01.10.2019
* PJ Entrevista: Alexandra Godoy! ♥

Ei, Gente! :) Para começar o mês, fiz uma entrevista com uma autora brasileira bem fofa que conheci através do Instagram: Alexandra Godoy Ela é autora do livro “Segredo de Justiça“, um romance erótico, que ficou duas semanas como o mais vendido do gênero na Amazon. Ah! Em menos de um mês, a história já completou mais de 66 mil páginas lidas. Muito legal, né? Então, se você gosta desse tipo de livro, corre para garantir o seu e-book. Mas antes, dá uma lida nesse post. Conta aí, Alê! ;-)

PJ Entrevista - Segredo de JustiçaPJ Entrevista: Alexandra Godoy!

1. Hora de vender o seu peixe: Por que o pessoal deve ler “Segredo de Justiça”?
R: Quando escrevo algo, a primeira pergunta que faço é, eu leria isso se não fosse meu? Quando nos perguntamos isso, temos uma nítida noção da mensagem que queremos passar para o leitor. “Segredo de Justiça” é um livro apaixonante, possui uma leitura fluida, ideias criativas, personagens sensíveis e muito bem alinhados. O livro vai além de cenas eróticas, embora essas sejam muito excitantes e estimuladoras. Possui uma pegada investigativa e muito suspense, para quem gosta de um frio na barriga, esse é bem instigante. O legado que deixo sobre esse livro hipnotizante em relação ao amor é que não importam as circunstâncias, o lugar e o tempo, para viver, basta senti-lo. Entretanto, sempre haverá consequências boas ou ruins, nós que teremos que julgar se isso é bom, legal ou imoral. Vale muito a pena a leitura!

2. Uma curiosidade durante a escrita desse livro, que quase ninguém sabe?
R: Eu mudei a dinâmica do crime.

3. A parte doce e amarga de viver de livros no Brasil?
R: A leitura transforma o ser humano, enriquece seu conhecimento, estimula a criatividade, melhora a comunicação. São tantos os benefícios da leitura que não dá para mensurar. Quando escrevemos algo e conseguimos atingir o coração das pessoas é mágico, é uma experiência única. Essa é a parte doce da leitura, fazer com que o leitor entenda e ame o que sua mensagem quis dizer e de alguma maneira levar para a sua vida. E viver de livros no Brasil é difícil e desafiador, menos da metade da população não possui o hábito da leitura, e muitos escritores acabam deixando esse dom de lado, por não conseguir se manter com a escrita. Se for iniciante então, os obstáculos são ainda maiores.

4. Tem alguma mania peculiar na hora de escrever? Conta. :)
R: Eu tenho um ritual para escrever. Tenho que estar ouvindo música lenta ou clássica, inclusive coloquei duas músicas instrumentais na trilha sonora de “Segredo de Justiça” de um pianista que gosto muito. E posso falar duas manias? rsrs =) Eu também costumo trocar de lugar, fico intercalando entre a sala e o quarto.

5. Se pudesse salvar três livros em um incêndio da sua biblioteca, quais você salvaria? 
R: Nossa! Difícil… São tantos livros que gostaria de salvar! Mas acho que esses marcaram minha vida e conseguiram me atingir de alguma maneira. “O Lado Bom da Vida” (de Matthew Quick), “Um Refúgio para a Vida” (de Nicolas Sparks) e “Cinquenta Tons de Cinza” (de E.L James). 
***
Gostaram? Podem opinar à vontade. =) E, Alê, muito obrigada pelas respostas. Essas entrevistas sempre me incentivam muito!  Sucesso, viu? ^^
Ah! E quem quiser embarcar nesse romance apimentado, é só clicar aqui. Também está disponível no Kindle Unlimited.
Beijos, Carol. 
Post Antigo: PJ Entrevista – Gaía Passarelli 
Fan Page ♥ Instagram 

4
25.09.2019
* PJ Leu: Desencontros à beira-mar! ♥

Ei, Gente! =) Pela milésima vez, desculpa o sumiço. Não está sendo organizar o meu dia a dia, mas um dia eu chego lá! Ainda tenho alguns conteúdos sobre a Bienal, mas hoje vou postar mais uma resenha de um livro da série “Romances de Hoje“, da Editora Arqueiro, ok? Dessa vez, o PJ Leu: Desencontros à beira-mar, da Jill Mansell. Vamos lá? Boa leitura! 

