01.04.2018
* {Beda 1} – Páscoa: Livros que adoçam a vida! ♥

Ei, Gente! :) Vai ter Beda nesse bloguinho sim! Para quem não sabe, isso significa: posts todos os dias de abril (Qualquer contratempo, aviso). E para começar… Um post em homenagem ao dia de hoje, né? Livros que adoçaram a minha vida e adoçam até hoje, quando lembro de cada história. Vamos lá? Boa leitura para vocês! 

Post - Páscoa - PJCrédito das imagens: Saraiva
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. Malas, Memórias e Marshmallows (Fernanda França – Rai Editora)
Sinopse: Às vezes, o fim de algo pode ser apenas um novo começo. Após ser despedida do trabalho no dia de seu aniversário, Melissa Moya conhece Theodoro Brasil, seu vizinho, dando início a uma nova amizade que vai permitir que a jovem jornalista realize seu maior sonho: viajar pelo mundo afora. Então, Mel embarca no projeto “América sobre rodas”, uma aventura por diversas regiões dos Estados Unidos, deixando para trás sua gata, Lady Gaga, sua família e seus amigos. Máquina fotográfica na mão, notebook debaixo do braço, Melissa vai acabar percebendo que a vida surpreende a cada momento, principalmente quando o assunto é o amor verdadeiro.
Observação da Pequena: O nome do livro já é doce, a história mais ainda. A leitura dele, deixa a vida mais leve e feliz! E, claro: cheio de aprendizado! Vale muito embarcar nas aventuras da Mel, viu? Quem quiser saber mais, falei sobre ele aqui.

2. Um dia ainda vamos rir disso tudo (Ruth Manus – Editora Sextante)
Sinopse: Um dia ainda vamos rir de tudo isso é uma coletânea de crônicas publicadas no blog do Estadão, em sua coluna no Estado de S. Paulo e no jornal Observador, de Lisboa, além de algumas inéditas. O que o leitor tem em mãos não é apenas uma seleção de textos, e sim um retrato do nosso tempo, por uma das mais destacadas cronistas da nova geração.
Observação da Pequena: Um livro de crônicas, que no momento, estou no finalzinho…. Mas já posso garantir que deixa o dia a dia bem mais doce mesmo. A gente se sente representada (nem que seja um pouco) em cada texto. Essa semana, vai rolar a resenha dele, ok?

3. Apaixonada por palavras (Paula Pimenta – Editora Gutenberg Brasil)
Sinopse: Narrado em primeira pessoa, o livro reúne 55 crônicas, que descrevem experiências, sentimentos e reflexões da autora. Com a mesma eloquência e fluidez que caracterizam seus romances, Paula Pimenta revela aqui a si própria, com relatos, comentários e ideias de forma clara e envolvente. Como a própria autora descreve: ‘É rara a ocasião em que não estou com um livro por perto, e mais raro ainda é o momento em que eu não estou com um bloco e uma caneta. Sempre anotando, pensando por escrito’. Abordando temas como amor, ciúmes, amizade, esportes, cidadania, e muitos outros.
Observação da Pequena: O que falar desse livro? É tipo Martha Medeiros para o público mais novo, mas sinceramente acho que derrete o coração de todos. Amo muito esse livro, não só o nome, como tudo o que ele representa. Tem lugar cativo na minha estante e mega recomendo mesmo!

