15.04.2019
* Radar Literário: Campanha Livres e Iguais! ♥

57297861_616522462155387_3571255028767260672_nCrédito da Imagem: Divulgação Editora MOL (Banca do Bem) 

Ei, Gente! :) Quem acompanha o blog, sabe que a Banca do Bem (Editora Mol) é uma grande parceira do PJ, sem o menor fim lucrativo. Sou fã das publicações deles há séculos e acredito que o trabalho que eles realizam ajuda a mudar o mundo e faz a gente querer fazer o mesmo. Fora que deixa o nosso dia a dia mais leve e feliz, dando valor aos mínimos detalhes. Sendo assim, resolvi divulgar uma nova campanha deles em prol da publicação do livro “Livres e Iguais“, onde encontramos 30 postais sobre direitos humanos e a renda será revertida para ONGs que apoiam mulheres, negros, LGTBs e índios.

Mas para esse sonho sair do papel e virar uma linda realidade, eles contam com a ajuda de todos! Como? Bom, está rolando, até o dia 8 de maio, uma campanha de financiamento lucrativo. através desse link. A meta é R$ 125.000,00 e pode doar o valor que for viável para cada um. O importante é ajudar e espalhar o bem! A luta é de todos, independente de qualquer coisa (tipo opinião política e tal)! Então, acessem o site e saibam mais informações. ;-)

57882536_1961078344000894_7127289569610825728_nCrédito da Imagem: Divulgação Editora MOL (Banca do Bem) 

Eu já fiz a minha parte… E vocês? Se o momento não for o melhor para ajudar financeiramente, não tem problema, ok? Eu mesma queria ajudar muito mais, mas, por enquanto, eu não consigo. Porém, compartilhar essas informações já é um gesto grandioso. Lembre-se: por “menor” que seja a sua atitude, ela é sempre válida

Beijos, Carol.

Post Antigo: Entrevista – Roberta Faria

Fan Page ♥  Instagram


1
15.10.2018
* PJ Leu: As melhores coisas da vida! ♥

Ei, Gente! A dica literária da semana é “As melhores coisas da vida“, da Editora Mol, escrito pela Roberta Faria. É um livro repleto relatos sobre prazeres simples da vida, que nos fazem lembrar o que realmente importa na vida. Além disso, a publicação é uma comemoração da Revista Sorria e tem um cunho social também. Na compra de 1 livro, o valor é revertido para o GRAACC e mais 10 projetos sociais. Então, um momento de prazer, vira uma colaboração incrível.

PJ Leu - As melhores coisas da VidaLivro: As melhores coisas da vida | Editora: Editora Mol (Banca do Bem) | Autora: Roberta Faria
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: cinco livros!

Minha opinião: No começo do post, já mencionei um pouco da sinopse desse livro. Então, vou direto para a minha opinião, combinado? ;-) Quem acompanha o blog, sabe o quanto eu amo a Revista Sorria, um veículo que fala sobre assuntos relevantes, mas de uma maneira leve e que faz a gente sorrir a cada matéria lida. E nesse ano, eles completaram 10 primaveras. Então, pelo que eu entendi, para comemorar, eles criaram essa livro lindo com uma das sessões mais incríveis: Prazeres simples.

Nele, a gente dá ainda mais valor a essa simplicidade diária, em forma de um sorriso, de um livro, do bichinho de estimação, da comida e, até mesmo, de uma árvore e do horizonte. Também entramos dentro de um abraço e temos ainda mais noção do quão importante é a palavra amadurecer e do significado de pai e mãe. Valorizamos uma ida à praia, a chegada da primavera, verdadeiros amigos (mesmo a longa distância) e um registro fotográfico. Não deixamos de lado uma soneca, a hora do recreio e duas palavras fazem ainda mais sentido: amor próprio!

