05.02.2018
* Para assistir: Mudbound – Lágrimas sobre o Mississippi! ♥

Ei, Gente! :) Semana passada, participei da minha primeira Cabine de Imprensa (iei \o/), onde assisti, em primeira mão, o filme “Mudbound – Lágrimas sobre o Mississippi“. Para quem não sabe, ele está concorrendo a algumas categorias do Oscar, como melhor fotografia, atriz coadjuvante, entre outras. A história estreia no próximo dia 15, mas já vou adiantar um pouco do que vocês podem esperar. Vamos lá? ;-)

Mudbound - PJ - 1

Para começar, um resumo da história: Laura acredita ter tirado a sorte grande quando conhece Henry McAllan. Depois de um tempo, já casados e com duas filhas, eles se mudam para uma fazenda perto do Rio Mississippi. A adaptação não é nada fácil e eles contam com a ajuda de uma família negra: os Jackson, que são responsáveis pelo trabalho pesado com o plantio e a colheita. De cara, dá para perceber que as posições de ambas as famílias são diferentes e que apesar de não serem escravos, o respeito é bem maior da parte dos Jackson. Principalmente, em relação ao pai de Henry, o Poppy, que foi morar com eles e por ser branco, acredita ainda ter privilégios maiores no terreno e na sociedade. Nesse meio tempo, Jamie, irmão mais novo de Henry, volta da Guerra e fica amigo de Ronsell, um dos filhos da família negra, que também lutou na Guerra para defender o seu país. Afinal, os dois compartilham traumas dessa difícil fase que passaram. Porém, a amizade logo é questionada e vira alvo de conflitos, tanto de gêneros e classes sociais, que envolvem as duas famílias.

Mudbound - PJ - 2

É um filme bem pesado, gente. Totalmente fora do que, geralmente, eu gosto. Mas é rico em fatos históricos e faz com que a gente reflita sobre essa diferença de etnias, que ainda persiste, mesmo em pleno século XXI. Não foi indicado na categoria de melhor filme, porém, na minha humilde opinião, merecia. Estou torcendo para ganhar pelo menos em alguma outra! Os atores são incríveis, principalmente, os que interpretam Ronsell, Jamie e a mãe de Ronsell. Sério, ela é aquela clássica mulher forte, guerreira e inspiradora. E Laura não fica atrás, pensei que ela poderia ser cheia de mimimi, mas também carrega uma força além!

Quando vi o trailer, achei que poderia ser parado, mas é impossível não acompanhar cena por cena. Elas prendem a gente! Como disse, é uma história bem pesada, principalmente em algumas partes. Essas, dão um nó no estômago. Porque por mais que seja ficção, a gente sabe que isso aconteceu e acontece até hoje. É impressionante como o jeito que ambos são tratados no país, sendo que os dois lutaram pelo mesmo objetivo, é diferente. E como esse Jackson foi bem-vindo em um lugar que nem é a “casa” dele.

Não é um filme que me fez chorar, mas é impossível não sair da sala sem pensar nos assuntos abordados. Ainda bem que o final é surpreendente de uma forma boa, mesmo com tanta tragédia. Cada personagem ensina um pouco, até o que a gente não deve seguir de maneira alguma. Sem julgamento, porque é uma outra criação e época, mas mesmo assim, vale não retroceder e repensar nas atitudes. Falando nisso, o Poppy é um cara detestável e Henry também, mas acho que ele é mais “banana” do que uma pessoa totalmente cruel, sabem? Destaque para os diálogos entre Jamie e Ronsell e Laura e Florence. São ótimos e cheios de lições valiosas!

Crédito das Imagens: Adoro Cinema 

Ah! Preciso destacar também a fotografia do filme. É uma das histórias que mais me chamou atenção nesse quesito. Como sabia da indicação nessa categoria, fiquei de olho hahaha. E Mary J. Blige também deveria levar a estatueta de atriz coadjuvante. Como deu para perceber nessa “crítica”, eu adorei a personagem dela. Ok, que ainda não assisti a todos os indicados, mas, a princípio, essa é a minha opinião. Outro detalhe, não sei se perdi algum detalhe, mas algumas coisinhas ficaram meio no ar. Acredito que o livro deva ser mais completo. E fica a dica: quem tiver interesse, a Editora Arqueiro (parceira do blog e que me chamou para essa cabine de imprensa ♥) publicou essa história literária recentemente.

