02.12.2017
* Top 5: Babi Dewet! ♥

Ei, Gente! Semana passada, eu participei de um workshop de escrita, organizado pela Agência 7, aqui no Rio de Janeiro. Uma das palestras foi dada pela autora nacional Babi Dewet, que já conhecia por alto, mas tive mais contato dessa vez. E sério: que pessoa querida e fala mega bem! Foi uma das melhores participações e as coisas que ela disse, vou levar para a vida. Então, resolvi fazer um Top 5 com livros dela. Vamos lá? Bom post! 

Top 5 - Babi Dewet - PJTop 5: Babi Dewet 
Crédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista 

1. Turma da Mônica Jovem – Uma viagem inesperada (Editora Nemo)
Sinopse: As personagens da Turma da Mônica Jovem estão reunidas, pela primeira vez, em um livro de contos. Mônica, Magali, Denise e Marina embarcam em aventuras inéditas, cada uma com um destino especial. Mônica parte rumo à Coreia do Sul, em um tour inesquecível, repleta de k-pop, cores e aventuras. Magali tem seus planos virados de cabeça para baixo e acaba em Paraty, onde gastronomia e novas amizades se misturam. Marina desenvolve um novo lado artístico em Londres – com direito a chá, saudades, encontros e desencontros. E Denise, por ter se metido numa encrenca, é mandada de castigo para um acampamento na Serra Catarinense. Prepare as suas malas e acompanhe as garotas em viagens pelo Brasil e pelo mundo, com romances, confusões e aventuras!
Observação da Pequena: Fica a dica: está na minha wishlist de amigo oculto! ;-) Turma da Mônica fez parte da minha infância e eu estou louca para embarcar e viver momentos de nostalgia. A Babi nesse livro escreve com autoras brasileiras incríveis, como a Pam Gonçalves.

2. Sonata em Punk Rock (Editora Gutenberg)
Sinopse: Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos. No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.
Observação da Pequena: Primeiro que a capa é mara, segundo que a história deve ser aquela que você devora em questão de um fim de semana. Entrou para a minha listinha de próximas leituras de 2018!

3. Um ano inesquecível (Editora Gutenberg) 
Sinopse: Um livro que fala sobre doces e sensíveis momentos que passamos na adolescência e que não se apagam da memória tão facilmente. Quatro contos, em quatro estações do ano, sobre jovens que passam por vivências e sentimentos intensos. Paula Pimenta nos leva em uma viagem de inverno. Babi Dewet conta como um outono pode mudar tudo. Bruna Vieira mostra a paixão brotando com a primavera. E Thalita Rebouças narra um intenso amor de verão. Histórias de um ano inesquecível que vão ficar para sempre!
Observação da Pequena: Tenho ele aqui em casa, mas ainda não consegui embarcar. Acho que vai ser tipo um momento nostalgia! E a Babi escrever sobre a minha estação preferida do ano (depois do inverno).

4. K-Pop – Manual de sobrevivência (Editora Gutenberg) 
Sinopse: Um manual que leva o leitor para passear pela história da Coreia do Sul e por sua cultura, indústria de entretenimento, música e paixão. E a intenção da Babi (e outras autoras que participaram também da escrita) é que a gente preste atenção nos detalhes. O K-Pop é feito deles. Cada cor, cada conceito, cada ritmo e expressão significa um mundo de possibilidades. De acordo com elas, o K-Pop mudou a vida delas para melhor. Quem sabe não é exatamente disso que a gente precisa?
Observação da Pequena: Gente, eu escuto muito falar sobre o K-Pop, mas nunca dei muita atenção, questão de gosto mesmo. Mas quem gosto, acho que deve ser uma leitura bem agradável.

5. Sábado à noite (Editora Generale)
Sinopse: Uma história complicada, que fala sobre amor e amizade. Uma história sobre jovens descobrindo qual é o papel deles no mundo. Por exemplo, a Amanda é uma adolescente como tantas outras, e ela não tem culpa de ser popular e a menina mais bonita do colégio. Isso simplesmente aconteceu quando ela cresceu! Já o seu melhor amigo de infância vive se metendo em encrencas com seu grupo bagunceiro e, apesar de serem como irmãos, eles não se falam em público.
Observação da Pequena: Ele é o primeiro de uma trilogia (se eu não me engano). Acho que é o típico livro que eu gosto. Meio teen, mas posso ser a pessoa mais velha do mundo, que ainda vou amar esse gênero. Se alguém souber onde acho no RJ, me avisa? 

***

Prontinho, pessoal. E vocês? Já conheciam a Babi? Já deu para perceber que as histórias dela sempre tem muita música, né? Acho que vou amar embarcar nesses livros!
No mais, podem opinar à vontade. 

Beijos, Carol.