Destaque para a capa linda e para as observações “pequenas felicidades” de cada história. Fora isso, a leitura flui e quando nos damos conta, já chegamos ao final dela. Aliás, é impossível chegar lá e não pensar no que realmente importa. Por isso, fiz a minha listinha com 10 prazeres simples. ;-)

1. Ler um livro e abraçá-lo no último capítulo. 
2. Acordar e tomar meu mate leão (na minha caneca favorita).
3. Dividir meu café da manhã com a minha cachorra. 
4. Jantar com a minha irmã no fim do dia.
5. Receber o clássico “boa noite, amo vocês” da minha mãe, via WhatsApp. 
6. Ir ao cine, levando um lanche do MC Donald’s, na companhia do meu namorado.
7. Um jantar ou almoço no Outback com as amigas. 
8. Receber um e-mail de uma empresa, falando que admira o seu trabalho, sendo que você é fã do trabalho deles (isso não tem preço, obrigada, Editora Mol, sem puxa saquismo, juro )
9. Esquecer um livro por aí. 
10. Conseguir cumprir mais da metade das atividades do dia e não brigar comigo por não ter conseguido cumprir todos (ou seja, me cobrar menos).

É isso, gente! :) Mega recomendo a leitura. Com certeza, vai fazer um bem danado, por mais que você não se identifique com todos os textos. Obrigada pela parceria, Editora Mol! Ah! Quem quiser comprar um livro, que custa R$ 4,20, é só comprar no site da Banca do Bem e/ou na Droga Raia. Vale a presentear a si mesmo ou alguém que você acredita que vá adorar a mensagem de “As melhores coisas da vida”. Falando nisso: quais são as melhores coisas da vida para vocês? ;-)

Beijos, Carol.

Para ler: Conhecendo a Redação Sorria

Fan Page ♥ Instagram 


2
22.12.2016
* PJ Leu: Eu amo comida! ♥

Ei, Gente! Desculpa o sumiço durante essa semana, mas sabem como é final do ano. Enfim, vamos de dica literária hoje? ;-) O livro da vez é Eu amo Comida, uma obra coletiva da Editora Mol. Para saber mais, continuem lendo o post.

pj-leu-eu-amo-comidaLivro: Eu amo comida| Editora: MOL
Agradecimento: Editora MOL
Crédito: Pequena Jornalista 

Sinopse: Eu amo comida nos presenteia com 50 histórias de brasileiros que amam saborear a vida. Além da comida ser combustível que alimenta o nosso corpo, ela também é prazer, cultura, lembrança, lazer e vida. De norte a sul, da lavoura à mesa, da entrada à sobremesa, esse livro é uma coleção de histórias inspiradoras de quem produz, de quem cozinha e de quem come. Para abrir o apetite e, claro, os horizontes. ;-)

Minha opinião: Algumas histórias mexeram mais que outras, mas todas mostraram diferentes sentidos para essa palavrinha tão essencial na nossa vida. Quem não ama comida? Impossível! E pensar que “ela” vai além, abre os horizontes mesmo. O que mais aprendi? É que comida remete lembrança, cheiro de infância, sabem? Outras lições… Não sou muito de me aventurar na cozinha, mas com a história do Vicente, por exemplo, vi que o importante é experimentar e me divertir. Cozinha é assunto sério, mas pode (e deve) ser uma grande fonte de diversão. Com a Sophie, percebi que a gente precisa de mais amor e menos dieta. Comer de forma saudável é fundamental, mas também não podemos nos privar e sentir culpa por qualquer brigadeiro! Nossa principal regra quando o assunto é comida tem de ser essa: comer sem culpa e sem medo de ser feliz!

Para quem não é muito íntimo do assunto, talvez a leitura não seja tão rápida. Mas vale ler até o final. A escrita do livro é bem leve! E dentro das páginas encontramos ilustrações bem fofas e com dicas essenciais para tornar esse momento ainda mais prazeroso. Mega recomendo!

Ah! Lá no Instagram do blog, está rolando sorteio (em parceria com a Editora Mol ^^) para ganhar um livro “Eu amo comida” (e outros mimos).  Só clicar aqui, seguir as regras, cruzar os dedos e boa sorte!  Tem até o dia 31 de dezembro, tá? No dia 1º de janeiro, divulgo o vencedor lá no Insta.

Beijos, Carol.

Quer ler a entrevista com a Roberta Faria (coordenadora do livro)? Clique aqui

Fan Page ♥  Instagram


2
16.11.2016
PJ Entrevista: Roberta Faria, do livro “Eu amo comida”! ♥

Oi, Gente! E quem responde as perguntas do dia é a jornalista Roberta Faria, a coordenadora da coleção de livros “Eu amo”. Recentemente, a Editora Mol lançou o livro “Eu amo comida“. Ainda não li, mas já conheço alguns trabalhos da editora e sou muito fã (Aliás, sabem aquela revista Sorria, que vende na Banca do Bem e na Droga Raia? Então, é deles também ^^). Enfim, a equipe que está por trás desse livro é grande. Queria entrevistar um por um, mas a Roberta está representando todos. Vamos lá? Bom apetite, ou melhor: bom post hahaha! :)

pj-entrevista-eu-amo-comida       PJ Entrevista: Roberta Faria, do livro Eu amo Comida! 