E aqui vai uma curiosidade: o filme foi produzido pela Netflix, mas aqui no Brasil a Diamond Films. Pelo que eu entendi, depois que sair de cartaz, vai passar na Netflix. Mas já adianto que vale assistir no cine, se tiver essa possibilidade. ;-)

É isso, pessoal. Anotem na agenda: dia 15 estreia Mudbound, um filme forte, mas que vale cada embrulho no estômago. Depois me contem o que acharam!

Beijos, Carol.

Para assistir: Extraordinário 

Fan Page ♥  Instagram


2
29.01.2018
* PJ Leu: #Girlboss! ♥

Ei, pessoal. :) E a dica literária da semana é Girl Boss, da Sophia Amoruso, publicada pela editora Seoman. É o livro que inspirou a série da Netflix que tem o mesmo nome e conta a inspiradora história da Sophie Amoruso, criadora do site Nasty Gal. E posso adiantar? Inspira mesmo! Boa resenha para vocês.

PJ Leu - Girl BossLivro: #Girlboss | Editora: Seoman | Autora: Sophia Amoruso
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Sophia Amoruso é o grande fenômeno que está por trás do site Nasty Gal, uma loja virtual que começou no Ebay e alcançou um sucesso que muita gente não colocaria a mão no fogo! Hoje em dia, pelo que eu li, ela nem está mais no comando da marca, mas sem dúvida fez história, que está detalhada na dica literária da vez. Falando nisso, o livro conta sobre os bastidores do site, a trajetória da Girl Boss em questão. Além disso, está repleto de avisos, lições e valores que devem fazer parte da vida de cada pessoa, independente da profissão. Esteja ligada ou não com a moda. Palavras como sucesso, fracasso, comportamento, intuição, originalidade, regras e todas essas coisas que fazem parte da vida de uma verdadeira Girl Boss, trazem um sentido a mais no livro.

Minha opinião: Esse livro fez parte da minha listinha de próximas leituras por muito tempo, mas só agora consegui parar para ler. E acho que veio no momento certo! Para quem está precisando de um up na vida profissional ou, até mesmo, pessoal, e está com a mente aberta: vale muito a leitura. Pelo menos, funcionou assim comigo. É impossível não tirar, ao menos, uma lição desse livro. Sophia Amoruso conta a verdade nua e crua. Bom, pelo menos eu tive essa impressão. E ela é muito mais madura e pé no chão do que na série que passou na Netflix. Eu sei que ela era mais nova e tal, mas enfim é bom ter um “contato” com ela mais experiente. Aliás, ela não é “boazinha” nem com ela. Conhece seu valor, mas sabe onde pecou. Sem dúvida, amadurecimento faz parte dessa trajetória nada fácil. Para alguns, o sucesso é “culpa” da sorte. Mas com a leitura, descobri que até mesmo uma verdadeira Girl Boss, tem que trabalhar duro e ser humilde. Colocar a mão na massa mesmo, sem medo de ser feliz. Ah! E preguiça não faz parte desse mundo. Que a propósito, não é nada fácil. Mas como ela diz: difícil não quer dizer impossível. Tenha sempre isso em mente!

Adorei saber um pouco mais sobre a marca, os diferenciais e saber que quanto mais original você for, melhor. E cada experiência conta, por mais que a gente ache que vender um sanduíche não tenha nada a ver com um blog de primeira, digamos assim. Tudo é válido na vida de uma Girl Boss. Até mesmo as experiências nem tão positivas. Não precisa seguir à risca os passos da Sophia, mas se inspirar nos acertos e nos erros, pode ajudar muito. E não, eu não concordei com tudo que ela fala, mas gostei de conhecer outras visões, sabem?

