02.09.2020
* 5 gêneros, 10 livros! ♥

Ei, Gente! :) Alguns gêneros, eu me identifico mais. Outros, nem passo perto. Muitos, dou uma chance, porque sair da zona de conforto literária faz bem. Para o post de hoje, trouxe 5 estilos de livro e 10 opções de história. Vamos lá? Boa leitura! ♥

1. Chick-lit
O que é:
Uma comédia romântica leve e divertida e não tem nada de leitura rasa não. Muitas vezes, funciona como uma terapia para mim e me ensina lições valiosas.
Indicações: Confissões de uma terapeuta é da Rê Lustosa (autora nacional). A gente se depara com confissões da personagem Mel, que tem uma paixão secreta pelo melhor amigo e pasmem: acaba atendendo uma paciente, dona do coração do dito cujo. Tem resenha aqui. E “Fiquei com seu número” , da diva Sophie Kinsella, conta a história da Poppy, que perde o anel de noivado e celular. Mas rendem capítulos divertidos e ganhos que vão além.
Onde comprar: Aqui e aqui (clicando nesses links, você ajuda o PJ a crescer. Obrigada! ♥)

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

2. Autoajuda
O que é:
Livros que nos proporcionam ensinamentos e filosofias que ajudam a transformar vidas. Mas, particularmente, eu gosto daqueles que não prometem fórmulas mágicas e são mais “pé no chão”.
Indicações: Corajosa sim, perfeita não, da Reshma, foi a minha primeira leitura desse ano e me abriu os olhos para a palavra perfeição e coragem. Fez a real diferença. Tem resenha aqui. E o que falar da história “Fazendo as pazes com o meu corpo“, da Daiana Garbin? Como me ajudou a refletir sobre várias coisas e cada cada capítulo, era uma sessão terapêutica. Tem resenha aqui.
Onde comprar: Aqui e aqui (clicando nesses links, você ajuda o PJ a crescer. Obrigada! ♥)

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

3. Biografia
O que é:
Um livro que conta a história de personagens da vida real.
Indicações: Minha história, da Michelle Obama, é um livro longo, mas que inspira a gente lutar pelos nossos ideais e tantas outras coisas. Conhecemos verdadeiramente os bastidores de uma importante fase dos EUA e do mundo. Tem resenha aqui. E o “Uma autobiografia“, da Rita Lee, acho que deve render boas risadas e, claro, fatos curiosos e inspiradores.
Onde comprar: Aqui e aqui (clicando nesses links, você ajuda o PJ a crescer. Obrigada! ♥)

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

4. Romance de época
O que é:
São romances que se passam em um determinado período histórico, digamos assim.
Indicações: Já escutei falar em alguns eventos literários sobre essa autora nacional, a Roxane Norris. No livro “Um presente do destino“, pela sinopse deu para entender que ela mistura o presente com um período histórico e acredito que seja uma leitura bem divertida e cheio de romance. E Julia Quinn, que é a diva desse gênero literário, não poderia ficar de fota. Aliás, a minha história favorita dela é “Como agarrar uma herdeira“. Para saber mais, tem resenha aqui.
Onde comprar: Aqui e aqui (clicando nesses links, você ajuda o PJ a crescer. Obrigada! ♥)

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

5. Thriller
O que é:
Nada mais é do que um suspense que usa elementos como tensão e etc para prender a atenção do leitor. E existem vários tipos, como o psicológico.
Indicações: Quem acompanha o PJ, sabe que a blogueira que vos bloga não é muito fã desse estilo, porque sente medo e fica sem dormir, mesmo não sendo terror (propriamente dito hahaha). Mas, às vezes, dou uma leve chance, porque realmente a gente não tira os olhos do livro. Acho que um dos poucos que li foi “A gaiola de ouro“, da Camilla Läckberg. É muito sinistro, gente! Para saber mais informações, clica aqui. E um autor nacional que dizem que escreve muito bem sobre o gênero (eu jurava que era terror o dele) é o Raphael Montes. Confesso que não tenho vontade de ler, pelos motivos que falei no início, mas quem quiser prestigiar a leitura nacional, acho que “Uma mulher no escuro” pode ser uma boa pedida.
Onde comprar: Aqui e aqui (clicando nesses links, você ajuda o PJ a crescer. Obrigada! ♥)

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

***

É isso, pessoal. :) Mais para frente, faço um post com outros gêneros literários, ok? No mais, podem opinar à vontade.