4. Menina de vinte (Sophie Kinsella – Editora Record)
Sinopse: A vida de Lara Lington não está nada fácil. A melhor amiga e sócia decide curtir um tórrido caso de amor em Goa, deixando o escritório de caça-talentos em suas mãos pra lá de inexperientes. Josh, o ex-namorado, ainda é uma questão mal resolvida em sua vida: ele mudou o número de telefone depois de todas as mensagens malucas que ela deixou e não quer encontrá-la para uma última conversa. Agora, além de ficar ouvindo sermão de seus pais sobre sua carreira e vida amorosa, ela tem que acompanhá-los ao funeral de sua tia-avó de 105 anos, Sadie Lancaster, que ela nunca conheceu! E ainda tem que aturar o tio bilionário, dono de uma famosa rede de cafés, que trata o resto da família como se todos fossem de uma classe inferior, prontos a pedir algum favor a ele. Lara está contando os minutos para se livrar de sua chata obrigação familiar quando o inesperado acontece: ela ouve uma moça, com seus vinte e poucos anos e com roupas da década de 20, exigindo, aos berros, que parem o funeral e que ela precisa de seu colar para descansar em paz…
Observação da Pequena: Essa história tem todos os ingredientes necessários para adoçar ainda mais a nossa vida literária. A gente chora? Sim… Mas aprende em dobro e se diverte muito com essas duas: Lara e Sadie. É um dos livros que eu mais amo na vida e sempre quando penso nele, me dá vontade de reler e deixar o meu dia a dia  mais doce! Quer mais informações? Só clicar aqui.

5. A lista de Brett (Lori Nelson Spielman – Editora Verus)
Sinopse: Brett Bohlinger parece ter tudo na vida, mas por obra do destino acaba de perder a sua adorada mãe. E para a sua surpresa, ela deixou no testamento a seguinte ordem: para receber sua parte na herança, Brett precisa completar em um ano uma lista de sonhos, que escreveu quando era uma adolescente. Deprimida e de luto, ela não consegue entender a decisão de sua mãe. Afinal, aos trinta e quatro anos suas ambições e desejos mudaram. Alguns sonhos exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira e outros parecem impossíveis. Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus antigos e doces sonhos. E surpreendentemente descobre que, às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados.
Observação da Pequena: Que livro mais amor, gente! A capa já conquista, mas o conteúdo é sem comentários! Vários “tapas” na nossa cara, mas de um jeito bem leve e doce, se é que me entendem. Amo muito e recomendo para adoçar a vida de todo mundo. Quer saber mais sobre essa história? Clica nessa resenha!!

***

É isso, pessoal. :) Tem um Top 5 de livros que deixam a nossa vidinha literária mais doce? Me conta nos comentários! Leituras assim são sempre bem-vindas! E, por fim, desejo a todos uma boa Páscoa. Que o espírito de recomeço e fé estejam sempre presentes. E, cá entre nós, essas leituras ajudam muito nesses dois quesitos, né? 

Beijos, Carol.

Para ler: Um beijo à meia-noite

Fan Page ♥ Instagram  


0
20.03.2018
* PJ Leu: Um beijo à meia-noite! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária do dia é Um beijo à meia-noite, da autora Eloisa James. O livro, que foi publicado pela editora Arqueiro (parceira do blog), é uma releitura de um clássico infantil: Cinderela. Para quem ama conto de fadas, é uma ótima pedida. Vamos lá? Boa resenha para vocês! 

PJ Leu - Um beijo à meia noiteLivro: Um beijo à meia-noite | Editora: Arqueiro | Autora: Eloisa James
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Sinopse: Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível e irritante. A atração entre eles é imediata, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo.

Minha opinião: Cinderela é uma das histórias que mais gosto da Disney e embarcar em uma releitura desse conto de fadas foi uma das escolhas mais certeiras desse ano no aspecto literário. A leitura não fluiu de primeira, mas quando foi: não quis largar e só larguei porque o trabalho me chamava e a vida social também hahaha. Um beijo à meia-noite tem um monte de referência à história original, como se espera, mas tem o seu toque único, sabem? Quando eu falar desse livro, vou lembrar dele por si só. Os personagens clássicos estão na pele de novas “pessoas”, que me conquistaram tanto quanto. Principalmente a madrinha! Henry é uma das minhas personagens favoritas. Quando ela surgiu na história, tudo ficou mais divertido! Gostei dos conselhos dela e da forma como olha para a vida. Prestem atenção nela! O príncipe Gabriel é de suspirar e a “Cinderela” é bem girl power. Os diálogos entre os dois são instigantes! Ah! Adorei a cara nova que ela deu para a irmã da Kate e os cachorrinhos. Ah! Wick também merece destaque!

