13.11.2020
* Histórias que eu quero embarcar até o fim do ano! ♥

Ei, Gente! :) Tudo bem? O ano está quase terminando e na minha listinha de próximos lidos, quero tentar ler alguns antes de 2021 chegar. Se eu vou conseguir, não sei. Espero que sim hahaha. Confesso que eu tinha outros, mas com alguns lançamentos, ocorreram algumas mudanças. E tá tudo bem, né?

O meu ritmo literário não está o melhor, mas acho que seja por conta das últimas escolhas literárias que não caíram como uma luva. Por isso, escolhi livros mais leves, divertidos e tem até um de autoajuda, que acredito que vá fazer a diferença depois desse ano doido e para a vida mesmo.

Enfim, vamos lá? Bom post. ♥

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

1. A lista que mudou minha vida (Olivia Beirne – Faro Editorial)
Sinopse:
Georgia adora ficar jogada no sofá após o trabalho vendo tv e bebendo vinho. O que ela não gosta: de altura, de olhar sua conta bancária, de ir a encontros ou de qualquer atividade física. E ela nunca (jamais) aceita correr riscos. Bem, isso até sua irmã mais velha e muito mais corajosa descobrir uma doença, que a impossibilitará de completar a lista de tudo o que queria fazer até os trinta anos. Então, Georgia concorda em realizar aquelas aventuras. Com uma série de experiências inusitadas em mãos e um prazo acelerado, já que o aniversário da irmã está chegando, nada poderia ser mais apavorante… E quando ela vive momentos fora da sua zona de conforto um mundo novo surge.
Observação da Pequena: Me lembrou um pouco a história “A lista de Brett” e achei a capa desse livro tão linda. Acho que vai ser a minha próxima leitura. Porque têm duas coisas que eu amo muito: a capa e lembra um livro que eu amei muito. ♥

2. Como falar romance em francês (Aimee Oliveira – Increasy Editora)
Sinopse:
Alberto não tinha tempo para nada. Passou para um programa de estudos na França sem ter a mínima ideia de como falar o idioma. E tinha quatro meses para pelo menos aprender a se virar antes de embarcar para dar o pontapé inicial na sua carreira de astro-físico. Enquanto isso, Sabrina estava vivendo o sonho de aprender francês no curso desejado. Seu plano era perpetuar esse sonho pelo máximo de semestres possível, mantendo-se como a melhor aluna da turma para garantir a bolsa de estudos. Parecia fácil, mas ela não contava com aquele menino confuso que ficava atrapalhando a aula o tempo todo com suas perguntas idiotas.
Observação da Pequena: Olhem essa capa? E tem a Aimee como autora, né? Amo a escrita dela e tenho certeza de que vou rir e querer aprender francês hahaha e matar a saudade de Emily em Paris hahaha.

3. A livraria dos Achados e Perdidos (Susan Wiggs – Harlequin Books)
Sinopse:
Após uma tragédia, Natalie Harper herda a charmosa, mas praticamente falida, livraria de sua mãe, localizada num prédio histórico no centro de São Francisco, na Califórnia, e a responsabilidade de cuidar do seu avô Andrew, cada vez mais debilitado. Com a recusa de Andrew em vender a loja, Natalie deixa sua antiga vida para trás e volta para São Francisco determinada a recuperar a livraria que um dia foi seu lugar favorito no mundo. Porém, sua vida se parece mais com um livro de horror do que com um conto de fadas. Então, Peach Gallagher aparece e ela se vê envolvida numa jornada de novas conexões, descobertas e revelações, de artefatos antigos escondidos nas paredes da livraria até verdades inexploradas sobre sua família, seu futuro e seu coração.
Observação da Pequena: Eu tenho a sensação de que já li uma história parecida, mas acho que essa vai me prender mais. Espero! E achei a capa linda e adorei o título!!

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

4. Pra sempre Natal (Gleice Couto – Independente)
Sinopse:
Carolina não gostava de Natal. Muitas coisas ligadas à data não faziam sentido. Quando criança, por exemplo, não entendia como Papai Noel vestia roupas tão quentes no calor insuportável do Rio de Janeiro. Também não entendia como o bom velhinho deixava presentes tão grandes em meias tamanho 30, nem como entrava na sua casa descendo uma chaminé que não tinha. Carol cresceu, descobriu que Papai Noel realmente não existia, mas ainda buscava explicar o mundo ao seu redor. Por que seus pais brigavam? Por que suas primas a odiavam? Por que namorou um idiota? Por que se apaixonou por Anael? Com o passar dos anos (e dos Natais), Carolina perceberia que nem toda pergunta tem uma resposta certa. O Natal guardava muito mais segredos e milagres do que imaginava, e que, talvez, não seria de todo ruim se fosse Pra Sempre Natal.
Observação da Pequena: Esse ano uma das escritoras nacionais que eu conheci foi a Gleice e eu adorei a escrita dela. Essa história estava na minha listinha desde o ano passado. Então, para entrar no clima natalino, quero ler esse.