Por fim, uma das coisas que mais me chamou a atenção nesse livro foi o perfil de outras pessoas, no final de cada capítulo. O meu preferido é o da Alexi Wasser! Se eu pudesse dar uma dica: leiam com toda a atenção do mundo essa parte. ;-) No mais, tirando alguns errinhos de digitação, é um livro que entrou na minha lista de “todo mundo precisa embarcar”. Inclusive, os homens! Enfim, obrigada Sophia Amoruso por tantas lições valiosas, que espero praticar levando em conta o meu jeito, mas tendo uma inspiração a mais. Que é sempre bom, né? Recomendo e MUITO. 

Já leu? Deixe sua opinião aqui! Ainda não? Corre, mas com a mente aberta!

Beijos, Carol.

Para ler: A casa do lago 

Fan Page ♥ Instagram 


1
02.01.2018
* Para assistir: Extraordinário! ♥

Ei, Gente! :) E o primeiro post do ano é uma dica de filme que entrou para os meus favoritos da vida: Extraordinário, inspirado no livro que recebe o mesmo o nome!  É uma história que aquece o nosso coração e faz a gente acabar  com todos os lencinhos de papel do planeta. Enfim, vamos lá? ;-)

3262971.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Para começar, um pequeno resumo para ficar por dentro do que se trata: Auggie Pullman é um garoto que nasceu com uma deformação facial e, desde então, já passou por 27 cirurgias plásticas. Aos 10 anos de idade, ele irá frequentar pela primeira vez uma escola regular. Nesse novo cenário, terá de aprender a lidar com a constante sensação de ser sempre observado por todos à sua volta. É uma história que fala sobre família, amigos, bullying, amor, gentileza e muito mais.

Se a história na telona superou as minhas expectativas? Muito.  É um dos melhores filmes da vida e o melhor: achei bem fiel ao livro! E, como todo bom leitor, isso conta pontos extras! Se teve algo diferente, não me incomodou em nada. A escolha dos atores foi extraordinária. Sem exceção! Desde os amiguinhos, ao Auggie (Jacob merece todo o nosso amor), passando pelos pais (Julia Roberts e Owen Wilson ), família, funcionários da escola, entre outros personagens. Destaque para a cachorrinha Daisy. Queria levar para casa! Cada um deu vida ao seu personagem de um jeito incrível e mais uma vez: bem fiel ao que a autora nos contou durante os capítulos.

É um filme bom de assistir, sabem? Mesmo com mil lágrimas rolando! Mostra coisas importantes de um jeito leve, mas na medida certa. É um trabalho lindo e que emociona até a pessoa mais dura na queda. A gente aprende mais um pouco sobre família, amizade e a importância da palavra gentileza. Vê que nem todos os erros têm de ser imperdoáveis. Como é uma história que mostra o ponto de vista de quase todos os personagens, a gente acaba compreendendo porque tal pessoa age de tal maneira. Mas sem mimimi. Ninguém justifica os erros, mas aproveita como ninguém a tal da segunda chance. Têm cenas que marcaram mais, como uma da Daisy. Acho que por mais triste que seja, deu um importante start na vida do Auggie e de todos aos seu redor. Ah! Também entendi melhor a questão do capacete e achei a atitude do pai maravilhosa!

Destaque também para os pais do nosso protagonista. A leveza e humor do pai fazem toda a diferença. A seriedade, mas de um jeito leve, da mãe também. O amor deles pela família é incrível e faz jus ao real significado da palavra. Mesmo com tudo, eles levam ao máximo uma vida normal, com altos e baixos. E acho que é isso que faz a diferença. Também adorei a irmã e me identifiquei um pouco com ela. Sr. Buzanfa e Sr. Browne tinham de estar presentes em todos os colégios do mundo. E seus preceitos também! Auggie? Nem preciso dizer! Ele é uma criança que se destaca diariamente, pelas atitudes, tanto de um adulto quanto de uma criança, pelo humor e mais uma vez: pela leveza!

O final é encantador. As palavras do Auggie e do Sr. Buzanfa são perfeitas! Falando nisso, vale anotar muitos trechos no caderninho e levar para a vida. É uma história que vale a pena assistir uma, duas, quantas vezes for necessária. Acho que em todas, vai marcar de uma forma e ensinar muito. Enfim, mega recomendo. 

Crédito das imagens: Adoro Cinema

Já assistiu? Conta o que achou. Ainda não? Corre! :)

Beijos, Carol.