O epílogo é o melhor. Gostei da visão da autora, da escrita dela e como construiu cada capítulo. Nada muito mimimi, sem enrolação e direto ao ponto! Embora, em alguns momentos eu tenha ficado um pouco confusa. É tanto personagem, tanta menção de outras coisas que aconteceram no passado e tal em uma só página, que acabei me perdendo. Então, em algumas partes: eu boiei totalmente. Mas acho que nada de muito importante. E sabe o sapatinho de cristal que aparece na capa? Tem um outro rumo, que é legal também! Digamos que esse livro é um conto de fadas adulto, mas sem perder a magia da nossa infância, que é fundamental. Fiquei com medo do fim, mas foi surpreendente, de forma positiva. Enfim, se você gosta da história da Cinderela, vale a pena embarcar nessa leitura. Lembrando que esse livro faz parte de uma série, com outros contos, como A Bela e a Fera, que a Eloisa James escreveu.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! 

Beijos, Carol.

Para ler: Sonhos em Flor 

Fan Page ♥  Instagram


0
19.03.2018
* Top 5: livros que estão completando niver na lista de não lidos! ♥

Ei, Gente! :) Leitor que é leitor tem uma lista quilométrica de livros para ler, mas que até o momento, estão na pilha de espera. Com um pequeno detalhe: há alguns anos eles estão lá. Sim, você comprou e deixou lá. E se você não passa por essa situação, manda a dica aí, porque to precisando hahaha. Então, o top 5 do dia são cinco histórias que estão completando quase uma década no meu quarto (exagero meu hahaha). Porém, pretendo ler ainda esse ano SEM FALTA. Se vou conseguir? Oremos hahaha! Bom post!

Top 5 - Livros guardados na minha estante - PJCrédito das imagens: Saraiva 
Crédito da montagem: Pequena Jornalista 

1. Como eu era antes de você (Jojo Moyes – Editora Intrínseca) 
Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.
Desculpa (sincera) da pequena: Já lançaram o segundo e o terceiro livro dessa série e nada da Pequena ler o primeiro. Até vi o filme e fiquei ainda mais empolgada, porém, ainda não rolou. Comprei o livro na Bienal de 2016 e… #fuén novamente! Já ganhei até o segundo, porque a minha amiga jurava que eu já tivesse embarcado na história. Enfim, sempre digo que no próximo mês vou ler, mas aí aparecem outros e espero que em abril (de 2018) eu consiga. Atualizo vocês!

2. Poder Extra G (Thati Machado – Editora Alto Astral) 
Sinopse: Nina não é uma mulher de tipos. E não apenas por causa dos seus noventa e dois quilos. Nina tem atitude e amor-próprio. Talvez não nessa ordem, mas quem se importa? Ao namorar Marco, ela achava que estava subindo mais um degrau rumo ao topo de sua autoestima. É claro que alguns sinais lhe alertavam do contrário, só que o ego pode ser bastante ensurdecedor quando nos convém. Depois de se dar conta da farsa que era o seu relacionamento, Nina deixa sua vida em São Paulo e parte rumo a Buenos Aires, para um mês regado a argentinos sedutores e muito doce de leite. Ela só não esperava que o país dos hermanos pudesse lhe trazer muito mais do que uns quilinhos extras.
Desculpa (sincera) da pequena: Eu comprei esse livro na tarde de autógrafos com a Thati (em 2016 mesmo) e sei que é o tipo de leitura que vou amar. Mas acabaram entrando outros na frente e esse ano, a história da Nina não me escapa. Assim espero!

