16.02.2021
* PJ Leu: Não é errado ser feliz! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é “Não é errado ser feliz“, da Linda Holmes. Um romance que aborda temas que fazem o leitor sentir que não está só. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: Não é errado ser feliz | Autora: Linda Holmes | Editora: Intrínseca
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4,5 livros

Sinopse: Evvie Drake raramente sai de casa, mesmo um ano após a morte do marido. Todos na cidade acreditam que ela ainda está passando pelo processo de luto, inclusive o seu melhor amigo Andy.

Enquanto isso, Dean, amigo também do Andy, é um ex-arremessador que está passando por uma fase bem ruim na sua carreira. Para ficar longe de tudo que faz mal, ele acaba se mudando para o apartamento anexo à casa de Evvie.

Quando se conhecem, os dois combinam de ela não perguntar nada sobre beisebol e ele de não tocar no assunto do falecido marido dela. Mas será que ambas as regras serão quebradas? ;-)

Opinião da Pequena: Para começar, achei a premissa bem interessante. Parece que a gente já viu algo parecido, mas ao mesmo tempo não, sabem? Nunca tinha lido nada da autora e adorei a forma como ela escreve e constrói os capítulos.

Evvie é uma personagem que traz inúmeros aprendizados. E a sua evolução é natural, sem forçar a barra. Dean segue o mesmo ritmo! No começo, eu já imaginava o que ia acontecer. Mas criei algumas suposições e não acertei hahaha. Andy é aquele amigo que a gente quer trazer para a vida real.

É uma história que envolve o leitor (pelo menos me envolveu), mas não é aquela leitura que devorei. Porém, a culpa é do cansaço e é bom ler com calma. Não embarcar só por embarcar. Não compreendi muito bem o desfecho. A última frase não fez muito sentido para mim. Mas gostei de como as coisas terminaram no geral.

Crédito da imagem: Pequena Jornalista

O título super combina com o conteúdo e a capa igualmente! É leve, trata de assuntos que muitas vezes julgamos, mas a gente pensa: não é porque a pessoa morreu que virou santa. Tem muita coisa por trás dos bastidores que a gente nunca imagina!

Fala sobre relacionamento abusivo, mas aquele psicológico e que aparece nos mínimos detalhes. Que fere do mesmo jeito! Fala sobre a importância de cuidar da saúde mental. Fala sobre recomeços e desfechos. Família e amigos! Muitas vezes, senti que a história foi feita para mim no quesito amizade. A vida muda o tempo todo e não ser mais a primeira pessoa que aquele amigo liga, dói. Porém, isso não significa que tudo acabou. É só uma nova fase e que o tempo faz a gente se acostumar.

Metáforas de terapia super fazem sentido. Pelo menos a do alicate para tirar do dente fez! E algumas reações são como a gota d’água. Aliás, destaque para a Monica e a Dra. Talco. Mas todos os personagens tiveram a sua importância, até mesmo, o vilão da história e todos os pais, os fofos e os sem noção hehehe.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Enfim, adorei o livro e fez diferença na minha vidinha! Tudo se ajeita, aos poucos. A gente não precisa se expor 100%, mas entender o que tá rolando é importante. Não dá para acerta sempre. Ah! Terapia e um doguinho são ótimas prescrições! E ler “Não é errado ser feliz” também, mesmo com algumas ressalvas. ♥

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica. No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Não esqueça de Paris
Fan Page ♥  Instagram 


2
19.01.2021
* PJ Leu: A Troca! ♥

Ei, Gente! E a primeira resenha do ano está no ar. Esse ano comecei lendo “A Troca” (na verdade, no finalzinho do ano passado), da autora Beth O’Leary, a mesma do livro incrível “Teto para dois”. É um romance, que retrata assuntos delicados, mas que absorvemos com muita leveza e diversão. Vamos lá? Boa leitura! ♥

Livro: A Troca | Autora: Beth O’Leary | Editora: Intrínseca
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros

Sinopse: Leena Cotton tem 29 anos e sente que já não é mais a mesma. Sua avó, Eileen Cotton tem 79 e está em busca de um novo amor. Para uma mudança radical, as duas decidem trocar de lugar uma com a outra. Leena vai viver a vida de Eileen e Eileen vai viver o dia a dia da Leena.

Mas será que a neta vai se adaptar à calmaria de uma cidade pequena e os amigos irreverentes? E a avó vai conseguir atingir o seu objetivo de encontrar um novo amor em Londres e respirar ares, até então, desconhecidos?