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: PJ Entrevista – Daiana Garbin
Fan Page ♥ Instagram  


7
08.04.2020
* Livros para adoçar a sua vida! ♥

Ei, Gente! :) Lá no Insta (segue lá: @pequenajornalista \o/) pedi indicações de livros que adoçam a vida. Daí, algumas amigas leitoras compartilharam histórias literárias comigo. Resultado? Um post com leituras que prometem deixar essa quarentena (e a Páscoa) mais doce. Vamos lá? ♥

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

1. A Lista de Brett (Lori Nelson Spielman – Verus)
Sinopse:
Brett Bohlinger parece ter tudo na vida. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente….
Observação da Pequena: Foi indicação da Juju Bittar e concordo totalmente com ela! É um livro que deixa a vida mais leve e doce, apesar das peças que o destino prega na gente. Quem quiser saber mais, escrevi sobre ele aqui.

2. Te devo uma (Sophie Kinsella – Record)
Sinopse:
Fixie Farr é o tipo de pessoa que não consegue deixar nada para lá. Ela simplesmente sente a necessidade de ajeitar tudo! Até que um dia no Café Allegro, um estranho pede para ela olhar seu laptop por um instante. Então, o teto do local desaba, nada muito grave, e ela defende com unhas e dentes o computador do cara, que fica grato e pega um protetor de copo e escreve “Te devo uma”.  Fixie acha a atitude fofa, porém, duvida muito que vá encontrá-lo algum dia. Óbvio, que o destino prega uma peça e eles se reencontram….
Observação da Pequena: Esse livro foi indicação da Dani, do Blog Dani que Disse. E eu também concordo bastante. Aliás, todos os livros da Sophie adoçam o dia a dia! E tem resenha dele aqui.

3. O diário de Bridget Jones (Helen Fielding – Record)
Sinopse:
Um romance em forma de diário, que fala sobre a vida de Bridget Jones. uma solteira de trinta e poucos anos, que luta com todas as forças para emagrecer. encontrar um namorado. parar de beber e largar o cigarro.
Observação da Pequena: A indicação foi da Rê Lustosa e sempre que escuto falar desse e dos outros livros da Bridget, lembro da minha irmã mais velha, que é apaixonada pela série também. Aliás, se eu não me engano, ela deixou esse livro aqui em casa, então, talvez eu embarque nessa quarentena (que já está com uma lista giga hahaha).

4. Lonely Hearts Club (Elisabeth Eulberg – Intrínseca)
Sinopse:
Após mais uma decepção amorosa, Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo e ela não irá mais namorar enquanto estiver na escola. Logo percebe que não é a única que passa por isso, então, decide criar o Lonely Hearts Club! Um lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz.
Observação da Pequena: Mais uma indicação da Juju Bittar e eu acho que não sabia desse livro. Tem cara de ser bem teen, engraçado e que rende várias lições. ♥

Crédito das Imagens: Amazon
Crédito da Montagem: Pequena Jornalista

5. Cem verões (Beatriz Williams – Fábrica 231)
Sinopse:
Lily Dane acaba de retornar à idílica comunidade costeira de Seaview, Rhode Island, na esperança de mais uma calma temporada de verão junto às tradições familiares e aos amigos que a apoiaram depois da sua desilusão amorosa. Este cenário se transforma com a chegada dos Greenwalds em Seaview. O casal Budgie e Nick Greenwald são fantasmas indesejados no passado de Lily: sua ex-melhor amiga e seu antigo noivo se casaram recentemente…
Observação da Pequena: Esse foi indicação da Kaka, do blog Rainhas da Pechincha. E ela não poderia ter indicado outro tão a cara dela! E como a última indicação deu mega certo (Série Virgin River, só clicar aqui para ler o post), acho que também vou embarcar nessa história literária!

