uma determinação singular, Daisy visita parques, cafeterias e sites de relacionamento à procura do par perfeito para Jack. Mas, à medida que ela avança em sua busca, ela se vê forçada a decidir o que é mais importante no curto tempo que lhe resta: a felicidade de seu marido ou a sua própria?
Observação da Pequena: Acredito que a história seja bem triste, mas a capa trouxe leveza. Bom, pelo menos foi a minha primeira impressão. Acho que esse livro vou deixar um pouco mais para frente, por motivos de “acho que vou chorar muito” ;p!

2. Depois de você (Jojo Moyes – Intrínseca) 
Sinopse: Quando uma história termina, outra tem que começar. Lou está morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, ela cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la. Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.
Observação da Pequena: A capa chama a atenção pela simplicidade. Aquela velha história: não precisa de muito para dizer tudo, sabem? Amei e, em breve, vou embarcar. Mas primeiro preciso ler “Como eu era antes de você”. Ai, God. A lista de livros só aumenta hahaha.

3. A pequena livraria dos corações solitários (Annie Darling – Verus Editora) 
Sinopse: Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar.
Observação da Pequena: Como não amar essa capa, gente? Os detalhes, as fofurices… E a história tem cara de ser bem amor! Está na minha listinha de próximos de junho. 

***

É isso, gente! Assim que eu ler, posto a resenha aqui no blog. E juro (juradinho) que a capa não vai interferir na minha opinião hahaha! Agora contem: atualmente, quais são as três capas preferidas de vocês? 

Beijos, Carol.

Fan Page ♥  Instagram


2
29.04.2017
* {Beda 29} – PJ Entrevista: Escritora Gabi Freitas! ♥

Ei, Gente! Quem topou responder algumas perguntinhas para o PJ foi a escritora Gabriela Freitas, que acabou de lançar o livro “O Verão em que tudo mudou” (junto com Vinícius Grossos e Thaís Wandrofski), publicado pela Faro Editorial. Conheci a Gabi através do blog dela, o “Nova Perspectiva” e, desde então, virei fã. Os textos dela são incríveis e quando soube que ela ia lançar um livro, mandei mensagem e na hora topou. Enquanto não tem resenha, tem a entrevista. Espero que gostem. Eu adorei!

17796867_1170457706413871_7242251217828827751_nCrédito da Imagem: Peguei no Insta da Gabi
PJ Entrevista: Gabriela Freitas (ela é a do meio) 

1. Uma curiosidade sobre o livro “O verão em que tudo mudou” que quase ninguém sabe?
R:
Vou contar duas, pode? hahaha! O livro começou a ser escrito praticamente depois do verão acabar. E nós três mal nos conhecíamos! Acho que a amizade que nasceu entre nós foi a maior surpresa que o “OVEQTM” nos proporcionou enquanto estávamos escrevendo. É engraçado porque eu, o Vi e a Thaís somos bem diferentes, mas a gente tem uma sintonia que é coisa de outro mundo (sério!).

2. Tem alguma mania peculiar na hora de escrever? 
R: Eu escrevo lendo em voz alta, preciso ouvir o que to criando para ter certeza que faz sentido. Isso não é tão peculiar, exceto quando a ideia surge e eu to na rua.

3. O que te inspira nesse processo de escrita?
R: O amor. Eu escrevo do jeito que eu sinto, mesmo não tendo vivido aquilo que tá escrito.

4. Você sempre quis ser escritora? Conte um pouco da sua trajetória, desde o seu blog, até o livro e seus planos daqui para frente.
R: Sim! Desde pequena meu sonho sempre foi produzir romances. Eu amava as aulas de redação, de literatura e história exatamente por isso. Com o tempo, comecei a escrever sobre o meu dia a dia, as coisas que eu sentia, vivia, e fui tendo retorno. Criei o blog aos 15 anos, nesse época eu ainda escrevia sobre coisas que eu sentia, mas fui aprendendo a brincar com as palavras, fui descobrindo como viver, por meio delas, histórias que nunca foram minhas. Hoje eu não me vejo mais sem fazer isso! Tanto que já estou trabalhando no próximo livro e tenho vários planos nessa linho pro futuro.