PJ Leu - Desencontros à beira-marLivro: Desencontros à beira-mar | Editora: Arqueiro | Autora: Jill Mansell
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros!

Sinopse: Clemency se apaixona por um desconhecido que sentou do seu lado em um voo. Logo faz planos na sua cabeça, mas para a sua surpresa: ele é casado! Sam, por sua vez, o tal homem do avião, aparece três anos na cidade litorânea onde nossa protagonista mora. Porém, mais uma peça do destino vem à tona, ele não está em busca dela e, sim, é o atual namorado de sua irmã postiça! Os dois parecem ter um romance perfeito, entretanto, algo não vai bem. No meio disso tudo, Clemency decide armar um plano com o seu melhor amigo, o Ronan. Ambos fingem que estão namorando apenas para causar ciúmes… Mas, pela primeira vez, ele não sabe o que realmente fazer para conquistar a mulher que ama de verdade.

Um livro que relata desentendimentos, desencontros e confusões de uma forma leve e divertida, em um cenário à beira-mar! Verdades aparecem e mais uma vez mostram ao leitor, que segredos enterrados podem voltar com tudo a qualquer momento! ;-)

Opinião da Pequena: Dos três primeiros livros da série (Romances de hoje), esse era o que eu estava menos ansiosa para embarcar. Não digo que foi o meu preferido (dessa série), mas sem dúvida o que mais me surpreendeu positivamente. No início, parece aquele clichezão, que é sempre bem-vindo, porém novidades são esperadas também. Mas o que no começo parece mais uma história parecida com o que a gente já viu por aí, a autora nos pega de surpresa e acrescenta diversas histórias paralelas que chamam a atenção e prendem, do início ao fim.

Os personagens são cativantes. Tirando o ex da Marina, que a propósito é uma pessoa no livro que a gente não dá muita importância no começo, mas ensina lições valiosas em muitos capítulos! É uma das reviravoltas mais incríveis que já li. Ronan é o meu crush e ganhou meu coração, até mais do que o próprio Sam, que é legal, mas sei lá. Clemency é divertida e romântica do jeito dela. É a protagonista, mas acho que todos os personagens ganham destaque, sabem? E o que falar da mãe adotiva do Ronan? Uma das melhores pessoas desse universo! Belle é irritante, mas adorei a evolução dela e como um “simples” detalhe muda tudo para melhor! Representatividade, de várias maneiras, encontramos em Desencontros à beira-mar!

A escrita é bem leve e deixa o leitor bem curioso a cada página. A autora sabe despertar o nosso interesse. Aliás, no decorrer dos capítulos, ela dá pequenas dicas do que vai acontecer, mas nunca um final me surpreendeu tanto, gente! Eu amei muito essa leitura e acho que foi um dos melhores livros que li esse ano! A história aquece nosso coração e dá uma sensação de que, no fim, tudo tem jeito. Mesmo com esses desencontros que a vida prega. Amei, amei. Recomendo e MUITO!  ^^

No mais, podem opinar à vontade!

Beijos, Carol. 

Post Antigo: PJ Leu – A casa dos novos começos

Fan Page ♥ Instagram 


1
19.09.2019
* PJ Leu: Romance concreto! ♥

Ei, Gente! Uma das minhas metas da Bienal desse ano era comprar um Kindle. E sabem o motivo maior? Para ler, finalmente, Romance Concreto, da escritora (brasileira) Aimee Oliveira♥ Se eu gostei da experiência? Muito!!! Mas deem uma olhadinha na resenha, ok? Boa leitura! :)

PJ Leu - Romance ConcretoLivro: Romance Concreto | Editora: Amazon | Autora: Aimee Oliveira
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros!