6. O Príncipe dos Canalhas (Loretta Chase – Arqueiro)
Sinopse:
O perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu é um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora… Até que um dia ele conhece Jessica Trent, uma mulher tão independente e segura de si…
Observação da Pequena: Essa foi indicação da Carol Soutelo, que é completamente doida pelos livros da Loretta! E fica a dica para quem ama romance de época. Esse também está na minha listinha, mas não sei se pode ser lido separado, porque eu acho que faz parte de uma série.

7. A Escolha (Lisa Kleypas – Arqueiro)
Sinopse:
Avery Crosslin organiza os melhores casamentos da alta sociedade de Houston, no Texas, mas não acredita no amor, pelo menos não quando o assunto é a vida dela. Quando conhece Joe Travis e o confunde com um fotógrafo de casamentos, não tem a intenção de deixar que ele se aproxime. Mas Joe é o tipo de homem que vai atrás do que quer, e ela acaba não resistindo….
Observação da Pequena: Mais uma autora de romance de época que a Carol é apaixonada! Sou doida para ler algum livro da Lisa e esse eu achei a capa mara e a sinopse também. Não sei se faz parte de alguma série, se alguém souber (Carol cof cof hahaha), me avisa.

8. Receitas da Dona Benta (Equipe Editorial Nacional)
Observação da Pequena:
Esse a Tati levou ao pé da letra hahaha. São receitas para a gente comer bem, inclusive nessa época. Só de olhar a capa, já me deu vontade de comer bolos e tal. Perfeito para quem quer aprender receitas. ♥

***

É isso, pessoal. Obrigada a todas que participaram, Viu, esses questionários que faço nos Stories não são por acaso. =D Ah! Alguém já leu algum desses livros e/ou testou alguma receita da última indicação? E, por favor, me conta: qual livro adoçou a vida e você quer indicar? ;-)

Beijos, Carol.

Post Antigo: Para assistir – Que seja doce!
Fan Page ♥ Instagram  


10
02.04.2020
* PJ Leu: O lado bom do lado ruim! ♥

Ei, Gente! :) E a dica literária da semana é “O Lado bom do lado ruim“, do autor Daniel Martins de Barros. Publicado pela Sextante (eterna parceira do blog ^^), o livro fala sobre como sensações negativas podem ser usadas a nosso favor. Acho bem propício para o atual momento, né? Então, vamos lá! Boa leitura. ♥

Livro: O lado bom do lado ruim | Editora: Editora Sextante | Autora: Daniel Martins de Barros
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Desde sempre, temos a ideia de que estar feliz o tempo todo é a forma correta de levar a vida. Emoções negativas? Nem pensar! Mas até elas, por incrível que pareça, devem ser levadas em conta. Não dá para negá-las, afinal, por trás de uma tristeza, por exemplo, há sinais de alertas que não devem ser silenciados.

O livro é repleto de estudos e casos que mostram o lado bom do lado ruim, fazendo com que o leitor compreenda cada significado de cada emoção não tão boa. Sendo assim, é possível encontrar o equilíbrio entre as sensações, sejam boas ou não. ;-)

Opinião da Pequena: Quando esse livro chegou, eu estava lendo outro. Mas com o isolamento social e tal, achei que esse era mais propício e, de certa forma, iria me ajudar. Não aconteceu exatamente o que eu imaginava, mas abriu os meus olhos para muita coisa!

Aliás, a lição mais importante que tirei: a gente tem que prestar atenção na dose. Nada intenso é positivo, até mesmo, a alegria. E eu gostei muito do “exercício de velório” e virou até tema em uma das sessões da minha terapia. Obrigada por isso, Daniel. :)

E como nem tudo são flores, confesso que me perdi em algumas partes e tive de reler alguns parágrafos mais de duas vezes. Gostei dos estudos apresentados, porém, a minha expectativa era que fluísse melhor. Não é que a linguagem seja difícil, mas em certos momentos, a sensação era de estar lendo um livro mais teórico.

Porém, essa é a minha visão. Eu mega acho válida a leitura, porque como disse no começo, o livro abriu os meus olhos para muita coisa. Então, apesar desse lado não tão positivo, vale embarcar nessas emoções que ele cita em cada capítulo.