3. Corra, Abby, Corra (Jane Costello – Editora Record) 
Sinopse: Aos 28 anos, Abby acaba de fundar a própria empresa de web design, e sua rotina parece consumir todo o seu tempo. Ela não tem a menor ideia de quando foi a última vez que deu um beijo apaixonado. E o pior: mal tem tempo para comer, malhar então… nem pensar. Mas quando sua melhor amiga a convida para participar de um clube de corrida, a jovem empresária encontra uma motivação: Oliver, charmoso e bem-sucedido médico que parece estar interessado em suas investidas. Seu primeiro dia de corrida, entretanto, não acaba como imaginou e ela jura que nunca mais vai correr. Até o dia em que sua assistente Heidi revela ser portadora de esclerose múltipla. A partir daí, Abby vê nas corridas uma forma de arrecadar fundos para a pesquisa da cura para a esclerose. Só que ela precisa de muito fôlego para gerenciar a empresa, lidar com sua operadora de seguro para arcar com o prejuízo de um motoqueiro que ela atropelou por acidente, e ainda conquistar o Dr. Sexy. Mas o que Abby não imagina é que pode estar correndo atrás do homem errado…
Desculpa (sincera) da pequena: Toda vez que leio essa sinopse, eu penso: por que cargas d’água ainda não li? Amo a autora e é a típica chick lit que sei que vou suspirar, amar, anotar vários trechos em post-its e por aí vai. MAS ESSE ANO VAI. JURO, JURADINHO! Me cobrem!

4. Trago seu amor de volta sem pedir nada em troca (Ique Carvalho – Editora Sextante) 
Sinopse: A vida de Ique Carvalho era tranquila e parecida com a de muitos jovens de Belo Horizonte, sua cidade natal. Ele morava com os pais e os irmãos, era apaixonado pela namorada e trabalhava na agência de publicidade da qual era sócio. Suas impressões sobre o cotidiano iam para o blog The Love Code, onde podia dar vazão ao seu talento para escrever. Até que, em 2013, dois fatos fizeram tudo virar de ponta-cabeça. Na mesma semana, seu namoro teve um fim traumático e o pai recebeu o diagnóstico de uma doença degenerativa grave, que o mataria aos poucos. Sem chão e em meio a um turbilhão, foi no blog que encontrou refúgio para expressar seus sentimentos. Os textos fortes e genuínos acabaram viralizando, popularizando o site e dando a Ique milhares de fãs e seguidores. Suas palavras possuem o incrível dom de ser, ao mesmo tempo, simples e profundamente verdadeiras, traduzindo o que há de mais puro e desejável no amor.
Desculpa (sincera) da pequena: Conheci o Ique na última Bienal e sério: que cara! Só escuto falar bem do livro e eu preciso embarcar urgentemente! Sempre bom ler livros que falam de amor, de uma forma realista. Vou chorar? Vou! Já me alertaram. Mas acho que vale cada palavrinha. Com certeza vai rolar resenha por aqui e quem sabe uma entrevista com ele também. * dedinhos cruzados *

5. 9 minutos com Blanda (Fernanda França – Editora Rai) 
Sinopse: Todos os dias, depois de brigar com o despertador que dá apenas nove minutinhos a mais de sono, Blanda se depara com a seguinte situação: ela está quase sem dinheiro, desempregada e sua única companhia é o gato Freddy Krueger. Bom, não exatamente, já que ela namora um cara chamado Max, que nunca realmente assumiu o relacionamento. Max é folgado, não trabalha e também não faz muita questão de conseguir um emprego, mas é justamente com ele que Blanda se vê prestes a dizer “aceito”. Em uma confusão envolvendo muito estresse, a porta giratória de um banco e uma calcinha pink, Blanda conhece alguém que pode mudar sua vida. Mas será que a realidade pode virar um conto de fadas?
Desculpa (sincera) da pequena: É o livro de estreia da Fê, né? Uma das minhas autoras favoritas da vida! Ainda não li pelo mesmo motivo: passaram outros na frente, mas vou resolver isso. Prometo! Ah! Infelizmente, acho que não está vendendo mais em livrarias. Se eu não me engano, a Editora Rai fechou. Mas o meu exemplar, encontrei nessas feiras de livro em shopping, sabem? Então, fica a dica, quem quiser embarcar nessa leitura também. 

**

É isso, pessoal. Agora me contem: qual o top 5 de vocês de livros que não saem da pilha de próximos? Podem desabafar. Vocês não estão sozinhos hahaha! Acredito muito também que cada livro, a gente embarca na hora certa. Então, talvez a leitura ainda não tenha rolado por esse motivo! Ou seja só uma desculpa para comprar mais e mais sempre hahaha. Vai saber, né? ;p

Beijos, Carol.