Sinopse: O que um chiuaua não-adestrado, uma loja sendo demolida, o demolidor da loja em questão e Olivia Liveretti têm em comum? Isso mesmo: nada. Principalmente porque o tal demolidor se encontrava completamente coberto de cimento e grosserias. Sendo assim, quando esses quatro elementos se reúnem, numa tarde nublada de segunda-feira, algo estranho acontece. E continua acontecendo à medida que Olivia Liveretti passa a conhecer as razões pelas quais Jonas Caruso continua a demolir a sua querida loja de quinquilharias, apesar de seus protestos.  A “Kinki quinquilharias e afins” nunca mais será a mesma. E Olívia também não.

Minha opinião: Desde a primeira vez que li a sinopse e vi essa capa linda, tive a certeza de que precisava ler. Tinha cara de ser aquele chick-lit maravilhoso, que faz a gente dar vários suspiros! E, sim, eu estava certa. Mega valeu a pena comprar um Kindle! Confesso, que a experiência foi bem diferente, mas válida. Principalmente, pela história, que eu devorei!

A escrita da Aimee é bem leve e divertida. A gente ri e fica com vontade de dar continuidade, sabe? Qualquer brecha, é um bom motivo para pegar o Kindle e embarcar nesse Romance Concreto. Aliás, o título super casou com a história! E quando isso acontece: pontinho extra! Adorei o Jonas, que a propósito arrancou suspiros da pequena blogueira que vos bloga, desde a sua primeira aparição. O doguinho dá vontade de apertar! Aliás, uma parte ruim do Kindle é que eu não sei como voltar as páginas para lembrar o nome dele (sou péssima com nomes hahaha). E a relação dos três é tão fofa, que muitas vezes lembrou a minha relação com a Jeannie (minha cachorrinha) e meu namorado. E a Olivia? Traz uma das lições mais valiosas do momento: até que ponto a nossa relação com as redes sociais faz bem? ;-)

No mais, o livro é bem clichê, mas tem aqueles toques surpresas que emocionam… Tipo a parte que os pais da nossa protagonista aparecem! Foi uma das cenas que mais aqueceu meu coração de leitora, pessoal. Só queria que eles tivessem aparecido mais, quem sabe numa continuação, né? Fica a dica, Aimee hahaha! E a mãe do Jonas me estressou, mas depois de alguns capítulos, ela me conquistou! E a Dona da loja? MARAVILHOSA! Ela é uma verdadeira amiga e dá vários tapas do bem na Olivia. Às vezes, a gente precisa desses toques mesmo!  Obrigada, outra personagem que esqueci o nome (me ajuda, gente, a mexer no Kindle hahaha) e não consigo recuperar hahaha. Destaque também para as outras influenciadoras, “amigas” da Olivia. Aliás, mesmo pegando um pouco de ranço de uma, ela até que me surpreendeu. E a atitude da Olivia, idem! Ah! Adorei as seguidoras, mesmo maluquinhas!

Por fim, a gente se depara com uma história que tudo se encaixa e onde a leitura flui muito bem. Nada forçado, do tipo tenho que resolver a qualquer custo. Ah! Posso destacar o nome da loja “Kinki quinquilharias”. Sério!!! Como não amar esse nome, gente???? Enfim, se você ama chick-lit, tenho certeza de que vai adorar esse e-book! Recomendo. 

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Estúpida, eu?

Fan Page ♥ Instagram  


1
17.09.2019
* PJ Leu: Te devo uma! ♥

Ei, Gente! =) Uma pausa nos posts sobre a Bienal (ainda tenho alguns conteúdos sobre para postar) para indicar um dos livros mais incríveis da diva Sophie Kinsella: Te devo uma, publicado pela Editora Record. A capa é uma das mais lindas, mas juro que o conteúdo é ainda melhor! Enfim, vamos lá? Boa leitura! 

IMG_1679Livro: Te devo uma | Editora: Record | Autora: Sophie Kinsella
Crédito da Imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 5 livros!