Crédito da Imagem: Pequena Jornalista

No mais, a história me lembrou muito o filme “Divertida Mente”, mas um pouco mais embasada, por motivos óbvios hehehe. Ah! Eu amei que no final de cada capítulo tem um resuminho, que ajuda muito a entender melhor a intenção do autor nas páginas escritas. Eu amei a capa e acho que ela traduz muito bem a mensagem geral do livro.

Enfim, não foi o meu preferido da vida, em contrapartida, acho que nunca mais vou olhar do mesmo jeito para todas as emoções existentes. Sempre soube que para tudo, existe uma parte boa e ruim. E agora, mais do que nunca, isso faz total sentido. ;-)

***

É isso, pessoal. Gostaram? Podem opinar à vontade.

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – Garota, pare de mentir pra você mesma
Fan Page ♥ Instagram   


5
24.03.2020
* TAG Literária: #ALOUCA! ♥

Ei, Gente! :) Para o post do dia, resolvi responder um TAG literária, que vi lá no Insta da @paixaopelaspaginas, que tem o nome de #ALouca. Amo essas TAGs e acho que a gente acaba conhecendo um pouco da pessoa e livros imperdíveis. Então, vamos lá? ♥

1. A Louca da promoção (Um livro que você comprou só porque estava barato)
R: Assim, normalmente, eu não vejo só o preço. Se é um livro que custa, sei lá, R$ 5,00, mas é de terror, não vou comprar hahaha. Mas se é chick-lit, por exemplo, compro na hora, sem pensar. E um que comprei (e ainda não li hahaha) nesse caso foi: As joias de Manhattan, da Carmen Reid. Coloquei para vender, em um brechó que tinha, mas não rolou, então, acho que nessa quarentena posso embarcar. :)

Crédito da Imagem: Amazon

2. A Louca das manias (Sua mania literária mais esquisita)
R: Na verdade é um toque hahaha. Eu odeio fechar um livro, sem ter terminado de ler o capítulo todo. Por isso, às vezes, prefiro capítulos mais curtos, que a gente possa dar uma pausa de boa! =D

3. A Louca dos livros (Uma vez que você exagerou no número de livros comprados)
R: Bienal… Sempre! Todas que eu fui, até hoje! =D

4. A Louca devora (Um livro que você devorou)
R: Têm muitos, mas um que eu lembrei hoje foi “Gentil como a gente“, da Fernanda Gentil. É leve, divertido e uma leitura bem rápida. Aliás, tem resenha dele aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

5. A Louca do romance (Um gênero que você é louca por ele)
R: Alguém tem dúvida que é Chick-lit???? ♥♥♥♥

6. A Louca dos números (O número de livros que já leu esse ano)
R: Estou no 8º livro! :) Mas, gente, não se prendam a números não, o importante é a qualidade e ler! ^^

7. A Louca do crush (Seu crush literário favorito)
R: Tenho alguns, mas um que eu lembrei hoje e que sempre será o meu crush: Gus, do livro “A culpa é das estrelas“.

8. A Louca dos post-it (Livro mais destacado com Post-It)
R: Sabiam que eu não tenho muito esse costume, atualmente? Mas o último que marquei foi “História de um grande amor“, da Julia Quinn. :) E tem resenha aqui.

Crédito da Imagem: Amazon

***

É isso, pessoal. Gostaram? Podem opinar à vontade!
Ah! Quem quiser pode responder, mas queria marcar três blogs que acho que vão gostar de responder! :)

Teca MachadoCasos, Acasos e Livros
Kaka e LolaRainhas da Pechincha
Dani Dani que Disse

Beijos, Carol. ♥

Post Antigo: A culpa é das estrelas – Trilha Sonora
Fan Page ♥ Instagram 


18
20.03.2020
* PJ Leu: Tudo que a gente sempre quis! ♥

Ei, Gente! :) Hoje é Dia do Blogueiro (Yay!) e niver da autora Emily Giffin (Parabéns!). Então, para unir os dois, o PJ Leu da semana vai ser: Tudo que a gente sempre quis, última história literária que embarquei. Vamos lá? Boa resenha! ♥

Livro: Tudo que a gente sempre quis | Editora: Editora Arqueiro | Autora: Emily Giffin
Crédito da imagem: Pequena Jornalista
Nota de 1 a 5: 4 livros

Sinopse: Casada com um membro da elite de Nashville, Nina Browning leva a vida com que sempre sonhou. Recentemente, o marido ganhou uma fortuna vendendo seu negócio de tecnologia e o filho foi aceito em Princeton. No entanto, às vezes Nina se pergunta se ela se afastou dos valores e princípios com que foi criada em sua pequena cidade natal.