Para ler: Top 5 – Livros de Terror

Fan Page ♥ Instagram 


0
31.10.2017
* Top 5: livros de terror! ♥

Quem me conhece um pouquinho, sabe que meu sobrenome é medo da palavra “terror”. Quando o tema é esse ou qualquer coisa parecida, fujo! Nem passo perto. Mas para não passar em branco o Halloween, pedi indicação de histórias literárias assustadoras para alguns amigos (muito obrigada pela ajuda, gente). Dai, surgiu esse top 5. Espero que gostem (eu não curti hahaha). Vamos lá? Bom post para vocês! ;-)

Post Halloween - PJCrédito das imagens: Saraiva / Crédito da Montagem: Pequena Jornalista 

1. Misery (Stephen King) * Indicação Juju Bittar 
Sinopse: Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain, que descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico, que ela era viciada nesses remédios e perigosamente louca. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado por quem? Annie Wilkes, que além de tudo é uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta nela seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em “Misery – Louca Obsessão”, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.

2. Horror em Amityville (Jay Anson) * Indicação Renata Sodré (que não conseguiu terminar de ler, de tanto medo)
Sinopse: Em 1975, George e Kathleen Lutz resolveram recomeçar a vida em uma nova residência que compraram por uma pechincha. Vinte e oito dias depois, os cinco membros da família fugiram aterrorizados, deixando a maior parte de seus pertences para trás. Estranhos eventos começaram a acontecer, afetando a vida dos Lutz e indicando que uma presença maligna habitava a casa. Embora tenha sido amplamente divulgada pela mídia, em especial nos jornais e nas revistas da época, muitas vezes de maneira sensacionalista, a história da casa nunca havia sido contada com riqueza de detalhes — até Jay Anson decidir reconstruí-la e transformar seu livro de não-ficção em um dos relatos paranormais mais importantes e conhecidos de todos os tempos.

3. As Bruxas Mayfair (Anne Rice) * Indicação Margô Costa 
Sinopse: Espírito que tem como objetivo se fazer carne, sentir, ter vida, através da concentração de partículas transmutadas nas células do filho de Rowan e Michel. Lasher e suas bruxas fizeram um pacto e uma promessa: ele traria todas as riquezas e lhes concederia todos os favores.

4. Drácula (Bram Stoker) * Indicação Ramon Lourenço  
Sinopse: Um livro clássico, que narra o assustador confronto entre o vampiro mais famoso da literatura, apoiado por sua legião crescente de mortos-vivos, e um grupo decidido a aniquilá-lo, liderado por Jonathan e Mina Harker e o médico holandês Van Helsing.

5. O Corvo (Edgar Allan Poe) * Indicação Emily Antonetti 
Sinopse: Escrito originalmente em 1845, o poema “O Corvo”, do escritor norte-americano Edgar Allan Poe.  O escritor Luiz Antonio Aguiar tornou o texto atraente ao público jovem, sem comprometer a deliberação exigida por Poe. Privilegiou os versos que não buscam a métrica e a rima e destacou a condição psicológica e existencial do personagem que recebe a funesta visita do Corvo.

***

É isso, gente! :) Só de ler a sinopse, já não vou dormir direito essa noite hahaha. Eu até tenho uma pequena curiosidade em relação aos livros do Stephen King, mas eu leio a primeira linha da sinopse e desisto na hora. =D Enfim, quem quiser indicar mais livros, fique à vontade! E bom Halloween para todo mundo! *risadinha maléfica*

Beijos, Carol.

Para ler: 5 filmes de arrepiar o cabelo!

Fan Page ♥ Instagram 


0
29.10.2017
* {Blogagem Coletiva} – Dia Nacional do Livro: Campanha Leia.Seja! ♥

Ei, Pessoal. Para quem não sabe, hoje é um dia muito importante para os apaixonados pelo mundinho literário: Dia Nacional do Livro! Daí, o Sindicato Nacional dos Editores de Livros, criou uma campanha mega especial, a Leia.Seja., que tem por objetivo valorizar o livro e seu papel transformador na sociedade. Algumas personalidades, como Washington Olivetto e Baby do Brasil, vestiram sua paixão pelas histórias para contar ao pé da letra como o simples ato de ler, tem o poder de transportar a pessoa para lugares, sentimentos e reflexões sobre a imaginação. Aliás, essa palavrinha consegue estimular a criatividade, inspiração e, claro, o saber. Resumindo: praticar a leitura só traz benefícios. ;-)

IG Washington e Baby - Visconde e EmiliaCrédito da Imagem: Leia.Seja. 