Essa não é apenas uma troca de casas. Mas de rotina, celulares e computadores e muito mais! É uma história que vai além e, talvez, ao destrocar, elas podem notar aprendizados que jamais imaginariam e soluções também. ;-)

Opinião da Pequena: Sabe quando você lê um livro de um autor e ama, mas fica com medo de criar muita expectativa e se decepcionar com outros? O segundo livro da Beth O’Leary é simplesmente perfeito! Me surpreendeu ainda mais do que o primeiro. Sem dúvida, ela entrou para a minha listinha de escritoras favoritas.

E quanto à história: uma troca e muitas mudanças. Não só com as protagonistas, mas com todos ao seu redor. Inclusive, com os leitores. Tem romance, amigos peculiares, luto e aprendizados. Personagens que lembram pessoas do nosso convívio ou aqueles que já foram para o lado do papai do céu.

Ah! Olhem que doido, não tive muito contato com a minha bisavó materna, mas por alguma motivo a Eileen me trouxe memórias dela. Talvez, por ela ter sido uma grande fã da autora Agatha Christie, assim como a personagem. Enfim, a minha mãe, que não é uma leitora assídua, acho que amaria esse livro. Vou até sugerir e conto para vocês o desfecho.

Crédito da Imagem: Amazon

Voltando ao livro… Eileen e Leena são típicas “pessoas” que a gente se identifica e quer trazer para a vida real, se tivesse esse poder. Cada uma com seu jeitinho, mas com uma genética quase igual. Arnold virou o meu crush literário atual e juro que por trás de uma implicância e um cara rabugento, o coração e as sacadas são de ouro. Virou um dos meus personagens favoritos!

Marian é uma personagem presente, mesmo não aparecendo muito. Mas são aquelas aparições que fazem a diferença. E amei “conhecer” a Carla, mesmo que de longe, que lembrou muito a minha irmã mais nova e o meu amor por ela só aumentou. Hank é o dog mais fofo e Jackson é sem palavras e sua filha mais ainda. Destaque para a Bee, Martha e Betsy. Aliás, o desfecho da história no geral foi perfeito e apesar de eu ter ficado com algumas dúvidas, achei a maioria das coisas bem amarradinhas e nada forçado, de última hora.

Quanto às lições: aprendi que o lar é onde o coração está. Mas esse local pode te surpreender. Se intrometer na vida alheia não é legal, em contrapartida, às vezes, é necessário. E que o luto faz parte da vida e cada um tem um jeito de lidar, mas o importante é lidar. Isso não te faz mais ou menos problemática, você só está aprendendo a seguir em frente. Ou melhor, lidar de frente. E quando alguém se vai, algo sempre fica.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Enfim. É um livro que arranca boas risadas e te faz chorar. Pelo menos, me fez. E, sim, a gente dá aquele abraço quentinho no final dos agradecimentos. E descobre como vai ser bom “Eileenar” um pouco daqui para frente. Ah!! Em breve vai virar filme e estou ansiosa.

Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo e MUITO!

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Teto para dois
Fan Page ♥ Instagram 


10
02.10.2019
* PJ Leu: Teto para dois! ♥

Ei, Gente! :) O mês de setembro foi repleto de leituras incríveis e o último livro que li foi “Teto para dois“, da autora Beth O’Leary. Comprei esse romance na Bienal e valeu cada página! Além da capa chamar a atenção, o conteúdo é maravilhoso. Bem diferentão… Afinal, imagina alugar um apartamento, com apenas uma cama e dividi-la com um completo estranho? Então, vamos lá? Boa leitura! 

PJ Leu - Teto para doisLivro: Teto para dois | Editora: Intrínseca | Autora: Beth O’Leary
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros!

Sinopse: Depois de três meses do fim do relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bem inusitado.

Leon, por sua vez, está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional: sublocar seu apartamento, onde fica apenas na parte da manhã e de tarde nos dias úteis, já que passa os fins de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Mas existe um detalhe… O lugar tem apenas uma cama!

Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Tiffy e Leon, fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as questões do dia a dia por post-its espalhados pela casa. Mas será que tudo isso resiste a um ex obsessivo, uma namorada pra lá de ciumenta, irmão preso e amigos superprotetores? ;-)

Opinião da Pequena: Eu sei. Pareço repetitiva, mas esse livro é MUITO BOM. Com letras garrafais mesmo! Foi um dos livros que mais me chamou a atenção na Bienal e não me arrependo nadinha de ter comprado. A premissa é bem boa e diferente de tudo que já li! E o melhor: a autora não deixa para colocar todos os pingos nos is só no último capítulo, sabem? Mil pontinhos para ela! 