Para ler: Top 5 – Fernanda França

Fan Page ♥ Instagram

 


0
12.03.2018
* Para leitor: 5 bolsas para carregar livros! ♥

Ei, Gente! :) Não sei vocês, mas quase não saio de casa sem um livro dentro da bolsa. Por mais improvável que eu vá ler em tal lugar, sempre bom ter uma garantia de companhia, né? Então, na hora de escolher esse tipo de acessório, levo em conta: cabe histórias literárias? Pode colocar na sacola, que eu vou levar. Então, na última 5ª feira, Dia Internacional da Mulher, fui convidada para participar de um coquetel da Kipling. Eu adoro participar desses eventos, mas tento pensar em qual conteúdo posso criar para o blog. Sendo assim, uni o útil ao agradável… Selecionei cinco bolsas da coleção nova da marca que são mega úteis para todo “bookaholic“, como a pequena que vos bloga. Vamos lá? ;-)

Kipling - Leitor - PJ - 1Crédito das imagens e montagem: Pequena Jornalista 

Meu tipo de bolsa preferida é aquela transpassada. Dá sensação de menos peso e mais segurança. E claro: um livro é sempre bem-vindo, fora as outras coisitas que a gente leva no dia a dia. Amei muito essas três, principalmente a terceira, bege. Essa estampada também tem alça e a primeira é um verde mais fechado. Aliás, sorry pelas fotos. Elas não fizeram jus à tonalidade real de cada peça. Mas acho que dá para ter uma noção.

Kipling - Leitor - PJ - 2Crédito das imagens e montagem: Pequena Jornalista 

Mochila também tem tudo a ver com leitor! E o quanto que eu amei essa meio “risca de giz“? Uma das mais lindas que já vi na loja! Fora que tem o clássico macaquinho!  Também achei bem fofinha essa estampada. Aliás, mochila cabe até mais de um livro, né? Então, leitores, que consegue ler mais de uma história por vez, podem usar e abusar! ;-)

É isso, pessoal. Claro que o post também serve como inspiração! E espero, de verdade, que ajude a selecionar acessórios que alimentam ainda mais o nosso vício por leitura. Depois me contem a preferida de vocês! Quem quiser ver mais itens da nova coleção da Kipling, é só clicar aqui. Lembrando que isso não é um publipost, ok? A assessoria me convidou para o evento e, como vocês sabem, eu adoro criar conteúdo a partir desses momentos “blogueirinha”. ^^

Beijos, Carol.

Para ler: Favoritos da Kipling

Fan Page ♥ Instagram 


0
08.03.2018
* Dia Internacional da Mulher – Top 3 literário: Girl Power! ♥

Ei, Gente! Em primeiro lugar: feliz Dia Internacional da Mulher para todas! A gente merece. Para ter uma homenagem bem Girl Power, fiz uma mini listinha de três livros de mulheres poderosas, que contaram histórias inspiradoras! Espero que gostem. Bom post! ;-)

PJ - Girl PowerCrédito das imagens: Saraiva
Crédito da montagem: Pequena Jornalista

1. Girl Boss (Sophia Amoruso – Editora Seoman) 
Sinopse: Sophia Amoruso é o grande fenômeno que está por trás do site Nasty Gal, uma loja virtual que começou no Ebay e alcançou um sucesso que muita gente não colocaria a mão no fogo! Ela fez história, que está detalhada nesse livro, que conta sobre os bastidores do site e a trajetória da Girl Boss em questão. Além disso, está repleto de avisos, lições e valores que devem fazer parte da vida de cada pessoa, independente da profissão. Esteja ligada ou não com a moda. Palavras como sucesso, fracasso, comportamento, intuição, originalidade, regras e todas essas coisas que fazem parte da vida de uma verdadeira Girl Boss, trazem um sentido a mais nessa dica literária.
Observação da Pequena: A gente não precisa seguir ao pé da letra o que a Sophia fala, mas esse livro traz lições que valem anotar no caderninho e levar para a vida. Ela é uma Girl Power, mas isso não significa perfeição. Longe disso! Mas está tudo bem, né? Enfim, mega recomendo essa leitura, que inspira mais do que imaginamos. Quem quiser saber mais, fiz um post sobre Girl Boss aqui.