Eu nem preciso falar sobre o meu amor por livros, né? Acho que todo mundo sabe a importância deles na minha vidinha. Me distraem, me ensinam, me emocionam a cada capítulo. Tem aqueles que marcam mais, tem aqueles personagens que eu adoraria ser amiga ou se não tivesse a minha própria identidade, gostaria de pegar um pouco da de tal personagem para mim. Ler é o meu melhor refúgio! Mas de uma forma boa. Ao embarcar em uma história, aprendo muito e consigo encarar a minha realidade de uma forma mais leve.

E, no Brasil, temos tantos autores bons. Para todas as idades! Thalita Rebouças, Paulo Coelho, Fernanda França, Paula Pimenta, Laura Conrado, Mauricio de Souza, Ziraldo, entre tantos outros. Ah! E já que o assunto é esse, deixa eu contar uma história sobre o Monteiro Lobato… Confesso, que não foi o autor que mais marcou a minha infância, porém quando virei adolescente, tive a oportunidade de interpretar uma das personagens mais fofas e incríveis da vida: a boneca Emília. Tagarela como ninguém, me ensinou muito, principalmente no quesito imaginação. Se eu voltasse a atuar, com certeza, gostaria de me teletransportar para o Sítio do Picapau Amarelo novamente. Sem esquecer do pó de pirlimpimpim! ;-)

PJ - Leia.Seja. - EmíliaCrédito da imagem: Pequena Jornalista! 

É isso, pessoal. Feliz dia para todos os amantes dos livros! Sejam nacionais ou não. Incentive a leitura. É um hábito saudável e que contém palavras que podem transformar uma vida. Por isso: Leia e seja! E quem tiver alguma história curiosa no estilo que contei hoje, pode compartilhar nos comentários! 

Beijos, Carol.

*P.S: esse post faz parte de uma blogagem coletiva, organizada pela Editora Arqueiro (parceira do blog). 

Fan Page ♥ Instagram 


2
25.08.2017
* {Beda 25} – PJ Entrevista: Raffa Fustagno! ♥

Ei, Gente! Mais uma vez sumi por aqui, mas tive um pequeno problema com o servidor. Ainda bem, que eles resolveram e estou de volta! :) Daí, para essa sexta-feira, preparei para vocês uma entrevista muito especial e que é uma inspiração nessa blogosfera literária: Raffa Fustagno, dona do blog A menina que comprava livros e autora do “O livro da menina” e “Blogueiras.com“. Espero que gostem! 

Entrevista Raffa Fustagno - PJ - 1PJ Entrevista: Raffa Fustagno 

1. Alguma curiosidade do “O livro da menina” e “Blogueiras.com” que quase ninguém saiba? Aliás, como foi todo o processo? 
R: “O Livro da Menina” e “Blogueiras.com” foram convites incríveis. Um veio da editora e outro de uma amiga linda e talentosa (a Thati Machado!). Minha memória nem sempre é maravilhosa, mas acho que nunca contei que quando recebi o convite do primeiro e a editora sugeriu que tivesse muitas partes interativas, eu que já sou super fã de livros interativos, virei a louca dos livros de preencher. Eu comprei em uma tacada só 8 livros do gênero para pesquisa, em inglês e em português. Eu queria ter ideias, não queria nada de colorir, mas pensei “O que você gostaria de preencher?” e fiz de um modo que eu me divertiria preenchendo! No Blogueiras.com, o processo de pesquisa foi vendo filmes, eu assisti 2 vezes (e nem lembro quantas vezes já tinha visto antes disso…mas muitas!) “E O vento Levou” e “A Rosa Púrpura do Cairo”, pois queria me inspirar ainda mais e o resultado acho que deu certo. Amo esses filmes!

2. Escrever livro ou “blogar” sobre eles? Comente um pouco sobre as dores e delícias de ser blogueira literária e autora!
R: Quando a gente bloga, damos nossa opinião ao resenharmos, e talvez lá no início eu não tivesse tanta noção de como escrever um livro é se doar. Amo blogar, não me vejo sem postar na Menina e alimentar todas as redes sociais possíveis. Mas descobri que ser autora é muito difícil. A gente tem uma vaga noção quando entrevista os autores, porém quando lança seu próprio livro, vê como é complicado ser lido e manter as amizades. Conheci muita gente bacana e vivi momentos maravilhosos, tanto como autora quanto blogueira. Na verdade, mais como blogueira. Afinal, são 7 anos blogando e nem fiz 1 ano de livro lançado ( completo em novembro). Mas os dois meios tem gente que sente inveja, gente que te decepciona. É o ser humano e seu ego incurável agindo em todas as profissões! Infelizmente, a gente tem que matar um leão por dia, não é fácil, Mas quando algo dá certo ou quando uma mensagem fofa de um leitor e/ou seguidor chega para te animar, você esquece de tudo isso.