5. A vida perfeita não existe (Daiana Garbin – Sextante)
Sinopse:
Nesse livro, a autora divide com os leitores sua jornada à procura de respostas. Com base em estudos, pesquisas, entrevistas com especialistas e depoimentos de leitores, ela traça um panorama da frustração que sentimos ao perseguir um tipo de felicidade irreal e mostra como encontrar coragem para adotar uma nova atitude em relação à vida.
Observação da Pequena: Se eu amei o primeiro livro dela, acho que vou amar ainda mais esse. Gosto dessas leituras que nos puxam para a realidade, mas de uma forma fofa e que faz todo sentido aplicar no dia a dia! ♥

***

É isso, pessoal. :) Espero conseguir seguir essa listinha, mas qualquer alteração, aviso. E o importante é ler o que sente vontade na hora.

Agora me contem: já leram algum da listinha? E qual livro acrescentariam nesse post? No mais, podem opinar à vontade. ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: Top 5 – Leituras Natalinas
Fan Page ♥ Instagram  


9
09.11.2020
* 5 sonhos da Pequena Leitora! ♥

Ei, Gente! :) Os livros sempre nos fazem sonhar, né? Dependendo do gênero, um pesadelo também aparece. Mas isso não vem ao caso hahaha. Para o post do dia, trouxe cinco sonhos de leitora que tenho na minha vidinha. Alguns viáveis, outros nem tanto hahaha. Enfim, vamos lá? Boa leitura. ♥

Sonho 1: A Sophie Kinsella poderia voltar para algum evento literário brasileiro para autografar o meu exemplar do livro “Menina de 20”. Na Bienal de 2015, eu só consegui autografar dois livros dela e eu acabei não levando o da minha história favorita. Não tô reclamando, mas assim que ela volte e que eu consiga riscar esse sonho da lista.

Sonho 2: Ler todos os livros da pilha de “Não lidos”. Página por página, capítulo por capítulo. Talvez esse sonho se encaixe em “não tão viável assim”. Próximo da lista hahaha.

Sonho 3: Finalmente começar o meu diário de leitura, que comprei com tanto amor e continua no saco da minha comprinha. Até o fim desse ano, quero riscar essa meta! Mas em minha defesa, esses últimos meses foram complicadinhos. E como tá tudo bem agora, acho que consigo uhul \o/!

Sonho 4: Ter o clube de leitura do Pequena Jornalista, mas bem a carinha dele e com o meu gênero literário favorito. Alguém adivinha? Quem sabe ano que vem, né? Me contem se gostariam ou nem hahaha.

Sonho 5: Que nenhum personagem favorito morresse, principalmente doguinhos. Que todas as capas tivessem a ver com a história. Que as livrarias físicas não fechassem e que as editoras não demorassem tanto para publicar o novo livro do autor favorito! E que todo mundo conhecesse o poder da leitura. ♥

***

É isso, pessoal. Burlei um pouco no 5º sonho, mas é um pequeno detalhe hahaha. Agora me contem um sonho de leitor de vocês, seja viável ou não. ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Mania peculiar do leitor
Fan Page ♥ Instagram 


5
13.02.2020
* PJ Entrevista: Autora Gleice Couto! ♥

Ei, Gente! :) E a primeira entrevista do ano não poderia ser diferente: Gleice Couto, autora nacional e a primeira escritora parceira oficial do blog desse ano! \o/

Eu a conheci por acaso na Amazon, por conta de um post para o PJ. Ela é uma fofa, deu uma das respostas mais originais para a pergunta clássica (que sempre faço no PJ Entrevista), tem livro de Natal, criou um grupo de leitura coletiva e a sua mais nova história Off-Line, trata de um dos assuntos mais atuais (e necessários): ansiedade. Aliás, comecei a embarcar e não consigo largar! Então, vamos lá? Com vocês… Gleice Couto! ♥

Crédito da Imagem: Gleice Couto

1. Hora de vender o seu peixe: por que as pessoas devem embarcar na história “Off-Line”?
R: É uma história sobre amizade e autoconhecimento. Dois melhores amigos, Téo e Val, estão lidando com suas próprias questões (Téo, com a rejeição e drama familiar, e Val, com ansiedade e agorafobia) em meio a uma aventura de férias com Elizabeth, a avó de Teodoro, que adora cerveja, charuto e apostar nas cartas. Acredito que Off-line tenha bastante diversão, mas também assuntos importantes comuns a todos jovens (e adultos também!).