2. Fazendo as pazes com o corpo (Daiana Garbin – Editora Sextante) 
Sinopse: Daiana Garbin passou 22 anos odiando o próprio corpo. Sentia-se eternamente inadequada! Tinha vergonha de si mesma e de seu descontrole diante da comida. Encarou dietas hiper-restritivas, passou por três cirurgias plásticas, fez procedimentos estéticos agressivos e ficou viciada em remédios para emagrecer. Sempre acreditando que um corpo magro lhe traria paz e felicidade. Foi só depois de muito sofrimento que ela descobriu que a insatisfação profunda que sentia em relação ao corpo não era vaidade nem frescura: era doença. Diagnosticada com transtorno alimentar, a autora decidiu compartilhar sua história para ajudar as pessoas que sofrem em silêncio por querer se enquadrar em padrões inatingíveis e acabam deixando de aproveitar a própria vida. Ela revela o longo caminho que percorreu para aprender a ficar em paz com o corpo e com a comida. Os altos e baixos, o que deu certo, o que deu errado. As vezes que quis jogar tudo para o alto e o momento em que percebeu que existia uma saída.
Observação da Pequena: A Dai tem a minha admiração eterna! Compartilhou a sua história e com certeza vem ajudando milhares de outras. Ela é GIRL POWER assim: com letras maiúsculas mesmo! E olha, não precisa ter  transtorno alimentar para tirar lições valiosas não. Ela mexe com a vida de todas e mostra a verdade nua e crua: não há perfeição e não há problema algum nisso. Quer saber mais? Tem post sobre esse livro aqui.

3. Mas você vai sozinha? (Gaía Passarelli – Editora GloboLivros) 
Sinopse: Viajar sozinha é um tema impactante para as mulheres. É um caso de amor ou medo! Neste livro, Gaía Passarelli fala com sinceridade e bom-humor sobre suas aventuras pelo mundo, sempre acrescentando dicas, entre outras coisas importantes. Mas fique tranquila: ela não vai te dizer pra largar tudo e sair por aí, nem te dar dicas de como ser cool em Nova York. Nada disso! Ela conta como é ser consolada por um xamã andino, molhar os pés nas águas do mar do extremo sul da Índia e dormir debaixo de uma mesa de bar no Texas. Essa história é sobre viajar e voltar pra casa. Um livro que fala sobre ser mulher e, ao mesmo tempo, ser livre pra viajar por aí sem companhia, sem medo e sem preconceito.
Observação da Pequena: O que eu mais amei nesse livro é que ela encoraja as mulheres, mas sempre alertando. Se o assunto é viagem e o medo vem logo a seguir, você tem de ler esse livro. De verdade! A gente conhece aventuras que inspiram e que mostram que viajar sozinha faz bem, mesmo que seja uma viagem bem curtinha. Ou apenas uma ida ao cinema. Independência tem tudo a ver com Girl Power. Mas, claro, sem ultrapassar o seu limite. Mas você pode se surpreender até o ponto que ele vai. Enfim, para saber mais, tem resenha dessa história aqui.

****

É isso, meninas! Espero que gostem e podem opinar à vontade! ;-) E desejo um ótimo dia. Aliás, não só hoje. Essa data é especial, mas todos os dias merecemos as melhores coisas. Principalmente: respeito! Respeito por aquilo que queremos ser, sem ter de encarar olhar torto. Girl Power do jeitinho de cada uma! Isso que importa. Chocolates, flores são bem-vindos, na minha opinião. Mas essa palavrinha (respeito), a gente nunca pode trocar por nada. E aqui vai um beijo especial para as quatro mulheres da minha vida: mamys e irmãs (minha cachorrinha Jeanninha está incluída ;p). 

PJ - Girl Power - 2Crédito da imagem: Monica Crema 

Beijos, Carol.

Para ler: PJ News – Março!

Fan Page ♥  Instagram


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018