Sinopse: Fixie Farr é o tipo de pessoa que não consegue deixar nada para lá. Ela simplesmente sente a necessidade de ajeitar tudo, seja uma coisa fora do lugar, um amigo passando por algum perrengue, entre outras situações. Até que um dia no Café Allegro, um estranho pede para ela olhar seu laptop por um instante. E, claro, ela diz sim, até que…. O teto do local desaba, nada muito grave, e ela defende com unhas e dentes o computador do cara, que a propósito se chama Sebastian. Surpreso e grato pelo gesto, pega um protetor de copo e entrega para a protagonista com os dizeres “Te devo uma”.  Fixie acha a atitude fofa, porém, duvida muito que vá encontrá-lo algum dia.

Óbvio, que o destino prega uma peça e eles se reencontram. Afinal, um antigo crush dela, o Ryan, precisa de um favorzinho do Sebastian! Mesmo as coisas não dando certo, a troca de favores não para! Aliás, é justamente isso que a faz enfrentar coisas do passado e abraçar um futuro que promete. 

Minha opinião: Está em busca de uma história leve, divertida e, de quebra, com lições valiosas? O novo livro da Sophie, para variar, é perfeito para isso! Amei cada parágrafo e deu um apertinho no coração ao terminar o último capítulo. Bateu uma leve resseca literária hahaha!

Te devo uma fala sobre família, amigos e amor! Clichê, eu sei. Mas é aquele clichê necessário, principalmente, para quem ama chick-lit. A premissa é bem engraçada e faz a gente devorar as páginas! Os personagens cativam e, aqueles que deixam a desejar, ganham um espaço no nosso coração com o tempo e deixam saudade! Inclusive, a Fixie é uma das protagonistas da autora que mais me identifiquei. O jeito dela e como a mesma evolui no decorrer dos capítulos me ajudou muito em relação a me posicionar, até mesmo, com as pessoas que mais amo. Caiu como uma luva a leitura!

No mais, Sebastian é um daqueles que arrancam suspiros de, nós, leitores! Ryan, como dá para imaginar, desde os primeiros momentos, é um pé no saco. E os irmãos são incríveis, mesmo com as particularidades! Adorei a equipe da Farrs e a mãe da Fixie é uma das melhores pessoas e sua tia também! Porém, queria mais participação das duas e o sustinho que ela (a mãe) deu… Bom, achei necessário, porém, o susto foi grande e não gostei muito não hahaha.

Enfim, o final é simplesmente maravilhoso. Tudo termina bem, mas sempre com aquelas surpresinhas e que faz a gente querer morar dentro da história. Muito obrigada, mais uma vez, Sophie Kinsella! Você que é fã, vai amar. E você que ainda não conhece, vai se apaixonar! Sou suspeita, mas eu INDICO MUITO! E a capa eu nem preciso mencionar? Que paleta de cores linda! ^^

IMG_1680Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

Ah! E antes de terminar, olhem os brindes que eu ganhei durante a Bienal. Lá no stand da Record, se você assinasse o Clube de Romance da Carina (Rissi), você levava esses e mais um mimo (um bloquinho). Eu fiquei tão feliz quando soube que eram personalizados. E, sério, tem tudo a ver com a dica literária do dia mesmo! Daí, precisava compartilhar com vocês hahaha! 

É isso, gente! Quem ainda não leu, fica a dica. Já leu? Pode opinar à vontade, mas sem spoiler! =)

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Mas tem que ser mesmo para sempre?

Fan Page ♥ Instagram 


1
16.09.2019
* Especial Bienal – 5 coisas que aprendi na palestra “Corajosas sim, perfeitas não”! ♥

Ei, Gente! :) Bienal é um evento que a gente pode assistir milhares de palestras incríveis. Têm temas para todos os gostos! Daí, quando eu vi que no último fim de semana ia rolar um bate-papo “Corajosas sim, perfeitas não”, com a Reshma Saujani e Alexandra Gurgel, me programei para não perder por nada nesse mundo. Tudo bem, cheguei um pouco atrasadinha, mas consegui assistir. \o/