Vamos aos personagens principais? Tiffy já passou por poucas e boas, mas é uma personagem que inspira. Sempre irreverente e de bom-humor! Fiquei imaginando cada look dela. Leon é tímido, na dele, mas é o tipo de crush literário perfeito, na medida certa. Adorei as conversas através de post-its e deu vontade de conversar com o meu namorado por esse meio também hahaha. Os amigos, colegas de trabalho, ex-namorados e atuais ganham destaque na história. Adorei os pacientes, principalmente a Holly. A família também é uma parte bem importante nesse livro! Aliás, a relação entre e o Leon e o irmão é incrível. E o que falar do Mo? Se eu não tivesse a minha terapeuta, iria querer me consultar com ele :)!

A autora trata de assuntos bem importantes, como relacionamento abusivo, de uma forma que faz o leitor refletir. Nada se resolve como um passe de mágica e isso faz a diferença! É tudo com muita delicadeza e certa leveza. Acho que traz proximidade entre os personagens e os leitores! Se você passa por isso, já passou ou conhece alguém que passe, vale indicar e/ou embarcar nessa história, que não é apenas um romance digno de contos de fada!

O final é de arrancar suspiros e tem tudo a ver mesmo! Fiquei apaixonada e, digamos, que rolaram algumas lágrimas. Claro que senti falta de algumas coisas, como um desfecho mais explicadinho do irmão do Leon e a Kay que sumiu muito rápido. Mas não vou entrar em muitos detalhes para não dar spoiler, ok? Ah! O livro traz lições incríveis: o inusitado, às vezes, traz surpresas incríveis. Se permita, vá no seu tempo e sempre valorize os amigos e, claro, a família. Cada caso é um caso, óbvio, mas deu para entender.

Enfim, não sei se esqueci de mencionar algo, mas de uma coisa eu sei: POR FAVOR LEIAM ESSE LIVRO! E já leu esse livro? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo MUITO! 

Beijos, Carol.

Post Antigo: Não se esqueça de Paris

Fan Page ♥ Instagram 


6
08.02.2019
* PJ News de Fevereiro – Oscar, Carnaval e Beleza! ♥

Ei, Gente! :) Não, eu não esqueci do PJ News desse mês. Aliás, fevereiro promete muita coisa, inclusive a noite do Oscar! Quero fazer maratonas de alguns dos filmes que estão concorrendo e vocês? Também tem novidade já para o Carnaval, edições especiais de livros e muita coisa do mundinho de beleza! Vamos lá? Bom post! 

PJ News - Fevereiro 2019Crédito das Imagens: Pequena Jornalista (1), Instagram Intrínseca (2), Divulgação (3, 6, 7 e 8), Instagram Risqué (4), Instagram Garotas Estúpidas (5)
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

Para começar: no dia 24 de fevereiro, vamos saber os grandes ganhadores do Oscar. Alguns filmes estão na minha listinha, principalmente, Green Book. Vice, Pantera Negra, Bohemian Rhapsody e Nasce uma estrela já assisti.  E quem ama a Jenny Han, autora do livro “Para todos os garotos que já amei”? Eu! E tem edição nova da trilogia “Verão”, lançada pela editora Intrínseca, que conta a história de uma garota, sua primeira paixão, nessa estação calorosa! Mas se o seu pensamento está voltado apenas para o Carnaval, aqui vai uma outra dica: Camarote Allegria, que acontece na Sapucaí (Rio de Janeiro). Esse ano, eles prepararam sete dias de folia e tem programação para todos os gostos. Para saber mais, é só clicar aqui. ;-)

E quem ama esmalte? \o/ A Risqué, lançou recentemente a coleção Coloridos, com tonalidades bem a cara do verão. Ainda nesse nicho “beleza”, você sabia que a Julia Petit, do Petisco, anunciou o lançamento de uma marca de cosméticos? O nome é Sallve, que tem por objetivo formular produtos com a ajuda dos seguidores e com precinho bem em conta. Achei bem bacana essa novidade e vocês? E para terminar o tema beleza nesse post, até o dia 4 de março, a Sephora apresenta a “Mini Mania“, uma ativação exclusiva que destaca versões mini de produtos que amamos ou que sempre sonhamos em ter para diversas ocasiões. Uma que fiquei desejando é a espuma de limpeza da Caudalie, que purifica e acalma a nossa pele. Além dessa versão ser uma fofura, é bem útil para levar na bolsa, nécessaire de viagem e tal.