2. Suas histórias são baseadas em histórias que vivenciou ou apenas fruto da sua imaginação? Conta um pouco para a gente! ;-)
R: Minhas histórias e meus personagens são expressões que vêm de mim, então, há muito de mim em ambos. Em Off-line, por exemplo, eu me vejo na dramaticidade de Téo, na ansiedade de Valentina, na entrega de Natália e na distância protetora de Elizabeth. Em relação às cenas em si, em Off-line, também inseri algumas experiências próprias, como quando o Téo se vê diante de um labirinto de espelhos; e também quando os dois amigos entram em uma gruta. Além disso, as questões levantadas referentes ao período de ditadura militar no Brasil têm relação com histórias reais de pessoas próximas a mim.

Crédito da Imagem: Amazon

3. Tem alguma mania peculiar na hora de escrever um livro? Se sim, qual seria?
R:
Algumas. Uma delas é que apenas começo a escrever a história quando sei seu início, meio e fim, todas as cenas que terão nela. Preciso disso para fugir do “branco”. Então, essa fase de pesquisa e organização do material costuma demorar bem mais tempo que a de escrita do primeiro rascunho em si. Além disso, gosto de escrever o primeiro rascunho escutando música, mas nas edições do texto, não faço tanta questão assim disso. E há pouco tempo, descobri que funciono melhor escrevendo o primeiro rascunho à mão mesmo, com caneta e papel. Depois de terminado, eu digito tudo e edito. Dá mais trabalho, mas é o que tem funcionado melhor.

4. Como acha que a gente pode apoiar a leitura nacional, já que o Brasil não é um país de tantos leitores assíduos?
R: Em uma perspectiva micro, divulgando. Não nos calando sobre os livros que lemos, levanto debates sobre os assuntos que encontramos neles, não nos permitindo que nos digam o que devemos ou não ler, indicando leituras a conhecidos. Em uma perspectiva macro, investindo em educação, formação de professores, bibliotecas públicas e incentivos a escritores.

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

5. Se tivesse um incêndio na sua biblioteca particular, quais são os três livros que iriam na certa com você na hora do corre corre?
R: Provavelmente nenhum. Não me arriscaria. As histórias marcantes estão na minha cabeça e coração. As que ainda não li, no tempo certo vão parar na minha mão de novo.

***

Prontinho, gente! :) Gostaram? Podem opinar à vontade! E muito obrigada, Gleice. Amei as suas respostas, principalmente sobre o apoio à leitura nacional e pelos livros que você salvaria! Achei bem original. E obrigada também pela confiança no PJ!

Quem quiser embarcar no livro atual dela, é só clicar aqui. Para ficar pertinho da autora, o Insta dela é esse! ♥

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Entrevista – Gabi Freitas
Fan Page ♥  Instagram 


1
29.01.2020
* Top 3 Literário: Ruth Manus! ♥

Ei, Gente! :) Normalmente, eu faço um Top 5 de livros de autores ou de algum tema e tal. Mas esse ano resolvi mudar. Vou revezar. Podem entrar 3 ou 5 histórias de escritores nacionais ou de fora, combinado? E para dar início: selecionei 3 livros da Ruth Manus, que é brasileira, mas atualmente mora em Portugal. Vamos lá? Bom post! ♥

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. Pega lá uma chave de fenda (Editora Benvirá)
Sinopse:
Uma coletânea de textos, onde a autora fala sobre o amor romântico, o amor carnal e, claro, o amor-próprio. Mas sem muito clichê! Ela vê amor em lugares peculiares, que vão desde carrinhos de supermercado até canjas de galinhas. ;-)
Observação da Pequena: Se eu não me engano, esse foi o primeiro livro da Ruth. E olha o título? AMEI. E como a escrita dela me ganhou recentemente, quero embarcar nesses textos também. Quem quiser saber mais, é só clicar aqui.

2. Um dia ainda vamos rir de tudo isso (Editora Sextante)
Sinopse:
Mais uma coletânea de crônicas escritas por ela, que a propósito é advogada e professora de Direito do Trabalho e Direito Internacional. Ruth fala de tudo um pouco, desde assuntos banais, temas sobre machismo, padrões estéticos, família, Portugal, amor, amizade e muito mais. Textos que nos dão a certeza de que sim: um dia ainda vamos rir de tudo isso e levar aprendizados para a vida toda!
Observação da Pequena: Foi o meu primeiro contato com a autora e eu amei cada capítulo, mesmo com algumas ressalvas. E para quem quiser saber mais, é só clicar aqui e aqui.