1. Se conseguissem resumir em uma palavra esse livro, qual seria?
R: FOME! Deu muita fome pesquisar, entrevistar, escrever, editar, e dá fome ler também :)

2. Contem um pouquinho como foi o processo, desde a ideia de escrever até quando o livro saiu do “forno”.
R: Em 2013, nós lançamos o livro Eu Amo Bike, com 50 histórias de apaixonados por pedalar. E logo percebemos que poderíamos transformar essa ideia de “Eu Amo” em uma coleção, com um livro para cada paixão nacional… Porque são livros visuais, com histórias de pessoas incríveis que não se encontra por aí, que retratam um Brasil que pouco vemos e conhecemos, sobre temas que quem ama, ama muito. Ou, como costumamos dizer – são livros apaixonantes, para pessoas apaixonadas. Então vieram o Eu Amo Viajar, o Eu Amo Correr e, agora, o Eu Amo Comida.

Esse tema é uma paixão enorme pra gente aqui na editora (temos uma revista de comida, a O QUE TEM PRA JANTAR?, e colocamos receitas em todas as nossas publicações dos mais diversos temas; eu, pessoalmente, cozinho praticamente todos os dias da minha vida o almoço e o jantar da família, tenho uma coleção de mais de 500 livros de receita e penso em comida 70% do tempo, rs). Então foi uma alegria imensa passar 6 meses envolvida nessa produção.

Como sempre, tudo começa com a pauta – a gente imagina que tipos de perfis gostaríamos de ver no livro, pensando em ter representantes de todos os elos da cadeia do alimento (quem produz, quem prepara, quem come), de todas as regiões do Brasil e da maior diversidade de pessoas possível. Depois, a equipe corre atrás de histórias que se encaixem nessas “vagas”. E então partimos pra edição, selecionando quem entra, indo mais a fundo nas histórias, pesquisando dicas que levem a inspiração pra realidade, produzindo as fotos e editando tudo. No total, nós trabalhamos com uma equipe de mais de 60 pessoas – a nossa própria e mais colaboradores de texto, foto, arte e apoio em todo Brasil.

eu-amo-comida-pj-250 motivos!

3. Como vocês encontraram os personagens para esses livros? Aliás, o que fez vocês falarem “essa história precisa estar no livro” (podem exemplificar)?
R: Temos uma equipe de reportagem já muito acostumada a fazer “caça-personagens”, já que praticamente todas as publicações da MOL contam histórias reais de anônimos, bem “gente como a gente”. O caminho que nossos repórteres fazem vai desde perguntar no grupo da família se alguém conhece alguém naquele perfil, até ir para a rua buscar a história, passando por muita pesquisa na internet, contato com instituições que representam o tema que estamos trabalhando, redes sociais etc. E, claro, como somos ligados ao tema, muitas histórias já estavam no radar, de pessoas que conhecemos e adoramos, e ainda não tinham saído nas nossas publicações.

Para ficar mais claro, o caminho é esse:

> Como falei antes, nós primeiro pensamos nos perfis que gostaríamos de retratar – por exemplo, alguém que plantasse orgânicos, uma pessoa que fosse maluca por um prato específico, uma cozinheira exímia no preparo de marmitas… Tentamos imaginar “representantes” para toda a cadeia do alimento, da lavoura à mesa, da entrada à sobremesa, incluindo especialistas em produzir, em preparar e também em comer.

> A partir dessa lista, uma equipe de dez jornalistas foi atrás de quem tivesse uma boa história para contar em cada perfil, usando apuração por telefone, ao vivo, via redes sociais…

> Reunimos cerca de 100 possíveis personagens, e dentro deste mapa de apurações selecionamos os que entraram no corte livro usando vários critérios, como ser um personagem com pouco conhecido na mídia tradicional; com uma história curiosa, que desse água na boca; e que estivesse em uma região metropolitana, para facilitar a produção das imagens com fotógrafos locais.