Para ler: Resenha – Extraordinário

Fan Page ♥  Instagram


1
29.12.2017
* Retrô literária: leituras de 2017! ♥

Assim como ano passado, 2017 foi um ano repleto de livros incríveis. Que saíram da estante direto para o meu mundo particular de leituras!  Evolui muito, me aventurei e até ganhei um novo gênero literário que entrou para a minha listinha de favoritos: romance de época. Mas chick lit continua firme e forte no meu topo de amores. Conheci novos autores, me apaixonei por crushs literários, me identifiquei com diversas protagonistas e abri os olhos para mundos que eu só conhecia por alto. E mais uma vez: chorei, ri, me decepcionei e aprendi com cada parágrafo que li. E, claro, compartilhei tudo por aqui. Ao todo, foram 32 livros. Mas independente da quantidade, valeu a qualidade de cada um. Por mais que nem todos tenham me conquistado por inteiro. Vamos lá? Com vocês: as leituras de 2017 da Pequena! :)

c722aff9a4500b8c54768e49d11018ceLista de livros 2017! 
Crédito da imagem: Pinterest

1. O primeiro dia do resto da nossa vida
2. Flor do dia
3. Mas você vai sozinha?
4. Je T’aime Paris
5, Depois daquela montanha
6. O que eu sei de verdade
7. O Duque e eu
8. Isso me traz alegria?
9. As cordas mágicas
10. O sol também é uma estrela
11. Escolha sua vida
12. Meu jeito certo de fazer tudo errado
13. Falando o mais rápido que posso
14. Quase um romance
15. Paris para um e outros contos
16. Amanhã eu paro
17. Uma noite com Marilyn Monroe
18. A pequena livraria dos corações solitários
19. Dois a dois
20. Chata de Galocha
21. Nossa Música
22. Minha vida não tão perfeita assim
23. Tudo e todas as coisas
24. Na minha onda
25. Meus dias com você
26. O ódio que você semeia
27. Como agarrar uma herdeira
28. Blogueiras ponto com
29. Como se casar com um marquês
30. Antes de partir
31. Fazendo as pazes com o corpo
32. Uma história de verão

E agora com vocês: os meus cinco livros favoritos do ano. A listinha merecia mais, porém regras são regras. E depois da árdua tarefa, escolhi esses que merecem o prêmio PJ. 

Favoritos 2017 - PJCrédito das imagens: Saraiva e Skoob 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. O ódio que você semeia
2. Como agarrar um herdeira
3. Minha vida não tão perfeita
4. Escolha sua vida 
5. Je T’aime Paris

***

É isso, pessoal.  Que 2018 seja tão incrível no quesito livros quanto 2017. Obrigada autores por criarem histórias que me ensinaram tanto. Também um agradecimento especial a Arqueiro, Sextante e escritores por mais um ano de parcerias. Muito obrigada pela confiança e carinho! Vocês são incríveis! Ah! E me contem leitores: como foi o ano literário de vocês? ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: lista de livros 2016

Fan Page ♥  Instagram


1
08.12.2017
* Wishlist Literária: Natalina! ♥

Ei, Gente! :) Só para avisar que já estou aceitando livros de Natal, amigo secreto e por aí vai. Eu sei que não cabe mais livros na minha pilha de próximas histórias, mas que culpa eu tenho? É um vício e me julguem hahaha. Brincadeirinha, mas a quem interessar possa (leia-se mãe e irmã): segue a minha wishlist literária natalina. Vamos lá? Bom post! 

Wishlist Literária - NatalCrédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. O Clube de Escrita de Jane Austen (Rebecca Smith – Editora Bertrand Brasil) 
Sinopse: Um guia charmoso e informativo sobre como escrever como Jane Austen, escrito pela sobrinha-neta de quinto grau da famosa escritora. Rebecca Smith analisa vários aspectos da escrita de ficção como enredo, caracterização de personagens, diálogos, cenários e técnicas de escrita, dividindo também com os leitores os conselhos que Jane Austen escreveu em cartas a seu sobrinho e sobrinhas aspirantes a romancistas. Repleto de exercícios úteis e citações esclarecedoras, este livro ensinará métodos, dicas e truques, usando como exemplos a obra de Austen.
Observação da Pequena: Vai ser muito útil na minha vidinha!

