28.05.2019
* PJ Leu: Uma noite com Grace Kelly! ♥

Ei, Gente! :) Algumas histórias a leitura acaba não fluindo tanto e eu acabo demorando mais tempo para publicar resenha sobre aqui no PJ. Mas podem ficar tranquilos, que hoje tem dica literária, que a propósito é: Uma noite com Grace Kelly, escrito pela Lucy Holliday. Vamos lá? Bom post!

IMG_8144Livro: Uma noite com Grace Kelly | Editora: Harper Collins| Autora: Lucy Holliday
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 2,5 livros!

Sinopse:  No terceiro livro da trilogia “Uma noite com…”, Libby finalmente se deu conta de que seu melhor amigo, Olly, é o seu verdadeiro amor. Porém, tudo indica que já é tarde para essa descoberta, já que o dito cujo parece ter partido para outra. Pois é, as coisas na vida dela não são fáceis e todos os setores, desde o amoroso até o profissional, não dão descanso . Mas graças ao sofá mágico, nossa protagonista tem um outro encontro surpreendente: dessa vez, Grace Kelly faz umas visitas com aprendizados que estão longe de ter uma cara de contos de fada, mas, às vezes, o pé no chão é a melhor saída. Será?

Minha opinião: Eu li o 1º e o 2º livro e amei tanto que a minha expectativa para o 3º era bem alta. Porém, não superou muita coisa não, gente! Apesar da Grace Kelly ser uma figura icônica e nessa história trazer aprendizados realistas que fazem a gente crescer, eu achei ela bem blasé e a aparição dela mínima (não conheço muito a história dela, então, não sei se bate ou não com a realidade)! O que era para ser um tchan na história, não rolou muito, sabem? E apesar de ter coisas novas e tal, meio que a leitura não fluiu e eu quase desisti no meio. Mas fui até o fim!

Quanto aos outros personagens: não ri tanto com a Libby dessa vez, entretanto, ainda tenho um carinho por ela! Em contrapartida, Dillon me conquistou nesse livro e adorei as suas participações. Olly continua fofo e Tash uma chata! A irmã e a mãe no mesmo esquema, mas com algumas surpresas boas no 45 do 2º tempo. Sobre o Joel, não posso falar muito, porque corro o risco de dar spoiler. E outros personagens a autora cortou total com eles e eu queria meio que uma reviravolta. Mas claro que não estou aqui só para falar que não gostei e tal. Como contei, quase desisti, mas fui até a última página porque a trilogia me proporcionou muitas risadas e aprendizados que levo até hoje! Então, continuei em forma de agradecimento. E os últimos capítulos até aproveitei mais, principalmente, com o resgaste de algumas personagens que amei conhecer, mesmo que na minha imaginação. Achei meio corrido, mas até que curti. Teve clichê do jeitinho que eu gosto! 

E uma observação que quase nunca falo sobre: a ortografia desse livro, ao menos a edição que eu tinha, tinha muita bola fora. Tipo palavras faltando letras, parágrafos faltando continuação. Claro que todo mundo tem direito ao erro e quem sou eu para julgar, mas isso, dessa vez, me incomodou além da conta. Então, talvez isso não tenha ajudado muito na minha impressão. :(

É isso, pessoal. Apesar dos poréns, acho que a história pode bater de forma diferente em cada leitor, viu? E eu estou mega aberta a debates construtivos! A minha única dica é que não vá com muitas expectativas ao ler Uma noite com Grace Kelly. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Uma noite com Audrey Hepburn

Fan Page ♥  Instagram


0
13.06.2017
* PJ Leu: Uma noite com Marilyn Monroe! ♥

Ei, Gente! E a dica literária da semana é Uma noite com Marilyn Monroe. O livro, que foi publicado pela editora Harper Collins, é o segundo da trilogia “Uma noite com…”, da autora Lucy Holliday. Boa resenha! :)

PJ Leu - Uma noite com Marilyn MonroeLivro: Uma noite com Marilyn Monroe | Editora: Harper Collins | Autora: Lucy Holliday
Crédito da imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Os últimos meses passaram como um furacão pela vida de Libby Lomax. Depois das confusões em que a atriz não tão bem-sucedida se meteu com a ajuda da diva Audrey Hepburn, ela namorou o cara mais gato do planeta, o Dillon O’Hara, e parece ter encontrado uma alternativa profissional melhor que a outra.

Porém, seu otimismo tem prazo de validade. Principalmente, no quesito vida amorosa! Ela logo percebe que ele não é, nem de longe, o namorado perfeito. Daí, é obrigada colocar os pés no chão. Então, mergulha de cabeça em um relacionamento novo e, além disso, está determinada a se dedicar mais a Olly, seu melhor amigo, antes da inauguração do novo restaurante dele.

Apesar das boas intenções, nossa protagonista acaba se distraindo quando um Dillon arrependido volta à cena. Daí, quando outra convidada inesperada – Marilyn Monroe – aparece, ela está disposta a qualquer coisa para fazer tudo voltar ao normal. O problema é que Olly parece ter encontrado outra pessoa para o cargo de “melhor amiga” e, de repente, Libby se vê prestes a perder algo que significa muito.

Agora a pergunta que não quer calar: será que Marilyn pode ser a chave para finalmente colocar a vida de Libby nos eixos? ;-)

Minha opinião: Li algumas resenhas falando que esse livro não era tão legal quanto o primeiro. Daí, fiquei com as expectativas bem baixas. Mas me surpreendi positivamente, gente!  É uma leitura leve e bem divertida. Do jeitinho que eu amo! Claro, achei o primeiro bem melhor, mas acho que isso aconteceu por eu me identificar mais com a Audrey, sabem? Aliás, conheci um lado da Marilyn, que não fazia ideia.

A Libby é uma comédia, gente. O tipo de personagem que eu queria ser amiga! Não acho que ela tenha amadurecido muito não, mas continua com a essência dela intacta. E isso é bem importante também. Torci muito para um carinha. Mesmo com os milhões de defeitos! Acho que quando as pessoas querem mudar, elas acabam conseguindo, mesmo sendo uma tarefa bem difícil. Só não vou falar quem é, para não dar spoiler. ;-)

Os diálogos com a convidada inesperada são bem legais. Divertidos e fazem a gente refletir. Porém, acho que há uma troca de papéis. Não é a Marilyn que faz o papel de conselheira, digamos assim, é a Libby que ajuda mais. E eu queria que tivesse sido diferente. Como no primeiro! Ah! Para variar um pouco, tirei lições valiosas. Tipo? Às vezes, parece que o mundo está todo errado. E que você está completamente sozinha! Mas é só a gente mudar um pouco o nosso olhar, que tudo melhora. Mesmo com a vida agitada, cada um seguindo um caminho diferente e tal, as pessoas que importam sempre vão estar com a gente.

Enfim, no geral curti muito. A autora soube me prender do início ao fim. É o tipo de leitura que fico imaginando cada cena e detalhe. Ansiosa para ler o terceiro e espero que tudo se encaixe.

**

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! ^^

Beijos, Carol.

Confira a resenha do primeiro da trilogia: Uma noite com Audrey Hepburn

Fan Page ♥ Instagram


12

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020