> Além disso, buscamos na seleção final ter gente de todas as regiões do Brasil (temos gente de 17 estados no livro), de faixas etárias diversas (os personagens vão de 7 a 80 anos), com equilíbrio entre os gêneros (no livro aparecem 28 homens e 31 mulheres – o número passa de 50 porque há vários personagens que são duplas, como casais).

> Também buscamos ter uma grande diversidade de temas, para dar um panorama da nossa riqueza cultural e gastronômica. Claro que sempre fica faltando muita coisa, porque o Brasil é grande demais para caber em um livro. Mas acho que conseguimos fazer um belo passeio pelas mesas do país, que vai desde o churrasco de fogo de chão nos pampas gaúchos até a comida indígena feita em panelas de barro em Roraima, passando pela carne de jacaré do Pantanal mato grossense, pela herança italiana em São Paulo, pelos sorvetes de frutas brasileiras que só se toma em Fortaleza, pelas compotas de Goiás…

4. Qual é a principal mensagem? O que o leitor pode esperar? Aliás, indicam mais para quem?
R: Mais do que um livro sobre comida, fizemos um livro sobre gente apaixonada, e que empreende essa paixão pelo alimento no campo e nas panelas, inventa receitas, lança moda, põe a mão na massa – literalmente. É um livro para qualquer pessoa que goste de comer – e de ouvir histórias de pessoas criativas e batalhadoras.

Nossa ideia é mostrar que a comida não é apenas o que enche a barriga. Comida também é cultura, ciência, negócio, ativismo, lazer. E conhecer aquilo que levamos à boca – a qualidade, a origem e o trabalho que dá produzir um simples tomate, por exemplo – é o melhor caminho para a gente se alimentar melhor, fazendo escolhas mais saudáveis, sustentáveis e saborosas.

5. Além desse, a editora tem outros livros da série “eu amo (…)”. Já tem o próximo tema? Podem adiantar?
A Coleção Eu Amo já tem 4 títulos – além de Eu Amo Comer, tem Eu Amo Bike, Eu Amo Viajar e Eu Amo Correr. E temos na gaveta muitos outros títulos, que buscamos parcerias para viabilizar – porque os livros são patrocinados diretamente, como é o caso dos três primeiros, ou por leis de incentivo, como é o caso do Eu Amo Comida. Entre eles, temos Eu Amo Cachorro, Eu Amo Gato, Eu Amo Futebol, Eu Amo Cinema, Eu Amo Bebês, Eu Amo Música, Eu Amo Livros… ih, ainda temos muita paixão pela frente :) Temos lançado um por ano desde que começamos a coleção, e em 2017 não deve ser diferente.

colecao-eu-amo-pjColeção toda (e com certeza teremos mais!!)! 

***

Bacana, né? Quero participar do projeto Eu amo cachorros e livros, tá? hahaha #brincadeirinha #comfundo #deverdade ;)! Voltando… Assim que eu ler, faço resenha para vocês! Muito obrigada, Roberta. Todo sucesso do mundo e parabéns por coordenar uma coleção e publicações tão legais. E obrigada também a Roberta Barbieri, que fez a ponte. Ela também está por trás desse livro mara, gente. Todo sucesso do mundo para vocês e para todos que participaram de alguma forma desse livro.

Ah! Quem quiser comprar os livros dessa coleção, é só entrar aqui, na Banca do Bem. Vale lembrar, que o Eu amo comida tem renda revertida para a Gastromotiva e o Banco de Alimentos. Nesse link, tem informações sobre as duas ONGS. ;-)

E mais um recadinho, gente. Quem for do Rio de Janeiro ou tiver por aqui hoje, vai ter o lançamento oficial do livro, na Barra da Tijuca, às 19h. Segue o convite para vocês! Quem vai fazer companhia para a pequena blogueira que vos bloga, hein? Vamos! Ainda vai ter a inauguração do Prosa na Cozinha e um novo sabor de sorvete lá. Imperdível, não acham? 

convite-lancamento-eu-amo-comida-rj-pjCrédito dessa e de todas as outras imagens desse post: Editora Mol (divulgação). 

É isso, gente. Já conheciam a coleção? E esse novo livro? Podem opinar à vontade! :)

Beijos, Carol. 

Para lembrar: há um tempinho, visitei a Editora Mol
lá em São Paulo. Registrei tudo e fiz um
post aqui. Vale o clique. ;p 

Fan Page ♥  Instagram


15

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020