3. Pergunta difícil: quais são os três livros (não podem ser os que você escreveu rs) que salvaria de um possível incêndio na sua biblioteca?
R: Eu poderia dizer o dos meus autores favoritos, mas esses eu poderia comprar novamente. Então, certamente eu salvaria um livro autografado pelo Mauricio de Sousa (tenho uns 6 rs… Mas ok, escolheria um), o livro “Seis Anos Depois”, que está autografado por Harlan Coben. E aí fica difícil porque eu não sei se escolheria o livro da Anne Rice ou da Jojo Moyes. Mas acho que da Anne, ela é mais difícil de voltar ao Brasil.

Entrevista Raffa Fustagno - PJO livro da Menina! 

4. O blog da Menina completou sete anos. Quais são os ingredientes fundamentais para manter um cantinho tanto tempo na internet?
R: 
Resiliência. Acho que não encontro outra palavra. Antes de publicar os livros, nunca tinha ganho um tostão. Então, o primeiro ponto importante é não esperar que ele faça sucesso logo de cara, que você ganhe como a Kéfera, que a vida seja só seguidores dizendo que te amam. Porque infelizmente a vida tem Hater para caramba! Mas não pode se deixar abalar, blogar é muito de tirar do próprio bolso, é dormir pouco para colocar uma postagem importante no ar, é saber que nem sempre você poderá cobrir eventos porque tem faculdade ou trabalho… Tem outro fator que acho que faz diferença: fazer eventos é um diferencial, você fica mais próximo de quem te lê, você se sente amiga (e vira mesmo!) daquela pessoa que te acompanha online. E é não desistir NUNCA! A vida é feita de mais nãos dos que sim, né?

5. A Raffa leitora e autora tem alguma mania peculiar na hora de ler, escrever e gravar vídeos?
R: Sim! Eu leio em qualquer lugar: no metrô, no elevador, no avião. Só não leio no ônibus porque enjoo. Para escrever eu preciso ouvir música, pode ser antes, parar e escrever, e pode ser depois. Sempre me inspira! Escrevi “O livro da Menina”, ouvindo Guns n´Roses e Shakira, sou eclética. O “Blogueiras.com”, escrevi ouvindo David Bowie. E agora estou escrevendo para um projeto lindo, que assim que puder divulgar vou ficar super feliz! Mas tem sido Alicia Keys, Frank Sinatra e Nirvana. Bem louco  isso né? Em relação aos vídeos, eu mudo o lugar da casa. É o que é mais fácil, pois o tempo é curto. No meu quarto, tem o lugar que fica meu laptop e já tem câmera e tripé ali, então é mais tranquilo. Mas na sala, eu já gravei muitas vezes também o espaço é até maior, porém, meu marido fica jogando e do nada ele dá uns berros e atrapalha meu vídeo… Então ultimamente tenho optado por gravar no quarto mesmo. Não sei se chamaria isso de peculiar hahaha.

***

Tem como não se inspirar? A Raffa é bem pé no chão e eu adoro isso! Além de ser, mega fofa e divertida! Muito obrigada, viu? Mais e mais sucesso! Muitos eventos, livros, filmes e por aí vai. Você merece!!  Quem tiver na Bienal, é só conferir a agenda dela (no final desse post). Vale a pena pedir uma dedicatória, dar um abraço e conversar com ela. E assim que eu ler os dois livros, conto para vocês!!

20543554_1625249107508482_4264071765204403228_oPartiu Bienal? =)

É isso, pessoal. Podem opinar à vontade e não deixem de seguir a Raffa no Insta, na Fan Page e assinar o canal dela também! E quem quiser comprar os livros, é só entrar na lojinha da Menina. =)

Beijos, Carol.

Fan Page ♥ Instagram 


4
03.08.2017
* {Beda 3} – Decor: ideias de cantinho da leitura! ♥

Ler é bom em qualquer lugar. Seja na cama, no Starbucks ou em frente ao lago. Mas se eu tivesse um cantinho especial para isso, não reclamaria. Então, pensando nisso, separei três inspirações para o dia que eu morar sozinha ou dar uma renovada no meu quarto. E acho que pode ajudar quem tiver querendo ideias. Bom post! ;-)

becbab5ff7f9a80984ea73d5365cd82c

Um ar mais “adulto”, mas adoraria embarcar nas histórias nessa poltrona. E vocês?

d92c9a8521b3f8f1020b4962d8aac02f

Essa inspiração é mais fofa e, de quebra, uma mini livraria (digamos assim haha). E essa janela? Fez toda a diferença!

9549dcfc34f3309bb9cd57281de759c7Crédito das imagens: Pinterest! 

Um cantinho de leitura na varanda? Não é uma má ideia! 

***

É isso, gente! Um mini post só para inspirar. Nem que seja um detalhe!
O que acharam? Podem opinar à vontade! ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Decor Home Office!

Fan Page ♥ Instagram 


2

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017