5. Três livros que salvaria de um incêndio da sua biblioteca? (Não pode ser o seu hahaha)
R: AAAAH, droga hahaha! Com certeza eu salvaria o “Pequeno príncipe“, que é meu livro favorito da vida! Depois o “Um dia“, o meu romance preferido. E ficaria entre “Por lugares incríveis” e “Extraordinário“.

PJ Entrevista - O Verão em que tudo mudouO livro: O Verão Em Que Tudo Mudou fala sobre quebrar um pouco do comodismo que estamos acostumados e começarmos a ir atrás daquilo que queremos, seja sobre nós, seja sobre a nossa vida. São três histórias que se cruzam em função da amizade entre as personagens, mas que, ao mesmo tempo, andam de forma independente. Cada uma tem uma mensagem especial e com certeza dão uma chacoalhada no leitor.
(Crédito da Imagem: Saraiva)

***

Toda sorte do mundo, Gabi. Você merece! Muito obrigada pela entrevista, viu? Mais histórias para você e para os seus leitores (e futuros).  Ainda não li, mas assim que eu ler, posto a resenha aqui, gente! Ah! Quem quiser comprar o livro é só clicar aqui (ou em qualquer livraria do Brasil). Quer saber um pouco mais sobre a Gabi? Segue ela lá no Insta!

Quem já conhecia a Gabi? Conte aqui! Ah! Podem opinar sobre o post à vontade. ;-)

Beijos, Carol.

Para relembrar: Entrevista com Vinícius Grossos!

Fan Page ♥  Instagram 


3
09.04.2017
* {Beda 9} – PJ Entrevista: escritora Clara Savelli! ♥

Ei, Gente! E a primeira entrevista com escritores do ano está no ar! \o/ Dessa vez, entrevistei a Clara Savelli, autora do livro “Mocassins e All Stars” (entre outras histórias), vencedora de prêmios relacionados à Literatura, como Paulo Britto de Literatura de 2011 na categoria Prosa. Ela é tipo mil e uma utilidades: escritora, colunista, redatora, bacharel em Relações Internacional and advogada. Ufa! Espero que gostem. Conta aí, Clara! ;-)

Clara Savelli - PJ EntrevistaPJ Entrevista: Clara Savelli 

1. As histórias que você escreve têm um pouco a ver com algum capítulo da sua vida ou tudo é fruto só da sua imaginação?
R: Olha, é um pouco dos dois. Não tem nenhuma relação direta entre o que eu escrevo e o que acontece na minha vida mas acho que, indiretamente, é possível traçar um paralelo. Eu sou inspirada por pequenas coisas do cotidiano – mas não necessariamente coisas da minha vida. Sou inspirada por aquilo que ouvi na fila do supermercado, por uma frase incrível de uma música, por uma história que uma amiga contou… Escritor é um bichinho especial: ele está sempre pensando o que você diz ou faz que pode estar em um livro!

2. Conte um pouco sobre a sua trajetória literária.
R: Eu escrevo desde que me lembro por gente, mas comecei a fazer isso “para valer” quando eu tinha 16 anos. Foi quando eu comecei a escrever Mocassins e All Stars no falecido Orkut. A comunidade do livro cresceu muito além do que eu esperava e, no final das contas, acabei sendo chamada por uma editora bem pequena para publicá-lo em versão física. Depois de alguns anos de enrolação, a primeira edição de Mocassins e All Stars saiu em 2014. A segunda edição saiu em 2015, por outra editora. Nesse meio do caminho o Orkut morreu e eu fiquei órfã de lugar para escrever. Sou muito motivada pelas postagens online e acho que a troca que esse tipo de escrita possibilita entre autor/leitor me faz ser uma escritora melhor. Por isso, quando descobri o Wattpad, me apaixonei perdidamente! Estou lá até hoje. Tenho dois livros concluídos na plataforma (Acampamento de Inverno para Músicos nem tão Talentosos e Tiete!), três contos concluídos (25 de Dezembro, Reencontros, Trufas e Anjos e Gato Preto) e um livro em andamento (Chinelo e Salto Alto). Somando todas as obras já tenho perto de 3 milhões de leituras na plataforma. Em março a editora Abril lançou um livro que tem um conto meu e conta apenas com “escritores-fenômenos” (eles que chamaram assim, rs) do Wattpad. Ele se chama Mundos Paralelos e está à venda nas melhores livrarias e nas bancas de jornal.