Por fim, tem duas novidades para colaborar com os nossos looks do dia a dia. A primeira é a coleção Bohemian, da Damyller. Amei muito essa blusa! Mas toda a linha tá bem fofa, mas essa peça foi a minha preferida. Gostei que dá para usar em qualquer estação, sabem? E a Melissa, lançou modelos de sandálias para a gente curtir o Carnaval e outras ocasiões com muito conforto: é a Melissa Disco, que tem a versão flat também. Já quero: sim ou com certeza?

Prontinho, gente! Qual foi a novidade que fez seu coração acelerar? ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para todos os Garotos que já amei

Fan Page ♥  Instagram 


10
05.07.2018
* PJ Leu: A sutil arte de ligar o f*da-se! ♥

Ei, Gente! E hoje vai rolar mais uma dica literária: A sutil arte de ligar o foda-se, do autor Mark Manson. Esse livro, que foi publicado pela Intrínseca, é uma ótima leitura para quem deseja levar uma vida melhor. Enfim, vamos lá? Boa resenha! ;-)

PJ Leu - A sutil arte de ligar o fodaseLivro: A sutil arte de ligar o foda-se| Editora: Intrínseca | Autor: Mark Manson
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: três livros!

Sinopse: Depois de décadas ouvindo que o segredo para uma vida feliz é pensar positivo, chegou a hora de tentar um caminho que parece ir contra tudo o que você já leu. Que tal experimentar um novo olhar, mais coerente com a realidade e consciente de seus limites? Não espere milagres, mas esta sutil arte pode iluminar o seu caminho, se você estiver disposto a isso. Porque o verdadeiro segredo não é fazer uma limonada com os limões que a vida nos dá, mas conviver numa boa com a úlcera no estômago que vem em seguida.

Sabemos que somos cheios de falhas e limitações, mas não adianta fingir não vê-las. O melhor é reconhecê-las e aprender a aceitá-las. Uma vez que abraçamos nossos medos, defeitos e incertezas, uma vez que paramos de fugir e começamos a confrontar as verdades mais dolorosas, nos abrimos para encontrar coragem, perseverança e e entusiasmo.

Um livro que é o primeiro passo para descobrirmos o que realmente importa em sua vida e o resto, a gente já sabe: f*da-se.

Minha opinião: Quando eu comprei esse livro, esperava uma coisa totalmente diferente. Um título desses me dá ideia de que vou aprender muito e rir na mesma intensidade. Aprendi, mas não foi um livro divertido que imaginei, pelo contrário: demorei para terminar. Então, menos um pontinho para o nome, que, na minha humilde opinião, não bate muito com o conteúdo. Mas, calma, isso não significa que eu detestei, ok? É uma leitura repleta de lições valiosas, que fazem a gente querer encarar a vida de uma outra maneira. Mas de uma forma mais realista, sem tapar o sol com a peneira. É um livro que dá uns tapas necessários na nossa cara!

Dentre tantas anotações para praticar, duas eu quero levar para a vida: a primeira é sobre culpa e responsabilidade. Por exemplo, uma doença pegou você de surpresa? Provavelmente, a culpa não é sua, mas a responsabilidade pertence totalmente a você! Ou seja, você é responsável pela forma que decidir encarar essa situação. É meio lógico, mas lendo isso nesse livro, bateu de um jeito diferente, sabem? E a outra: sabe aquela mania da gente esperar a tal da inspiração para fazer tal coisa? Mark nos mostra que não precisa funcionar assim. Muitas vezes, você deseja escrever um livro, porém, nunca está inspirado. Mas sabe qual é a melhor atitude? Pegar o computador e começar a escrever.  Resumindo: não espere a inspiração chegar para agir. Faça o oposto e pronto!

Enfim, por mais que não seja uma leitura divertida, vale a pena. Destaque para o capítulo que fala sobre a morte de um amigo, que acredito que seja do autor mesmo (agora não lembro desse detalhe) e algumas páginas que mencionam uma rica história de Pablo Picasso. No mais: já leu? Conta o que achou. Ainda não? Fica a dica! ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Procurando Gobi

Fan Page ♥ Instagram  


2

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2021