2. Caligrafia para relaxar (Amy Latta – Editora Sextante) 
Sinopse: Uma introdução simples e divertida à arte da caligrafia.Unindo técnicas de escrita à mão com textos inspiradores sobre a necessidade de desacelerar e de aceitar a vida como ela é, este livro é uma ótima maneira de cultivar a calma, promover a alegria e celebrar a beleza. À primeira vista, dominar a arte da caligrafia pode parecer difícil, mas você vai se surpreender ao ver como é simples criar lindos projetos.
Observação da Pequena: Só a capa já me conquistou e acho que vai me ajudar a riscar uma meta especial para o próximo ano!

3. 30 Jours à Paris (Carol Pio Pedro – Editora Letramento) 
Sinopse: O que incluir em um roteiro de viagem a Paris além dos pontos turísticos mais famosos e visitados? Nesse livro, a autora apresenta diversas opções de lugares que vão das esquinas retratadas nos cinemas à esquinas e recônditos da Cidade Luz. O livro se constitui em um compilado de informações na mesma vertente de seu blog intitulado 30 Jours à Paris, onde a autora vem compartilhando suas descobertas e interesses sobre a capital francesa desde 2015, em suas duas visitas anuais que visam explorar todos os cantos da cidade e enxergar a beleza nas diferentes formas que ela se apresenta, indo muito além dos cartões postais, circuitos turísticos, museus, pontes e igrejas.
Observação da Pequena: Preciso desse livro por motivos de Paris. Óbvio!

4. Turma da Mônica Jovem – Uma viagem inesperada (Várias autoras brasileiras – Editora Nemo) 
Sinopse: As personagens da Turma da Mônica Jovem estão reunidas, pela primeira vez, em um livro de contos. Mônica, Magali, Denise e Marina embarcam em aventuras inéditas, cada uma com um destino especial. Mônica parte rumo à Coreia do Sul, em um tour inesquecível, repleta de k-pop, cores e aventuras. Magali tem seus planos virados de cabeça para baixo e acaba em Paraty, onde gastronomia e novas amizades se misturam. Marina desenvolve um novo lado artístico em Londres – com direito a chá, saudades, encontros e desencontros. E Denise, por ter se metido numa encrenca, é mandada de castigo para um acampamento na Serra Catarinense. Prepare as suas malas e acompanhe as garotas em viagens pelo Brasil e pelo mundo, com romances, confusões e aventuras!
Observação da Pequena: Já falei mil vezes que estou louca para ler esse livro e lembrar da minha infância, né? Então, fica a dica, mãe e irmã!

5. Uma história entre nós (Isa G. – Editora Benvir) 
Sinopse: Duas pessoas se encontram por acaso. Ela, intensa, sentimental, profunda. Ele, racional, calado, temeroso. E então tem início uma história. Mas o passado muitas vezes assombra o presente, e nem sempre as coisas acontecem como queremos… Em “Uma história entre nós”, a autora constrói uma delicada e autêntica narrativa, usando o mesmo estilo de frases que a consagrou nas redes sociais.
Observação da Pequena: Do Instagram (@amargoemeio) direto para o mundo literário. Adoro o trabalho da Isa, mas não encontro de forma alguma esse livro. Se alguém souber, me avisa!

6. Lady Whistledown Contra-Ataca (Julia Quinn e outras autoras – Editora Arqueiro) 
Sinopse: Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, “Lady Whistledown contra-ataca” contém quatro curtas histórias sobre um roubo de uma pulseira milionária. Os contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável. Então: quem roubou o bracelete de lady Neeley? O caça-dotes, o apostador, a criada ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.
Observação da Pequena: Só de ter a Julia Quinn, já vale. :)

***

Prontinho, gente. Quem já leu algum desses, me conta o que achou, se devo substituir por outro e tal. E também conta quem está na sua whislist literária natalina!

Beijos, Carol.

PJ Todos os Dias – Entrevista Daiana Garbin

Fan Page ♥ Instagram  


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018