3. Mulheres não são chatas, mulheres estão exaustas (Editora Sextante)
Sinopse:
Por que estamos tão cansadas? Por que sentimos que o mundo está pendurado nos nossos ombros? Por que ainda temos tantos medos e tantas dúvidas, mesmo nos assuntos mais básicos? Por que ainda pensamos tantas vezes antes de dizer alguma coisa? Por quê tantas coisas… Só de pensar em algumas questões, a exaustão bate, mas sabia que pode ser mais leve? Com alguns textos e questionamentos da autora é possível trilhar esse caminho.
Observação da Pequena: É a minha leitura atual. Ainda estou no comecinho, mas acho que vai ser bem útil. Porque o título resume muita coisa e acho que com a escrita da Ruth dá para perceber que a gente pode estar um passo da tão sonhada leveza! Assim que eu terminar, faço resenha. Quer saber mais? Só clicar aqui.

***

É isso, pessoal. Ela tem mais livro, mas esses foram os selecionados! Os outros são mais da área de Direito e falando sobre Portugal, pelo que eu vi. Enfim, mega recomendo para quem gosta de crônica e tem a mente aberta para aprender com histórias assim! :) No mais, podem opinar à vontade! E me contem: quem vocês querem ver nesse Top 5 ou 3 (pode ser tema ou autor, ok?)?

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: Top 4 Literário – Girl Power
Fan Page ♥  Instagram


2
09.12.2019
* PJ Leu: Meu crush de Nova York! ♥

Ei, Gente! :) Para começar a semana, preparei uma dica literária nacional: Meu crush de Nova York, da autora Raffa Fustagno. Publicado pela The Gift Box, o livro é o clássico romance leve, inspirador e perfeito para quem ama filmes, séries e, claro, a famosa Big Apple! Então, vamos lá? Boa resenha para vocês. ♥ 

PJ Leu - Meu crushLivro: Meu crush de Nova York | Editora: The Gift Box | Autora: Raffa Fustagno
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4,5 livros

Sinopse: Depois de perder o emprego e não conseguir uma resposta sequer para fazer entrevista, Charlotte decide pegar o dinheiro do fundo de garantia e embarcar para um destino chamado Nova York. Ela acredita que essa viagem irá ajudar a esquecer um pouco os boletos, entre outros problemas. Por exemplo? Mesmo após alguns anos, ela ainda não consegue perdoar o pai por ter traído sua mãe! Aliás, essa situação faz com que a nossa protagonista não acredite no amor. Porém, tudo muda quando a viagem, sem pretensão alguma, coloca no seu caminho o Ethan, um barista do Starbucks. Amor à primeira vista? A cidade que nunca dorme promete muito mais!

Opinião da Pequena: Meu crush de Nova York é um romance leve, divertido e que faz a gente viajar pela cidade que nunca dorme e por cenários de filmes e séries que marcaram! Adorei a escrita da Raffa e a premissa  da história. Para alguns, talvez seja clichê, mas um clichê bem escrito, é sempre bem-vindo! E sabem o que eu mais amei? A forma como a autora posiciona a Charlotte. Me senti a melhor amiga dela, tipo a Juli (para entender, melhor ler o livro ^^). Realmente parece que a protagonista está conversando com o leitor. E isso é tão bom, né? Acho que prende mais e a leitura flui melhor!

No mais, é um livro com várias lições no decorrer dos capítulos, principalmente, sobre o amor. Que a propósito não tem regra. É viver um dia de cada vez. Tentar ser pé no chão, mas viver intensamente. Até mesmo quando você é do Rio e o dito cujo é de NY! E o tempo é muito relativo! Falando nisso, amei a tia da Charlotte. Alguns dos melhores conselhos são ditos por ela, que é uma das minhas personagens favoritas! Acho que o livro merecia mais páginas, mas quem sabe não tem um “Meu crush de Nova York 2”? Quanto ao Ethan, ele já ganhou pontinhos extras por trabalhar na minha cafeteria favorita da vida. E é um verdadeiro crush e de arrancar suspiros, principalmente, no aniversário da nossa protagonista e nos passeios misteriosos.

Amei o nome de cada capítulo e pelo que eu entendi, muitos levam nomes de filmes. Aliás, preciso fazer uma maratona com todos que ela menciona nas páginas! E fiquei com muita vontade de assistir Sexy and the city e visitar novamente Nova York. Por fim, adorei o final e mesmo querendo entender algumas coisas, acho que dá asas a nossa imaginação. Ou quem sabe, mais uma vez, um sinal de que vem um segundo livro sobre Charlotte e seu crush por aí. Enfim, recomendo a leitura. ♥

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica!

Beijos, Carol.

Post Antigo: Blogueiras.com

Fan Page ♥ Instagram 


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020