3. Se pudesse dar uma dica de ouro para quem deseja fazer parte desse mundo dos livros, qual seria?
R: Não desista! Nem sempre é fácil, nem sempre é divertido e nem sempre é legal! Qualquer carreira artística é muito complicada e a de escritor não é nada diferente. Vão existir aqueles dias que você vai querer jogar tudo para o alto e se esconder em uma caverna. Eu demorei muito tempo para entender que tudo bem. Isso faz parte do processo de escrita e, acima disso, do processo da vida. O importante é que você sempre tenha claro na sua cabeça: eu amo escrever? É isso que eu quero fazer pelo resto da minha vida? Se sim, dê tempo para você mesmo e continue seguindo em frente. O caminho é cheio de pedras, mas sigamos com esperança. Não desista!

4. Qual é a parte mais doce e amarga de fazer parte desse mundo literário?
R: Na minha concepção, a parte mais gostosa é poder conversar e conhecer meus leitores. No final das contas, eles são a base de tudo e o motivo pelo qual eu escrevo. Sem eles, não sou nada! Como eu disse, a troca que escrever online possibilita é simplesmente incrível. Sem falar que toda vez que eu encontro algum leitor ao vivo tenho vontade de chorar! Obrigada por existirem! A parte mais difícil é o mercado ainda ser tão difícil e fechado aos autores nacionais, de ficção adolescente e comercial. O que eu vejo é que houve uma grande evolução nos últimos anos, especialmente por conta do advento da internet e das mídias relacionadas ao livro (como o próprio Wattpad e a Amazon). Por isso, tenho certeza que vamos evoluir cada vez mais e que o mercado brasileiro ainda vai abraçar muito os autores nacionais! :D

5. Se pudesse salvar três livros de um incêndio, quais escolheria? (não pode escolher os seus hahaha)
R: Ai, meu coração! Provável que eu esquecesse todo o resto e corresse do incêndio com uma mochila cheia de livros, hahaha!
Eu salvaria Diário da Princesa, da Meg Cabot (o um né, porque são 11. Bem que eu queria salvar todos os livros dessa autora maravilhosa!), Três Metros Acima do Céu, do Federico Moccia e Os Treze Porquês, de Jay Asher.

Pergunta Bônus: Quais são as suas manias peculiares como escritora?
R:
 Para todo livro que escrevo, crio uma playlist temática no Spotify ou no Youtube. Nem sempre ouço as músicas enquanto escrevo, mas às vezes sim. Quando estou bloqueada, costumo me afastar do arquivo e ir ouvir essas músicas em outro lugar, carregando um bloquinho. É quase certo que vou desenferrujar, hahaha!

PJ Entrevista - Obras ClaraLivros da Clara (alguns)!
(Chinelo e Salto Alto ainda está em andamento.
Toda 3ª feira tem um pouco mais dessa história no Wattpad ^^)

***

Adorei, Clara. Muito obrigada! Essas entrevistas sempre me dão um empurrão para eu seguir o meu sonho de escrever e a sua não foi diferente. Sucesso sempre e continue essa pessoa mega fofa. E quem quiser saber mais sobre ela (e quiser mais informações sobre os livros e tal) é só clicar aqui, aqui e aqui. Ah! Ela também tem uma coluna no blog Psicose da Nina (outra blogger mega fofa).

E vocês? Gostaram? Já conheciam a Clara? Podem opinar à vontade! E se quiserem ver algum autor aqui no blog, podem enviar sugestões, ok? ;-)

Beijos, Carol

Crédito das Imagens: Clara Savelli 
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

Fan Page ♥ Instagram


4

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017