71190622_374974379866183_1790693606550405120_nCrédito da imagem: Pequena Jornalista 

O tema era sobre feminismo, mas sem radicalismo. E é válido ressaltar que o feminismo não é o mesmo que machismo. É igualdade, é respeito. É o outro ser o que ele quiser, sem imposições! Também falava sobre a gente ter mais coragem e buscar menos pela perfeição. Aliás, desde novinhas, as mulheres aprendem a fazer tudo perfeito. Porém, por incrível que pareça, a gente não precisa chegar nesse estado. Doses de coragem levam a gente mais longe. ;-)

Enfim, as duas convidadas foram incríveis. A Reshma já conhecia um pouco, por conta do livro que ela publicou pela Sextante. E, sério! Que pessoa calma e que faz a diferença no mundo. Já a Alexandra, conhecia por alto, mas virei mega fã. Ela é super coerente, coloca a sua opinião, mas respeita o próximo. Amei, amei!

No mais, aprendi muita coisa nessa palestra. Por exemplo, muitas vezes a gente acha que é tímida, mas a verdade é que a gente acaba sendo silenciada. Por mais que não seja a intenção do outro. Enfim, foram tantos aprendizados, que resolvi compartilhar mais cinco coisas valiosas desse encontro, que a propósito foi mediado pela maravilhosa Frini Georgakopoulos. Vamos lá? 

70864677_420174992036313_3126012403599278080_nCrédito da imagem: Pequena Jornalista

1. Não romantize o amor-próprio:
Sim, ele é fundamental no nosso dia a dia, mas não é fácil. Tudo bem ter dias sem esse tipo de amor, ok?

2. Pratique a imperfeição: 
Desde novinha, as mulheres são treinadas para serem perfeitas. E a gente não precisa, ok? Um passo para conseguir isso, é praticar todos os dias a imperfeição. Ou seja, se permitir errar. Por exemplo, tudo bem se você mandar um e-mail com erro ortográfico. Você não vai ser burra por isso e se o outro tiver essa impressão, problema do outro.

3. É a gente com a gente mesmo: 
Claro, que têm pessoas que estão do nosso lado. Torcem mesmo pela gente! Porém, no final, é a gente com a gente. Ou seja, nós temos de lutar pelos nossos objetivos e ideais. Ninguém pode fazer isso pela gente.

4. Seja bondosa com você!
Você, muito mais do que os outros, tem de ser bondosa consigo mesma. Perdoa-se. Ame-se. Cuide-se!

5. Levante uma mulher todos os dias:
Unidas, vamos longe. Faça um elogio, dê um sorriso! A gente nunca sabe o que a outra está passando. Julgue menos, apoie mais! Há mulheres com caráter não tão legal, claro. Mas sempre que puder seja gentil e se coloque no lugar do outro.

***

Deu para perceber que a palestra foi incrível, né? Claro, que a teoria é mais fácil do que a prática. Mas acho que a gente tem de ir aos poucos. Por um mundo com mais coragem e menos perfeição! Ah! Aprendi também que devo pedir menos desculpas. Quer dizer, tudo tem a sua hora e pedir desculpas, até quando a gente tá ok, não é tão legal quanto parece, sabem? Enfim, obrigada Reshma, Alexandra e Frini. Foi incrível e rendeu ótimos aprendizados, que pretendo praticá-los! Ah! No final da palestra, tive a oportunidade de conhecer a autora do livro “Corajosa sim, perfeita não”, a Reshma. Em breve, vou ler e conto para vocês, ok? E quero muito ler o livro da Alexandra também. Achei ela maravilhosa e espero encontrá-la na próxima Bienal. E sigam as três, que vale muito a pena!!

71280578_2529205080474242_5632472106848485376_nCrédito da imagem: Pequena Jornalista 

E me contem: vocês assistiram quais palestras nessa Bienal? Se não, quais gostariam? No mais, podem opinar à vontade! 

Beijos, Carol.

Post Antigo: Garota, pare de mentir pra você mesma!

Fan Page ♥ Instagram  


0

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020