Enquanto isso, Tom Volpe é um pai separado que se divide entre vários empregos para a criar a filha, Lyla. Ele finalmente começa a relaxar quando ela consegue uma bolsa de estudos na escola de maior prestígio de Nashville.

A propósito, a menina, que é filha de uma brasileira, nem sempre se encaixa em meio a tanta riqueza e privilégios, mas, tenta, ao máximo, não deixar isso abalar e segue a vida de uma adolescente típica e feliz. Porém, tudo muda quando uma foto é tirada em uma festa em uma momento de bebedeira. A imagem (com uma legenda preconceituosa) logo se espalha!

Então, em um centro de mentiras e escândalos, Tom, Nina e Lyla são forçados a questionar muitas coisas, inclusive, tudo o que eles sempre quiseram!

Opinião da Pequena: Eu nunca tinha lido nada da Emily e o meu primeiro contato foi de total admiração. É uma história muito bem escrita, de coração, gente! Não é exatamente o livro mais leve do mundo, talvez por isso eu tenha demorado um pouco mais para terminar. São assuntos pesados e que fazem a gente rever os nossos conceitos, por mais que a a gente viva uma outra realidade diante das premissas que a história traz (pelo menos a minha).

Aliás, tudo é bem encaixado e cada capítulo e a visão dos três personagens centrais vão moldando uma história cheia de lições, emoções e apertos no coração. Falando nisso, acho que a gente tem de desejar, lutar pelas coisas e querer. Mas, às vezes, é melhor deixar acontecer. E a grande sacada também é tentar não se perder no meio do caminho. Mas não existe uma vida perfeita e erros acontecem! O jeito é tentar fazer a nossa parte, aprendendo sempre. E a justiça nem sempre é justa, mas o carma é certeiro! Isso eu acredito. :)

No mais, é um livro que aborda sobre princípios, valores, família e as diferenças sociais mostram um lado do mundo bem cruel. E eu morro de vontade de ser mãe, mas deu um medo. Porque muitas vezes a gente faz a coisa certa, porém, por querer proteger demais, as coisas não saem do jeito que imaginamos. Educar não é uma tarefa fácil não, enfim…

Quanto aos personagens, não vou dar muito detalhe para não dar spoiler. Mas posso dizer que a Nina e a Bonnie são as minhas personagens favoritas. A Nina se perdeu um pouco, mas pelo passado, a gente tem a real prova de que ele influencia no nosso presente. Mas cabe a gente transformar o limão em uma limonada. E ela fez isso muito bem! Quanto a Bonnie… Ela é a melhor terapeuta e por mais clientes antigas assim.

Sobre os outros: Tom não me conquistou de primeira, mas entendi o seu lado e acho que faria igual. Finch não é o pior vilão da história, mas bem influenciável e sei lá. Kirk é péssimo e não gostei dele não. E Lyla é incrível. Uma adolescente típica, que teve de aprender de uma forma bem triste, mas no fim, soube fazer uma trajetória brilhante. Destaque também para o diretor e os pais da Nina.

O final deixa algumas perguntas no ar. Mas é sempre bom fazer com que o leitor reflita e imagine o que aconteceu, de fato. Porém, queria que alguns personagens tivessem aparecido nas páginas finais! Não imaginava um final assim, porém, ok. Me ensinou do mesmo jeito. E sobre a capa: deu leveza à história, mas se a gente analisar bem depois de terminar, é bem poética.

É isso, gente! Já leu? Conta o que achou. Ainda não? Recomendo! :)
Ah! Feliz dia do blogueiro para todos os bloggers! E feliz niver, Emily (a íntima hahaha).

Beijos, Carol.

Post Antigo: PJ Leu – A luz que perdemos!
Fan Page ♥ Instagram 


11

Pequena Jornalista - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020